sábado, novembro 28, 2020

O Eléctrico da Praia da Maçãs parado até Abril de 2021

 



A Câmara de Sintra informou que, devido à realização de intervenções na linha do Eléctrico de Sintra, será suprimida a partir de 1 de Dezembro e durante os meses de Janeiro, Fevereiro e Março de 2021



quarta-feira, novembro 25, 2020

Jardim Romântico no Vale da Raposa


Na mesma altura em que o Arquitecto Ribeiro Telles, nos deixou,  apontado muitas vezes como “pai” da ecologia em Portugal o seu legado conta com o Jardim da Gulbenkian, Corredor verde de Monsanto, os jardins da Capela de S.Jerónimo  no Restelo, entre muitos outros projectos - a Câmara de Sintra, iniciou a construção de um jardim, dito de estilo “Romântico”, onde há 30 anos crescia  livremente mato.

 Local muito apetecível, com uma vista da Vila Velha, única e das mais fotografadas de Sintra -  onde  há alguns anos terá sido pensado a construção de um Centro Comercial e de um sílo automóvel, facto que não aconteceu  na altura, porque a contestação da comunidade  conseguiu travar a chegada do betão ao Vale da Raposa, junto ao Jardim da Correnteza.

Neste momento decorre a limpeza do espaço onde ao longo dos anos cresceu vegetação de forma totalmente selvagem, local nobre de Sintra, sendo portanto um projecto que saudamos,

Fotos em 24 de Novembro 2020


segunda-feira, novembro 23, 2020

Medidas do Estado de Emergência às 00h00 de 24 de Novembro

 

Medidas a entrar em vigor nos concelhos de risco muito e extremamente elevado, com a renovação do Estado de Emergência às 00h00 de 24 de Novembro



  • Manutenção da proibição de circulação na via pública entre as 23h00 e as 5h00;
  • Manutenção da proibição de circulação na via pública aos sábados e domingos entre as 13h00 e as 5h00;
  • Proibição de circulação na via pública nos feriados de 1 e 8 de dezembro entre as 13h00 e as 5h00;
  • Nos dias 30 de Novembro e 7 de Dezembro os estabelecimentos comerciais encerram às 15h;
  • Acção de fiscalização do cumprimento do teletrabalho obrigatório;
  • Uso obrigatório de máscara nos locais de trabalho.

Medidas em vigor desde 9 de novembro

  • Encerramento do comércio aos fins-de-semana a partir das 13h e abertura a partir das 8h*, excepto para os seguintes estabelecimentos:
    • Farmácias;
    • Clínicas e consultórios;
    • Estabelecimentos de venda de bens alimentares com porta para a rua até 200 m2;
    • Bombas de gasolina;
  • A partir das 13h00, os restaurantes só podem funcionar através de entrega ao domicílio.

* Os estabelecimentos que já abriam antes das 8h00 podem continuar a fazê-lo.

  • proibição de circulação na via pública entre as 23h00 e as 05h00 nos dias de semana e a partir das 13h00 aos sábados e domingos. Esta medida prevê algumas excepções:
    • Deslocações para desempenho de funções profissionais ou equiparadas, sendo para isso necessária uma declaração*. Essa declaração deve ser:
      • i)   emitida pela entidade empregadora ou equiparada, 
      • ii)  emitida pelo próprio, no caso dos trabalhadores independentes, empresários em nome individual e membros de órgão estatutário, ou
      • iii)  um compromisso de honra, no caso de se tratar de trabalhadores do setor agrícola, pecuário e das pescas;
    • Deslocações por motivos de saúde (a estabelecimentos de saúde ou farmácias);
    • Deslocações para acolhimento de emergência de vítimas de violência doméstica ou tráfico de seres humanos, bem como de crianças e jovens em risco;
    • Deslocações para assistência de pessoas vulneráveis, pessoas com deficiência, filhos, progenitores, idosos ou dependentes;
    • Deslocações para cumprimento de responsabilidades parentais;
    • Deslocações para passeios higiénicos e para passeio dos animais de companhia;
    • Deslocações a estabelecimentos de venda de bens alimentares e de higiene com porta para a rua até 200 m2;
    • Deslocações para urgências veterinárias;
    • Deslocações necessárias ao exercício da liberdade de imprensa;
    • Deslocações por outros motivos de força maior;
    • Regresso a casa proveniente das deslocações permitidas.

