domingo, fevereiro 18, 2018

Protecção Civil, ICNF, CMS e Comandante dos Bombeiros Voluntários de Almoçageme de acordo com os abates no Parque Natural Sintra-Cascais

Notícia de hoje no D.N. confirma acordo da Protecção Civil de Sintra, da C.M.S , ICNF e do Comandante dos Bombeiros de Almoçageme, para o plano de abates de árvores no Parque Natural Sintra Cascais.
Foto em 30/01/2018
Em Janeiro verificámos novas marcações nas árvores, a partir da Lagoa azul até à estrada florestal entre a Malveira da Serra e o cruzamento da Portela.
Foto em 30/01/2018
O  DN esclarece que o relatório da Protecção Civil de Sintra admite que a intervenção" (370 árvores na serra de Sintra, a maioria pinheiros, mas também cedros e acácias"), que se trata "de uma remoção maioritáriamente de pinheiros que se encontram no fim do seu ciclo de vida". Embora as fotos que publicamos não o demonstrem.
Pinheiros jovens também marcados fotos em 30/01/2018

O DN, indica também que "o corte das 370 árvores foi objecto de parecer do comandante dos Bombeiros Voluntários de Almoçageme, que considerou "relevantes as medidas do ICNF, mas referiu que as acções de remoção, só por si não anulam a ocorrência deste tipo de incêndios florestais", apesar da "mitigação do risco"

É esclarecido também na notícia, que "para o comandante, no entanto, o ICNF deve também intervir no "lado oposto do perímetro florestal, em frente à Penha Longa, onde existem àrvores de grande porte com continuidade nas copas".

Foto em 30/01/2018, em frente à Penha Longa a Lagoa Azul...

E a terminar a notícia, mais um esclarecimento:"uma fonte oficial da Câmara Municipal de Sintra, disse à LUSA que presidente da autarquia, Basilio Horta (PS), "concorda com as conclusões e procedimentos adotados pela Protecção Civil Municipal"

https://www.dn.pt/lusa/interior/protecao-civil-de-sintra-estima-corte-de-370-arvores-na-serra-9125574.html
Posts relacionados:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2017/11/bloco-de-esquerda-questionou-o-governo_23.html

http://riodasmacas.blogspot.pt/2018/01/abate-de-arvores-no-pnsc-2-round.html

Notícia sobre a torre do Cabo da Roca com aviso à navegação


"O MAI conclui, que não se afigura possivel uma alteração do local de implantação"
Numa notícia do Jornal da Região de 15 a 21 de Fevereiro de 2018 - que ilustra com uma foto do "Rio das Maçãs".
Contrapõe a Assembleia Municipal de Sintra, que considerou que  a estrutura abre "uma profunda cicatriz na paisagem, visivel a quilómetros de distância, desvirtuando um local que recebe milhares de visitantes todos os dias".

sábado, fevereiro 17, 2018

Porque hoje é Sábado...

SPedro1970f

Este é o tempo


Este é o tempo
Da selva mais obscura

Até o ar azul se tornou grades
E a luz do sol se tornou impura

Esta é a noite
Densa  de chacais
Pesada de amargura

Este é o tempo em que os homens renunciam.

Sophia de Mello Breyner
in Mar Novo
 
*Foto Largo D.Fernando II- S.Pedro de Sintra, anos 70

quinta-feira, fevereiro 15, 2018

Postal de Almoçageme

 Postal dos anos 60

 Miguel Esteves Cardoso, no jornal Público:
http://www.publico.pt/sociedade/noticia/almocageme-1628866

"Almoçageme
20/03/2014
A nossa terra devolve-nos ao tempo que é o nosso.
Em Almoçageme as fantasias são tratadas com doses terapêuticas de caridade. O espírito da aldeia – a bondade e a sabedoria em pessoa – é a Maria, casada com o senhor Amorim do Café Moínho Verde. Ela é energia; inteligência e generosidade. É um ser superior que gosta dos outros: é ela que trata dos pombos do largo, dos gatos, dos cães e de todos os outros bichos que têm mais azar do que nós.

As pessoas de Almoçageme são boas amigas da verdade. Odeiam a hipocrisia e a conversa de chacha. Dizem o que lhes vai na alma. Mas falam sempre com empatia; com delicadeza perante os recém-chegados, como nós.

As conversas que ouço são sempre lições amistosas: ensinam-me a ser humano. O sentido de humor é magnífico: a Dona Palmira, uma senhora que encontro no Eles e Elas do Senhor Cesaltino e da Dona Ana, é uma maravilha constante.

Esta aldeia é uma aldeia a sério. Ensina-nos a viver. Não exclui os que cá chegam. Aprende-se a dar valor à vida. Já não é pouco. É mais.

Ontem a Maria ralhou comigo por dizer mal do mês de Março que tinha mudado para frio e cinzento, afirmando com a razão dos séculos e da ciência, que "o mês de Março é mesmo assim".

É verdade que falta muito Março; que ainda vem aí Abril e que Maio nunca é tão bom como se pensa.

A nossa terra devolve-nos (reúne-nos, se alguma vez estivéssemos ligados) ao tempo que é o nosso.

