quinta-feira, junho 30, 2016

Encontro de Culturas na Quinta da Ribafria

Ribafria229062016blog.jpg
Desde ontem e até 3 de Julho acontece na Quinta da Ribafria, em Sintra, o evento: Encontro de Culturas - onde estão representadas todas as cidades com as quais Sintra tem acordos de geminação e cooperação.
Ribafria129062016blogjpg.jpg
No primeiro dia a actuação da Banda da Sociedade Filarmónica União Assaforense, a actuação do Grupo Folclórico "Os camponeses" de D.Maria e do Rancho Folclórico Etnográfico e Saloio MTBA, preencheram o programa musical.
Ribafria16P29062016blog.jpg
Bancas e galerias de Angola/Lobito, Brasil/Petrópolis, Cuba/Havana Velha, Cabo Verde/Vila Nova de Sintra, Moçambique/Beira/Namaacha,China/Guangdong,Japão/Omura, Marrocos/assylah/El-Jadida,S.Tomé e Princípe/Trindade.
Saloios29062016blog.jpg
Saloios de Sintra
Ribafria9029062016blogjpg.jpg
Sintra, encontro de  Culturas
saloios60P29062016blog.jpg
O Grupo Folclórico "Os Camponeses" de D.Maria, actuando no palco
Saloios5Ribafria29062016cblogjpg.jpg
Fotos de 29 de Junho de 2016

http://riodasmacas.blogspot.pt/2016/06/dia-do-municipio-de-sintra-programa_26.html

quarta-feira, junho 29, 2016

A Fonte de São Pedro de Penaferrim

A fonte de S. Pedro é um fontanário projectado pelo arquitecto Raul Lino e foi inaugurado em 1929 revelando uma concepção erudita.

S.Pedro6733390573_bb8111cd5c_z.jpg
foto :Fonte de São Pedro no Largo de D.Fernando II, S.Pedro de Penaferrim

Notas  da Direcção Geral do Património Nacional, sobre a fonte:
Imóvel
A fonte de São Pedro de Penaferrim está situada no Largo D. Fernando II, também conhecido como Largo da Feira, onde se realiza a tradicional feira instituída pela rainha D. Maria II. Ocupa um recanto do largo, junto ao murete de delimitação do recinto e diante da estrada. A fonte foi projetada pelo arquiteto Raul Lino, que tinha em Sintra, e particularmente em São Pedro, um dos seus locais de eleição. Foi inaugurada publicamente em 1929, embora estivesse concluída no ano anterior.
Trata-se de um singelo edifício de planta centralizada, coberto por cúpula, cuja feição de tempietto revela uma conceção erudita, de inspiração classicizante. A metade posterior da estrutura é fechada por pano corrido, ao centro do qual se localiza a bica. A frontaria é vazada por três largos vãos quadrangulares, os dois laterais sobre muretes baixos com parapeito de pedra, e o central de acesso ao interior. Os vãos são divididos por duas colunas clássicas, de tipo dórico, com ligeira entasis, que flanqueiam o vão de acesso. Sobre estas colunas assenta um friso liso com cornija saliente, que antecede o lançamento da cúpula. Esta é finalmente encimada pelas chaves do céu, referência simbólica a São Pedro, orago da freguesia, e igualmente da referida feira.
No interior, destaca-se um lambril e bancos corridos forrados a azulejos de padrão, centrados pela bica, composta por simples torneira, e pela bacia circular sobre colunelo. A enquadrar a bica existe um painel cerâmico com um sol radiante. 
História
No interior da fonte está colocada uma placa comemorativa, que recorda ter sido o fontanário oferecido pela Junta de Freguesia de São Pedro de Penaferrim à Câmara Municipal de Sintra.
Sílvia Leite / DIDA / IGESPAR, I.P. / 17-08-2007. Atualização de Maria Ramalho/DGPC/2015.