*Dispensam esta declaração os seguintes profissionais:

  • Profissionais de saúde e outros trabalhadores de instituições de saúde e de apoio social;
  • Os agentes de protecção civil, forças e serviços de segurança, militares, militarizados e pessoal civil das Forças Armadas e inspetores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica;
  • Os magistrados, dirigentes dos parceiros sociais e dos partidos políticos representados na Assembleia da República e pessoas portadoras de livre- trânsito emitido nos termos legais;
  • Os ministros de culto, mediante credenciação pelos órgãos competentes da respetiva igreja ou comunidade religiosa;
  • O pessoal das missões diplomáticas, consulares e das organizações internacionais localizadas em Portugal, desde que relacionadas com o desempenho de funções oficiais;
  • A possibilidade de realizar medições de temperatura corporal por meios não invasivos no acesso a locais de trabalho, estabelecimentos de ensino, meios de transporte, espaços comerciais, culturais e desportivos.
  • A possibilidade de exigir testes de diagnóstico para a COVID-19, no acesso a estabelecimentos de saúde, estruturas residenciais, estabelecimentos de ensino, estabelecimentos profissionais na entrada e na saída de território nacional – por via aérea ou marítima – e outros locais, por determinação da DGS.
  • A possibilidade de requisitar recursos, meios e estabelecimentos de saúde dos setores privado e social, após tentativa  de acordo e mediante justa compensação.
  • A mobilização de recursos humanos para reforço da capacidade de rastreamento (ex: realização de inquéritos epidemiológicos, rastreio de contactos, seguimento de pessoas sob vigilância ativa)

Decreto n.º 8/2020, Regulamenta a aplicação do estado de emergência decretado pelo Presidente da República


  • Dever cívico de recolhimento domiciliário
  • Contacto social
    Eventos e celebrações limitados a 5 pessoas, salvo se do mesmo agregado familiar
  • Teletrabalho
    • Desde que as funções em causa o permitam, o trabalhador disponha de condições para as exercer e não estejam em causa serviços essenciais, o teletrabalho é obrigatório:
      • Para as empresas que laborem neste Concelho;
      • Para os trabalhadores que residam ou trabalhem neste Concelho.
    • O trabalhador, caso não tenha condições técnicas ou habitacionais, deve informar o empregador dos motivos do seu impedimento.
    • O trabalhador mantém os seus direitos, nomeadamente o direito a receber o subsídio de refeição.
    • Se o empregador entender que não estão reunidas as condições deve comunicá-lo ao trabalhador, que, caso não concorde, pode solicitar à Autoridade para as Condições do Trabalho que decida se os requisitos para o teletrabalho se verificam.
    • O empregador disponibiliza os equipamentos de trabalho e de comunicação necessários para o teletrabalho, podendo o trabalhador consentir na utilização dos seus meios, caso não seja possível ao empregador disponibilizá-los.
  • Estabelecimentos comerciais
    Encerramento até às 22:00
    Exceções: take away, farmácias, consultórios e clínicas, funerárias, postos de abastecimento e rent-a-car
  • Restaurantes
    Encerramento até às 22:30
    6 pessoas max, salvo se do mesmo agregado familiar
  • Feiras e mercados de levante
    Proibição de feiras e mercados de levante, salvo autorização emitida pelo presidente da Câmara Municipal, caso estejam verificadas as condições de segurança e o cumprimento das orientações definidas pela DGS
  • Encerramento dos equipamentos culturais até às 22:30

domingo, novembro 22, 2020

Domingo de confinamento


 12h35 - Rio das Maçãs, patos felizes

12h35 - Hora de ponta na Várzea de Colares

12h55 - Praia Grande em dia de "Outono"

12h55- Praia Grande poucos lugares para estacionar


sábado, novembro 21, 2020

Porque hoje é Sábado...

