quinta-feira, dezembro 31, 2020

Patos - reais da Várzea de Colares

Pato - real no rio das Maçãs na Vázea de Colares

"Apesar dos Patos-Reais não serem uma das espécies em vias de extinção, os seus habitats têm vindo a ser destruídos quer pela poluição quer pelo aquecimento global, e isso deverá ser uma das nossas preocupações. A protecção desta espécie passa pela conservação dos seus habitats."

Renovação  do bando garantido. Foto de 10 de Abril de 2017
"O habitat dos Patos-Reais são normalmente habitats aquáticos como, lagoas, barragens, valas, rios, arrozais, parques urbanos entre outros.
A dieta destes patos consiste essencialmente em alimentar-se de vegetações, plantas aquáticas, e pequenos invertebrados. Também já houve relatos de que se alimentam de pequenos anfíbios como os sapos.
Apesar de terem uma dieta bastante definida, nada os impede de se alimentarem dos alimentos que os seres humanos lhes fornecem, como por exemplo pão.
Em Portugal, o Pato-Real é uma ave não migratória, isto deve-se essencialmente ao clima e às condições que se mantêm estáveis ao longo do ano, não havendo assim necessidade de migrar para outras regiões à procura de melhores condições. O período de acasalamento desta espécie ocorre entre Março e Junho.
O macho abandona a fêmea assim que a fêmea comece a produzir ovos.
A fêmea após o acasalamento é capaz de produzir entre oito a treze ovos e o período de incubação dura aproximadamente vinte e oito dias.
As crias assim que nascem não precisam de ser alimentadas pela progenitora, eles alimentam-se de insectos intuitivamente, no entanto gostam de estar próximos da progenitora pois esta fornece-lhes protecção.
Por mais incrível que pareça, os Patos-Reais têm uma elevada taxa de acasalamento macho-macho.
Grande parte dos machos acasalam-se com outros machos, para ser mais preciso 19% da população de Patos-Reais é homossexual.
Apesar dos Patos-Reais não serem uma das espécies em vias de extinção, os seus habitats têm vindo a ser destruídos quer pela poluição quer pelo aquecimento global, e isso deverá ser uma das nossas preocupações.
A protecção desta espécie passa pela conservação dos seus habitats."
Texto retirado daqui:
http://www.maisnatureza.com/animais/aves/pato-real/#toc0


"O Pato-Real mede entre 56 a 65cm de comprimento, e pesa entre 0.9 a 1.2kg. Não é difícil realizar distinção de sexos, isto porque cada sexo possui características distintas, e durante o período de acasalamento essas características são acentuadas. Os machos têm uma cabeça verde, um anel branco no pescoço, o dorso é acinzentado e o peito de um tom de castanho-escuro, estas cores tornam-se mais fortes a quando o período de acasalamento, para chamar a atenção de um parceiro."

Texto retirado daqui
 

Um casal de patos reais na chegada ao seu habitat,  no  rio das Maçãs/Várzea de Colares


domingo, dezembro 27, 2020

Várzea de Colares - reedição

Boletim Photographico, Nº75 Março de 1916


O Jornal " O Concelho de Sintra" nº29 de 1 de Junho de 1911 , publicava um artigo dedicado à Várzea de Colares, que transcrevemos parcialmente mantendo a acentuação e ortografia do original.

"A poetica Varzea de Collares e o dia de S.João

Ha 37 annos via-se ao pé da antiga ponte e no sítio que hoje occupa a adega Bernardino Gomes e Comp.ª uma tosca cabana coberta de colmo vendo-se sobre uns fetos peras, pecegos e mais fructas; e um barril do bello ramisco...
Eram as filhas do conhecido fazendeiro Chistovão d'Almeida, vulgo da Volta, as caixeirinhas assiduas d'aquella tendinha em miniatura! Coitadas! não morreram velhas!
Parece-me estar ainda em pleno e intimo convivio com os meus amigos João Paraty, Conde de Caparica, Manoel Pereira, Conde de Idanha, do Tojal, Portocarrero, Villa Real, Luiz do Rego, Isidoro de Bemfica...e tuti quanti - a maior parte já fugiu para a outra banda.
O dia de S.João d'aquelles tempos!
Enquanto os barcos do Almeida da volta se retiravam suavemente com as cachopas, ás vezes misturadas com os Marialvas que lhes pagavam o bote, grupos alegre d'outras raparigas dançavam alegremente ao som do pifano sem chaves, e descantes populares(...)".

sexta-feira, dezembro 25, 2020

Hoje é dia de Natal

 


Dia de Natal


Hoje é dia de ser bom.
É dia de passar a mão pelo rosto das crianças,
de falar e de ouvir com mavioso tom,
de abraçar toda a gente e de oferecer lembranças.

