sábado, maio 31, 2014

Encontro de Historiadores de Sintra



Sobre  o IV Encontro de História de Sintra

Pela quarta vez, depois de 1993,1997 e 2007, se realizou um Encontro de História de Sintra, desta feita sujeito ao tema “Historiadores Sintrenses”, numa homenagem aos inúmeros estudiosos da temática sintrense, e, curiosamente, com início no dia em que decorreram 127 anos do falecimento de um dos mais importantes entre eles, o 2º Visconde de Juromenha, autor da célebre e incontornável Cintra Pinturesca.
Neste evento, o segundo organizado pela Alagamares,  contámos com o saber dos mais proficuos autores de temas relacionados com Sintra, seus espaços e tempos, procurámos reunir a comunidade científica local, investigadores de grande qualidade e com anos de devoção e visão crítica, bem como dar a conhecer novos e inéditos contributos para a História Local, assim dinamizando a nossa vida cultural e o debate em torno de temas novos e sedutores e de clássicos nunca definitivamente estudados. Com esta iniciativa pretendeu-se igualmente continuar a contribuir para a construção de um espaço cultural público local e plural. Quem melhor poderá contribuir para as necessárias e urgentes alterações políticas, sociais e culturais senão os agentes culturais, na sua diversidade de interesses? Assim procedendo,  contribuímos para a cidadania livre por oposição à reverência domesticada, na prossecução de uma praxis em estreita conexão com as actividades criativas e o mundo da investigação.
Falando de Sintra e da sua magia, Taylor Moore, um amigo da Alagamares que desde há dois anos se dedica a divulgar pela imagem o feitiço visual deste local ímpar, usou recentemente uma expressão que é em si um programa de acção para a nossa associação e para os defensores do património em geral: Sintra: Build a Legacy. Construir um Legado. Para isso cá estamos, iguais entre muitos, mas atentos e críticos, cidadãos e criativos, certamente.
Estamos na estrada, não estamos na berma. Resta-nos agora o desejo de que os trabalhos tenham enriquecido o acervo documental de Sintra, esperando pela futura edição das comunicações produzidas, bem como a sua difusão nas modernas plataformas de comunicação ao dispor.
Na abertura, usaram da palavra o Presidente da Alagamares,Fernando Morais Gomes e o Presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, que relacionou a Cultura com outras áreas de intervenção pública, realçando que a reabilitação e a acção social são igualmente Cultura.
Texto da Alagamares


Participantes no IVEncontro de História de Sintra


Miguel Real
Maria Teresa Caetano
Rui Oliveira
Jorge Telles de Meneses
Carlos Manique da Silva
Eugénio Montoito
João Rodil

Sérgio Luís de Carvalho
Nuno Miguel Gaspar
Ricardo Alves 
Fernando Morais Gomes





Passeio dos Porsches 356 por Sintra

Esta sexta-feira passaram por Sintra duas centenas de automóveis clássicos, no âmbito do 39º Encontro Internacional de Porsches 356.

 Saudações junto ao Museu do Brinquedo

Estrada para Colares
Passagem junto ao palacete da Marquesa de Cadaval


Brigada de Trânsito presente no evento

Colares e almoço na Adega Regional


Porsche 356 é o nome de uma linha de automóveis produzidos de 1948 até 1965, e é considerado o primeiro carro produzido pela Porsche. “356” faz alusão ao fato deste ser o 356° projeto do escritório de design Porsche. Apesar da marca Porsche estar intimamente relacionada ao modelo 911, esses modelos dos primeiros anos da Porsche são muito valorizados hoje em dia, não necessariamente pelo seu desempenho ou esportividade, mas por sua raridade, beleza e valor histórico. Modelos bem conservados, sobretudo conversíveis, podem facilmente atingir cifras além dos 150.000,00 dólares. Em 2004, a revista Sports Car International elegeu o 356C o 10° melhor carro na sua lista dos melhores da década de 60. Hoje este item de colecionador mantém seu status de carro que resistiu ao teste do tempo, e a maior parte deles ainda roda em óptimo estado.
Fonte Wikpiédia

sexta-feira, maio 30, 2014

Praias de Sintra com classificação de "Praias com Qualidade de Ouro 2014"






As praias da Adraga, Grande, São Julião e Magoito, todas no concelho de Sintra, receberam a classificação de “Praia com Qualidade de Ouro 2014”, atribuída pela Quercus, dada a excelência de qualidade das suas águas.
A Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza selecionou todas as praias que tiveram sempre qualidade de água classificada como boa, entre 2006 e 2009, e classificada como excelente a partir de 2010.

