Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2017

Azenhas do Mar

Imagem
Domingo, 3 de Setembro de 2017

S.Pedro de Penaferrim (reedição)

Imagem
foto :Pormenor do Largo de D.Fernando II S.Pedro de Penaferrim Cintra de Antigamente in "Cintra Pinturesca ou Memória Descritiva das Villas de Cintra e Collares e seus arredores"/António A.R.Cunha/1905 (Acentuação e ortografia conforme o original) Freguezia de Santa Maria "Freguezia de Santa Maria tem a sua parochial no arrabalde * da villa, junto á serra e ao pé do castello. Confina o seu districto com os das freguesias de S .Miguel ** do arrabalde, S.Martinho da villa, e com os das freguesias de Montelavar, S.Pedro de Penaferrim e Terrugem, no termo d'Este concelho. (...) É a sua população de 159 fogos e 600 habitantes. (...) Contém o seu districto quinze povos ou logares, denominados: Arrabalde - 45 fogos Calçada    - 36 fogos Chão dos Meninos - 6 fogos Rio do Porto -1 fogo S.Sebastião- 4 fogos Ribeira - 8 fogos Cabriz - 28 fogos Santo Amaro - 1 fogo Ribafria - 1 fogo Lourel - 10 fogos Corrigos - 3 fogos Ralhados - 5 fogos Bajouca -

Granja do Marquês/Sintra

Imagem
Foto do semanário Ilustrado "Branco e Negro" nº33/15 de Novembro de 1896 Na Wikipédia: A Granja do Marquês situa-se no concelho de Sintra, freguesia de Pêro Pinheiro. Dá-se esse nome a todo o terreno onde está situada a Base Aérea n.º 1 , o Museu do Ar e também à área envolvente da mesma base. Vestígios arqueológicos apontam para que essa área foi habitada desde os tempos do neolítico, passando pelos romanos e árabes. Pertenceu ao Marquês de Pombal quando esta área tomou o nome porque ainda hoje é conhecida. Segundo uma lenda, no século XVII apareceu neste local a Nossa Senhora da Nazaré. Junto ao palácio situa-se uma capela que foi concluída em 1701. Hoje a capela é dedicada à Nossa Senhora do Ar, padroeira dos aviadores em Portugal. Em dezembro de 1927 foi criada a Base Aérea de Sintra, mais tarde denominada Base Aérea nº. 1. Essa instalação ocupou esses terrenos, tornando-se na Base Aérea mais antiga de Portugal e onde milhares de pilotos militares portugueses

Da Capela de Alfredo Keil até ao Oceano

Imagem
Foto  no Domingo, 27/08/2017 Da pequena capela da Vila Guida,  na Praia das Maçãs, construída por Alfredo Keil,  voltou ontem a sair,  a denominada procissão da Nossa Senhora da Praia -  iniciada por Keil em 1893. "Os andores são levados até ao oceano onde ficam a aguardar o lançamento de pétalas de rosa vindas do céu" no folheto da Irmandade de Nossa Senhora da Praia . Foto no Domingo, 27/08/2017  Manifestação religiosa recuperada em 1984, conheceu o primeiro interregno após a morte de Alfredo Keil  em 1907, tendo sido retomada entre 1936 e 1944.  A procissão terá sido inspirada pela lenda segundo a qual teria sido encontrada uma imagem de Nossa Senhora junto às rochas da Praia das Maçãs. "O seu elegante chalet cuja construcção principiou em Janeiro de 1889 e estava terminada em 1890, é, ainda hoje, a mais bella construcção ali feita. Junto d´elle fez o sr. Keil erigir uma pequena capella, sob invocação da Nossa Senhora da Praia, que um anno depois fazia sa

Praia da Samarra

Imagem
Foto em 4/05/2017 Uma visita à Praia da Samarra, e  aproveitando um texto  "Toponímia Sintrense -Praia da Samarra" de Júlio Cortez Fenandes, publicado no Blog Tudo de Novo a Ocidente . TOPONÍMIA SINTRENSE - PRAIA DA SAMARRA  ( Via Blog Tudo de Novo a  Ocidente ) Praia da Samarra pitoresca e abrigada situa-se no litoral da freguesia de São João das Lampas, Município de Sintra adiante da aldeia de Cortezia,não muito distante da povoação da Assafora, uma das mais populosas da paróquia. A praia forma espécie de ancoradouro natural abrigado e afastado do mar aberto;condições adequadas a desembarque dos corsários que durante séculos frequentaram este trecho da costa marítima de Portugal. A origem do nome baseia-se na designação "samarra"  atribuída a  porção de mar que vai terra dentro num curso entre terreno declivoso de encosta , como é o caso. Foto em 4/5/2017 http://tudodenovoaocidente.blogs.sapo.pt/toponimia-sintrense-praia-da-samarra-109169 de 