Fonte:

http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/9380354


 

terça-feira, junho 28, 2016

Os "Diamantes Negros" estiveram na Figueira da Foz

Via Diamantes Negros:

Momentos para a história (longa) dos Diamantes Negros

Durante a actuação dos Diamantes no Casino da Figueira da Foz  em 25 de Junho


O alinhamento do concerto

Casino da Figueira  da Foz, 25 de Junho de 2016

*Fotos Diamantes Negros
https://www.facebook.com/diamantes64?fref=ts

segunda-feira, junho 27, 2016

BCE na Penha Longa

Nuvensblog.jpg
A partir de hoje, na Quinta da Penha Longa em Sintra, decorre até quarta-feira, o fórum anual do Banco Central Europeu (BCE). O "Brexit", as taxas de juro perto do zero, a recuperação lenta, a independência dos bancos centrais, etc, etc. - assuntos que Sintra vai testemunhar a discussão.

Presenças de peso: Mário Draghi, presidente do BCE, Janet Yellen, presidente da Reserva Federal norte-americana, e Mark Carney, governador do Banco de Inglaterra e claro a presença de um representante do FMI.

*Foto: céu de Sintra...

domingo, junho 26, 2016

Dia do Município de Sintra - Programa




A Câmara Municipal de Sintra assinala o Dia do Município, a 29 de Junho, com programação em vários locais do concelho, a partir das 10h00 nos Paços do Concelho.
O programa começa com a cerimónia do hastear da bandeira, que decorrerá no edifício dos Paços do Concelho, às 10h00. O ato solene contará com a participação da Banda da Sociedade Recreativa e Musical de Almoçageme. De seguida, nos claustros dos Paços do Concelho será inaugurada a Exposição “Sintra Desenhada – Urban Sketchers e os 20 anos do Património da Humanidade. Ainda nos Paços do Concelho, às 10h30, será assinado o protocolo de colaboração com a Região de Cacheu (Guiné-Bissau).
Na freguesia de Agualva e Mira-Sintra será inaugurado o Parque da Quinta da Fidalga, às 12h30, em Agualva, um espaço ar livre para usufruto dos munícipes.
De seguida, às 13h00, na freguesia de Rio de Mouro, será inaugurado o parque infantil instalado no Parque Urbano de Rinchoa-Fitares aberto ao público o ano passado. 
Na Quinta da Ribafria recentemente aberta ao público será inaugurada, às 14h45, a exposição “Encontro de Culturas”.
Às 16h00, do MU.SA (Museu das Artes de Sintra) realizar-se-á a apresentação do projeto vencedor do Silo de Sintra.
As comemorações do Dia do Município prosseguem com a apresentação pública, às 16h30, do Sintra Online – a nova plataforma na internet lançada pela Câmara, com o objetivo de ligar os serviços da autarquia aos munícipes, no MU.SA - Museu das Artes de Sintra.

*informação CMS

sábado, junho 25, 2016

Porque hoje é Sábado...

ParapentePG30092016Hblog.jpg
Parapente na Praia Grande/Sintra
ParapentePG30092016Lblog.jpg
O parapente foi criado no Parachute Club d'Annemasse (França), em 1978 para servir de treino aos paraquedistas na precisão na aterragem sem necessitarem de utilizar um avião.
Em 1980 foi criado o primeiro estágio de vol de pente (voo de encosta) e três anos mais tarde o nome mudou para parapente. Em 1985 é reconhecido como desporto pela "Fédération Française de Vol à Voile"  (da Wikipédia)
ParapenteP30052016blog.jpg
Posts relacionados:
 http://riodasmacas.blogspot.pt/2012/02/voar-em-parapente.html

http://riodasmacas.blogspot.pt/2010/10/parapente-na-praia-da-aguda.html

sexta-feira, junho 24, 2016

O BREXIT, a Gronelândia, a Islândia e a União Europeia (Actualizado)

