segunda-feira, março 31, 2008

Quinta do Vinagre em Colares

O palacete da Quinta do Vinagre foi construído no séc XVI, por D.Fernando Coutinho, Bispo de Silves e que pertencera até princípios deste século a D.Maria José Dik Bandeira Nobre, tendo ali posteriormente instalado o Preventório de Colares.Veio a ser adquirido pelo Conde de Mafra que o vendeu à familia Schlumberger.

-Segundo descrição efectuada em 1907, pela Morgada do Vinagre, D.Maria José Dik Bandeira Nobre, aquele palacete albergou por vários dias e vezes D.João V e a Rainha em 1708, D.Maria I em 1777, D.Maria II,e D.Amélia de Bragança.
No ano de 1967 a Quinta do Vinagre foi cenário de uma das festas mais faustosas, que aconteceram em Portugal e que reuniu o “jet-set” internacional.
Em 15 de outubro de 1975, deflagrou um grande incêndio no palacete, tendo sido combatido 97 homens , e 16 viaturas de 4 corporações de bombeiros.

*Fonte consultada e foto do incêndio no Palacete do Vinagre retirada de “Associação de bombeiros voluntários de Colares 1890-1990” de António Caruna

domingo, março 30, 2008

Festas do 'jet-set' em Colares e Alcoitão há 40 anos

Decorria o ano de 1968, neste país cinzento, quando duas festas juntaram em Portugal o supra-sumo do 'jet-set' internacional, assunto que teve enorme impacto na comunicação social nacional e além fronteiras.

A imprensa portuguesa da época, dava grande destaque às festas dos VIP’s que se realizavam na Quinta do Patiño, do magnata do estanho boliviano Antenor Patiño em Alcoitão e na Quinta do Vinagre em Colares.

Quinta do Vinagre em Colares
A festa na Quinta do Vinagre de Pierre Schlumberger, casado com uma portuguesa, a baronesa Conceição Schlumberger,teve mais de mil convidados. A princesa Irene da Holanda, Henry Ford e Aga Khan dançaram em Colares até de madrugada ao som da orquestra de Mills Hayden.

A lista de convidados do jet-set era impressionante, entre os convidados que vieram a Portugal estava,Ginna Lollorigida ,Zsa Zsa Gabor, Ira de Furstenberg, Audrey Hepburn, Capucine, Gunther Sachs, Douglas Fairbank, Imperatriz Soraia,Valentino e membros das familias Rothchild, Niarchos e Rockefeller, etc,etc.


Texto baseado no artigo do D.N “Festa Patiño foi há 40 anos” de Rita Roby Gonçalves de 29-03-2008

Foto do palacete do Vinagre retirado de “Associação de bombeiros voluntários de Colares 1890-1990” de António Caruna

sábado, março 29, 2008

O Baile das Camélias, na Sociedade União Sintrense

O Baile das Camélias, realiza-se este sábado na Sociedade União Sintrense, a partir das 21H30. Uma festa que se realiza há já 67 anos.

67 Anos de tradição

A tradição da noite das Camélias remonta a 19 de Março de 1941. Um grupo de sintrenses decidiu organizar esta festa. Na época havia grande rivalidade entre os jardineiros das quintas, e a noite das camélias era preparada pelos trabalhadores das quintas existentes em Sintra que queriam exibir as flores mais bonitas.Por isso e após a festa, decorria o baile dos jardineiros.

Naquela noite eram exibidas autênticas obras de arte fixas nas parede em redes sobre o palco e no meio do salão era criado um centro com mais de três metros de diâmetro com milhares de camélias.

A noite das camélias era considerada a festa rainha do Concelho e as pessoas vestiam-se de gala para para o evento.Mandavam fazer vestidos compravam sapatos e arrajavam o cabelo.Era o ponto mais alto do ano durante meses apenas se preparava a noite de 19 de Março.