A classificação geral das praias, em termos de qualidade da água, é disponibilizada pelo Instituto da Água, ao abrigo da legislação nacional e comunitária, através do Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos (SNIRH).

quinta-feira, maio 29, 2014

Museu do Brinquedo em Sintra pode encerrar em Agosto II




 «A Câmara de Sintra propôs hoje à Fundação Arbués Moreira a criação de um museu municipal do brinquedo, como forma de evitar o anunciado encerramento do espaço museológico na vila no final de agosto, segundo fonte autárquica.

O presidente da autarquia, Basílio Horta (PS), reuniu-se hoje com os responsáveis da fundação que gere o Museu do Brinquedo de Sintra.
"A câmara propõe-se a criar um museu com o espólio cedido ao município, com o nome do colecionador", adiantou à agência Lusa fonte oficial da autarquia, no final do encontro.
"Vamos aguardar pela proposta de protocolo para avaliar da sua viabilidade", comentou, por seu lado, João Arbués Moreira, filho do criador da fundação que expõe, desde 1989, uma vasta coleção de brinquedos na vila sintrense."»
Fonte: Diário de Notícias de 28/05/2014


O DN, adianta também as acções em curso para tentar que o fecho do Museu do Brinquedo, não aconteça -uma peça importante no património museológico de Sintra:

«O anúncio do encerramento do espaço museológico levou o grupo parlamentar do Bloco de Esquerda (BE) a questionar, através do secretário de Estado da Cultura, se o Governo vai "tomar alguma iniciativa em tempo útil no sentido de garantir a sustentabilidade do Museu do Brinquedo".
No requerimento parlamentar, os deputados Catarina Martins e Luís Fazenda notam que, perante a alteração legislativa dos apoios públicos às fundações, "o município de Sintra está não só impedido de tomar qualquer iniciativa de apoio ao museu como, caso não obedeça à resolução do Conselho de Ministros, será objeto de avultadas multas e penalizações".
O eventual fecho do museu, acusou o BE, "é uma consequência direta e bem visível da política e gestão dos museus por parte da atual tutela da Cultura".
Os vereadores do movimento independente Sintrenses com Marco Almeida, em comunicado, juntaram "a sua voz aos muitos que manifestaram incompreensão e incredulidade" face ao anunciado encerramento do museu.
O movimento solicitou o agendamento de uma reunião extraordinária da Comissão Especializada de Educação, Cultura, Desporto e Juventude da Assembleia Municipal de Sintra, no sentido de potenciar "os esforços necessários à reivindicada manutenção do museu em Sintra".
O museu, que expõe mais de 60.000 exemplares de diferentes brinquedos, que representam a História da Humanidade desde o século XVII até à actualidade, recebeu durante a sua existência mais de 900.000 visitantes.»
Fonte DN

 Post relacionado:
 http://riodasmacas.blogspot.pt/2014/05/o-museu-do-brinquedo-de-sintra-pode.html


quarta-feira, maio 28, 2014

Os 130 anos do Jardim Zoológico de Lisboa

"Foi com effeito, hontem a inauguração d'este jardim com uma concorrencia tão extraordinária, que excedeu o que razoavelmente se podia esperar num dia de semana."
Diário de Notícias  de 28 de Maio de 1884

Jardim Zoológico em 1905 Foto/jardim Zoológico/DN

Os 130 anos do Jardim Zoológico de Lisboa, que se comemoram hoje - uma oportunidade para a publicação de algumas fotos, obtidas em 2012.