Nós agradecemos. É a nossa sorte vivermos em Almoçageme. Morarmos cá é uma reles questão secundária.

Obrigados, Almoçageme!"

Participação:
 *Foto do Rio das Maçãs, no acesso ao quartel do Bombeiros Voluntários de Almoçageme

quarta-feira, fevereiro 14, 2018

O namoro do casal de patos mandarim no rio das Maçãs

 Hoje reencontrámos o casal de patos mandarim, que já cá tinha estado em Outubro passado - e talvez porque o clima do dia de S.Valentim, os influenciasse, demonstraram estar muito bem dispostos e brincalhões como dois namorados.
Momentos no rio das Maçãs, com o pato mandarim a tentar chamar as atenções, com grande agitação.
A dança do casal mandarim, observada pelos patos reais com indiferença

Fotos em 14/02/2018
Regresso à tranquilidade, após as brincadeiras amorosas, que agitaram as calmas águas do rio das Maçãs, nesta tarde do dia dos namorados.

http://riodasmacas.blogspot.pt/2017/10/patos-mandarim-de-visita-ao-rio-das.html

terça-feira, fevereiro 13, 2018

Uma tarde no corso carnavalesco do MTBA

O Grupo União Recreativo e Desportivo MTBA organizou mais uma vez  o tradicional  carnaval, entre  na sede da coletividade e pelas ruas das aldeias envolvidas na organização – Magoito, Tojeira, Bolembre e Arneiro dos Marinheiros. Hoje terça-feira de carnaval, com o tempo a ajudar, realizou-se o cortejo de carnaval das 4 aldeias.
Este ano também com a presença de um numeroso grupo de Samba de Cabriz.
 Momentos desta tarde
Fotos em 13/02/2018
Momentos do desfile
África presente no Magoito
O Grupo União Recreativo e Desportivo MTBA organizou o tradicional carnaval, entre 10 e 13 de Fevereiro,

Limpeza obrigatória de terrenos até 15 de Março

Os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham parcelas em solo rústico, confinantes a edifícios, são obrigados a proceder à gestão de combustível, numa faixa de 50 m à volta dos edifícios, medida a partir da alvenaria exterior, de acordo com o disposto no Anexo do Decreto-Lei n.º 124/2006, de 28 de junho, na redação em vigor.
Foto  de um aviso num terreno em Janas


A Câmara Municipal de Sintra  está a desenvolver, uma campanha de sensibilização dos proprietários de terrenos para a obrigatoriedade de limpeza destes espaços até 15 de Março, numa faixa de largura até 50 metros à volta de habitações, estaleiros, armazéns, oficinas, fábricas ou outros equipamentos, medida a partir da alvenaria exterior da edificação.

 A CMS pretende assim contribuir para a prevenção dos incêndios florestais e informar os munícipes para os comportamentos de risco, regras que deverão ser cumpridas e as coimas que os mesmos incorrem caso não cumpram com o estipulado na legislação em vigor sobre esta matéria, cujo valor pode ascender até os 120 mil Euros.



Legislação aplicável:

segunda-feira, fevereiro 12, 2018

Assembleia Municipal de Sintra está contra a reinstalação de torre de 45m no Cabo da Roca

Foto do Farol do Cabo da Roca em 22 de Janeiro de 2018, sem a torre - derrubada pela tempestade ANA.

A Assembleia Municipal de Sintra está contra a reinstalação da torre de comunicações do Sistema Integrado de Vigilância, Comando e Controlo da costa portuguesa (SIVICC) junto ao farol do Cabo da Roca, que implicaria reconstrução de uma estrutura de 45 metros de altura que fere a beleza da paisagem e desfigura um dos ex-libris da costa Sintrense.

A Assembleia Municipal reivindica ainda  que o Ministério da Administração Interna estude alternativas de localização, procurando compatibilizar os compromissos assumidos pelo governo com a salvaguarda da paisagem e do património.


A iniciativa do Bloco  de Esquerda, foi aprovada pelo BE, PS, CDU, MPT e PAN, contando com a abstenção de PSD e votos contra do CDS.

Posts relacionados:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2017/02/cabo-da-roca-torre-metalica-e-o-estado.html

http://riodasmacas.blogspot.pt/2018/01/farol-do-cabo-da-roca-depois-da.html

domingo, fevereiro 11, 2018

Memorial da antiga Banda da Vila de Sintra


"Uma foto da última vez que a Banda Filármónica da Sociedade União Sintrense, saiu pelas ruas de Sintra, nos anos 80 do Século passado (...).
Muitos já não se lembram da sua existência mais que centenária, eu recordá-la-ei, sempre com muita saudade. Acabou por falta de substitutos dos velhos músicos que entretanto iam ficando impossibilitados de andar e tocar, ou que morriam, e também porque a Vila Velha, deixou de ter pessoas dentro das casas.
ISTO É UM MEMORIAL DA ANTIGA BANDA DA VILA, como sempre foi conhecida no meio musical Sintrense.
Á sua frente e a dirigi-la o Mestre Vasco Mendes Serra."

Texto adapt. da autoria de Carlos José Paulo Santos(Caínhas)
Foto original/Caínhas