Os Diamantes Negros no Baile das Camélias em 1966
"Queres ver que são estes ‘gajos’? The Beatles ! Só podem ser! “. À noite, no ensaio dos DN, comecei a minha campanha na divulgação daqueles ‘novos sons’! Não foi fácil. Ainda foi preciso passar quase um ano até tocarmos o ‘She Loves You’, no Baile das Camélias ! "
Carlos Henriques(Xixó)

Fontes:
-Texto retirado de um texto do “Jornal do Correio” de 15 a 31 Março de 2005
-Foto dos Diamantes Negros em 1966 encontrada –aqui
-Foto da camélia encontrada –aqui
-Foto do Baile das Camélias encontrada -aqui

sexta-feira, março 28, 2008

Pôr-do-sol com nuvens em Colares


Pôr-do-sol , é um dos temas mais fotografados em todo o mundo. Mas também um dos mais mal aceites pelos fotógrafos profissionais, pela facilidade com que se obtém belas imagens.

Fotografar o pôr-do-sol não tem grandes segredos, mas nem sempre se consegue registar a imagem que está em frente aos nossos olhos.


Na última terça-feira o céu de Colares permitiu fotografar este bailado de nuvens em pleno pôr-do-sol primaveril.













quinta-feira, março 27, 2008

Aplicação de herbicida ao longo da linha do eléctrico de Sintra - Esclarecimento

Como comentário ao post/aviso sobre a aplicação de herbicida na linha do eléctrico , Valdemar Alves fez o seguinte esclarecimento:

Informo que, devido ao vento que se tem feito sentir, o herbicida não foi aplicado. Quando for aplicado, serão colocados em vários locais ao longo da linha do eléctrico os respectivos avisos.Informo ainda que o produto que é aplicado ao longo da linha do eléctrico é o "Spasor", o único herbicida que tem o certificado ambiental, exactamente devido à enorme quantidade de árvores que existem ao longo da linha e que urge manter. Produto esse bastante caro o que leva a que muitas vezes seja aplicado outros mais baratos, mas, na linha do eléctrico temos sempre aplicado este.

Aproveito para referir que as árvores ao longo da linha, desde 2004, tem sido objecto de monitorização de forma a poderam serem salvas, mediante a injecção de vitaminas, como através de cortes selectivos. Muitas das árvores estavam (algumas ainda estão) em risco de morrer devido à falta de cuidado que houve nas obras do troço entre a Praia e a Ribeira ocorridas entre 1995 e 1997, com o rebentamente de muitas raízes que fizeram com que muitas secassem. Em 2006 foram plantadas, depois de muitos anos, 50 árvores (plátanos), entre a Ribeira e a entrada de Galamares. Infelizmente, a exemplo do que acontece por exemplo com as plantas da Volta do Duche, foram roubadas 4 dessas árvores.



quarta-feira, março 26, 2008

Casa na Estefânia em Sintra

"Casa na Estefânia" em Sintra, aguarela de Stephen Brody

Exercício fotográfico (em dia enevoado), baseado na aguarela de S.Brody na casa da rua Dr.Alfredo Costa, na Estefânia.

"Sintra é um lugar muito antigo, que sofreu grandes mudanças ao longo da sua história,e naturalmente estamos ainda a vivê-las presentemente - na minha opinião isso não é uma vantagem, mas o mesmo poderei dizer do resto do mundo...(...)"
Stephen Brody
(Tradução livre)

terça-feira, março 25, 2008

Aplicação de herbicida ao longo da linha do eléctrico de Sintra

Foto-montagem RiodasMaçãs

A Câmara de Sintra vai proceder à aplicação de herbicida ao longo da linha do eléctrico, entre Sintra e a Praia das Maças, nos dias 24, 25 e 26 de Março.A autarquia garante que "o produto utilizado não é perigoso para as pessoas nem para os animais, possuindo certificado de compatibilidade ambiental".
Por precaução, aconselha-se que as crianças e animais sejam afastados das áreas tratadas durante 48 horas após a aplicação.
Fonte: CMS