O Resultado do BREXIT


Gronelândia
•Deixou a CEE em 1985, através de referendo.
•“A Gronelândia é elegível para financiamento pelo orçamento geral da União Europeia através da Parceria UE-Gronelândia”:
https://ec.europa.eu/europeaid/countries/greenland_en



Foto encontrada aqui: http://pt.slideshare.net/mspnet/islandia-presentation-938136

Em Maio de 2009 a Islândia iniciou formalmente os trâmites necessários para a sua adesão à União Europeia (UE), tendo feito o pedido a 16 de julho de 2009. Finalmente, o Conselho Europeu, celebrado em Bruxelas a 17 de junho de 2010, firma a abertura das negociações com a Islândia para a sua adesão à UE. Contudo, a 22 de maio de 2013, a eleição de um novo governo na Islândia fez com que o país suspendesse por tempo indeterminado as negociações para a sua adesão à UE] acabando por retirá-la no dia 12 de março de 2015.(na Wikipédia).

A ilha nórdica retirou o pedido de adesão à União Europeia, numa decisão comunicada  a Bruxelas. O pedido de adesão foi feito em 2009 já em plena crise imobiliária no país, numa altura em que o euro era visto como uma bóia de salvação para o país. Depois surgiu a crise do euro e a recuperação económica islandesa.

Actualização
A União Europeia e a Noruega




A Noruega não faz parte da União Europeia, o povo norueguês recusou por duas vezes em referendo,
Os argumentos para o não eram que a entrada na União Europeia seria uma ameaça à soberania da Noruega e que as indústrias da pesca e agricultura iriam ser afectadas. A adesão acabaria por se traduzir por um aumento da centralização e por condições menos favoráveis para a igualdade e o estado-providência.
A pesca é muito importante para a economia da Noruega, em particular para as regiões costeiras. É a segunda indústria do país, depois da indústria petrolífera.
No entanto, é preciso acrescentar que no plano económico a Noruega já faz parte do mercado interno europeu.  De facto, a Noruega está muito integrada na União Europeia, mesmo não sendo estado-membro.
Fonte:
http://pt.euronews.com/2013/03/29/a-noruega-e-a-uniao-europeia/

quinta-feira, junho 23, 2016

Regresso da Garça da Várzea de Colares -Parte II

Contributos para o Diário da Garça da Várzea de Colares
Garça4612b23062016blog.jpg
Voltámos hoje, a encontrar a Garça-real da Várzea de Sintra, num dia em que se dedicou à pescaria, com bastante êxito.
Garça460823062016blog.jpg
Escolhendo a zona do rio das Maçãs, a seguir à represa, permitindo assim encontrar mais fácilmente a sua alimentação.

Garça461223062016.blogjpg.jpg
Fotos de hoje 23 de Junho de 2016 na Várzea de Colares
Garça461023062016blog.jpg
Ultrapassando a represa
garça462223062016blogjpg.jpg
*Fotos em 23/06/2016

Garça458723062016blog.jpg
Garça461723062016blog.jpg
Após a refeição de regresso para a sua zona preferida.
http://riodasmacas.blogspot.pt/2016/06/regresso-da-garca-da-varzea-de-colares.html

quarta-feira, junho 22, 2016

Regresso da Garça da Várzea de Colares

Garça22062016blog.jpg
Depois de uma ausência longa -voltámos hoje, a encontrar no seu local favorito esta vizinha que acompanhamos há muito tempo. O fecho da represa na Várzea de Colares, cria  um autêntico lago, que embeleza ainda mais a Várzea de Colares, mas a quantidade de água  acumulada condicionada pela represa, tem agora uma profundidade que não permite à garça as suas habituais pescarias naquele local.
GarçaC22062016blog.jpg
*Fotos na tarde de 22 de Junho de 2016
Pescarias no rio das Maçãs:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2016/03/contributo-para-o-diario-da-garca-de.html

segunda-feira, junho 20, 2016

A propósito de refugiados (reedição)

No momento em que a Europa defronta uma das maiores crise de refugiados desde a II Guerra Mundial - um texto publicado na revista do Expresso de 29 de Setembro de 2015, trata precisamente de uma colónia numerosa de holandeses refugiados na Praia das Maçãs em 1940 - que  por aqui ficaram até ao fim da guerra. Deste interessante  texto "respigamos" alguns excertos.
 Sugerindo a sua leitura integral para quem tiver essa possibilidade.