É dia de pensar nos outros - coitadinhos - nos que padecem,
de lhes darmos coragem para poderem continuar a aceitar a sua miséria,
de perdoar aos nossos inimigos, mesmo aos que não merecem,
de meditar sobre a nossa existência, tão efémera e tão séria.


Comove tanta fraternidade universal.
É só abrir o rádio e logo um coro de anjos,
como se de anjos fosse,
numa toada doce,
de violas e banjos,
Entoa um hino ao Criador.
E mal se extinguem os clamores plangentes,
a voz do locutor
anuncia o melhor dos detergentes.

De novo a melopeia inunda a Terra e o Céu
e as vozes crescem num fervor patético.
(Vossa Excelência verificou a hora exacta em que o Menino Jesus nasceu?
Não seja estúpido! compre imediatamente um relógio de pulso antimagnético.
(...)

António Gedeão

quarta-feira, dezembro 23, 2020

Museu do Ar - horários no período de Natal e Ano Novo

O Museu do Ar encontra-se encerrado nos dias 24, 25, 31 de dezembro e 1 de janeiro. Nos restantes dias, do mês de dezembro, o Museu do Ar em Sintra e Alverca estarão abertos nos horários normais.

No fim de semana de 2 e 3 de janeiro, o horário de funcionamento do Museu do Ar em Sintra será das 10h00 às 13h00, sendo a última entrada às 12h30.

segunda-feira, dezembro 21, 2020

Ermida de São Saturnino na Peninha

.O Santuário da Peninha é desde 2017 gerido pela Parques de Sintra Monte da Lua.


Ermida de São Saturnino-foto em 30/03/2017

"A meio caminho entre Sintra e o litoral, entre os 300 e os 490 metros de altitude, sujeita a fortes ventos marítimos, a Peninha é uma janela panorâmica sobre a quase totalidade do Parque Natural Sintra-Cascais avistando-se a orla costeira do Cabo espichel até ao Cabo Carvoeiro. O conjunto edificado que aqui se encontra inclui a Ermida de São Saturnino, do Séc.XII, e a Capela da Peninha, erguida por devoção popular no sécXVI e classificada como de interesse público". PNSC - 
foto em 30/03/2017

"Este conjunto histórico engloba a Ermida de São Saturnino e a Capela de Nossa Senhora da Penha. Foi fundado por Frei Pedro da Conceição, nos finais do sec XVI, e o seu interior barroco, inclui um conjunto de páineis de azulejos azuis e brancos do início do sec.XVIII, representando cenas da vida da Virgem. Junto à capela existe uma residência romântico-revivalista mandada construir em 1918 pelo mecenas António Carvalho Monteiro."
CMS
foto em 30/03/2017

"(...)No tempo do Cardeal Rei, pelos annos de 1579, acudiram a venera-la (imagem da N.Senhora da Penha) muitos povos como Collares, Cintra, Cascaes, e de todos aquelles logares circumvizinhos até o Milharado(...) "

Visconde de Juromenha-Cintra Pinturesca, 1838



foto em 30/03/2017

Em 1850 a propriedade da peninha foi vendida ao Dr.José Maria Rangel de Sampaio.1873 – Passa para a posse da Universidade de Direito de Coimbra. 1918 –Palácio construído por António Augusto de Carvalho Monteiro e projectado por por Júlio Fonseca. 1991-Comprado pelo Serviço Nacional de Parques, Reservas e Conservação da Natureza por 90.000 contos, sendo 70% financiado por programa comunitário ENRIREG.
Junta Freguesia de Colares


"Este conjunto histórico engloba a Ermida de São Saturnino e a Capela de Nossa Senhora da Penha. Foi fundado por Frei Pedro da Conceição, nos finais do sec XVI, e o seu interior barroco, inclui um conjunto de páineis de azulejos azuis e brancos do início do sec.XVIII, representando cenas da vida da Virgem. Junto à capela existe uma residência romântico-revivalista mandada construir em 1918 pelo mecenas António Carvalho Monteiro."
CMS
Ermida de São Saturnino, do Séc.XII, e a Capela da Peninha- fotos em 30/03/2017

"Eminente ao mar na mesma Costa está a ermida de Nossa senhora da Peninha, situada sobre um rochedo, o qual por ser inferior em grandeza relativamente áquelle em que se edificou o Convento da Pena se chamou da Peninha.(...)"
Visconde de Juromenha- "Cintra Pinturesca" 1838

sábado, dezembro 19, 2020

Porque hoje é Sábado...