Cuidados que devem ser seguidos em relação ao herbicida

Devido à grande extensão da linha do eléctrico, será necessário alguns cuidados com os animais e com as crianças, salvaguardando o tempo avançado pela CMS,(48Horas).Estes cuidados deverão ser cumpridos especialmente pelos donos dos cães, não os soltando nesses dias. Em relação às crianças os cuidados serão necessários, mas o percurso da linha do eléctrico não sendo um local de brincadeiras em que as crianças mais pequenas estejam sozinhas, haverá menos perigo de contacto com o herbicida.

segunda-feira, março 24, 2008

Lago de São Martinho

Aguarela do lago de São Martinho no Parque da Pena, de Stephen Brody, artista atento a Sintra.

Stephen Brody um “Sintrense” originário da Austrália, tem ao longo dos anos retratado Sintra,através das suas aguarelas, e textos nos seus ângulos mais interessantes e belos.

Lago de São Martinho, é o maior dos lagos do Vale do mesmo nome.

Trabalhos de Stephen Brody já publicados no “Rio das Maçãs”:
-Sintra do nosso descontentamento
-Aguarelas de Colares


domingo, março 23, 2008

3º Concurso de Banda Desenhada em Colares

29 de Março dia da 3ª edição do Concurso de BD em Colares

Sintra na Banda Desenhada

Album "Sintra –O Monte encantado da Lua" -textos e desenhos de José Ruy, na versão castelhana
-Ver cartaz da 2ª edição do concurso de BD de Colares-aqui

sábado, março 22, 2008

Primavera 2008

«ter-te nas mãos em concha ó Serra
de Sintra verde pomba mansa de heras
manhãs de infância hibernadas
Pitosporo a exalar primaveras
Paralelas obsessivas derramadas
No tempo escorregadio voz e violino rosto à janela
Manto inconsútil nómada sobre castelo e bosques
Morrinha orvalho lágrima chorada
Pelo coração do mar.»

Manhãs de infância

Maria Almira Medina (1923)

sexta-feira, março 21, 2008

Postal de Cintra

Postal enviado de Sintra para o Palace Hotel da Curia, em 18 de Setembro de 1922, encontrado por acaso num antiquário em Lisboa.

A curiosidade além da imagem da Vila velha nos inícios do séc XX, é a legenda do postal:
" Sintra .Vista do Palácio Rainha D.Maria Pia".

quinta-feira, março 20, 2008

Linha do eléctrico, só até à Ribeira de Sintra

Depois de ter estado encerrada ao Público a circulação do Eléctrico de Sintra em todo em seu percurso, esta voltou a reabrir mas apenas no troço que liga Sintra à Ribeira (Centro de Ciência Viva), por tempo indeterminado.
Informação da CMS

quarta-feira, março 19, 2008

A Quinta do Marquês de Marialva

Foto Cruz,Chaves-arq.foto.CML

«Na segunda metade do séc XIX, o Campo(de Seteais) recaiu no domínio público , e os danos foram tantos que os descendentes e sucessores do Marquês de Marialva por três vezes tentaram fechar o terreno, por cuja conservação eram responsáveis. Mas o povo, cioso do seu direito, por três vezes impediu o ajardinamento do centro do Campo, que sucessivamente foi servindo para ali se realizarem jogos de futebol, concursos hípicos, feiras agrícolas e festejos populares, até que o Estado Português, em 1946, adquiriu ao ultimo proprietário, Conde Sucena, a casa e a quinta, livre de foros desde 1797, e também os domínios útil e directo do campo de Seteais. Hoje é a empresa concessionária do Hotel-Palácio quem se opõe às tentativas populares que de vez em quando procuram divertir-se no terreno relvado.»
História do Palácio e Quinta de Seteais-Estudos Sintrense II-Francisco Costa-1958

Depois dos acessos proibidos no Parque da Pena, alegadamente por motivos de segurança de futuras obras de restauro do Chalet da Condessa, também o Palácio de Seteais tem o acesso impedido ao público durante um ano pelos mesmos motivos.

