quarta-feira, dezembro 13, 2017

Sobre o Farol do Cabo da Roca - reacção do Bloco de Esquerda

O Bloco de Esquerda questionou na Assembleia da República o MAI


Bloco quer relocalização de torre de comunicações instalada em 2013 no Cabo da Roca

"O Bloco de Esquerda defende que a torre de comunicação do Sistema Integrado de Vigilância, Comando e Controlo da costa portuguesa, instalada junto ao farol do Cabo da Roca, seja transferida para outra localização, de modo a minimizar impactos sobre a paisagem.   

Considerando a necessidade de se reconstruir a estrutura, gravemente danificada pela passagem da tempestade ANA, a deputada Sandra Cunha questionou o Ministério da Administração Interna sobre a disponibilidade do governo para reequacionar a sua localização.

A instalação, em 2013, desta estrutura de 45 metros de altura, gerou protestos da população, de defensores/as do património e de diversos partidos, entre os quais o Bloco de Sintra. Apesar disso, o governo PSD/CDS manteve a decisão eu levou à criação de uma profunda cicatriz na paisagem, visível a quilómetro de distância, num local que recebe milhares de visitantes todos os dias.

O Bloco considera que, mau grado toda a destruição causada,  a natureza se impôs e devolveu parte da beleza ao local, oferecendo às autoridades uma óptima oportunidade para corrigir o erro. Haja vontade política para tal."

PSML de novo vencedora do World Travel Award e agora é olhar para o Farol do Cabo da Roca


A Parques de Sintra acaba de receber, pela quinta vez consecutiva, o World Travel Award para "Melhor Empresa do Mundo em Conservação"! 
Trabalhos  urgentes a desenvolver no Parque Natural Sintra Cascais



Recuperar a sllhueta do Farol do Cabo da Roca. Aproveitar a prenda da ANA, naquele que será o local mais visitado do litoral Sintrense.

Foto de ontem (12/12/2017), que não era possivel fazer desde 2013, pela existência de uma torre  metálica de 50 metros (o farol tem 22m), instalada com a cumplicidade e silêncios de muitos, entre os quais CMS, CMC, PNSC,Junta de Freguesia de Colares,ICNF.


A  tempestade ANA, com uma rajada de 144,4 Kms/hora, resolveu em segundos o que os responsáveis pela preservação daquela área protegida não quiseram fazer

Desde Maio de 2017, a Parques de Sintra-Monte da Lua, é responsável, pela preservação daquela área do Parque Natural Sintra Cascais.

segunda-feira, dezembro 11, 2017

Quando a Natureza corrige os abusos do homem

Cabo da Roca Dezembro de 2017. Área protegida do Parque Natural Sintra.Cascais
Imagem do Farol que não era possivel observar desde 2013 (foto de Luis Filipe Correia)

A ANA, o temporal de ontem, provovocou uma vitima mortal , e destruiu  e provocou danos por todo o País, mas deu a Colares uma prenda de Natal, repôs a paisagem do Cabo da Roca.
A monstruosa torre metálica que ali nasceu em 2013, no Parque Natural Sintra Cascais,com a Câmara de Sintra (PSD/CDS), vários Ministérios do governo PSD/CDS,ICNF, Associações ambientalistas, todos a olhar para o lado, foi preciso a força de uma ANA, para tomar a atitude que ninguém, até agora  queria tomar - deitar a torre abaixo.
Fotos  Luis Filipe Correia em 10/11 de Dezembro de 2017
Sobre a Torre Metálica de 50 metros do MAI
Desde Setembro de 2013, (Governo PSD/CDS e Câmara M.de Sintra PSD/CDS, Câmara M.de Cascais PSD), temos divulgado  frequentemente o atentado ambiental e paisagístico, efectuado no Cabo da Roca ,Parque Natural Sintra-Cascais, na altura (2013) pelo MAI, com a instalação de uma torre metálica de 50 metros junto ao farol  -  instalação que teve  na altura o parecer contrário do Ministério do Ambiente.(MAMAOT),tendo aqui , publicado diversas tomadas de posição sobre o assunto.