 

Aviação
O homem vangloria-se de ter imitado o voo
das aves com uma complicação técnica que elas dispensam.

( In: O Avesso das Coisas - 6º Edição, 2007.)

Carlos Drummond de Andrade


Fotos em Colares:

Felosa-comum (Phylloscopus collybita)

Esta insectívora diminuta é uma das mais comuns invernantes em Portugal, observando-se em
praticamente todos os habitats, tal é o seu eclectismo.

sexta-feira, dezembro 18, 2020

Sobre o estado de emergência

 Para  tentar controlar a pandemia, o @gov_pt decidiu agravar as medidas que se aplicam ao período do Ano Novo em todo o território continental.



segunda-feira, dezembro 14, 2020

Ermida de S.Julião - Reedição

ErmidaSJuliao11

A praia de S.Julião a norte do Concelho de Sintra, é atravessada pelo Rio Falcão, que divide a Praia em dois concelhos, (Sintra e Mafra), localizando-se a maior extensão de areal no Concelho de Sintra.

Neste local existe uma Ermida, construída no século XVIII, com painéis decorados de azulejos azuis e brancos, cujo tema é a vida de S. Julião e Santa Basilissa. Tem também um conjunto de relógios de sol verticais, em pedra, datado de 1754. Em Setembro decorre aqui uma das festividades mais características da região: o Círio de Ribeira de Pedrulhos, também conhecido por Círio da Água-Pé.

Foi em S.Julião que viveu Mateus Álvares, denominado Rei da Ericeira, resistente à ocupação filipina e que se fez passar por D. Sebastião.

ErmidaSJuliao1

ErmidaSJuliao211

sábado, dezembro 12, 2020

Porque hoje é Sábado...

 

Trabalho de arte urbana do artista João Carvalho, conhecido por Styler, a pedido da Junta de Freguesia de Alvalade em homenagem ao Arquitecto paisagista, Gonçalo Ribeiro Telles.


Trabalho executado num logradouro na zona da Avenida dos  Estados Unidos da América.

Fotos em 11 de Dezembro de 2020

*"Iniciou a sua vida profissional nos serviços da Câmara Municipal de Lisboa, ao mesmo tempo que leccionava no ISA, tornando-se discípulo de Francisco Caldeira Cabral, pioneiro da arquitectura paisagista em Portugal. Com este professor, publicará o livro A Árvore em Portugal, obra de referência sobre as espécies arbóreas existentes no nosso País.

Na Câmara de Lisboa integrou, desde 1951 até 1953, a Repartição de Arborização e Jardinagem, passando em 1955 a arquitecto paisagista do Gabinete de Estudos de Urbanização da CML, dirigido pelo engenheiro Guimarães Lobato, onde permaneceu até 1960.

De 1971 a 1974 dirigiu, igualmente enquanto arquitecto paisagista, o Sector de Planeamento Biofísico e de Espaços Verdes do Fundo de Fomento da Habitação."

O projecto mais marcante da sua carreira é, provavelmente, o jardim da Fundação Calouste Gulbenkian, que assinou com António Viana Barreto e[5] que lhe valeu, ex aequo, o Prémio Valmor de 1975.



quarta-feira, dezembro 09, 2020

Quinta da Amizade - reedição

ASassettiCottage2012 Quinta da Amizade, desenhada por Luigi Manini para, Victor Carlos Sassetti, que foi dono dos Hotéis Bragança, em Lisboa, e Victor, em Sintra,
ASassetiCottage3a
http://riodasmacas.blogspot.pt/2012/06/visita-quinta-da-amizade-e-vila.html


http://riodasmacas.blogspot.pt/2012/07/quinta-da-amizade-e-vila-sassetti.html

A Quinta da Amizade no jornal Público de 4/02/2015(excerto)