O "Rio das Maçãs" associa-se às vozes que já contestaram esta medida tomada pelo concessionário ( hotel Tivoli, grupo Espírito Santo) daquele espaço - destacando os blogues “Alagablogue”, e o “Sintra do Avesso”, exigindo que os PSML,e a CMS criem uma solução durante o longo período das obras, que permita o acesso dos visitantes a um local, que tem uma vista impar para a Várzea de Sintra, como um dos ângulos mais interessantes do palácio da Pena, visto através do Arco de Seteais.

*Nota sobre as obras no Palácio de Seteais no início do séc XIX
«(...)Como a entrada do palácio não podia situar-se ao centro da construção, que era e é caminho público para o Miradouro, o arquitecto do Marquês de Marialva (provavelmente José da Costa e Silva) tirou partido desse inconveniente, marcando o centro com o arco de triunfo dedicado ao Príncipe Regente.»
Francisco Costa, Estudos Sintrenses II

terça-feira, março 18, 2008

Os caminhos proibidos do Parque da Pena e Cidadania

Em 2006 um grupo de pessoas preocupadas com o estado em que se encontrava o Chalet da Condessa d’ Edla , desencadeou um conjunto de acções de forma a sensibilizar os "Parques de Sintra Monte da Lua", para a importância do seu restauro. Após ser atribuído um financiamento através de um fundo de um organismo da EFTA, nos finais de 2007, é possível agora recomeçar as obras de restauro do Chalet.

No dia 2 de Março último, em visita organizada pelo Comissão Cívica pelo Restauro do Chalet da Condessa d´Edla ,cerca de meia centena de participantes, incluindo descendentes da Condessa d’Edla, e a poetisa e artista plástica sintrense, Maria Almira Medina visitaram no Parque da Pena, o Chalet da Condessa - uma intervenção de sensibilização pela recuperação daquele ex-libris do Romantismo, construído no séc XIX, sob orientação de Elise Hensler, Condessa d’Edla e de D.Fernando II. Em 1999 um incêndio no Chalet destrui-o parcialmente, o que restou do chalet ficou em total abandono e degradação nos últimos 9 anos.
Mas como escreveu Fernando Morais Gomes, no Alagablogue «Algumas mentes podem ver nestas iniciativas a acção de grupos de pressão quiçá politicamente engajados. Para esses apenas uma resposta:a cidadania não é uma outorga,é um Direito.Como se lia nas paredes deste país a seguir ao 25 de Abril, só o medo de ser livre provoca o orgulho de ser escravo. A sociedade não se manifesta só dentro dos partidos e das corporações,e por muito anémica e desmoralizada que possa estar encontra sempre forças para que haja um pouco mais de azul...»
E mentes deste tipo existem de facto nos PSML. Na véspera da visita comunicaram-nos que «que por razões de segurança e regras gerais não é possível entrar no estaleiro, nem a zona do Parque em que se localiza o Chalet é visitável.» E realmente no dia da visita lá estavam as novas e reluzentes correntes, "impedindo" o acesso ao Chalet, e como descreve Rui Vasco Silva, no blogue Serra de Sintra - «os participantes do passeio desta manhã ao Parque da Pena (promovido pela meritória Associação Alagamares) não se deixaram intimidar, e aproveitaram uma esplendorosa manhã de Inverno para percorrer alguns dos mais belos espaços do Parque.» e adiantava que «É certo que as principais estradas de acesso ao Chalet foram estrategicamente cortadas (ainda na semana passada não havia constrangimentos à circulação na Pena... algo se deve ter passado entretanto!), mas quem conhece o Parque sabe que há 1001 caminhos para chegar ao Chalet, e foi com naturalidade, sentido de responsabilidade e total civismo que os participantes avançaram até à antiga casa da Condessa.»
A PSML, em vez de considerar a intervenção deste grupo cívico, como uma mais valia na sensibilização e divulgação do magnifico património existente no Parque da Pena, aproveitando o seu envolvimento em acções histórico/culturais durante o processo de restauro do Chalet - prefere através de medidas algo intimidatórias afastar, as pessoas que mais conhecem , e mais interesse demonstraram no seu restauro, com justificações sem sentido, e com preocupações de segurança, com que nunca se preocuparam desde que o Chalet foi destruido em 1999.

