sexta-feira, agosto 31, 2007

A Pena, o Presidente e Sintra

As afirmações do presidente:

“Infelizmente não temos nada a ver com isso [aumento do preço dos acessos à Pena]mas gostávamos de ter sido auscultados. Até porque toda a gente pensa que a câmara tem a tutela, como, aliás acontece em toda a Europa”.

“Lamento que os governos do PSD não tenham tido a coragem de concretizar a transferência para a câmara da maioria das acções [da Parques de Sintra-Monte da Lua].”

Afirmações ao jornal "Público" em 30/08/2007, de Fernando Seara, Presidente da Câmara de Sintra eleito nas listas do PSD , no seu segundo mandato


Jornal "Público" de 30/08/2007

A PSML gerem a nossa “Jóia da Coroa” e quais são as entidades que fazem parte desta sociedade?

-Instituto dos Museus e da Conservação 34%
-Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade 36%
-Turismo de Portugal 15%-
-Câmara Municipal de Sintra 15%

Os palácio da Pena e o palácio de Seteais vão também juntar-se à tutela da Sociedade, que já gere espaços verdes como o Parque da Pena e monumentos como o Convento dos Capuchos e o Palácio de Monserrate.
Depois da intervenção na Tapada D.Fernando II, de não resolver a recuperação do Chalet da Condessa d’Edla dentro do Parque da Pena, e de aumentar o preço dos acessos ao Palácio da Pena, que mais medidas de gestão nos esperam.


quinta-feira, agosto 30, 2007

O preço da cultura em Portugal

Imagem RTP1

Pegando num texto do blogue Serra de Sintra, em que compara o preço do acesso ao Palácio da Pena, ao Palácio Neuschwanstein na Alemanha, país que é a “locomotiva” da Europa e em que o poder de compra não tem qualquer comparação com o dos portugueses, o Palácio da Pena fica à frente por mais dois euros! (Neuschwanstein 9 Euros-Palácio da Pena 11 Euros) .

Para um visitante alemão o preço de acesso ao palácio da Pena não criará qualquer problema à sua carteira. O mesmo se passará com um visitante francês , país em que o que ordenado mínimo é 1254 Euros .

Tendo em conta que o salário mínimo em Portugal ,(403 Euros*)é um dos mais baixos da Europa ,os portugueses tem um preço de acesso a um monumento nacional,(um dos mais visitados**) a um preço superior do que pagam os alemães, os franceses e os italianos por exemplo, para acesso aos seus monumentos e museus. É um escândalo!

Será curioso comparar alguns preços nos acessos aos museus em França e também em Itália, países que tem um poder de compra superior ao dos portugueses:

França/Paris

-Museu do Louvre- 9,70 Euros

-Catacumbas de Paris-5 Euros
-Torre Eiffel -10.70 Euros

Itália /Florença
-Il Museo Chinde alle-La mente di Leonardo-9.50 Euros
-Museo de Bargello-4.00 Euros
-Complesso Monumentale de Santa Croce- 5.00 Euros
-Opera de Santa Maria del Fiore -6.00 Euros


Hoje também o jornal Público, levanta o problema do aumento dos preços nas entradas do Palácio da Pena. O director do palácio, José Manuel Carneiro, explica relativamente aos preços actuais que “Da parte dos estrangeiros não vemos reclamações, dos nacionais também acabam por pagar.”