«É precisamente a Quinta da Amizade, com os seus 1,2 hectares e a casa acastelada que Sassetti e Manini conceberam lado a lado, que a Parques de Sintra-Monte da Lua, empresa de capitais públicos que gere a paisagem cultural de Sintra, comprou no final de 2011 à autarquia por pouco mais de um milhão de euros e que agora se prepara para recuperar, num projecto de intervenção que custará 600 mil, financiado a 65% pelo Programa Operacional Regional, e cuja primeira fase deverá estar concluída em Junho.
(...)
A grande mistura de materiais do projecto original – pedra rústica, tijoleira, apontamentos de cantaria em portas e janelas e nos elementos ornamentais, como um alto-relevo com as armas dos Sassetti, família também da Lombardia, embora Victor tivesse nascido em Sintra – acentua-se à medida que a casa, depois da morte do empresário, foi mudando de donos, depois de numa primeira fase ter sido arrendada a Calouste Sarkis Gulbenkian. Hoje há azulejos mouriscos de padrão do século XVI misturados com painéis multicolores figurativos do XVII e as sedas que cobriam as paredes de algumas das divisões, e que se vêem nas fotografias antigas de finais do século XIX, foram substituídas por tinta ou por papel.
 A mistura de materiais, a alternância dos volumes e as torres com ameias mostram que Manini privilegiou neste projecto a fidelidade ao modelo histórico” dos castelos da Lombardia, acrescenta Denise Pereira, lembrando que, para o conceber, deve ter feito muita investigação. “A veracidade é uma preocupação que ele tem tanto na cenografia como na arquitectura”, onde começou por ser olhado com desconfiança porque se temia que não tivesse os conhecimentos necessários para fazer os cálculos que um edifício sólido exigia. Uma desconfiança que acaba por vencer, primeiro com o Bussaco, que começa a construir ainda com a Vila Sassetti em curso, e por fim com a Regaleira, talvez o seu projecto maior.»
Texto integral aqui:
http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/vila-sassetti-um-castelo-da-lombardia-para-sintra-e-dois-homens-discretos-1684937

segunda-feira, dezembro 07, 2020

O Estado de emergência em Sintra

Oito Municípios da  Área Metropolitana de Lisboa, desceram de "risco muito elevado" para o  'patamar' "risco elevado" -  Amadora, Cascais, Odivelas,Oeiras, Setúbal,Seixal, Sintra e Vila Franca de Xira. E foi decidido que vigorariam a partir de Quarta-Feira, das 00h00 do dia 9 de Dezembro, até às 23h59 do dia 23 de Dezembro. Nos fins de semana de 12 e 13 de Dezembro e de 19 e 20 de Dezembro o recolher obrigatório na AML  a partir das 13h00, só será aplicado nos quatro concelhos de "risco muito elevado" de contágio.

O @gov_pt anunciou também as medidas que se vão aplicar nas próximas semanas e, em particular, nos períodos do Natal e do Ano Novo.



sábado, dezembro 05, 2020

Porque hoje é Sábado...


 Um dia

Um dia, gastos, voltaremos
A viver livres como os animais
E mesmo tão cansados floriremos
Irmãos vivos do mar e dos pinhais.

O vento levará os mil cansaços
Dos gestos agitados irreais
E há-de voltar aos nosso membros lassos
A leve rapidez dos animais.

Só então poderemos caminhar
Através do mistério que se embala
No verde dos pinhais na voz do mar
E em nós germinará a sua fala.

Sophia Mello Breyner Andresen

quinta-feira, dezembro 03, 2020

Horários dos Monumentos de Sintra no estado de emergência

 


Os monumentos de Sintra voltam a sofrer alterações nos seus horários neste fim de semana, devido à proibição de circulação na via pública decretada pelo governo como forma de combater a propagação da Covid-19.

A medida aprovada em Conselho de Ministros prevê o recolhimento obrigatório nos dias 5, 6 e 8 de dezembro (sábado, domingo e feriado), entre as 13h00 e as 05h00. Sendo que no dia 7 de dezembro (segunda-feira) está previsto o encerramento das atividades comerciais a partir das 15h00.

Assim, o Palácio Nacional de Sintra, Convento dos Capuchos, Palácio de Monserrate, Palácio da Pena e Palácio de Queluz e Castelo dos Mouros - monumentos sob gestão da Parques de Sintra - irão encerrar ao público no sábado, domingo e feriado às 13h00, com a última entrada a ser realizada às 12h00. Já na segunda-feira o encerramento será às 15h00, com última entrada às 14h00.

Quinta da Regaleira encontrar-se-á aberta ao público no sábado, domingo e feriado das 10h00 às 12h30, com as bilheteiras a encerrar às 11h45. Na segunda feira , a Quinta estará aberta ao público entre as 10h00 e as 14h30, com o encerramento da bilheteira às 13h45.

A Oficina da Ciência de Sintra estará aberta ao público sábado e domingo das 10h00 às 13h00, encontrando-se encerrada na segunda-feira e no feriado.

Inf.CMS