Aldeia do Penedo-Sintra



Talvez a mais tradicional aldeia de Sintra, situada estratégicamente sobre um alto esporão em plena serra . A sua origem não está muito bem definida mas existem autores que apontam para a referência ao Penedo já no séc.XIII, mais propriamente dados de 1527, que indicam que o Penedo e as Azenhas teriam já 34 “vizinhos”. Posteriormente, o Conde de Jerumenha publicou uma relação por localidades com a data de 1744, na qual o Penedo apresenta já 119 habitantes. Esta aldeia apresenta uma planta circular. No centro da aldeia um cruzeiro e um fontanário, e num ponto mais elevado um largo com a Capela de Santo António ou Capela de Nossa Senhora das Mercês de duplo orago, com Nossa senhora das Mercês e Santo António. Esta terá sido fundada em 1547 por Francisco Nunes Dias e sua mulher Maria dos Anjos Gonçalves Perpétua, moradores na Ribeira do Valente. O pequeno templo rural foi implantado no local do Penedo, à volta do qual acabaria por desenvolver-se posteriormente a aldeia, com um imponente coreto no centro.
O Penedo que nos anos 70, já teve um Mosteiro da Igreja Ortodoxa Grega, talvez por ser um local aconselhável para meditação, tem no seu histórico uns festejos populares ,dos mais importantes realizados no Concelho de Sintra, conhecidas pela festas em Louvor do Divino Espírito Santo.* Destas festas fazia parte uma largada de um touro á corda , que posteriormente era abatido em público, junto ao fontanário, sendo a sua carne utilizada para um bodo aos pobres da região. No dia seguinte a carne era cozinhada em grande panelas de cobre. Este tipo de eventos devido á legislação actual , e também com a atitude mais sensivel das populações sobre este tipo de diversões, sofreu grandes alterações incluindo obviamente a proibição da morte do touro em público .





*Nota:
Esta festa como as várias que se realizam em Portugal, Açores,Tomar ,Alenquer por ex.tem como origem o culto do Espírito Santo instituído no séc. XIV. A devoção ao Espírito Santo foi criada pela Rainha Santa Isabel.
- Ou segundo a página pessoal de João Vasconcelos Pais
"As festas de Espírito Santo têm um componente importante de humildade e igualdade (que se pode encontrar, tão remotamente, nas saturnais romanas), próprias das ideologias milenaristas e utopistas, de novo império, retomadas por uma espécie de “filosofia nacional”, de destino privilegiado, no discurso sobre o quinto Império do Padre António Vieira e até, tão recentemente, por saudosistas como Agostinho da Silva ou António Quadros"
Fotos:PedroMacieira

Comentários

Anónimo disse…
Bom post!

Mensagens populares deste blogue

Visita à Casa Branca nas Azenhas do Mar

Frutas da Região - Pêra " Lambe-os-dedos" II

Os cedros também se abatem na Serra de Sintra