*A 5 de Dezembro do ano passado, entidades sindicais e patronais assinaram um acordo que elevou o salário mínimo português para 403 euros, prevendo-se a subida até os 450 euros até 2009 e os 500 euros em 2011. Como termo de comparação, o salário mínimo de Espanha é 666 euros (crescimento de 5,5% este ano) e o da Grécia é de 668 euros e não teve aumento. Em Portugal, 4,7% da população empregada recebe o salário mínimo (dados de 2005); em Espanha, são 0,8%.
**51 mil visitantes em 2006, ainda sob tutela do IPPAR,actualmente com a tutela do PSML, continua a ter receitas extremamente interessantes, considerando o alto preço do seu acesso.

quarta-feira, agosto 29, 2007

Serra de Sintra

Pressionar imagem para ampliar

”Chamou a esta serra o nosso Gil Vicente dama polida,brava e doce, comtemplação de amores, e a amada do verão etc.; e pela sua doce temperatura he no estio encalmado frequentada da gente da Côrte, que alli aflue a buscar refrigerio ao calor, e repousar do continuo trafico da vida.
Quando o sol chega a essa quadra em que mais abrasa os habitantes de Lisboa, os de Cintra gosão da mais suave primavera, conservando-se o thermometro de Farenheit dez gráus mais baixo”.

“Cintra Pinturesca” Visconde de Jerumenha 1838

terça-feira, agosto 28, 2007

Sintra na TV

Reportagem na SIC Notícias no dia 18 de Agosto 2007, sobre a excelente exposição de "Alfredo Keil em Sintra 100 anos depois” que estará na Adega Visconde de Salreu em Colares, até 7 de Outubro.
Reportagem da RTP, no dia 26 de Agosto, sobre o Palácio da Pena, de onde ressalta a informação de que “Aos domingos de manhã a entrada é gratuita para quem é de Sintra.”







segunda-feira, agosto 27, 2007

Sintra-Portugal Pro 2007-Vitória brasileira

Terminou ontem na Praia Grande a mais importante prova do circuito do campeonato mundial de BodyBoard, com a vitória da prova masculina e feminina de atletas brasileiros.Na prova feminina a vice-campeã mundial Neymara Carvalho venceu pela quinta vez o Sintra Portugal Pro. Na final masculina a vitória foi para Luís Villar.


As posições finais foram as seguintes:
Feminino
1.ª - Neymara Carvalho (BRA)
2.ª - Soraia Rocha (BRA)
3.ª - Mayla Venturin (BRA)
4.ª - Mandy Zieren (AUS)
Masculino
1.º Luís Villar (BRA)
2.º Magno Oliveira(BRA)
3.º Uri Valadão(BRA)
4.º Mark McCarthy (AFR.SUL)




domingo, agosto 26, 2007

ColarTes, 3ºFestival de Artes de Verão


Em Colares, ontem o Rancho Folclórico “ Os Recreios da Venda Seca” em actuação no COLARTES-3º Festival de Artes de Verão, que prossegue este domingo.
Domingo 26 de Agosto
15H00 –“Lisbon Story” Filme de Wim Wenders (1994)
17H00 –“Cantares” do Grupo Desportivo de Sacotes




sábado, agosto 25, 2007

A última crónica

O Fio do Horizonte

A crónica de ontem de Eduardo Prado Coelho no jornal "Público"

Comício de Verão

No seu habitual comício de Verão do PSD/Madeira, lá tivemos Alberto João Jardim a vociferar com a habitual virulência e desfaçatez. Conseguisse ele imaginar o que a esmagadora maioria dos portugueses do continente pensa destas vistosas performances e talvez não exibisse tamanha arrogância. Mas não consegue, e, por isso, fica ali, naquele estardalhaço ensolarado, a vacilar entre o ridículo e o patético.

Para o ilustre presidente do PSD da Madeira, o alvo, desta vez, foram as chamadas “causas fracturantes”, que é o nome algo abusivo que foi atribuído aos temas que se ocupam de aspectos importantes da vida quotidiana das pessoas. Que um banco recuse um empréstimo a duas mulheres que vivem juntas, considerando que a situação de lésbicas não lhes permite qualquer solicitação nesse sentido, é algo que afecta o dia a dia de cada uma. E esses são problemas que não podem ser ignorados. Sobretudo com aquele inevitável argumento de que há assuntos muito mais importantes, como o desemprego ou as leis do trabalho (esta é a lengalenga habitual do PCP, que não tem particular simpatia por “temas fracturantes”, embora, às vezes, lá alinhe).

