sábado, abril 30, 2011

Os Azulejos da Escola Oficial das Azenhas do Mar IV

Photobucket
Em Agosto de 2010, contactei a empresa Educa, CMS e Escola do Património de Sintra, solicitando informações sobre o que se passava com os azulejos ornamentais, da Escola Oficial das Azenhas do Mar -azulejos que tinham sido retirados na altura.

Por duas vezes enviei e-mails e por duas vezes não obtive qualquer resposta.

Em Janeiro de 2011 na Revista Municipal de Sintra (2º Semestre de 2010), mas distribuída só nessa altura, surgia uma pequena nota indicando que; "Os azulejos da escola encontram-se a restaurar na Escola do Património de Sintra" - não dando qualquer informação, para quando o sua reposição no local de onde foram retirados.

Photobucket
Foto como e se encontrava a Escola Oficial da Azenhas do Mar, sem vários páinéis de azulejos em 2010

Esta semana houve a reposição dos azulejos que tem a designação "Escola Oficial", ( não sabendo se são os originais se azulejos novos) - faltando ainda os azulejos dos painéis laterais.

A falta de resposta destas entidades, aos pedidos de informação, quando está em causa a imagem de um edificío público, património histórico de Sintra - demonstra a consideração que lhes merecem os cidadãos, por aqueles a quem foi atribuída a gestão da coisa pública.

Photobucket
Foto de 28-04-2011

sexta-feira, abril 29, 2011

Imprevidências em tempo de "Verão"

AzenhasdoMar28042011F

As Azenhas do Mar é um dos meus locais de eleição, para fazer fotografias - pelo próprio cenário, e também pela existência de uma enorme piscina oceânica.

Hoje deparei com uma situação inesperada - três jovens, algo imprevidentes, divertiam-se na piscina, correndo sério perigo de serem arrastadas para o mar pelas vagas alterosas.

Afinal tudo acabou bem, e possibilitou algumas fotos que nunca pensei fazer.


AzenhasdoMar28042011F4
AzenhasdoMar28042011F2
AzenhasdoMar28042011F3
AzenhasdoMar28042011F5

quinta-feira, abril 28, 2011

A Natureza continua a moldar a imagem da Praia da Ursa

yFiZKS2Zvj9vIf886MN91OBTAIPrjY8z
Foto publicada no"Guia de Portugal- Lisboa e arredores" Ed.1924

A Praia da Ursa, como é natural, tem ao longo do tempo sofrido o efeito da erosão, a natureza vai moldando lentamente as falésias e alterando as formas dos penedos que se encontram mergulhados no mar.
A existência de uma rocha como dois enormes arcos, "Maraferama", nos inícios do século XX, só existe nos poucos registos fotográficos da época, e na pintura de Alfredo Keil.

PraidaUrsaAlfredoKeil
Pintura a óleo de Alfredo Keil -também publicada a preto e branco na "Ilustração Portuguesa"de 22 de Abril de 1912

PraiaUrsa200932009
O mesmo ângulo, (foto de 2009) - 100 anos depois a imagem dos arcos, só nos registos fotográfico e no óleo de Alfredo Keil.

Cem anos depois, do desaparecimento da enorme rocha dos arcos, é o penedo conhecido pela "Ursa" que desmorona parcialmente, dando assim, início a um processo que nos próximos tempos irá inevitavelmente alterar as formas daquele penedo, que está ligado à lenda da própria praia.

PraiadaUrsa2011Final
A lenda diz que há muitos milhares de anos, quando a terra era uma enorme bola coberta de gelo, aqui vivia uma ursa com os seus filhos. Quando o degelo começou , os Deuses disseram a todos os animais para abandonarem a beira-mar, mas a ursa não o fez, pois ali tinha nascido e ali queria ficar.Os Deuses enfurecidos transformaram a ursa em pedra e os seus filhos em pequenas rochas dispersas à volta da mãe, que ali para sempre ficaram dando assim o nome à praia - Praia da Ursa.

quarta-feira, abril 27, 2011

Derrocada na arriba na Praia da Aguda

Praiaguda

Depois da derrocada no rochedo da Praia da Ursa . Publicamos hoje o que resta da da arriba, depois do desmoronamento de uma duna consolidada na Praia da Aguda, semelhante à que existe na Praia do Magoito,(formada há cerca de 10 mil anos), mas de menor tamanho.