"O Jardim Zoológico deixou de ser uma montra de animais, com jaulas e vedações por todo o lado. Continuamos a ter os animais, e não deixam de estar em cativeiro, mas temos como missão proteger as espécies em vias de extinção, algumas já extintas na natureza", diz Leonel de Carvalho, da administração do Jardim. Ou seja, educar para a conservação.
Ao mesmo tempo, o zoo passou a fazer parte de uma rede internacional com responsabilidade na gestão e conservação de espécies, explica. "Hoje é proibido comprar animais ou ir buscá-los à natureza. Isso não acontece. Vão longe os tempos em que os animais vinham de barco das colónias e se morressem vinha outro a seguir."
In Diário de Notícias de 27/05/2014 - ler mais aqui

terça-feira, maio 27, 2014

Povoamento com espécies autóctones (Bogas e Escalos do Sul) nas barragens e ribeira de Colares


 A Parques de Sintra, com o apoio científico do ISPA - Instituto Universitário de Ciências Psicológicas e o apoio técnico do Parque Natural Sintra Cascais, tem em curso um projecto de povoamento das barragens da Tapada de Monserrate com espécies autóctones (Bogas-Portuguesas e Escalos do Sul, espécies ameaçadas). Este projecto tem o objectivo de aproveitar o habitat favorável que as barragens oferecem e potenciar a reprodução destas espécies, contribuindo para a sua conservação.

Em Março, as barragens da Tapada de Monserrate foram povoadas com Bogas-Portuguesas (Iberochondrostoma lusitanica) e Escalos do Sul (Squalius pyrenaicus), espécies que sempre existiram na bacia hidrográfica de Colares.


A Boga-Portuguesa (I. lusitanica) é uma espécie endémica das bacias hidrográficas do Tejo e do Sado, que surge nas bacias de Colares, de Cheleiros e da Samarra. Tem estatuto de conservação desfavorável, estando classificada no Livro Vermelho dos Vertebrados Portugueses como “Criticamente em Perigo”.

O Escalo do Sul (S. pyrenaicus) é um endemismo da Península Ibérica que, em Portugal, ocorre nas bacias do Tejo, Sado e Guadiana, nomeadamente, na Região Oeste, nas bacias hidrográficas de Colares, Samarra e Lizandro. É considerada uma espécie “Em Perigo” no território nacional e “Vulnerável” em Espanha.



(Fotos e texto da PSML)

O Povoamento  na ribeira de Colares (Rio das Maçãs)
Também no final de Março a ribeira de Colares (rio das Maçãs), recebeu cerca de 1000 novos habitantes (Escalo do Sul), numa acção  conjunta do Aquário Vasco da Gama e da Quercus
  Ver aqui:

http://riodasmacas.blogspot.pt/2014/05/repovoamento-de-peixes-na-ribeira-de.html

segunda-feira, maio 26, 2014

Postal de Cintra




"Em toda a terra portuguesa, em toda a terra da Europa , Sintra surge como um dos mais belos e raros lugares que a invenção prodigiosa da natureza logrou criar. E, como sucede em todos os sítios priviligiados da natureza e da arte, o ambiente é bastante poderoso para dissolver os evidentes erros dos homens."

No Guia de Portugal  de Raúl Proença/1924



domingo, maio 25, 2014

Eleições para o Parlamento Europeu -Resultados finais do Concelho de Sintra

Resultados via  blog Tudo sobre Sintra:
http://www.tudosobresintra.com/2014/05/ps-lidera-nas-europeias-em-sintra-com.html


 

O protesto da Aldeia do Penedo (Actualizado)


 Os habitantes  da aldeia do Penedo em Sintra tentaram hoje bloquear a abertura da assembleia de voto, em protesto contra o encerramento de uma estrada devido ao muro de uma quinta que ameaça ruir.
Pouco antes da 7h a população fechou com uma corrente as instalações da Tuna Euterpe União Penedense, onde funciona a assembleia de voto para as eleições europeias.
Elementos da GNR de Colares retiraram a corrente, mas os moradores mantém o apelo para que a população não vote.