"A partir de Maio de 1940 e até ao final da II Guerra Mundial milhares de pessoas fugiriam da Holanda"
CasalMindeloExpresso2.jpg
"Sing Sing memórias de uma praia em tempo de guerra"de Margarida Magalhães Ramalho e Patrícia Couto, publicado na Revista do Expresso de 29/08/2015

"Os holandeses que iam chegando a Portugal eram encaminhados para a Praia das Maçãs. Eram maioritariamente judeus, em busca de um porto de abrigo, mas havia também gente nova e aventureira com vontade de participar no esforço de guerra, na luta contra o nazismo. Estes resistentes - que ficaram conhecidos por navegadores para Inglaterra (Englandvaarders) -, ainda em número considerável (cerca de 1700, dos quais só sobreviverão perto de 900), chegam a Portugal depois de viagens atribuladas e geralmente de forma ilegal".

CasalMindeloPB.jpg
Casal Mindelo antes da sua demolição no ano de 2000 ( foto publicada no "O passado e o presente de Rui Carmo/Nuno Gaspar)

"Em 1941, com os hotéis Royal e Bela-Vista a rebentarem pelas costuras, Sloet* aluga uma grande moradia entre a Praia das Maçãs e Azenhas do Mar, o Casal Mindelo. Sobre a casa que tinha capacidade para 60 pessoas, escreverá Sloet: "Tinha muitos quartos e na garagem, tal como numa outra garagem alugada, podia ter muitas camas, umas ao lado das outras."

* Barão Sloet, organizador em Portugal, na recepção dos refugiados holandeses

Créditos
-"Sing Sing memórias de uma praia em tempo de guerra"de Margarida Magalhães Ramalho e Patrícia Couto, publicado na Revista do Expresso de 29/08/2015
-foto publicada no "O passado e o presente de Rui Carmo/Nuno Gaspar


Post relacionados:

http://riodasmacas.blogspot.pt/2007/01/histrias-das-azenhas-do-mar.html
http://riodasmacas.blogspot.pt/2015/08/porque-hoje-e-sabado_29.html
http://riodasmacas.blogspot.pt/2015/09/refugiados.html
http://riodasmacas.blogspot.pt/2014/02/hotel-bela-vista-das-azenhas-do-mar.html

domingo, junho 19, 2016

Nova Sintra em Cabo Verde

Nova Sintra, foto encontrada aqui
Nova Sintra é uma vila no sul da ilha Brava do arquipélago de Cabo Verde, e um município geminado com Sintra, desde 5 de Maio de 1995.

A ilha Brava é uma das ilhas mais pequenas habitadas(1873 habitantes) do arquipélago caboverdiano ,mas uma das mais verdejantes.

Nova Sintra, nome que foi dado pelo Dr. José da Vera Cruz, pai adoptivo de Eugénio Tavares, uma das figuras mais respeitadas da vida cultural de Cabo Verde, à antiga povoação da ilha Brava, pelas suas semelhanças com Sintra,culturalmente e também pela sua história.

Nova Sintra e Sintra também ligadas pela Fundação Eugénio Tavares , cuja sede quando da sua instalação ficou em Sintra, na Quinta Verde.

Eugénio Tavares foi uma figura cimeira da vida cultural, política e social de Cabo Verde entre 1890 e 1930. Durante essas 3 décadas, ele dominou em todas as áreas a cultura do seu povo tendo sido o seu maior interprete até aos nosso dias. A sua vastíssima obra vai da poesia à música, da retórica à ficção, passando pelos ensaios.

Fajã da água, foto encontrada aqui

sábado, junho 18, 2016

Porque hoje é Sábado...