Que disse, então, Alberto João Jardim? Numa alusão à lei sobre a despenalização do aborto, declarou, segundo os hábitos enraizados do conservadorismo nesta matéria, que, “quando se fazem leis contra a vida humana, é um precedente que não podemos consentir para depois fazerem outros direitos ou se ofenderem outros direitos das pessoas em nome do Estado absoluto”. Não vamos discutir. Mas Jardim parece não ter entendido que a lei sobre a despenalização do aborto em determinadas circunstâncias é uma lei que aumenta a liberdade das pessoas, porque não obriga ninguém a fazer abortos, mas permite que quem quiser os faça e quem não quiser não faça. Falar em “Estado absoluto” é um contra-senso.

E falou sobre homossexuais. Para dizer que “querer o casamento de homossexuais e tudo isso que o Governo socialista prepara, essas não são causas, são deboche, são degradação, é pôr termo aos valores que nós, portugueses, a nossa alma nacional, temos desde o berço e que os nossos pais nos ensinaram”. Cá temos o modelo perfeito do pensamento reaccionário: vai-se buscar um princípio suposto intocável, neste caso a “alma nacional” ( Jardim ignora que “a alma é um vício”, como genialmente escreveu Agustina), para interditar qualquer debate racional e ponderado sobre estas matérias, e não se aceitar a pluralidade de posições.

Do berço não me recordo bem, mas lembro-me que os meus pais, felizmente, nunca me ensinaram estas coisas, bem pelo contrário, embora sempre permitindo que eu viesse a pensar o que achasse mais certo. E nada me leva a suspeitar que não fossem portugueses, que não fizessem parte deste demagógico “nós, portugueses” a que Jardim recorre. Os pais da minha mãe moravam na Rua do Noronha, por detrás da Imprensa Nacional, e os do meu pai na Correia Telles a Campo de Ourique. Terão sido menos portugueses por não pensarem o que pensa Alberto João Jardim? Como dizia Pacheco Pereira, se Jardim berrasse menos e pensasse mais…

Eduardo Prado Coelho
no Jornal "Público"

Lisboa, 25 Ago (Lusa) - O professor e ensaísta Eduardo Prado Coelho, de 63 anos, faleceu hoje de manhã na sua residência em Lisboa, disse à agência Lusa fonte próxima da família.

sexta-feira, agosto 24, 2007

No rescaldo do grande incêndio de ontem em Sintra

O incêndio visto do Mucifal ,ontem ao final do dia
Foto cedida por Pedro Cabral, quando o incêndio não tinha atingido as proporções que veio a ter, pondo em risco a própria serra de Sintra

Dezenas de pessoas foram retiradas das suas habitações por motivos de segurança, assim como muitos animais , e cerca de 200 hectares de árvores e mato foram queimados pelo maior incêndio deste ano em Sintra. O incêndio que chegou a ter cinco frentes atingindo principalmente as zonas de Nafarros, Várzea de Sintra e Carrascal.

O incêndio ficou circunscrito ontem às 20H00.

O controle deste vasto incêndio foi essencialmente conseguido pela eficácia dos meios aéreos utilizados, 4 Canadairs ,um, Berliev e um helicóptero. E o esforço no terreno de 400 bombeiros de diversas corporações.





quinta-feira, agosto 23, 2007

Incêndio em Sintra

Nafarros,Sintra às 17H00, tentativa para que a frente de fogo não atingisse o Parque Natural Sintra Cascais.Mais de trezentos bombeiros em várias frentes, com vários meios aéreos combatiam o incêndio.













No Diário de Notícias:"Abate polémico de árvores em Sintra"

No Diário de Notícias de hoje, em artigo assinado por Silvia Nogal Dias, é abordada a questão da desflorestação que está a ocorrer na Tapada D:Fernando II. Além de recolher as posições sobre o assunto da PSML, faz referência ao Rio das Maçãs e ao blogue Serra de Sintra.