O muro da quinta de Vale e Azevedo-aqui 

-Também em Dona Maria, (Almargem do Bispo) no Concelho de Sintra houve tentativa de  boicote às eleições
Ver aqui

O Forum da Penha Longa e as eleições para o Parlamento Europeu



No dia em que os eleitores portugueses decidem com o seu voto os seus representantes na Europa, os senhores do dinheiro do BCE e FMI, encontram-se em local aprazível sintrense - na Penha Longa.

BCE e FMI, elementos da Troika, que durante os últimos  três anos, foram os mentores de uma austeridade que têm deixado os portugueses mais tristes e mais pobres.



São as seguintes as razões da escolha de Sintra,segundo o BCE:
«Os critérios usados"foram a dimensão do local do evento, a existência de acomodação adequada perto, ser ligeiramente fora do centro urbano, mas ainda assim com bons acessos a um aeroporto internacional" ,além disto tudo, estávamos à procura de um local que estimulasse uma atmosfera  tranquila e que acrescentasse um pouco de inspiração, Sintra cumpria esses requisitos.».

Conseguem explicar muito bem porque escolheram Sintra, mas não conseguem explicar porque escolheram a data da reunião coincidente com o acto eleitoral, dia em que até as organizações partidárias  deste país, ainda com alguma soberania, estão condicionadas na sua actividade politica, para que o eleitorado não seja de nenhum modo influenciado no seu direito de votar.

Fotos:Janelas da Penha Longa.

quinta-feira, maio 22, 2014

Notícias dos Diamantes Negros





Ontem na Antena 1,  durante a gravação de uma entrevista que será transmitida no início de Junho. Programa "Pais do Rock" que recebeu 3 avós Rock dos Diamantes Negros Sintra

 Foto do ensaio no Olga Cadaval a 10/05/2014

A caminho um DVD, com a gravação do Concerto comemorativo do 50º Aniversário, que se realizou no C.C. Olga Cadaval a 10 de Maio.

quarta-feira, maio 21, 2014

Alteração de data da estreia de SINTRA-O Monte da Lua

 

ALTERAÇÃO DE DATA: Documentário “Sintra – O Monte da Lua” será exibido a 30 de maio
Devido às previsões meteorológicas, que indicam que continuará a chover no resto desta semana, a projeção do Documentário “Sintra – O Monte da Lua”, no relvado do Parque de Monserrate, prevista para dia 23 de maio, foi adiada para sexta-feira, dia 30 de maio, à mesma hora (21h00) e nas mesmas condições.
Além da possibilidade de chuva no momento previsto para a exibição do filme, existe também o problema de chover demasiado nos dias que a antecedem, o que deixa o relvado molhado, e portanto será impossível manter a data inicial.

Mais informações: http://www.parquesdesintra.pt/noticias/alteracao-de-data-documentario-sintra-o-monte-da-lua-sera-exibido-a-30-de-maio/
 
Fonte:PSML

terça-feira, maio 20, 2014

Cerimónia de encerramento da 22ª edição da Mostra de Teatro das Escolas de Sintra

 
A cerimónia de encerramento da 22ª edição da Mostra de Teatro das Escolas de Sintra aconteceu no passado dia 17 de Maio, no auditório Acácio Barreiros do Centro Cultural Olga Cadaval. Organizado pelo Chão de Oliva – Centro de Difusão Cultural, em parceria com a Divisão da Educação da Câmara Municipal de Sintra, o evento serviu para mostrar ao público em geral os trabalhos que mereceram Menções Honrosas nesta edição. 