Tejo10062012blog.jpg

Guardador de rebanhos

O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,
Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia
Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia.

O Tejo tem grandes navios
E navega nele ainda,
Para aqueles que vêem em tudo o que lá não está,
A memória das naus.

O Tejo desce de Espanha
E o Tejo entra no mar em Portugal.
Toda a gente sabe isso.
Mas poucos sabem qual é o rio da minha aldeia
E para onde  ele vai
E donde vem.
E por isso, pertence a menos gente,
É mais livre e maior o rio da minha aldeia.

Pelo Tejo vais-se para o Mundo.
Para além do Tejo há América
E a fortuna daqueles que a encontram,
Ninguém nunca pensou no que há para além
Do rio da minha aldeia.

O rio da minha aldeia não faz pensar em nada.
Quem está ao pé dele está só ao pé dele.

Alberto Caeiro/Guardador de Rebanhos/XX

*Foto: Terreiro do Paço/Lisboa em 10/06/2012

sexta-feira, junho 17, 2016

Notas sobre o Rio das Maçãs

RiodasMacasblogue2012Garça

"(...) Descendo a costa, encontramos o Rio das Maçãs, cujos afluentes da margem direita drenam a vertente Sul do citado planalto.(planalto de S.João das Lampas)

O Rio das Maçãs é o mais importante curso de água desta vertente.Nasce no Castanheiro, a cerca de 200 m. de altitude, passa em S.Romão, depois em Lourel, tomando o nome desse povoado até à ponte Redonda, para depois ser conhecido com o nome de Ribeira de Galamares, até à várzea de Colares.
.Nesta secção descreve um largo meandro envolvendo o Vinagre e, retomando a direcção dominante SE-NW. passa a denominar-se Rio das Maçãs, embocando no oceano na praia assim chamada.
(...)
O Rio das Maçãs, com cerca de 13,5 Km. de extensão, recebe pela margem direita alguns afluentes vindos dos contrafortes  do planalto de S.João das Lampas, como as ribeiras de Janas,Mucifal, Morelinho, Carrascal e Cabriz.
Pela margem esquerda, muito abrupta recebe as ribeiras do Covão, Colares,Monserrate e a do Duche, ou Rio do Porto, que corre num apertado vale de fractura onde se nota  uma interessante inversão estratigráfica.(...)"
em "Sintra e o seu Termo" de José de Oliveira Boléo,1940

*Foto de Junho de 2012-Garça Nocturna no Rio das Maçãs, na Várzea de Colares

quinta-feira, junho 16, 2016

Olhares sobre as Azenhas do Mar

AzenhasdoMar353515062016bblog.jpg
Azenhas do Mar com extenso areal ontem, Quarta-feira.
AzenhasdoMarMDSC0451515062016blog.jpg
"(...) Há, porém, qualquer coisa que, felizmente não foi atingida pelas realizações arquitectónicas dos promotores do seu progresso(1). Refiro-me a um  paredão feito da própria penedia, orlado por uma simples balaustrada sobranceira às ondas, construído à entrada das Azenhas do Mar e donde os nossos olhos podem estender-se sôbre o largo.
A perpectiva é tão erma e tão grandiosa que chega a ser perturbadora.Dir-se-ia uma varanda sôbre o infinito. Apenas céu e oceano.Entre os azuis religiosos das duas imensidades, insensívelmente a alma  desprende-se-nos dos pequenos nadas da vida quotidiana. As nossas ambições as nossas vaidades, as nossas querelas. tudo é tão pequeno, tudo tão inútil, tão insignificante em face daquele deserto insondável, daquela cúpula profunda e sem limites...
Diante de nós alargam-se os horizontes e naquela solidão onde anda suspensa uma interrogação eterna, como que nos sentimos a sós com o nosso próprio destino.
Perto desce a povoação das Azenhas do Mar em coleados pitorescos até à beira da água  formando um promontoriozinho que avança sobre o mar num recorte mais saliente da costa."