Ler notícia -aqui

Posts relacionados:

-Regresso à Tapada D.Fernando II-pressionar
-Tapada D.Fernando II-Resposta do PSML-pressionar
-Outras limpezas na serra de Sintra-pressionar
-Os cedros também se abatem na serra de Sintra-pressionar
-Parque paraque tequero-pressionar

The Power of Schmooze Award


A Gaia do blogue Rumor, teve a gentileza de nomear o Rio das Maçãs para os “The Power of Schmooze Award”.

O prémio “The Power of Schmooze Award” foi criado pelo Mike da página Ordinary Folk como uma maneira de incentivar a relação e debate entre pessoas na internet.

Regras:

1) Se, e somente SE, você receber o “Thinking Blogger Award” ou “The Power of Schmooze Award”, escreva um post que indique 5 (cinco) blogues que tem esse perfil “schmoozed” ou que te tenha “acolhido” nesta filosofia.
2) Acrescenta um link para o "post" que te indicou e um para o post do Mike, para que as pessoas possam identificar a origem deste "meme"
.3) (Opcional): Exiba orgulhosamente o “Thinking Blogger Award” ou o “The Power of Schmooze Award” com um link para este post que você escreveu."
Agradecendo a Gaia esta nomeação,que é mais um incentivo para continuar e melhorar, esta tarefa de “blogger” que já tem mais de um ano e mesmo quebrando as regras desta nomeação em cadeia (Regra nº1),não irei nomear desta vez nenhum blogue, por total incapacidade de critério.
Obrigado.

quarta-feira, agosto 22, 2007

Campeonato do Mundo de BodyBoard na Praia Grande

Começou hoje e durante 4 dias (22 a 26 de Agosto),irá decorrer na Praia Grande uma competição de âmbito internacional e considerada como a mais importante do Circuito Mundial de Bodyboard.
Uma prova organizada desde 1995 pela Federação Portuguesa de Surf e com o patrocínio da Câmara Municipal de Sintra.


terça-feira, agosto 21, 2007

ColarTes

Pressionar para ampliar a imagem

Decorrerá no Largo de Colares nos próximos dias 24, 25 e 26 de Agosto com a participação de diversos momentos culturais.

domingo, agosto 19, 2007

Regresso à Tapada D.Fernando II




Fotos tiradas na Tapada D.Fernando II, em 18 de Agosto de 2007



Ponto da situação
Todas as participações, que este assunto gerou,(mesmo numa altura de férias) estão a ser sem dúvida muito úteis para o acompanhamento da intervenção da PSML no património natural da serra de Sintra, sublinhando o aspecto positivo da resposta da PSML, através do Engº Jaime Ferreira,e o aspecto menos positivo a posição da Quercus, que parece distante do problema, e do silêncio total da Associação Olho Vivo, e da Associação de Protecção do Património de Sintra.
-Em entrevista ao Alvor de Sintra em 7/8/2007 o engº Jaime Ferreira director técnico para a área de floresta jardins e obras do PSML, era explicado que“a madeira abatida nas várias zonas tem como destino a produção de energia através de biomassa. Na tapada e na zona envolvente do convento é a “Sequóia Verde” - empresa responsável pelo projecto - que transporta toda a matéria morta para a central".

Em resposta ao “Rio das Maçãs”, indica que “Não há ainda implantado na zona nenhum esquema de aproveitamento da biomassa resultante dos cortes, pelo que os ramos e folhas são estilhaçados e ficam no local, para reposição de nutrientes e cobertura do solo, e os troncos saem, para queima, de acordo com o contrato estabelecido com o adjudicatário de alguns dos trabalhos.”
Ora aqui parece que há uma contradição clara entre o que foi dito ao Alvor de Sintra e aquilo que acontece no terreno.