Praia com acessos condicionados, tem agora um risco maior face à instabilidade da arriba.

Antes -A arriba (duna consolidada), em 2009

PraiAguda26072008

Agora-O resultado do desmoronamento da arriba - foto de 23/04/2011

PraiaAguda23042011c

As arribas do litoral Sintrense, encontram-se há muitos anos com necessidade de uma intervenção - existem neste momento várias praias com acessos interditos e não se nota qualquer atitude das várias entidades envolvidas nas soluções para consolidar as arribas, para que os Sintrenses e os que nos visitam possam usufruir das praias da região com segurança.

terça-feira, abril 26, 2011

Comemorar o 25 de Abril (II)

Photobucket
Como é tradicional, realizou-se ontem na Avenida da Liberdade o desfile comemorativo do 25 de Abril.
Desfile que juntou milhares de pessoas que entoaram palavras de ordem, sobretudo contra a presença do FMI em Portugal.
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket

segunda-feira, abril 25, 2011

Comemorar o 25 de Abril

Photobucket

Em 25 de Abril, os militares fizeram um golpe de Estado, que só podia fazer-se com força e tinha de ser preparado no segredo dos quartéis. Mas no dia 26, ou talvez mesmo na tarde de 25, quando o povo saiu para a rua, começou a Revolução. Porque a Revolução só pode ser feita pelo povo. E agora, se vocês quiserem, teremos Revolução; se não quiserem temos apenas um golpe de Estado.

* Palavras pronunciadas por um oficial do MFA, em princípios de Novembro de 74, na primeira Campanha de Dinamização, respondendo a um adolescente de Gouveia, Beira Alta.

sábado, abril 23, 2011

Desmoronamento na Praia da Ursa

2011-04-23013717 CA967162-B341-4FEB-88DD-FECB0766BF67$$738d42d9-134c-4fbe-a85a-da00e83fdc20$$a46b929c-8f09-4753-98cb-0a4dbb458d3d$$odia imagem grande$$pt$$1
Foto de Eliana Lemos, publicada no "CM" de 23/04/2011

O rochedo que é o ex-líbris da Praia da Ursa, sofreu um desmoronamento parcial. Tomando conhecimento só ontem pelo jornal "Correio da Manhã" online, e com a publicação da foto de Eliana Ramos, que teve a sorte de fotografar o momento da derrocada - estivemos lá hoje de manhã, o que permitiu fazer as fotos que a seguir publicamos:

PraiadaUrsa2011Final

Não sendo a primeira vez que a erosão, altera a imagem da Praia da Ursa, o desmoronamento que se verificou agora, fragilizou a estrutura do rochedo e será natural próximos desmoronamentos, alterando profundamente a imagem de uma das praias mais bonitas do litoral sintrense.

PraiadaUras20110423final
Pormenor do aspecto actual do rochedo, que tanto gostávamos.
PraiadaUrsa23042011Final
Resultado do desmoronamento, na base do rochedo

PraiaUrsa200911final
A imagem do rochedo em 2009, que agora faz parte da nossa memória, e dos registos fotográficos.
* E dos desenhos de Pedro Cabral

Porque hoje é Sábado... (Actualizado)

Faz o que eu digo, não faças o que eu faço!

CIP

O presidente da CIP, António Saraiva é um crítico feroz da tolerância da última tarde de Quinta-feira, concedida pelo governo.

Igualmente o líder do PSD,Pedro Passos Coelho, afirmou “Na prática o que o governo disse foi:’Façam mais um dia de feriado, porque o país é suficientemente rico para poder ter mais um dia de descanso”, “É um mau sinal, é um sinal negativo, que tenho pena que tenha ocorrido”.