Após as eleições autárquicas  de 2013, com a eleição do PS para a CMS, (mantendo-se o PSD na C.M.de Cascais), voltámos ao assunto, diversas vezes para um facto que é  uma ilegalidade face às leis e regras do Estado de Direito da ainda República Portuguesa, e actualmente já com um governo PS, nada foi alterado até hoje.

Posição do Ministério da Agricultura, do Mar do Ambiente e de Ordenamento de Território (2013)


 Resposta do Ministério da Agricultura, do Mar do Ambiente e do Ordenamento do Território sobre A Instalação do posto Fixo de observação do SIVICC no Cabo da Roca:
"Relativamente à intenção de Instalação de um posto de Observação fixo integrante do sistema integrado de Vigilância, Comando e Controlo Costeiro no Cabo da Roca, não foi tomada qualquer decisão sobre a matéria. O Instituto de conservação da natureza e florestas e agência Portuguesa do ambiente, através dos seus serviços, receberam o pedido de parecer relativo à construção de um posto de observação do SIVICC. Foram emitidos os referidos pareceres, no âmbito das suas competências específicas e de acordo com o disposto tanto no Plano de Ordenamento Do Parque Natural Sintra Cascais e do Plano de Oedenamento da Costa costeira. Da análise efectuada conclui-se que a pretenção não tem enquadramento no plano de ordemento do parque natural sintra cascais e a APA, I.P., informou a entidade responsável pelo sistema Integrado de vigilância, comando e controlo da costa costeira portuguesa, sobre as disposições do Plano que condicionaram ou inviabilizaram a instalação do posto de observação nos locais alternativos indicados, incluindo nessa informação aspectos técnicos relativoa à sua inserção em faixas de salvaguarda do litoral e servidões e restrições administrativas e legislação em vigor. O projecto em causa não se enquadra no DL 69/2000, com a nova redacção que lhe foi dada pelo DL 197/2005, pelo que não foi feito qualquer estudo de impacto ambiental."

Fonte:.
 Ana Caetano Miragaia Matias ,candidata do PSD à eleição da Junta de Freguesia de Colares

A mansão de Colares

"O Tribunal Administrativo e Fiscal de Sintra (TAF) deitou por terra mais uma tentativa de um ex-presidente da câmara local, João Justino, para evitar a demolição parcial, ordenada pelo Ministério do Ambiente há 15 anos, de uma enorme moradia construída ilegalmente pelo antigo autarca na Serra de Sintra. A sentença valida a decisão da Câmara de Sintra que indeferiu, em 2010, o pedido do ex-autarca e empresário, falecido no Verão de 2014, para que a moradia fosse legalizada e encontra-se em apreciação no Tribunal Central Administrativo Sul (TCA), na sequência de um recurso dos herdeiros do proprietário."
A,José Cerejo/Público 11/12/2017
Jornal Público em 11/12/2017
https://www.publico.pt/2017/12/11/local/noticia/estado-tenta-demolir-palacete-ilegal-ha-15-anos-e-o-caso-esta-longe-do-fim-1795215?page=%2F&pos=1&b=stories_cover__breaking_b

-Assunto que desde a criação deste blog temos acompanhado e divulgado em todas as fases desta construção que nasceu e cresceu sob embargos da CMS.

O artigo agora publicado  J.António Cerejo, faz um completo historial, de um caso  de estudo que pode ser considerado como o " Estado de direito versus compadrio"- em que o Estado  de Direito, tem sido  constantemente derrotado em todas as fases.

Jornal Público em 27 de Julho de 2007

A mansão de Colares
Recentemente a Sic Notícias divulgou, num programa de "Espaços e Decoração", os interiores da mansão agora decorados, talvez com a intenção do mercado do Turismo rural, ou para um projecto de um hostel.



*Nota: tudo isto acontece em área protegida do Parque Natural Sintra Cascais



domingo, dezembro 10, 2017

Visita ao Museu do Brinquedo de Seia


http://www.cm-seia.pt/que-visitar/museu-do-brinquedo

Tivemos nos últimos dias a possibilidade de visitar o Museu do Brinquedo de Seia, sempre na mente com o fecho do Museu de Sintra em 2014
Em conversa no local soubemos que Arbués Moreira, o dono da colecção que existiu em Sintra, terá também visitado este espaço museológico.


