Acessos proibidos II

O silêncio e inércia daqueles que em Sintra têm o poder de gerir a coisa pública, têm nestas imagens o resultado das suas competências.

Acesso encerrado aos jardins e miradouro de Seteais pelo Grupo Espirito Santo/hotéis Tivoli com a conivência dos PSML e da autarquia Sintrense - Acesso que desde sempre e por imposição do povo de Sintra, foi público - em acta de reunião de Câmara de 9 de Agosto de 1800 pode ler-se :


“Povo de Cintra não consentais que se feixe o campo de Senteais”.

Jardins de Seteais sem acesso público por um ano!!!

Encerramento da estrada de Monserrate há longos meses, criando um grave problema de acesso a Colares.


Encerramento da estrada que dá acesso à Ribeira de Sintra a partir da Vila, há longos meses por motivo de uma obra de um muro, que de facto não impede a circulação naquele local.

Quem esteja na Vila ou Seteais e queira dirigir-se a Colares, terá graças à lentidão das “obras” naqueles dois locais de se dirigir à Portela de Sintra para através da Estefânea encontrar o caminho pretendido.
Post relacionado:
Acessos proibidos-aqui

Comentários

baraodalapa disse…
Foi para isto que se fez uma Revolução em Portugal, para 37 anos depois um grupo capitalista tomar como seu um espaço público e impedir o acesso dos cidadãos a esse espaço. Tudo com os ámens da autarquia e do Estado, que se vende aos grupos financeiros por meia dúzia de cêntimos.Uma vergonha e uma afronta, que não se devia passar no beatífico silêncio dos Deuses.
Irão vedar a Serra de Sintra? Proponho igualmente que se vede o acesso ao Terreiro do Paço, sei lá ao Lumiar, ao Largo do Rato, à Lapa, a Portugal.
pedro macieira disse…
baraodalapa/Carlos Freitas,

As tentativas para retirar o "povo", dos jardins de Seteais tem mais de 200 anos, até agora não tinha sido conseguido.Fernando Seara e os "Parque Sintra Monte da Lua" continuam a assobiar para o alto, e deixar que os privados vão ocupando o espaço que era património público. No caso do Presidente da autarquia, se fosse o acesso ao estádio da luz ou à sede do PSD/PPD, seria de certeza mais activo...

Sintra para alguns politicos da nossa praça, é só uma passagem, para aguardar que o tal lugar prometido chegue. O problema é que Sintra de cada vez que sai uma vereação perde parte do que era património público, parte da sua história, e nunca ninguém, consegue encontrar responsáveis pelo danos provocados.

A blogosfera (sendo aqui um pouco optimista)associando-se a movimento de cidadãos, que continuam por cá depois destes senhores irem tratar da sua vidinha por outros lados, cidadãos que querem preservar o património e a história de Sintra, poderá ser uma forma com alguma eficácia de lançar alertas sobre o que se passa, evitando maiores danos no património que é de todos.

Abraços
Anónimo disse…
Pedro
O que se passa na estrada que liga a Vila à Ribeira é uma autêntica vergonha.
Aliás, o que se passa com o trânsito em Sintra é de bradar aos céus. Voltas e voltinhas sem sentido algum.
Nos jornais há um mês e pouco noticiavam que estava encerrada até ao passado dia 30 de Março. Um mês depois, continua encerrada. Já passei lá várias vezes (em automóvel e a pé) e muitas vezes não está ninguém no terreno. Outras vezes está a GNR da parte de cima a não deixar passar o trânsito. Na semana passada saí do parque do Rio do Porto às 17.50 e cheguei a Lourel às 18.30, passando pela Portela. No dia seguinte foi mais rápido ir por Ranholas e IC30.
Mas o que é isto? Mês e meio para reconstruir um muro e ainda não estão as obras prontas. Na 2ª feira e hoje passei por lá e não houve evolução alguma, estando a estrada num estado deplorável naquela zona. Desculpe este desabafo mas, porra (permita-me a linguagem), é demais. Valdemar Alves.
pedro macieira disse…
Valdemar Alves,
É lamentável o estado a que chegou Sintra.Estes dois cortes de estrada durante tanto tempo, criam problemas muito complicados de circulação em Sintra. No caso da Ribeira, já lá tenho passado, e mesmo no dia de ontem às (15H00)fui lá tirar fotografias, e não estava lá ninguém a trabalhar no tal muro.Quanto à estrada de Monserrate para Colares, parece-me que terá havido uma derrocada, há dois ou três meses...
É uma falta de respeito total pelos cidadãos,quando as alternativas de circulação, herdadas de Edite Estrela com o corte de Sintra ao meio, obrigam o trânsito para Colares a ir à Portela de Sintra, que agora também está em obras...

Pela minha parte irei continuar a pressionar a autarquia , a tomar em consideração os apelos dos que vivem em Sintra, mesmo que seja necessário enviar e-mails para o estádio da Luz...ou para a sede na lapa.

Um abraço

Mensagens populares deste blogue

Visita à Casa Branca nas Azenhas do Mar

Frutas da Região - Pêra " Lambe-os-dedos" II

Os cedros também se abatem na Serra de Sintra