O patrão dos patrões portugueses, classificou de “laxismo” a medida. –“Enquanto uns trabalham, temos este laxismo. Ou quando há bom tempo, vamos para a praia, no mesmo dia em que chegam os elementos da troika”. E voltando ao ataque na última quinta-feira , afirmou; “este país não está para este tipo de luxos”,”os portugueses tem 25 dias de férias úteis,para além das pontes”.

Mas apesar destas ferozes críticas à medida governamental, o Presidente da CIP, António Saraiva deu na quinta-feira, tolerância de ponto durante todo o dia aos seus funcionários!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Fonte: Jornal "Público" de 22/04/2011


E também na Madeira de João Jardim:

Os funcionários públicos da Madeira tiveram hoje a segunda tolerância de ponto para a quadra pascal. Quem esteve hoje a trabalhar, poderá tirar um dia de folga noutra altura.
"Atendendo ao significado da Semana Santa na tradição católica do povo madeirense e sendo a sexta-feira santa feriado nacional, foi resolvido estabelecer tolerância de ponto na quinta-feira santa e no sábado de Aleluia, nos serviços públicos, institutos públicos e empresas públicas sob a tutela do Governo regional", deliberou o executivo madeirense em reunião presidida por Alberto João Jardim que passou a toda esta semana no Porto Santo, ilha muito procurada pelos madeirenses também nas férias de Páscoa.

Também no Carnaval, o Governo regional prolongou a tolerância de ponto da terça-feira de Entrudo até à manhã do dia seguinte em todos os serviços, instituições e empresas públicas sob a sua tutela, “sem prejuízo de serem assegurados todos os serviços e actividades imprescindíveis ou indispensáveis”.
Jornal "Público" online

http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/funcionarios-publicos-na-madeira-com-dois-dias-de-tolerancia-de-ponto_1491059


sexta-feira, abril 22, 2011

A visita do Presidente da República a Sintra em 1935

Cintra

O texto sobre a visita do General Carmona a Sintra, foi publicado na revista "Ilustração" nº233 de 1 de Julho de 1935

quinta-feira, abril 21, 2011

Praia de S.Julião

PSjuliao
PraiadeSJuliao

Praia situada a norte do Concelho. O Rio Falcão divide a Praia em dois concelhos, localizando-se a maior extensão de areal no Concelho de Sintra.
Esta praia é muito frequentada por adeptos de desportos aquáticos, como é o caso do bodyboard e do surf.
a maior
Características e Serviços:
· Praia vigiada
· Bandeira Azul
· Duches
· Bares
· Restaurante
· Instalações sanitárias

Texto CMS

quarta-feira, abril 20, 2011

Ermida de S.Julião

ErmidaSJuliao11

A praia de S.Julião a norte do Concelho de Sintra, é atravessada pelo Rio Falcão, que divide a Praia em dois concelhos, (Sintra e Mafra), localizando-se a maior extensão de areal no Concelho de Sintra.

Neste local existe uma Ermida, construída no século XVIII, com painéis decorados de azulejos azuis e brancos, cujo tema é a vida de S. Julião e Santa Basilissa. Tem também um conjunto de relógios de sol verticais, em pedra, datado de 1754. Em Setembro decorre aqui uma das festividades mais características da região: o Círio de Ribeira de Pedrulhos, também conhecido por Círio da Água-Pé.

Foi em S.Julião que viveu Mateus Álvares, denominado Rei da Ericeira, resistente à ocupação filipina e que se fez passar por D. Sebastião.

ErmidaSJuliao1

ErmidaSJuliao211

terça-feira, abril 19, 2011

A recuperação do Chalet da Condessa d'Edla está terminada

Acompanhando o processo de recuperação do Chalet da Condessa d'Edla, no Parque da Pena desde 2006, Chalet que foi parcialmente destruído por um incêndio em 1999 - publicamos hoje, um conjunto de fotos das várias fases da sua recuperação, estando a sua inauguração prevista para o próximo mês de Maio.
item
Postal antigo com desenho do Chalet da Condessa d'Edla

Deferido que foi um financiamento do Financial Mechanism Office do EEE em 30 de Maio de 2007, foram iniciados os trabalhos preparatórios no local.