-No regresso à Tapada D.Fernando II, ontem (sábado)verificámos que o ruído das motoserras continua, que não existem (ainda) os tais painéis explicativos das intervenções que estão decorrer,e qual a solução prevista para aquele local.
-Também o ICN, vem agora afirmar que “ reconhece impacto visual do corte de árvores na Tapada D. Fernando II “ e que “o acompanhamento vai ser feito semanalmente”
O que dá a entender que no terreno além da “Sequóia Verde”,empresa que estará a fazer os abates mais ninguém estaria a fiscalizar a intervenção.
Constatámos que aquele local, continua protegido por vários carros de bombeiros, o que acontece talvez, desde os anos 70.É naquele local onde de Verão permanentemente se encontram de prevenção unidades de bombeiros, e portanto um dos locais mais protegidos de toda a serra contra o perigo de incêndios.Havendo outros locais na serra (na minha opinião), com mais necessidade de intervenção da PSML, face ao risco de incêndio, pelo número de árvores caídas e apodrecidas ,como no Parque da Pena, e no Castelo dos Mouros.
As obras de beneficiação nos Capuchos, assustam. As cercas de arame à volta do Convento e as clareiras derivado do derrube das centenas de árvores que ali existiam, afastam qualquer visitante daquele local , onde anteriormente era agradável chegar e fazer uma visita ao Convento - que actualmente fica fora da visão de quem chega.(É necessário não esquecer que em Agosto, é a altura de mais visitantes a este local).

Em 27 de Março e 2007, foi assinado um protocolo“ entre a autarquia e a Agência Municipal de Energia de Sintra (AMES), a Higiene Pública Empresa Municipal (HPEM) e os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS) –aponta para a criação de uma Base de Dados actualizada de toda a Serra, bem como a análise da produção dos resíduos provenientes da limpeza florestal. O estudo inclui ainda a análise das linhas de águas existentes e a definição de uma metodologia de trabalho da limpeza da floresta."-Será que já está implementado ?






sábado, agosto 18, 2007

CINTRA PINTURESCA

“Cintra,sitio de delicias! Que reflexoens não inspiras ao homem que sente! Qual he a halma por mais apoucada que seja, que não se desperte, como por hum aballo electrico, ao aspecto de tuas scenas tão variadas como encantadoras?”

Cintra Pinturesca-1838
Visconde de Jerumenha

sexta-feira, agosto 17, 2007

Tapada D.Fernando II-a resposta da PSML


Tapada D.FernandoII, em 8 de Agosto de 2007

Face aos nossos pedidos de informação, sobre a intervenção que está a ocorrer na Tapada D.Fernando II, recebemos hoje a resposta da PSML, que passamos a trancrever:


Exmº Senhor...
Venho, por este meio, responder ao seu mail de 8 de Agosto sobre a preocupação que os trabalhos florestais em curso no Convento dos Capuchos e nas tapadas de D. Fernando II e de Monserrate, lhe suscitaram.

1. Saliento, em primeiro lugar, que nos agrada registar que as actividades que desenvolvemos são identificadas e acompanhadas por quem se interessa pelo património de Sintra, e reconheço que deveríamos dar mais atenção à informação que prestamos a qual, face às suas dúvidas, foi certamente insuficiente.

Em consequência, decidimos já colocar nos locais painéis explicativos dos trabalhos que estamos a desenvolver e que não são, de modo algum, de “desflorestação” ou de “abate de árvores centenárias”, como passo a explicar.

2. Como sabe, a Serra de Sintra, inserida no Parque Natural de Sintra-Cascais, é considerada Zona Crítica de Incêndios (recordem-se os de 1966, 1979 e 1991). Após estes grandes incêndios, as espécies invasoras disseminaram-se por toda a Serra. Estas espécies tem uma ecologia de fogo associada, isto é propagam-se mais facilmente após a ocorrência do fogo.