 


O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,

Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia
Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia.

O Tejo tem grandes navios
E navega nele ainda,
Para aqueles que vêem em tudo o que lá não está,
A memória das naus.

O Tejo desce de Espanha
E o Tejo entra no mar em Portugal.
Toda a gente sabe isso.
Mas poucos sabem qual é o rio da minha aldeia
E para onde ele vai
E donde ele vem.
E por isso, porque pertence a menos gente,
É mais livre e maior o rio da minha aldeia.

Pelo Tejo vai-se para o mundo.
Para além do Tejo há a América
E a fortuna daqueles que a encontram.
Ninguém nunca pensou no que há para além
Do rio da minha aldeia.

O rio da minha aldeia não faz pensar em nada.
Quem está ao pé dele está só ao pé dele.

Alberto Caeiro

*Foto batelão no Tejo

quinta-feira, novembro 19, 2020

Alterações do horário do Eléctrico da Praia das Maçãs no próximo fim de semana

 


"O posto de Turismo do Cabo da Roca e o Eléctrico de Sintra irão sofrer alterações nos seus horários de funcionamento no próximo fim de semana devido à proibição de circulação na via pública decretada pelo governo.

A medida aprovada em Conselho de Ministros prevê o recolhimento obrigatório nos próximos dias 21 e 22 de Novembro, entre as 13h00 e as 05h00, como forma de combate a propagação da pandemia por Covid-19."

Info CMS



segunda-feira, novembro 16, 2020

O Marmeleiro da Curva do Duche

 

Em 8 de Abril de 2019, o Grupo dos Amigos das Árvores de Sintra e Adriana Jones da Associação de Defesa do Património de Sintra, entregaram ao Presidente da CMS, Basílio Horta e ao Vereador Domingos Quintas, um marmeleiro com cerca de 2m e 50 cm de altura, para substituição de  um enorme pinheiro de Alepo, que existia na Curva do Duche, abatido pela CMS

 

Um relatório técnico do ISA, na altura  com conclusões ambíguas relativo à intervenção para o Pinheiro, (que considerava ter uma percentagem de risco elevado), foi aproveitado como  justificação para o seu abate, considerando haver risco de queda e desta forma evitar assunção de quaisquer responsabilidades futuras. Também técnicos de Serralves apresentaram soluções para a manutenção do Pinheiro de Alepo, por não o considerarem uma árvore de risco, relatório que não foi tido em conta pela CMS.

 


Sete meses depois, o Marmeleiro da curva do Duche, tem os seus primeiros Marmelos, graças aos cuidados de rega que Adriana Jones lhe tem prestado.



sexta-feira, novembro 13, 2020

Horários dos espaços culturais de Sintra nos dois próximos fins de semana

 


Os monumentos e espaços culturais de Sintra vão sofrer alterações nos seus horários nos dois próximos fins de semana, devido à proibição de circulação na via pública decretada pelo governo.

A medida aprovada em Conselho de Ministros prevê o recolhimento obrigatório nos dias 14,15, 21 e 22 de novembro, entre as 13h00 e as 05h00, como forma de combater a propagação da pandemia por Covid-19.

Desta forma, os Museus Municipais de Sintra irão estar encerrados nos próximos dois fins de semana. Em contrapartida, estes espaços vão estar abertos de segunda a sexta-feira entre as 10h00 e as 18h00.

As Bibliotecas Municipais de Sintra, Queluz, Agualva, Cacém e Tapada das Mercês estarão também encerradas nos próximos fins de semana. As bibliotecas estarão abertas nos restantes dias da semana com o horário de funcionamento das 10h00 às 20h00, com exceção para a Biblioteca da Tapada das Mercês que encerrará às 19h00.

Também aberto ao público, mas com horário reduzido, estará a Quinta da Regaleira, os Monumentos sob gestão da Parques de Sintra e a Oficina da Ciência de Sintra. Estes espaços sofrem alterações horárias nos dois próximos fins de semana.