ChaletMosaicoFinal
Fotos de 2008, em que é possivel observar o estado em que se encontrava o Chalet.

Dezembro de 2010
ChaletdaCondessa2011

Em Dezembro de 2010 a Parques Sintra Monte da Lua, proporcionou, uma visita às obras de recuperação do Chalet da Condessa d'Edla no Parque da Pena.
Chaletesquema
Estudo tridimensional do interior do Chalet- (memória descritiva do Chalet)
Chalet18122010f
Fase em recuperação adiantada, tanto no seu interior como no exterior, em Dezembro de 2010

Abril de 2011
Foto da semana passada com o Chalet e o jardim envolvente completamente recuperados (fotos de Emília Reis)

New Imageemilia2

New Imageemilia

Até Maio voltaremos de novo a este tema, porque a recuperação levada a cabo pela PSML, do Chalet tem grande importância para o Parque da Pena, e um dos assuntos que temos acompanhado com toda a atenção.

segunda-feira, abril 18, 2011

A visita do Presidente da República à Adega Regional de Colares em 1935

AdegaFinal


"Foi na última Quinta-feira que o sr. General Carmona a quem muito interessa todas as manifestações do trabalho nacional, visitou a Adega Regional de Colares, o mais perfeito organismo da sua especialidade entre nós, decisiva demonstração de quanto pode uma acção enérgica ao serviço de uma boa causa.

O problema de Vinho de Colares arrastava-se sem solução anos após anos, e improfícuos e baldados se tornavam todos os esforços empregues em o resolver. E forma muitas tentativas feitas, esbarrando sempre contra inexpugnáveis barreiras que inconfessáveis e ilegítimos interesses cimentavam. À frente desse movimento destacou-se o maior e mais dedicado paladino de Colares, o dr. Brandão de Vasconcelos cuja memória é venerada em toda a região, e não é exagerada a afirmativa de que à sua incansável persistência, se deve, em grande parte, a solução definitiva do problema vinícola, assente hoje em bases sólidas e seguras.

Adega2Final
(...)
Em 15 de Agosto de 1931 foi criada a Adega Regional de Colares, ponto de partida do actual organismo que tão grande e salutar influência veio exercer sobre a viticultura e vinicultura da região, que até essa altura ,marchavam numa irregularidade tal que se não fossem as providências tomadas o descrédito deste vinho arruinaria por completo a principal riqueza local.
Comerciantes pouco escrupulosos com alguns mas raras excepções serviam-se desta marca para lançarem no mercado os seus produtos sem se preocuparem com a sua qualidade, e com os legítimos interesses dos lavradores, aproveitando-se assim do rótulo de Colares que realmente representa hoje o melhor dos vinhos de mesa portugueses, sem receio de confronto com os mais afamados das regiões vinícolas dos principais países, como a Es panha, a França e a itália.

Quatro anos de existência conta pois a Adega Regional e neste prazo aliás curto, transformou-se por completo a situação angustiosa em que a região se debatia.

Aberta a inscrição voluntária de sócios acorreram no primeiro ano,83 número que ascendeu no ano seguinte a 140, a 200 em 1933, passando a 360 em Outubro de 1934, em que o actual Ministro do Comèrcio e Indústria, sr. Garcia. Ramires, promulgou o Estatuto da Região, tornando obrigatória a inscrição na Adega Regional de todos os lavradores."

Publicado na revista "Ilustração" nº233 de 1 Julho de 1935

domingo, abril 17, 2011

Igreja Matriz de Colares

IgrejaColares2b

Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Assunção
Largo Dr. Carlos França, Colares

A Igreja Matriz de Colares foi construída na segunda metade do século XVI e consiste num bom exemplar de “arquitectura chã”.
Na frontaria abre-se um singelo portal, sobrepujado por um janelão pombalino e, ao nível do frontão, rasga-se um óculo. A torre com cúpula e pináculos, à esquerda, está revestida de pedra e permanecem ali quatro sinos, ostentando, dois deles, inscrições e as datas de 1649 e de 1784. O corpo deste grande templo permanece ritmado por possantes contrafortes de pilastras toscanas simples. No topo da ousia embebem-se dois medalhões tardo-renascentistas em alto-relevo, representando
São Pedro e São Paulo, decerto obra de um mestre local ou de uma oficina incipiente.

