quinta-feira, abril 25, 2019

O 45º aniversário do 25 de Abril de 1974

"E livres habitamos a substância do tempo"

Na madrugada de 25 de Abril de 1974, durante a parada da Escola Prática de Cavalaria (EPC), em Santarém,  Salgueiro Maia proferiu o célebre discurso: "Meus senhores, como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos. Ora, nesta noite solene, vamos acabar com o estado a que chegámos! De maneira que, quem quiser vir comigo, vamos para Lisboa e acabamos com isto. Quem for voluntário, sai e forma. Quem não quiser sair, fica aqui!

*
Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo
Sophia de Mello Breyner Andresen

quarta-feira, abril 24, 2019

Amanhã comemora-se o 25 de Abril!


Na madrugada de 25 de Abril de 1974, durante a parada da Escola Prática de Cavalaria (EPC), em Santarém,  Salgueiro Maia proferiu o célebre discurso: "Meus senhores, como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos. Ora, nesta noite solene, vamos acabar com o estado a que chegámos! De maneira que, quem quiser vir comigo, vamos para Lisboa e acabamos com isto. Quem for voluntário, sai e forma. Quem não quiser sair, fica aqui!


segunda-feira, abril 22, 2019

25 de Abril com concerto musical no terreiro do Palácio da Vila

 Os concertos de música ao vivo vão regressar ao terreiro do Palácio da Vila de Sintra no próximo dia 25 de abril, às 20h00. Os Real Companhia, de Fernando Pereira, vão recordar algumas das músicas que marcaram o dia da Liberdade há 45 anos. O Terreiro Rainha Dona Amélia, do Palácio Nacional de Sintra, é palco para o Concerto da Liberdade, com Fernando Pereira e convidados, e com entrada livre. Rogério Charraz, Sebastião Antunes e Joana Amendoeira estão entre os convidados do concerto que terá o Castelo dos Mouros iluminado com a cor dos cravos da revolução.
Fonte CMS

sábado, abril 20, 2019

A tradição obriga à apanha do Mexilhão

 A apanha de Mexilhão, como  é tradicional na Sexta-feira Santa,  fez com que muitos habitantes das zonas do litoral Sintrense,  se dedicassem à actividade da apanha do apreciado bivalve, na manhã do feriado
Uma prática não isenta de riscos, obrigando nos nossos tempos a algum equipamento apropriado.
Fotos no Mindelo/ Praia das Maçãs


Fotos em 19/04/2019
Mindelo /Praia das Maçãs. local que obriga a grande actividade fisica.


quinta-feira, abril 18, 2019

Sobre a Capela da Peninha

"Eminente ao mar na mesma Costa está a ermida de Nossa senhora da Peninha, situada sobre um rochedo, o qual por ser inferior em grandeza relativamente áquelle em que se edificou o Convento da Pena se chamou da Peninha.(...)"
Visconde de Juromenha- "Cintra Pinturesca" 1838
"(...)No tempo do Cardeal Rei, pelos annos de 1579, acudiram a venera-la (imagem da N.Senhora da Penha) muitos povos como Collares, Cintra, Cascaes, e de todos aquelles logares circumvizinhos até o Milharado(...) "
Visconde de Juromenha-Cintra Pinturesca, 1838

Em 1850 a propriedade da peninha foi vendida ao Dr.José Maria Rangel de Sampaio.1873 – Passa para a posse da Universidade de Direito de Coimbra. 1918 –Palácio construído por António Augusto de Carvalho Monteiro e projectado por por Júlio Fonseca. 1991-Comprado pelo Serviço Nacional de Parques, Reservas e Conservação da Natureza por 90.000 contos, sendo 70% financiado por programa comunitário ENRIREG.

Junta Freguesia de Colares

"Este conjunto histórico engloba a Ermida de São Saturnino e a Capela de Nossa Senhora da Penha. Foi fundado por Frei Pedro da Conceição, nos finais do sec XVI, e o seu interior barroco, inclui um conjunto de páineis de azulejos azuis e brancos do início do sec.XVIII, representando cenas da vida da Virgem. Junto à capela existe uma residência romântico-revivalista mandada construir em 1918 pelo mecenas António Carvalho Monteiro."
CMS
A meio caminho entre Sintra e o litoral, entre os 300 e os 490 metros de altitude, sujeita a fortes ventos marítimos, a Peninha é uma janela panorâmica sobre a quase totalidade do Parque Natural Sintra-Cascais avistando-se a orla costeira do Cabo espichel até ao Cabo Carvoeiro. O conjunto edificado que aqui se encontra inclui a Ermida de São Saturnino, do Séc.XXII, e a Capela da Peninha, erguida por devoção popular no sécXVI e classificada como de interesse público. PNSC


quarta-feira, abril 17, 2019

Notas sobre a antiga Escola Primária de Colares

A antiga Escola Primária Oficial de Colares, projecto do arquitecto Adães Bermudes, de 1898, foi erigida nos primeiros anos do século XX, num terreno doado para o efeito pelo Visconde de Monserrate, em 1903 conforme lápide existente no local.

«As escolas projectadas por Adães Bermudes ficaram conhecidas por “gaiolas de grilos”, fundamentalmente por defender maior amplitude de espaços e a redução do número de alunos por turma.» No caso da escola de Colares ela tem só uma sala de aulas, houve internamente “uma valorização da habitação do professor, compreendendo a sala de jantar e cozinha, ambas situadas no rés-do-chão, e os quartos do primeiro andar em contraponto com a falta de ambientes especializados para a diversificação de actividades pedagógicas, estando estas centradas na sala de aula.”


No exterior, “Bermudes opta por fazer uso de elementos de cerâmica nos vãos de janela e portas, por forma a dar alguma dinamização à fachada - diga-se algo modesta dados os rigorosos limites financeiros impostos para a consecução do projecto – recorrendo ainda ao campanário.”

Hoje o espaço da antiga Escola Primária, tem sido ocupada por uma Associação de Escoteiros.

*Fonte utilizada: "Sintra Escolas e Memória" ed. Sta. Casa da Misericórdia de Sintra

segunda-feira, abril 15, 2019

18 de Abril – Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

18 de abril – Dia Internacional dos Monumentos e Sítios


 – No próximo dia 18 de abril, para celebrar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, o Palácio Nacional de Queluz vai estar aberto à noite. As visitas, que incluem também o acesso ao Jardim de Malta e ao Jardim Pênsil, são gratuitas e decorrem entre as 20h00 e as 00h00, sendo a última entrada às 23h30. O evento tem uma capacidade limitada a 2.800 pessoas e exige inscrição prévia.

Abertura noturna gratuita do Palácio Nacional de Queluz - Entrada livre mediante inscrição prévia (limite 2800 pessoas) - Visita abrange o Palácio, o Jardim Pênsil e o Jardim de Malta - Iniciativa decorre das 20h00 às 00h00 (última entrada 23h30) Sintra, 8 de abril de 2018.

Fonte PSML