Oliva Guerra, "Roteiro Lírico de Sintra" 1940

(1) Referência às construções na Praia das Maçãs, das "dúzias de Chalets acatitados- na maior parte de tão mau gosto..."
AzenhasdoMar353515062016blog.jpg
*Fotos em 15/06/2016

terça-feira, junho 14, 2016

Vinho de Colares



"Pensa-se que a introdução da casta “Ramisco” na região se deve ao rei D. Afonso III (séc. XIII), que a teria trazido de França. O grande enólogo Ferreira Lapa afirma que “o Colares é o vinho mais francês que possuímos”. O rei D. Dinis (séc. XIII-XIV) aplicou aos mouros, donos das terras de Colares, um tributo no qual se inclui uma quarta parte da produção de vinho da região. A primeira exportação de vinho de Colares, documentada, efectuou-se no reinado de D. Fernando I (séc. XIV). D. João I (séc. XIV-XV) ofereceu esta região a D. Nuno Alvares Pereira como recompensa pela vitória de Aljubarrota.(...)"

Na Revista de Vinhos, nº 154, Setembro de 2002.

segunda-feira, junho 13, 2016

Momentos

MAR
De todos os cantos do mundo
Amo com um amor mais forte e mais profundo
Aquela praia extasiada e nua,
onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

Sophia de Mello Breyner Andressen

PG02052016blog.jpg
*Foto:Momentos na Praia Grande/Sintra

domingo, junho 12, 2016

Regresso ao passado na Terrugem

feiraMedieval311062016blog.jpg
Um cavaleiro da Ordem de Cruz de Malta, ontem na Terrugem , na feira de tipo "Medieval" que decorre ainda hoje.
FeiraMedievalTerrugem.jpg
Cavaleiro e tendas de "utilidades" & petiscos
feiraMedieval411062016blog.jpg
Na Wikipédia:
"A Ordem de Malta ou Cavaleiros Hospitalários (oficialmente Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta)  é uma organização internacional católica que começou como uma ordem beneditina fundada no século XI na Palestina, durante as Cruzadas, mas que rapidamente se tornaria numa ordem militar cristã, numa congregação de regra própria, encarregada de assistir e proteger os peregrinos àquela terra e de exercer a Caridade. Tinha como padroeiro São João Esmoler (550-619), patriarca de Alexandria."

sábado, junho 11, 2016

Porque hoje é Sábado...

Primavera21052016blog.jpg

A não perder a crónica de Miguel Esteves Cardoso, no jornal "Público" de hoje.
-Excerto:


"Viva a selvajaria

(...)


Aqui em Colares, mal começam a nascer as papoilas, os malmequeres e dezenas de outras plantas maravilhosas (como os cardos roxos e as violetas), aparecem brigadas de pessoas mal pagas, exploradas e sacrificadas, cuja horrenda missão é chover glifosato assassino sobre as plantas que nos deram a alegria de nascerem à beira das estradas.
Mataram as papoilas. Mataram as combinações espontâneas das flores de Maio e de Junho. Assistimos à matança. Foi horrível. Mataram a Primavera. Foi como se o mundo inteiro à nossa volta tivesse passado para preto-e-branco.
Entretanto a Bayer - a bilionária e gigantesca fábrica que nos deu a magnífica Aspirina  - processou a União Europeia por esta ter dito que o pesticida chamado thiacloprida prejudicava (e matava) as muito necessárias e beneficientes abelhas.
Hoje em dia o falso e interesseiro coexistem facilmente com a verdade e a inocência. A roupa é a mesma. Até a gama de cores é parecida.
A única coisa que importa é que a Primavera está ser morta à medida que nasce. É um acto químico de censura.
Mataram a primavera."
Miguel Esteves Cardoso
     https://www.publico.pt/sociedade/noticia/viva-a-selvajaria-1734720?frm=opi

*Foto: A Primavera em Sintra 21/05/2016