Prémio Ferreira de Castro atribuído a "Elogio da Infertilidade" de Cláudia Andrade Fernandes

Imagem
O escritor  numa ilustração  de Martins da Costa Fonte, texto da CMS: O Prémio Ferreira de Castro de Ficção Narrativa, instituído pela Câmara Municipal de Sintra, para estimular a criação literária, foi atribuído, por unanimidade, à colectânea de contos “Elogio da Infertilidade”, da autoria de Cláudia Andrade Fernandes. O júri, constituído por Annabela Rita, em representação da Associação Portuguesa de Escritores, Liberto Cruz, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários, e Ricardo António Alves, designado pela Câmara Municipal de Sintra, baseou-se na qualidade da escrita e inovação formal revelada pela autora ao longo das composições. Foram igualmente distinguidos com Menção Honrosa, também por unanimidade, os originais “Amazona Portuguesa” (romance), de Mário Silva Carvalho; “Como Desmontar uma Nuvem” (contos), de José Eduardo Mendonça Umbelino Filho; “Danação” (romance), de Luís Pimentel; e “O Privilégio dos Mortos” (romance), de Whisner Fraga. O Prémio tem um val

Post solidário (com actualização)

Imagem
O Castelo dos Mouros - vai estar iluminado a vermelho e amarelo, as cores da Catalunha, nos próximos 15 dias. Cada dia representa uma das vítimas mortais dos ataques em Barcelona e Cambrils. Neblinas & nevoeiros, hoje e ontem não permitiram a foto em melhores condições, mas aqui fica o nosso registo solidário - desta vez  na Catalunha. Mais tarde durante a noite, as fotos possiveis sem nevoeiro: Foto na Ribeira de Sintra Fotos em 25/08/2017

Pássaros da minha rua II

Imagem
  Na sequência de post anterior - publicamos hoje mais umas fotos do enorme bando de pardais(?), que moram mesmo ao nosso lado.   Fotos  em 13/08/2017 Este ano um enorme bando de pardais veio para o Mucifal/Sintra, passar o Verão. Barulhentos e muito frenéticos, só os figos os fazem parar... As fotos possiveis dos "invasores"  veraneantes.  Local de eleição do bando, o canavial Fotos no Mucifal/Colares http://riodasmacas.blogspot.pt/2017/08/passaros-da-minha-rua.html

Sobre Casal da Roçada e Quinta do Boialvo

Imagem
Stephen Brody * lançou-me em 2008, o desafio de encontrar duas casas de Sintra que ele tinha pintado há alguns anos e que estariam em risco de desaparecerem. Recorrendo a quem sabe mais de Sintra do que eu (Emilia Reis),consegui fazer algumas fotos. Entretanto a participação de leitores no post, enriqueceram a informação que tinha obtido na altura - razão para esta nova publicação actualizada. Casal da Roçada, aguarela de Stephen Brody Foto actual(2008)   O local é o Lourel em Sintra, a s aguarelas pertencem ao Casal da Roçada, ou "Roussadas" como denomina José Alfredo Azevedo em”Bairros de Sintra” e que na altura pertencia ao Dr.Vicente Monteiro, e a Quinta do Boyalvo. A edificação apalaçada da primeira, está em bom estado de conservação, já a segunda, consequência de um incêndio, o imóvel encontra-se parcialmente destruído. Casal da Roçada, aguarela de Stephen Brody Foto actual (2008) Quinta do Boyalvo, aguarela de Stephen Brody Foto actual (2008)

Vilar de Mouros a "mãe" de todos os festivais de Verão

Imagem
"Em Portugal tudo começou em Vilar de Mouros – no que respeita a festivais de Verão , entenda-se. Depois da primeira edição em que o rock foi personagem principal e onde o cartaz apresentava também bandas estrangeiras, em 1971, chamaram-lhe, muito apropriadamente “Woodstock português”. Dois anos depois do histórico festival americano, o Portugal do Estado Novo via uma aldeia do Alto Minho encher-se com uma geração que, livre nos comportamentos, desinibida quanto à bolorenta moralidade vigente e unida em volta da música, prenunciava o fim inevitável da ditadura.(...) " Jornal Público/   Mário Lopes / Vilar de Mouros, o regresso do festival onde tudo começou                    25/08/2016 - 07:39 https://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/o-regresso-do-festival-onde-tudo-comecou-1742230 Imprensa da época,  visada pela censura Foto@riodasmacas O primeiro Festival de Verão em Portugal Decorria o ano de 1971, no Portugal cinzento da União Nacional/

Ciclismo nas Festas de Nafarros

Imagem
57º Circuito de Nafarros A tarde  de Ciclismo, em Nafarros, Sintra, com a 57ª edição do Circuito promovido pela UDC Nafarros, com apoio e patrocínio da União de Freguesias de Sintra.. Fotos na passagem pelo Mucifal Prova de ciclismo das mais antigas de Portugal, que acontece sempre dias depois da Volta a Portugal terminar.