No interior, de uma só nave com cobertura em abóbada de berço, destaca-se, para além das capelas laterais pouco profundas preenchidas com talha dourada, o bem lançado arco triunfal projectado por Pedro Nunes Tinoco, em 1638. Enquadrar-se-á igualmente nesta campanha o revestimento das paredes com azulejos do “tipo de “tapete”, a amarelo e azul. Note-se que ali subsistem ainda uma pia baptismal com gomos incisos, datada de 1604; e a pia de água benta, junto à porta sul, de
boa fábrica manuelina que terá pertencido de acordo com documentação coeva a anterior templo devotado a Santa Maria da Misericórdia.

Nos alvores de setecentos, D. Pedro II terá promovido o embelezamento da capela-mor, nomeadamente, o revestimento das paredes com magníficos painéis cerâmicos figurados, da autoria do mestre azulejador Manuel dos Santos, e a construção do grandioso retábulo de talha ao “estilo nacional”, com colunas salomónicas e envasamento de mosaicos florentinos.
Texto C.M.S. - Divisão de Património Histórico-Cultural

Photobucket

sábado, abril 16, 2011

Porque hoje é Sábado...

peninsulafinal

A Jangada de Pedra
"Neste livro tentei demonstrar duas coisas; primeiro: a Península Ibérica tem pouco a ver com a Europa no plano cultural. Dir-me-ão que a língua vem do latim, que o Direito vem do Direito Romano, que as instituições são europeias. Mas o certo é que, com este material comum, fez-se nesta península uma cultura fortemente caracterizada e distinta. Segundo: há na América um número muito grande de povos cujas línguas são a espanhola e a portuguesa. Por outro lado, nascem em África novos países que são as nossas antigas colónias. Então imagino, ou antes, vejo uma enorme área ibero-americana e ibero-africana, que terá um grande papel a desempenhar no futuro.
(...)
Ponho a Península Ibérica a vogar para o seu lado próprio, que seria o Atlântico, entre a América do Sul e Africa central."

José Saramago, em entrevista ao Jornal de Letras(1986) - a propósito do seu romance "A Jangada de Pedra".

sexta-feira, abril 15, 2011

Frederico Gil

FGilFinal

Frederico Gil nos quartos de final de Monte Carlo
O tenista português, Frederico Gil, surpreendeu esta quinta-feira no torneio de Monte Carlo, ao derrotar o número dez mundial, o francês Gael Monfils.
Gil, 82.º do ranking ATP, venceu o primeiro set por 7-6 (após tie-break) e dominou o segundo, com esclarecedores 6-2, ditando o afastamento de Monfills (10.º da hierarquia e oitavo cabeça de série), em duas horas de jogo.
Apesar da diferença de pontos no ranking, Frederico Gil singrou na partida, alcançando os quartos de final, fase nunca antes conseguida num Master.

De uma notícia do "Diário de Notícias"

João Frederico Limpo Gil , nasceu em Colares e frequentou o 10º ano na Escola C+S da Sarrazola, como melhor solução para continuar a manter os treinos que a prática do ténis exigia. Em 2004 foi Campeão Nacional Absoluto, com a idade de 19 anos.
Frederico Gil começou no futebol, mas cedo percebeu que gostava mais de jogar ténis.

Quando está em Portugal, Frederico Gil gosta de jantar com os amigos de infância, no seu restaurante de eleição o “Búzio” da Praia das Maçãs.

quinta-feira, abril 14, 2011

Recantos de Sintra V

Recantos de Sintra
Recantos de Sintra2

Recantos da Quinta de Santo António,na rua Câmara Pestana que anteriormente era utilizada como área de restauração para casamentos, e que actualmente parece não existir ali qualquer actividade.

Recantos de Sintra3

Recantos de Sintra0
(Foto de José Matias do blogue Trans-Atlântico)