As áreas do Convento dos Capuchos e Tapada D. Fernando II foram severamente afectadas. E excluindo um núcleo de vegetação autóctone na envolvente do Convento, todo o seu ecossistema foi fortemente afectado pelo domínio das espécies invasoras, a mais relevante das quais, pela sua agressividade e dominância, é a acácia (Acacia sp. ). Esta espécie concorre pelo mesmo espaço e luz com as espécies autóctones e estas, normalmente, perdem a seu favor. Outras espécies invasoras estão presentes: Pittosporum undulattum (pitósporo); Robinia pseudoacacia (robinia); Hakea salicifolia; Aillanthus altissima (ailanto).
À medida que as espécies invasoras avançam na Serra de Sintra, por abandono ou insuficiente gestão, diminui a biodiversidade do Parque Natural de Sintra-Cascais. A gravidade desta ameaça ambiental levou a publicação do Decreto - Lei 295/99 de 1999/12/21.

Não foram abatidas árvores centenárias porque as invasoras que foram removidas resultam dos incêndios acima referidos. É, ainda de referir, que estás espécies têm elevadas taxas de crescimento, a que corresponde um elevado consumo de água, resultando exemplares de grande porte.

Diminuir o risco de incêndio é uma obrigação legal de qualquer proprietário de uma floresta (Dec. Lei nº. 124/2006 de 28/6. - Artº. 15), e controlar a expansão das espécies invasoras faz parte obrigatória da boa gestão do património natural, em particular do tão relevante património à nossa guarda.

A silvicultura preventiva, isto é, a execução de acções de corte de vegetação eliminando a continuidade dos combustíveis com vista à diminuição do risco de incêndio, deve ser a resposta principal em áreas com elevado risco como é a Serra de Sintra.

As zonas de maior risco de incêndio são as confinantes com a rede viária e caminhos, pelo que devem ser preferenciais na execução de acções de silvicultura preventiva.

Na Tapada D. Fernando II, a intervenção que vimos desenvolvendo consiste na redução do coberto florestal no perímetro da propriedade e nas margens dos caminhos, eliminando as espécies invasoras e retirando árvores e ramos de risco para salvaguarda de pessoas e bens.

No Convento dos Capuchos, a intervenção consiste em remover as espécies invasoras, remover árvores e ramos de risco e retirar lenhas caídas.

Na Tapada de Monserrate, para a qual está a ser desenvolvido um Projecto de Beneficiação Florestal ao abrigo do Programa AGRO, as acções consistem na remoção da vegetação invasora, no desbaste do pinhal e na beneficiação de caminhos florestais.

As áreas sujeitas a controlo de espécies invasoras serão sujeitas a rearborizações com espécies autóctones.

Todas estas acções estão autorizadas e são acompanhadas pelo Parque Natural de Sintra-Cascais.

É ainda de salientar que iniciámos durante este ano a produção de espécies autóctones com recurso ao germoplasma de exemplares existentes no Parque de Monserrate, como é o caso dos sobreiros. Esta produção, que é facultada aos visitantes dos Parques Históricos, pode vir a ser incrementada e usada nas rearborizações.

3. Não há ainda implantado na zona nenhum esquema de aproveitamento da biomassa resultante dos cortes, pelo que os ramos e folhas são estilhaçados e ficam no local, para reposição de nutrientes e cobertura do solo, e os troncos saem, para queima, de acordo com o contrato estabelecido com o adjudicatário de alguns dos trabalhos.

4. Esperando que esta informação lhe permita compreender que o que estamos a fazer é o que deve ser feito e não, como teme, “ um enorme erro”, fico ao dispor para o esclarecimento de quaisquer dúvidas que possam evitar outros receios infundados.