Do Penedo para Colares

Imagem
“O vale de Colares é para mim uma fonte de perene distracção. Descobri muitas veredas, que através de matas e castanheiros e pomares que nos levam a sítios acidentados e verdejantes, onde os loureiros bravos e as moitas de limoeiros pendem livremente sobre a margem pedregosa de um pequeno rio, e deixam cair na corrente as suas flores e os seus frutos.(...)” In "Correspondência de William Beckford 1787" Na descida do Penedo para Colares-Foto do Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Lisboa- autor não identificado Foto actual do mesmo local (Do Penedo para Colares) O Penedo visto já de Colares, com um tecto do nevoeiro tradicional no mês de Agosto

Sobre as origens das Festas do Espírito Santo na Aldeia do Penedo

Imagem
 “Penedo é o nome do lugar onde a memória dos homens não consente que, ontem, fosse o último dia, nem que, hoje, se acabe o tempo”. Maria Micaela Soares  Origem das Festas do Espírito Santo "A origem remonta às celebrações religiosas realizadas em Portugal a partir do século XIV, nas quais a terceira pessoa da Santíssima Trindade era festejada com banquetes colectivos designados de Bodo aos Pobres com distribuição de comida e esmolas. Assunto muito abordado pelo professor Agostinho da Silva. Há referências históricas que indicam que foi inicialmente instituída, em 1321, pelo convento franciscano de Alenquer sob protecção da Rainha Santa Isabel de Portugal e Aragão. Essas celebrações aconteciam cinquenta dias após a Páscoa, comemorando o dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo desceu do céu sobre os apóstolos de Cristo sob a forma de línguas como de fogo, segundo conta o Novo Testamento. Desde seus primórdios, os festejos do Divino, realizados na época das pri

O dia Mundial da Fotografia com a Aldeia do Penedo

Imagem
O Dia Mundial da Fotografia comemora-se anualmente a 19 de Agosto.  A celebração da data tem origem na invenção do daguerreótipo, um processo fotográfico desenvolvido por Louis Daguerre em 1837. Mais tarde, em Janeiro de 1839, a Academia Francesa de Ciências anunciou a invenção do daguerreótipo e a 19 de Agosto do mesmo ano o Governo francês considerou a invenção de Daguerre como um presente "grátis para o mundo". Outro processo fotográfico - o calótipo, inventado também em 1839 por William Fox Talbot, fez com que o ano de 1839 fosse considerado o ano da invenção da fotografia. Fotos de 1980 e 1981  O Rio das Maçãs, tem agora oportunidade mantendo a temática "Aldeia do Penedo", publicar pela primeira vez  as provas fotográficas (provas de contacto), de filmes  a preto e branco de 135mm de duas reportagens que fizemos em 1980 e 1981,  nas festas anuais do Espírito Santo - a tradição era utilizar um touro/boi, e fazê-lo percorrer a aldeia numa tourada à corda

A Aldeia do Penedo e a sua história

Imagem
T alvez a mais tradicional aldeia de Sintra, situada estratégicamente sobre um alto esporão em plena serra . Além do casario e do património edificado, tem história , tradições e gentes- estas são de certeza os aspectos mais importantes da Aldeia do Penedo. O Penedo que nos anos 70, já teve um Mosteiro da Igreja Ortodoxa Grega, talvez por ser um local aconselhável para meditação, tem   também no seu histórico uns festejos populares ,dos mais importantes realizados no Concelho de Sintra, conhecidos pela festas em Louvor do Divino Espírito Santo.(1) Aldeia do Penedo 1981  Destas festas fazia parte uma largada de um touro á corda , que posteriormente era abatido em público, junto ao fontanário, sendo a sua carne utilizada para um bodo aos pobres da região. No dia seguinte a carne era cozinhada em grande panelas de cobre. Este tipo de eventos devido á legislação actual , e também com a atitude mais sensível das populações sobre este tipo de diversões, sofreu grandes alteraç