O Palácio Nacional de Sintra, Convento dos Capuchos, Palácio de Monserrate, Palácio da Pena e Palácio de Queluz, monumentos sob gestão da Parques de Sintra, irão encerrar ao público às 13h00, admitindo entradas apenas até às 12h00.

A Quinta da Regaleira encontrar-se-á aberta ao público das 10h00 às 12h30, com as bilheteiras a encerrar às 11h45. Já a Oficina da Ciência de Sintra estará em funcionamento entre as 10h00 e as 13h00.

 

 

quarta-feira, novembro 11, 2020

Reedição de um post de 2012 com a presença do Arquitecto Ribeiro Telles em Sintra, num Colóquio sobre as Árvores de Sintra

Arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles   25 de Maio 1922 - 11 Novembro 2020 
ColoquioDebate2  Realizou-se ontem, na Sociedade União Sintrense, o Colóquio/Debate em Defesa das Árvores de Sintra, organizado pela Alagamares, com um painel de especialistas e uma assistência interessada.

O painel do colóquio era constítuido pelo Arq. Gonçalves Telles, Engº Eugénio Sequeira, da Liga para a Protecção da Natureza, Dr.Rui Brandão, da Sociedade Portuguesa de Alergologia, EngºNuno oliveira, da Parques de Sintra-Monte da Lua, e Dr.Carlos Albuquerque, da Câmara Municipal de Sintra.

Após as diversas intervenções do painel de convidados, seguiu-se  da parte da assistência,  algumas  intervenções, e  várias questões  dirigidas aos membros do painel.

 Esperamos que este colóquio sobre as árvores, e as de Sintra em especial, seja uma semente, que ajude o crescimento de  melhores práticas e  maior sensibilidade para tratar das nossas árvores.


ColoquioDebate20123 ColoquioDebate20126 ColoquioDebate

Dia de São Martinho


No dia de S.Martinhocome-se castanhas e bebe-se vinho

Martinho era um soldado romano ,valente e valoroso, que regressava de Itália para a sua terra em França.Na viagem, cruzou-se com um mendigo que tremia de frio, devido à chuva que caía com intensidade. Sentindo piedade daquela alma que lhe pedia esmola,Martinho não hesitou em partilhar a sua capa militar. Pegou na espada e cortou a capa ao meio.Quando se preparava para seguir viagem, a chuva parou de cair, as nuvens fugiram e o sol começou a brilhar.Assim ficou durante três dias.Diz-se que foi recompensa divina. A tradição mantém-se e por isso se fala no verão de S.Martinho, para lembrar que as boas acções não se devem esquecer.A ligação de S.Martinho e deste episódio às castanhas faz-se porque, quer a morte do Santo, quer a lenda,terão ocorrido em Novembro, a época das castanhas e da prova do vinho novo. 

domingo, novembro 08, 2020

Declaração de estado de emergência nos próximos 15 dias

 

Conselho de Ministros aprovou o decreto  que executa a declaração do estado de emergência efectuada pelo Presidente da República com a duração de 15 dias, das 00h00 de 9 de novembro às 23h59 de 23 de Novembro.: 