Termino recorrendo mais uma vez ao excelente texto de Fernando Morais Gomes lembrando a «Declaração de Aranjuez,subscrita por Sintra, onde se apela á participação construtiva e estimulante da sociedade civil na defesa,promoção e protecção do património(material e imaterial).» E concluindo que «O Chalé da Condessa pode vir a ser um case study da relação dos munícipes com o seu património, e do quanto se está vivo e desperto para causas do Nós que se levadas a bom termo, valorizaram o Eu de cada um, assim tornado mais cidadão e fruidor pleno do legado dos seus antepassados.»





segunda-feira, março 17, 2008

Os 118 anos da Associação dos Bombeiros Voluntários de Colares (II)


Concluíram-se este domingo, as comemorações dos 118 anos da Associação dos Bombeiros Voluntários de Colares. A apresentação de uma nova viatura e uma sessão solene, com entrega de condecorações aos sócios mais antigos foram os pontos altos do programa de aniversário.







Posts relacionados:
-Os 118 anos da Associação dos Bombeiros Voluntários de Colares -pressionar
-Os 117 anos da Associação dos Bombeiros Voluntários de Colares(notas históricas)-pressionar

domingo, março 16, 2008

Imagens do Rally "As Camélias de Sintra" em Automóveis Antigos


Decorreu nos últimos dois dias, a 4ª edição, do rally “As Camélias de Sintra" em Automóveis Antigos - aqui ficam algumas imagens do acontecimento.

























O presidente, Fernando Seara conduziu o Rover que pertenceu a Fernando Pessa.









Vídeo da passagem do Rally "As Camélias de Sintra" pela Ribeira de Sintra



O vídeo que permite ver os “bólides” na passagem pela Ribeira de Sintra na etapa final do Rally, é da autoria de Erica Macieira

sábado, março 15, 2008

Porque hoje é sábado...

Presença da Escola António Sérgio, do Cacém (imagem RTP)

Dois registos da manifestação dos professores em Lisboa no passado sábado, que reuniu cem mil manifestantes contra a politica de Educação do governo do Partido Socialista.

Presença de uma professora ainda mais revoltada (vídeo encontrado no "Prosas Vadias")

sexta-feira, março 14, 2008

4º Rally "As Camélias de Sintra"

Inicia-se hoje a 4ª edição da versão do rally das Camélias em Automóveis Antigos. A prova decorre de 14 a 15 Março.

Os 40 automóveis participantes, construídos entre 1928 e 1971, vão percorrer os cerca de 132 kms da prova nas sinuosas estradas da região de Sintra.


Itinerário da XVII edição do Rally das Camélias, organizado pelo clube Arte e sport de 23 em Março de 1972. (pressionar a imagem para ampliar)

Saber mais sobre a edição deste ano -aqui

quinta-feira, março 13, 2008

Poesia de Sintra

"Sintra é a minha geografia! Tenho muito amor à natureza e às pessoas de Sintra Sinto-me profundamente enraizada aqui. Não quero ficar noutro qualquer sítio..."

Maria Almira Medina


Redondilhas com varanda

Visto-me de lume
na varanda nua
e caio de bruços
na concha da rua

Sangue derramado
neste chão imundo
mata a sede às pedras
e às raivas do mundo.

Náufrago imperfeito
agarrado à lua
com olhos de prata
nas trevas da rua.

Pombas ou gaivotas
na varanda poente
O mar é a terra
e o céu está na gente.

Maria Almira Medina