terça-feira, junho 27, 2017

Quinta do Pisão na estrada da Lagoa Azul

Mesmo em frente à Barragem do rio da Mula


HISTÓRIA E PATRIMÓNIO
A Quinta do Pisão caracteriza-se por possuir um mosaico de vegetação que ora se estende por prados verdejantes, ora se fecha em copas de árvores frondosas. As diferentes paisagens foram moldadas por séculos de ocupação deste espaço. Na Quinta encontra-se, ainda hoje, a gruta de Porto Covo, onde foram identificados vestígios tanto de uma comunidade do Período Calcolítico como de enterramentos humanos que datam da Idade do Bronze. Durante a Idade Média desenvolveu-se ali o Casal de Porto Covo, existindo no local uma capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição e alguns equipamentos de apoio a atividades agrícolas, como estábulos, eiras, fornos e poços. Após anos de abandono, estas pequenas edificações foram alvo de recuperação pela Câmara Municipal de Cascais e estão hoje abertos à visitação. Já durante o século XIX a Quinta recebeu a produção de cal, cuja cozedura tinha um carácter sazonal, realizando-se apenas nos meses quentes e não ultrapassando as três fornadas. Era um ciclo de intenso trabalho, assegurado por pessoas que, no restante ano, dedicavam-se sobretudo à agricultura. Estes fornos também foram alvo de recente intervenção e também podem ser visitados. A partir dos anos 30 do século XX a Quinta do Pisão tornou-se numa colónia agrícola gerida pela Santa Casa da Misericórdia de Cascais, tendo sido criada uma casa de recuperação. Atualmente o espaço é gerido pela Câmara Municipal de Cascais que, além de promover a recuperação das áreas agrícolas e florestais, está a dinamizar a repovoação da fauna e a promover uma maior ligação com a população através das actividades desenvolvidas ao longo do ano.

Texto retirado daqui:
http://www.cm-cascais.pt/equipamento/quinta-do-pisao-parque-de-natureza

Paisagem rara na Serra de Sintra
Capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição
Biodiversidade na Quinta do Pisão
Forno de cal
Animais com grande espaço para se movimentarem
Horta
Casa da Cal, Centro de interpretação
*Fotos em 17 de Junho de 2017

segunda-feira, junho 26, 2017

Igreja Paroquial da Terrugem


Igreja Paroquial de São João Degolado

"A igreja de São João Degolado, paroquial da freguesia da Terrugem, é seguramente um dos templos religiosos mais belos do concelho de Sintra. Apresenta-se como mais um edifício da arquitectura religiosa da região saloia e insere-se e harmoniza-se perfeitamente na malha urbana circundante. A riqueza do seu interior, porém, distingue-a das suas congéneres."
.
"É possível que a primeira estrutura aqui construída remonte ao século XV – infelizmente não dispomos de elementos que nos ajudem a confirmá-lo. A campanha manuelina de inícios da centúria quinhentista, foi sem dúvida a mais importante. A torre sineira e o alpendre, certamente anexados no último quartel do século do século XVIII, inserem o templo na tradicional arquitectura religiosa da região saloia."

Texto retirado daqui:
http://revistatritao.cm-sintra.pt/index.php/patrimonio-1/igreja-paroquial-de-sao-joao-degolado-terrugem

sábado, junho 24, 2017

Marcha dos Santos Populares no Mucifal

Há mais brilho nas estrelas/Mais alegria nos lares/Quando vem as noites belas/Dos três Santos populares
Nas noites de Santo António/De S.João e S.Pedro/Com ferrinhos e harmónio/Abrilhantava-se o folguedo
Refrão
E no arraial/À luz das fogueiras/Baila cada qual/Sem sentir  canseiras/Gentis raparigas/Cantam com fervor/Singelas cantigas/Em quadras de amor

 Pelas ruas enfeitadas/Há bandeiras e festões/Passam marchas engraçadas/Com arquinhos e balões 
E o povinho folgazão/Numa alegria sem par/Canta com animação/Uma canção popular.

(Legenda das fotos)
"Santos Populares" /Letra e Música de José Fernandes Badajoz

Ontem no Mucifal -Arraial de S.João e desfile da Marcha, organização da Associação de Idosos, Pensionistas e Reformados do Mucifal

sexta-feira, junho 23, 2017

Noite do Museu de Odrinhas

Ave Amici!

Estamos em plena época romana. O pater familias saúda os convidados e exorta-os a acompanhar as matronas da suadomus numa visita ritual aos túmulos dos antepassados e aos altares dos deuses. Nas sepulturas colocam-se grinaldas e sobre as aras ardem incensos e derramam-se libações. As trémulas luzes das candeias movem misteriosas sombras. Chamados pelos seus próprios nomes, os antigos romanos e suas divindades ganham uma nova vida e tornam-se presentes. As pedras falam!

Funcionamento: Sábado, dia 24 de Junho, três sessões nocturnas às 21.00 horas, às 22.00 horas e às 23.00 horas;

Ingresso: 3,00 Euros; mediante reserva. Isenção para crianças até aos 14 anos.


Inf e foto: 
MUSEU ARQUEOLÓGICO DE SÃO MIGUEL DE ODRINHAS, SINTRA

quinta-feira, junho 22, 2017

E como a vida continua...


O Azul da "Sintra Atlântico"

O Azul da "Sintra-Atlântico"  voltou a circular entre Sintra e a Praia das Maçãs
Fotos de ontem, na passagem por Colares do "novo"  Eléctrico Azul

A 5 de Março de 1903, foram encomendados J.G.Brill, Company 13 veículos, entre os quais o número 1 da foto. A encomenda  foi de 4 carros-motores abertos, 3 carros motores fechados, 4 atrelados abertos e 2 atrelados fechados.
Ano de fabrico -1903
Fabricante - J.G.Brill, Company, de Filadélfia
Carroçaria tipo- Aberta com laternim
Velocidade máxima - 30 Km/h
Capacidade - 44 lugares (32 sentados e 12 em pé)

Nota histórica
O eléctrico nº7, com as cores da "Sintra-Atlântico", perto do desvio para o depósito na Ribeira de Sintra em 1959-Foto da colecção Valdemar Alves


  Companhia Sintra-Atlântico (1914-1975)
"A 15 de Agosto de 1914, o novo dono dos eléctricos tomou posse de todos os bens e respectivas concessões da extinta Cintra ao Oceano."

Fonte: "Eléctrico de Sintra" de Júlio Cardoso e Valdemar Alves

quarta-feira, junho 21, 2017

Bombeiros Voluntários de Colares no incêndio de Pampilhosa da Serra

Foto de um directo da SIC, com a imagem da presença dos Bombeiros Voluntários de Colares

Seis corporações de bombeiros do concelho de Sintra estão,  envolvidas no combate ao incêndio de Pedrógão. Estiveram na frente de combate 11 viaturas e 37 homens das corporações de Almoçageme, Algueirão-Mem Martins, São Pedro de Sintra, Queluz, Sintra e Montelavar. Hoje na frente do incêndio em Pampilhosa da Serra, os Bombeiros Voluntários de Colares.