  • a proibição de circulação, nos concelhos determinados com risco elevado, em espaços e vias públicas diariamente entre as 23h00 e as 05h00, bem como aos sábados e domingos entre as 13h00 e as 05h00, exceto deslocações urgentes e inadiáveis;
  • a possibilidade de realização de medições de temperatura corporal, por meios não invasivos, no controlo de acesso ao local de trabalho, a serviços ou instituições públicas, estabelecimentos educativos e espaços comerciais, culturais ou desportivos, meios de transporte, em estruturas residenciais, estabelecimentos de saúde, estabelecimentos prisionais ou centros educativos, podendo ser impedido o acesso ao local controlado sempre que exista recusa da medição de temperatura corporal, ou a pessoa apresente um resultado superior à normal temperatura corporal;
  • que possam estar sujeitos à realização de testes de diagnóstico de SARS-CoV-2, os trabalhadores, utentes e visitantes de estabelecimentos de prestação de cuidados de saúde e de estruturas residenciais para idosos, unidades de cuidados continuados integrados da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados e de outras respostas dedicadas a pessoas idosas, a crianças, jovens e pessoas com deficiência, os trabalhadores do Corpo da Guarda Prisional, os utentes e trabalhadores da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais,  os reclusos e os jovens internados em centros educativos e respetivos visitantes, os trabalhadores, estudantes e visitantes do estabelecimentos de educação e ensino e das instituições de ensino superior, quem pretenda entrar ou sair do território nacional por via aérea ou marítima, bem como quem pretenda aceder a locais determinados para este efeito pela DGS;
  • o reforço da capacidade de rastreio das autoridades de saúde pública;
  • a possibilidade de requisição setor privado e social;
  • mobilização de recursos humanos para controlo da pandemia. 





sábado, novembro 07, 2020

Porque hoje é Sábado...

 




XX - O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,

 

O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,

Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia

Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia,

 

O Tejo tem grandes navios

E navega nele ainda,

Para aqueles que vêem em tudo o que lá não está,

A memória das naus.

 

O Tejo desce de Espanha

E o Tejo entra no mar em Portugal.

Toda a gente sabe isso.

Mas poucos sabem qual é o rio da minha aldeia

E para onde ele vai

E donde ele vem.

E por isso, porque pertence a menos gente,

É mais livre e maior o rio da minha aldeia.

 

Pelo Tejo vai-se para o Mundo.

Para além do Tejo há a América

E a fortuna daqueles que a encontram.

Ninguém nunca pensou no que há para além

Do rio da minha aldeia.

 

O rio da minha aldeia não faz pensar em nada

Quem está ao pé dele está só ao pé dele.

7-3-1914
Alberto Caeiro

terça-feira, novembro 03, 2020

Postal de Gigarós (reedição)

Desenho de Jose Alfredo Azevedo, da sua casa em Gigarós

Cá estou em Gigarós, desde antes de ontem.
Em Novembro do ano passado, num «Postal de Gigarós», disse que tinha em casa um pequeno sapo. Não sei de que se alimenta mas, certamente, de noite, faz as suas caçadas à procura de comida. E, como é lógico, apanha pequenos bicharocos.

Só, algumas vezes raras, aparece de dia. Pois, hoje de manhã, apareceu, já com o dia claro; agarrei-o e, como há meses atrás, não tentou libertar-se. Afaguei-o e, de seguida, coloquei-o no chão; não fugiu.

Um amigo disse-me: não pegue nisso; é bicho peçonhento. Respondi-lhe: tenho pegado nele, sempre, e, nunca me pegou qualquer doença; há homens que eu considero muito mais peçonhentos, do que a maior parte dos bichos, a quem o povo, na sua ignorância, assim os considera.
A esses homens, não estendo a mão, porque tenho nôjo».


José Alfredo da Costa Azevedo
Foto  da casa de Gigarós
-José Alfredo da Costa Azevedo (1907-1991) foi escritor, pintor, publicista e primeiro presidente da Câmara  de Sintra após o 25 de Abril de 1974.
 
Nota:
Texto e desenho publicado nas "Obras de José Alfredo da Costa Azevedo VI"
-*título da autoria de José Alfredo, nas suas crónicas a partir de Gigarós

segunda-feira, novembro 02, 2020

Suspensão do Eléctrico da Praia das Maçãs

 

"Devido à realização de intervenções na rede aérea, a circulação do Eléctrico de Sintra será suprimida às terças-feiras durante o mês de novembro.

Assim, a supressão da circulação do Eléctrico de Sintra, entre a Praia das Maçãs e a zona da Estefânia, ocorrerá nos dias 03, 10, 17 e 24 de novembro.

Estas intervenções são necessárias para a reparação de danos provocados pela proximidade do mar. A supressão da circulação torna possível desligar as subestações elétricas e proceder à realização dos trabalhos com a devida segurança."

Inf. CML