Com uma audiência receptiva, atenta e animada a cerimónia decorreu num espírito saudável e de companheirismo e serviu para partilhar as experiencias desenvolvidas ao longo do ano, nas várias escolas do concelho de Sintra,
A ordem de apresentação dos trabalhos performativos foi a seguinte:
10h00
Rota das Origens
pelo grupo Os Originais (ATL da APEE da EB Belas 2)

11h15
A Máquina do Tempopelo grupo Pé de Meia (EBI de Colares)

15h00
Sweeney Todd
pelo grupo Grupo de Teatro Torgas (Esc. Sec. Miguel Torga)

16h45
Brígida di Grazia
pelo grupo Lordes do Caos (Esc. Sec. Mem Martins)

18h15
Auto da Barca do Inferno
pelo grupo Teatro Reticências (Esc. Sec. Leal da Câmara)

A 22ª edição da Mostra de Teatro contou com a participação de 19 instituições nas quais figuram Agrupamentos de Escolas, Associações de Pais e outras entidades sem fins lucrativos e envolveu cerca de 400 crianças e jovens. Projecto que tem vindo a ser desenvolvido no concelho sintrense há 22 anos ininterruptamente, a Mostra afirma, mais uma vez, a sua importância no progresso de alunos e educadores através da expressão dramática. Desta forma, a arte performativa é trabalhada como uma essência motivadora para o desenvolvimento de competências transversais, promovendo o espírito de grupo e a competição saudável nas comunidades educativas.

Foto e texto :Chão de Oliva

Estreia do documentário SINTRA - O Monte da Lua

Mais informações aqui:
www.parquesdesintra.pt/noticias/documentario-sintra-o-monte-da-lua/

segunda-feira, maio 19, 2014

Trabalhos de consolidação da arriba das Azenhas do Mar iniciam-se esta semana

Após mais de oito anos a aguardar uma intervenção na arriba das Azenhas do Mar - chegou agora a intervenção esperada. Os trabalhos iniciam-se esta semana e será o fim de um local, que foi um ponto de encontro nos fins de tarde de sábados e domingos - o snak-bar da dona Rosalina Arrais, o Mirazenhas, que em 2006. foi encerrado e que agora irá desaparecer definitivamente.

Memória do Mirazenhas
(de um post do rio das Maçãs de 26/08/2006)
Ontem voltei lá, encontrei aquele espaço fechado e com diversos apelos da dona ,Rosalina Arrais colados nas portas , pedindo apoio para continuar aquele projecto e inverter aquela situação .Como o comunicado traduzia o meu pensamento sobre aquele lugar que frequentava há muitos anos, mesmo nas anteriores gerências que aquele espaço teve, transcrevo algumas frases que me parecem retratar de algum modo o pensamento dos seus mais frequentes utilizadores.

“Acabaram-se as tardes serenas á beira-mar sobretudo os queques da Lena ou as tortas de laranja”

“Acabou-se a amena cavaqueira dos amigos habituais que com desculpa de um cafézinho se reuniam domingo após domingo durante todos estes anos.”

“Acabou-se assim os fins do dia a comer os famosos caracóis da Lena”

Acabou-se assim mais um espaço, que mesmo que seja instalado em outro lugar nunca será o Mirazenhas que temos na nossa memória.


