quarta-feira, janeiro 16, 2019

António José Soares fornecedor da Real Ucharia de Cintra (reedição)

Quem vai para o mar abastece-se em terra

Para se concretizar  a fuga para o exílio da familia real , motivada pelo avanço das forças do movimento revolucionário em  Outubro de 1910, que  viria a provocar a queda do regime monárquico - foi necessário com urgência, reunir os elementos da família em Mafra. D.Amélia encontrava-se em Sintra e D. Maria Pia na  sua vila do Estoril, D.Manuel II no Palácio Real das Necessidades, enquanto o infante D.Afonso partira de Belém a bordo do iate Amélia - além de reunir a família, havia que adquirir alguns mantimentos para uma viagem marítima sem destino certo.


A escolha recaíu no  habitual fornecedor sintrense da Real Ucharia de Cintra, a Mercearia  e Tabacos de António José Soares, conforme  prova factura que hoje publicamos de 4 de Outubro de 1910.

Legenda:1º factura compras efectuadas em 4 de Outubro de 1910 - 2ª factura de data anterior fornecimentos  da Mercearia e Tabacos de  António José Soares, durante a vigência de D.Maria Pia avó de D.Manuel II.


Ericeira,Praia dos Pescadores, 5 de Outubro de 1910, no momento do embarque no Iate  Amélia, com   Gibraltar como destino.


Com a família real seguiu uma pequena corte  de exilados voluntários que a continuaram a servir. O Marquês de Soveral, os Condes de Figueiró, o Conde de Galveias, os Duques de Palmela, os Marqueses de Lavradio entre outros.




A família real partiu para o exílio a bordo do iate Amélia. Ainda se pensou seguir para o Porto, mas a proclamação da República em Lisboa fez seguir a familia para Gibraltar

Saber mais sobre a fuga para o exílio da família real:
 http://riodasmacas.blogspot.pt/2008/10/proclamao-da-repblica.html



terça-feira, janeiro 15, 2019

Perdidas na Serra de Sintra


via Jornal de Notícias:
As duas turistas, de nacionalidade francesa, que estavam desaparecidas na serra de Sintra, desde as 18 horas desta terça-feira, foram localizadas e resgatadas, cerca das 20.30 horas, por efetivos da GNR e dos Bombeiros de São Pedro de Sintra.
O jornal digital Cascais24, que cita fonte do Comando Territorial da GNR de Lisboa, afirma que uma das turistas apresenta ferimentos numa das pernas.
A operação de resgate não foi isenta de dificuldades, acrescenta o jornal online.

segunda-feira, janeiro 14, 2019

O Museu Arqueológico de S.Miguel de Odrinhas com número record de visitantes em 2018

Dr. Cardim Ribeiro  fazendo a apresentação  do Museu ao  Presidente Marcelo Rebelo de Sousa numa visita ao Museu

Mais de 18 mil pessoas visitaram o Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas, no ano de 2018, registando assim o maior número de visitantes desde que foi inaugurado, um aumento de 102% relativamente ao ano anterior.
Na exposição permanente «Livro de Pedra» contam-se cerca de dois milénios de história a partir das inscrições e dos elementos decorativos presentes nas dezenas de monumentos pétreos, que integram sete salas temáticas e cronologicamente organizadas: “Cripta Etrusca”, “Basílica Romana”, “Igreja Visigótica”, “Cronos Devorator”, “Necrópole Medieval”, “Gabinete Lapidar” e “Fines”.
De momento está patente a exposição temporária “Agricultores e Pastores da Pré-História – Testemunhos da Região de Sintra” que conta com mais de 500 objetos e testemunha a densa ocupação humana em Sintra durante a Pré-história e apresenta, pela primeira vez ao público, alguns dos mais significativos conjuntos desde meados do sexto milénio (Neolítico antigo) até finais do terceiro milénio A.C. (Calcolítico final).Esta exposição foi inaugurada em Março de 2018, pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Fonte do texto do post retirado daqui

sábado, janeiro 12, 2019

Miradouro das Azenhas do Mar com limitação de acesso automóvel

«O miradouro sul das Azenhas do Mar, na freguesia de Colares, vai ser requalificado, com limitação do acesso automóvel e criação de um espaço de estacionamento nas proximidades, informou a Câmara de Sintra. “A intervenção visa requalificar o miradouro sul das Azenhas do Mar, um local de grande valor paisagístico e turístico”, salienta uma nota da autarquia do distrito de Lisboa.
A empreitada de requalificação, que teve início na quinta-feira, está orçada em 162 mil euros e prevê a “supressão do acesso automóvel livre, reservando-se o espaço central do miradouro para pessoas que se deslocam a pé e para ciclistas”, sublinha o presidente da câmara, Basílio Horta (PS), citado no mesmo comunicado.»
Retirado daqui.

quinta-feira, janeiro 10, 2019

Ponte romana da Catribana

Hoje visitámos de novo a ponte romana de Catribana, que neste momento tem em conservação a calçada romana que ainda existe no prolongamento da ponte.

Fotos em 10 de Janeiro de 2019

"O conjunto formado pela ponte e calçada romanas da Catribana levaria a uma via de maiores dimensões, que vinda do norte junto à costa e percorrendo os campos da zona da Assafora, inflectiria daqui para o termo de Montelavar, seguindo depois para Olisipo (Lisboa)".