Espaço do Museu do Brinquedo de Seia

Razões evocadas para o encerramento do Museu de Sintra

«A lei das Fundações precipitou as dificuldades do Museu do Brinquedo. A lei impede a edilidade de continuar a subsidiar e a ceder as instalações que o museu ocupa desde 1997 no centro histórico de Sintra. E um protocolo proposto pela câmara à fundação não foi aceite por esta "Não protegia o fundador nem os funcionários e não tínhamos controlo sobre a colecção e, terminado o período de 10 anos, se não quiséssemos renovar, tínhamos de indemnizar a câmara" diz João Arbués Moreira. A Câmara de Sintra lamenta, por seu turno, que não tenha havido uma contraproposta por parte da fundação.»

DN/10/08/2014
*Post relacionado do "Rio das Maçãs"
http://riodasmacas.blogspot.pt/2014/08/sobre-o-encerramento-do-museu-do_10.html

Um museu muito interessante, uma descoberta inesperada, aqui com um eléctrico feito de latas de conserva.
Outra sala de várias do Museu de Seia

Aqui fica um convite para quem vá à Serra da Estrela, ver a neve, dar um pulo a Seia e visitar o Museu.

sábado, dezembro 09, 2017

Porque hoje é Sábado...

Foi a 8 de Dezembro de 1930, que Florbela Espanca decidiu terminar a sua vida, com 46 anos.

ALENTEJANO


Deu agora meio-dia: o sol é quente
Beijando a urze triste dos outeiros.
Nas ravinas do monte andam ceifeiros
Na faina, alegres, desde o sol nascente.

Cantam as raparigas, brandamente,
Brilham os olhos negros, feiticeiros:
E há perfis delicados e trigueiros
Entre as altas espigas de oiro ardente.

A terra prende os dedos sensuais
A cabeleira loira dos trigais
Sob a bênção dulcíssima dos Céus.

Há gritos arrastados de cantigas...
E eu sou uma daquelas raparigas...
E tu passas e dizes: «Salve-os Deus!»

Florbela Espanca /Livro de Soror Saudade (1923)

sexta-feira, dezembro 08, 2017

Cânticos de Natal no Mucifal

Hoje, o Coro da Associação de Idosos, Pensionistas e Reformados do Mucifal, AIPRM, interpretaram Cânticos alusivos ao Natal, na Capela Nª Senhora da Dores.
Fotos de Sexta-feira 08/12/2017

Previsto inicialmente para acontecer ao ar livre - mas, derivado das condições do tempo, foi realizada a actuação do Coro, no interior da Capela. A mudança permitiu, devido às condições acústicas da Capela, uma intervenção  do coro em óptimas condições.


quinta-feira, dezembro 07, 2017

Efeméride - Sintra Património da Humanidade

,A Câmara Municipal de Sintra disponibilizou o sítio “Paisagem Cultural de Sintra”, que segundo a autarquia é; "uma ferramenta que espelha o trabalho de investigação sobre o nosso património, no âmbito do vigésimo segundo aniversário da elevação de Sintra a Património da Humanidade, na categoria de Paisagem Cultural, que se comemora hoje, dia 6 de dezembro."

"Foi o primeiro sítio inscrito pela UNESCO como Paisagem Cultural, sendo o valor universal desta paisagem reconhecido, desde então, como uma abordagem pioneira ao paisagismo romântico, cujos elementos-chave são os parques e monumentos que desenham, por si só, uma linha histórica do tempo."
ITexto. da CMS
O sítio está disponível em http://paisagemcultural.cm-sintra.pt

Em 2013, foi produzido o vídeo que publicamos hoje:


“Elevada a Paisagem Cultural do Património da Humanidade durante a 19ª Sessão do Comité da UNESCO, ocorrida a 6 de Dezembro de 1995, Sintra é um imenso livro aberto cheio de imagens do Passado, emolduradas numa Natureza fascinante.”
 “Sintra património mundial” da CMS