*Agosto de 2006

 
Notícia do Diário de Notícias, sobre  os trabalhos de consolidação da arriba das Azenhas do Mar
"Os trabalhos de consolidação da arriba sul nas Azenhas do Mar, no litoral de Sintra, iniciam-se na próxima semana e incluem a demolição do snack-bar abandonado no miradouro.
A empreitada de estabilização das arribas foi hoje consignada pela informou fonte da Agência Portuguesa de Ambiente (APA) à empresa Tecnasol - Fundações e Geotecnia, pelo valor de "cerca de 270 mil euros, mais IVA [imposto sobre o valor acrescentado]".
O estaleiro será instalado no início da próxima semana e a obra terá a duração de três meses e meio. A demolição do pequeno snack-bar devoluto permitirá recuar ligeiramente o muro de proteção do miradouro e manter os visitantes afastados da área mais crítica do topo da arriba.
Os trabalhos vão incluir o preenchimento com betão das cavidades na arriba instável e revestimento com pedra e argamassa para minimizar o impacto visual da intervenção.
"O estacionamento também vai ser reduzido, para que as pessoas possam desfrutar da vista e reduzir a carga dos veículos sobre a arriba", explicou um participante na visita de trabalho ao litoral sintrense, que juntou técnicos da APA, da empresa, da Junta de Freguesia de Colares e da Câmara de Sintra.
Na empreitada está incluída a construção de um muro de proteção na chamada "boca do Ancão", para travar a erosão provocada pelo mar na arriba junto à estrada que liga à Praia das Maçãs, na proximidade da escola primária das Azenhas do Mar.
O secretário de Estado do Ambiente, Paulo Lemos, estimou em janeiro um investimento de 1,2 milhões de euros para a consolidação das arribas nas Azenhas do Mar, de um total de 4,5 milhões para o litoral de Sintra.
A obra insere-se no litoral do Programa Operacional Valorização do Território (POVT).
No final do ano deve ser lançada a estabilização da arriba norte, onde se aninham as casas da localidade e que constitui uma das imagens turísticas da região. A recuperação das piscinas deve ser incluída no projeto.
A Praia das Azenhas do Mar não foi considerada zona balnear e o concessionário adiantou hoje que, devido aos estragos provocados pelo mau tempo, "as piscinas não vão estar abertas", por motivos de segurança.
Os técnicos da APA visitaram depois a praia da Aguda. A autarquia pretende reabilitar as escadas na arriba, de forma a poder aumentar a segurança do acesso aos banhistas e das entidades de socorro, apesar de o areal não estar concessionado.
As escadas de acesso à arriba sul da Praia Grande, onde se situam os vestígios de pegadas de dinossauro, também serão recuperadas.
A escadaria, vedada com uma rede degradada, precisa de pequenos trabalhos de consolidação e limpeza e pode voltar a ser usada após sinalização dos riscos associados à erosão do litoral pelo Parque Natural de Sintra-Cascais.
O Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia anunciou esta semana obras de proteção e valorização em praias de 19 municípios afetadas pelo mau tempo, financiadas por verbas comunitárias, no total de 15,5 milhões de euros."

Notícia do Diário de Notícias de 16 de Maio de 2014

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=3875830&page=-1


Fotos  das Azenhas do Mar e do Miradouro em 18 de Maio de 2014

Post relacionado de 2006:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2006/08/azenhas-do-mar-em-mar-baixa.html

domingo, maio 18, 2014

Muros Altos

"Duarte Lima garante que recebeu 5 milhões como adiantamento"
Manchete do Diário de Notícias de 17/05/2014

*Afirmação de Duarte Lima, no  interrogatório de sexta-feira, no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, a pedido do Tribunal de Saquarema, no Brasil,  no âmbito da investigação ao homicídio de Rosalina Ribeiro, em dezembro  de 2009, no Brasil.  




Atualidade Rosalina Ribeiro Duarte Lima interrogado sobre crime no Brasil 16 de maio, 19:09 Duarte Lima foi interrogado, esta sexta-feira, no Campus da Justiça de Lisboa, sobre o homicídio de Rosalina Ribeiro, no Brasil.

Ler mais em: http://cmtv.sapo.pt/atualidade/detalhe/duarte-lima-interrogado-sobre-crime-no-brasil.html
Atualidade Rosalina Ribeiro Duarte Lima interrogado sobre crime no Brasil 16 de maio, 19:09 Duarte Lima foi interrogado, esta sexta-feira, no Campus da Justiça de Lisboa, sobre o homicídio de Rosalina Ribeiro, no Brasil.

Ler mais em: http://cmtv.sapo.pt/atualidade/detalhe/duarte-lima-interrogado-sobre-crime-no-brasil.html
Rotas de Sintra


A quinta dos Muros Altos de Janas
A quinta de Janas é conhecida na aldeia como a dos "Muros Altos". E tem razão. A quinta que Duarte Lima tem tratado como a menina dos seus olhos, tem 30.900 metros quadradados. São mais de três hectares rodeados de muros com dois metros e meio de altura e três portões. Dois senhoriais e um de serviço. De acordo com a memóriia descritiva feita pelo arquitecto Thiago Bradell, a principal entrada a norte é em meia-lua com capeamento superior em argamassa. O portão a sul destina-se a «emergências», como bombeiros, e incorpora uma cabina da EDP para entrada do ramal de electricidade. há ainda a porta do poente, que pretende dar um acesso fácil à quinta para apoio aos trabalhos de jardinagem e agricultura.
O arquitecto Bradell disse a O Independente que tinha tido grande preocupação na construção de um muro de tão grande dimensão. Por isso o mandou construir por principiantes e sem fio de prumo para que fique irregular. Só os muros dos portões serão pintados de cor-de-rosa, enquanto o resto da cerca será coberta com terra. O arquitecto pretendeu que  «o conjunto pareça que sempre ali existiu  e que não é um intruso».