Post relacionado:
https://riodasmacas.blogspot.com/2017/04/visita-ponte-romana-da-catribana.html

quarta-feira, janeiro 09, 2019

Sobre a Quinta dos Lagos e a Escola do Morais em Sintra (reedição)

Por gentileza de M.C.Gomes, publicamos na sequência do post de ontem, um desenho (planta e fachada principal), da casa de Fernando Formigal de Morais na Quinta dos Lagos, (publicado no Anuário da Sociedade dos Arquitectos Portugueses,ano III) - primeiro presidente da Câmara de Sintra, após a implantação da República em 1910. Também seu pai Domingos José de Morais, está ligado à história de Sintra, é desse perfil que tratamos hoje.

Domingos José de Morais, começando a trabalhar muito novo, aos catorze anos, conseguiu quatro anos depois estabelecer-se por conta própria. Com o resultado do seu trabalho conseguiu arranjar grande fortuna. Homem bem conhecido pelo seu sentimento filantropo, e imbuído pelo espírito republicano, patrocinou diversas obras de cariz social pelo país , além de a si chamar a dinamização da construção da escola, que viria a receber o seu nome em Sintra.
Domingos José de Morais

A escola iniciada no último período da monarquia, e terminada em 1910, foi desde logo associada à causa republicana, tendo o próprio Domingos José de de Morais oferecido o edifício à administração municipal. Nessa escola existia uma banda de música denominada a “Banda da Escola do Morais” formada pelos seus jovens alunos, que se estreou em 24 de Junho de 1911.
A escola de Domingos José de Morais nos inícios do Séc.XX (Foto de António Portugal,arq.Fot.CML)

Domingos José de Morais, nasceu em Areosa (Viana do Castelo) no dia 2 de Novembro de 1846 e faleceu em Lisboa a 28 de Novembro de 1903. Domingos José de Morais era pai de Fernando Formigal de Morais, o primeiro Presidente da Câmara de Sintra, depois da implantação da República.
A escola actualmente

Post relacionado:

-Sobre a Quinta dos Lagos em Sintra -aqui
-Curiosidades de Sintra antiga-aqui
-Casa do primeiro Presidente da Câmara de Sintra-aqui
-Quinta dos Lagos-aqui




Fontes :
Obras de José Alfredo Azevedo
Sintra- Escolas memória I ed. da Misericórdia de Sintra.

segunda-feira, janeiro 07, 2019

Biblioteca do Convento de Mafra uma das mais bonitas do Mundo

O "The World's Most Beautiful Libraries" (Taschen,2018), convida à viagem os bibliófilos - e há três bibliotecas portuguesas referidas nesta obra trilingue, (inglês,alemão e Francês): A Biblioteca do Real Gabinete de Leitura no Brasil, a Biblioteca Joanina, em Coimbra e a Biblioteca do Convento de Mafra.
Por esse motivo publicamos hoje  um post do blog de 2017, sobre a Biblioteca do Convento de Mafra que visitámos em 2016.
MafraBiblioteca202072016blog.jpg
O Palácio Nacional de Mafra  mandado construir por D.João V (1689/1750) na primeira metade do século XVIII é, a todos os títulos um edifício notável. O monumento é, com a sua Biblioteca, com os seus Seis Órgãos e com os seu dois imponentes Carrilhões um dos mais importantes Monumentos Barrocos.
MafraBiblioteca3b02072016blog.jpg
A biblioteca do Palácio Nacional de Mafra é uma das mais importantes bibliotecas europeias do século XVIII, com cerca de 30.000 volumes. Cruciforme, possui um pavimento em mármore policromo e estantes rocaille. Verdadeiro repositório de obras-primas, abrange todas as áreas do saber iluminista cientifico e religioso.Destacam-se os Livros de Horas iluminados do séc XV, a colecção de incunábulos e um núcleo de partituras musicais destinadas aos seis órgãos da Basilica.
in Palácio Nacional de Mafra/D.G.do Património Cultural
MafraBiblioteca402072016blog.jpg
Fotos  no Palácio Nacional de Mafra em 2 de Julho de 2016

Saber mais:
http://www.revistaport.com/mafra-tem-a-biblioteca-mais-deslumbrante-do-mundo/

“É encantadora e magnífica”, lê-se no artigo. E o que a torna ainda mais impressionante são as técnicas com que é feita a preservação dos livros e como os protegem de serem danificados por insectos. Há 500 morcegos dentro daquela biblioteca. Durante o dia, estes ficam guardados dentro de caixas, mas à noite são libertados para se alimentarem dos insectos que por ali andam. Ao todo, chegam a comer o dobro do seu próprio peso em insectos, havendo também lendas de ratazanas gigantes que, à noite, saem da biblioteca por um túnel subterrâneo que a liga a uma zona pesqueira nas imediações."

Fotos de exemplares de morcegos da Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra em 2/07/2016
Post relacionado:
https://www.publico.pt/2019/01/07/culturaipsilon/noticia/ha-tres-bibliotecas-portuguesas-bonitas-mundo-brasil-1856766