Com os melhores cumprimentos,

Jaime Ferreira,
Director Técnico da PSML,
Licenciado em Engenharia Florestal
Posição do Instituto de Conservação da Natureza:
-Informação do ICN sobre a Tapada D.Fernando II, publicada hoje no "Alvor de Sintra"-aqui

quinta-feira, agosto 16, 2007

PARQUE PARAQUE TEQUERO

“Se todos, de alguma forma, tomámos apenas de empréstimo às gerações futuras a terra onde vivemos, se em Sintra o que nos doaram pelo tempo das nossas vidas é tão único e belo, e se, para mais, a zona é tão complexa e variada que a sua gestão exige enfrentar dilemas como os recordados por António Lamas, então não é possivel esperar apenas que os “outros”-e os “outros” são quase sempre os poderes públicos-façam o que cabe a cada um de nós.Como cidadãos”.
José Manuel Fernandes
–Director do jornal “Público” no prefácio do PARQUE PARAQUE TEQUERO
Mancha verde do PSML -foto Google Earth
Texto do e-mail que enviei ao PSML em 8 e em 13 de Agosto de 2007 de que não obtive qualquer resposta.
Subject: Tapada D.Fernando II
Date: Wed, 8 Aug 2007 23:59:25 +0000
Exmos, Srs,
Não existindo no vosso site outro e-mail, deduzo que este será o único contacto via internet disponivel para o PSML.Tendo um blogue sobre a região de Sintra, "Rio das Maçãs",http://www.riodasmacas.blogspot.com/.Tenho publicado vários artigos sobre assuntos referentes ao PSML, especialmente sobre a recuperação do Chalet da Condessa dÉdla, e o Palácio da Pena.
Desta vez a questão porque os contacto é sobre a desflorestação que a Tapada D.Fernando II, junto ao Convento dos Capuchos está a sofrer. Estive lá e verifiquei indignado o abate de árvores centenárias, com a justificação de uma intervenção, em prol do controlo de "espécies invasoras", associado com a prevenção de incêndios.Está também em actividade na Tapada uma empresa criada "Sequoia Verde", que abate, transporta todo o material retirado da Tapada, para produção de biomassa.
Sobre este assunto publiquei hoje um post, em que coloco duas perguntas ao PSML:
1ªCom que direcção cientifica está o PSML a conduzir o abate de árvores na Tapada D.Fernando II, adjacente ao Convento dos Capuchos?
2ªQuem fiscaliza a empresa "Sequóia Verde"- No terreno durante a "limpeza"-e a na unidade de produção de biomassa?
Esta segunda pergunta, terá a ver com o protocolo assinado em 27 de Março de 2007, entre a Câmara Municipal de Sintra, e Agência Municipal de Energia de Sintra (AMES), e Higiéne Pública Empresa Municipal (HPEM) e os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS), que apontava para a criação de uma base de dados actualizada de toda a serra, bem como a análise da produção dos resíduos provenientes da limpeza florestal.
Como municípe interessado na preservação do património monumental e natural de Sintra e estando preocupado com o abate de árvores centenárias numa área sensível da Serra de Sintra, e não encontrando informação suficiente que me garanta que o que está acontecer não seja um enorme erro, solicitava do PSML acesso a mais informação sobre o trabalho de desflorestação que se está a processar, e a forma com está acompanhar no terreno os trabalhos, efectuados pela "Sequoia Verde", e também quem acompanha a fase de produção de biomassa.
Aguardando os vossos esclarecimentos.
Com os meus cumprimentos,
Pedro Macieira


Posts relacionados:
-A (des)Tapada D.Fernando II-pressionar
-Os cedros também se abatem na Serra de Sintra-pressionar
-Outras "limpezas" na Serra de Sintra.-pressionar

quarta-feira, agosto 15, 2007

Postal do Parque Natural Sintra Cascais

Vista do Penedo /Serra de Sintra/PNSC, em 25 de Janeiro de 2007
Vista do Penedo /Serra de Sintra/PNSC, em 8 de Agosto 2007
Post relacionado:
-Há obras no Parque!-pressionar