No O Independente de 9 de Dezembro de 1994


O Independente  de 9 de Dezembro de 1994 com Paulo Portas como director

As contas de Colares

Em 20 de Agosto de 2010
http://riodasmacas.blogspot.pt/2010/09/porque-hoje-e-sabado.html

A Família Feteira

«Lúcio o mais novo dos irmãos foi preparado para voos mais altos pelo pai, o velho Joaquim Tomé Feteira. Obrigava-o a andar descalço e a tomar banho de água fria no rio e no mar, para ficar mais rijo, à semelhança da têmpera a que submetia as limas.Ensinou-o a ler muito cedo e mandou-o para o liceu. "Dos irmãos foi o único que estudou".»
In jornal Público de Sábado 21 de Agosto de 2010

"Nunca nos esqueceremos da sua galharda hospitalidade, nem da organização encantadora d'essa familia d'artistas.Trabalham ele e os filhos todos na perfeição, incluindo as meninas. Trabalha também a sua esposa, tendo-a nós visto executar o «picado» de uma lima com uma certeza e rapidez admiraveis. Cada um tem estabelecido o seu ordenado e numero d'horas de trabalho e cumpre religiosamente as suas obrigações, como as outras pessoas que vão de fóra trabalhar nas suas oficinas, das quais saiem todos os anos dezenas de milhar de limas para o paiz, Brasil e Hespanha, pois que o fabrico nacional ainda não se deixou vencer pelo estranjeiro."
Publicado na Ilustração Portuguesa nº343 de 16 de Setembro de 1912

sexta-feira, maio 16, 2014

O Museu do Brinquedo de Sintra pode encerrar em Agosto



O Museu do Brinquedo de Sintra, um local que já foi Quartel de Bombeiros, na Vila velha de Sintra, está em risco de fechar, devido à nova lei das fundações. A CMS terá  deixado de atribuir o subsídio mensal de cinco mil euros, e deixa de poder ceder gratuitamente o edifício onde está instalado desde 1997.


 O Museu recebe em média mais de 50 mil visitantes por ano. O espólio tem mais de 60 mil brinquedos todos da colecção  de João Arbués Moreira.

Ontem uma notícia do Diário de Notícias, que transcrevemos, sublinha a intenção de Sintra deixar de ter no seu património museológico  um elemento de grande importância e interesse cultural.





"A Fundação Arbués Moreira anunciou hoje a intenção de encerramento o Museu do Brinquedo de Sintra no final de agosto, devido à queda de visitas e por não ser possível assegurar a sustentabilidade financeira.
"A nova lei das fundações foi cega e o pouco apoio que o Museu do Brinquedo recebia foi cortado", disse à agência Lusa João Arbués Moreira, filho do criador da Fundação Arbués Moreira, que desde 1989 expõe "uma das maiores coleções de brinquedos do mundo" em Sintra.
O museu, na vila há 26 anos, e desde 1997 num antigo quartel de bombeiros, no centro histórico, "vive muito da bilheteira", admitiu João Arbués Moreira, acrescentando que no último ano "as receitas caíram 20%".
Entre janeiro e abril deste ano, o museu registou cerca de 7.000 visitantes, contra 8.200 no mesmo período de 2013.
A quebra nas visitas atingiu as famílias, mas também as escolas, que deixaram de ter apoio para fretar autocarros para transportar as crianças.
O museu, que expõe "mais de 60.000 exemplares de diferentes brinquedos, que representam a História da Humanidade desde o século XVII aos nossos dias", recebeu já mais de 900.000 visitantes."


Texto do Diário de Notícias de 15/05/2014:
 http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=3864925