terça-feira, novembro 13, 2018

Visita às árvores com a classificação de Interesse Municipal em Sintra

No próximo dia 17, venha conhecer de perto os lódãos (Celtis australis L.), as tílias (Tilia x vulgaris Hayne) e  a  tília tomentosa e os 12 freixos (Fraxinus angustifólia), todas estas árvores classificadas de Interesse Municipal pela Câmara Municipal de Sintra. 
O Grupo dos Amigos das Árvores de Sintra, um grupo de pessoas, indignadas com o que aconteceu  recentemente ao “Freixo” (árvore classificada), na Alameda dos Combatentes da Grande Guerra, e preocupadas com preservação do património arbóreo sintrense, decidiram  organizar  uma visita às árvores classificadas de interesse municipal, guiada pelo Engº  Rui Queirós do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).
 : https://www.facebook.com/events/354107725335021/

Após o abate de duas árvores classificadas no jardim da Correnteza, a CMS plantou no fim de semana  novas árvores no local. Abates como consequência de podas mal feitas, e de não serem tomadas medidas sugeridas  pela ADPS, (Associação de Defesa de Património Sintrense), para as manter  como parte integrante da paisagem daquele local nobre de Sintra.(Foto de M.Clara Gomes)
(Foto de M.Clara Gomes)

«Não é raro vermos numa praça pública abater-se sem protesto uma árvore. É até vulgar! … Quando a árvore começa a ser bela, esgalhada e enorme, cheia de ruídos e de sombra, surge o vereador e corta-a, sem imaginar , sequer, que mais vale um simples e humilde plátano do que um conselheiro de Estado (…) Faz mais diferença à natureza o assassinato de uma grande árvore, que dá sombra e frescura, que tem a alta missão de purificar a atmosfera, do que a morte de meia dúzia de conselheiros de Estado gravíssimos e calvos». 

(um excerto de um artigo “Maio”, de Raul Brandão, publicado em 16 de Maio de 1901 ‘Revista Brasil-Portugal’).

Créditos:
Artigo de Raul Brandão - num post de Emilia Reis
Fotografias de M.Clara Gomes

segunda-feira, novembro 12, 2018

Momentos Zen na Praia Grande


Uma visita de Outono à Praia Grande
Fotos desta tarde, com um grupo de visitantes não habitual, mas alegre e satisfeito decerto, com a beleza que a natureza brindou o local e com uma tarde com sol luminoso -  como é costume, nestes dias de  Outono sintrense.

,As bases das tradições e práticas budistas, são as Três Joias: o Buda (como seu mestre), o Dharma (ensinamentos baseados nas leis do universo) e a Sangha (a comunidade budista).[ Encontrar refúgio espiritual nas Três Joias ou Três Tesouros é, em geral, o que distingue um budista de um não budista. Outras práticas podem incluir a renúncia convencional de vida secular para se tornar um monge (sânscrito/páli: bhikkhu) ou monja (sânscrito/páli: bhikkhuni).

Fonte Wikipédia (adapt.)

domingo, novembro 11, 2018

A lenda de S. Martinho


No dia de S.Martinho
, come-se castanhas e bebe-se vinhoMartinho era um soldado romano ,valente e valoroso, que regressava de Itália para a sua terra em França.Na viagem, cruzou-se com um mendigo que tremia de frio, devido à chuva que caía com intensidade. Sentindo piedade daquela alma que lhe pedia esmola,Martinho não hesitou em partilhar a sua capa militar. Pegou na espada e cortou a capa ao meio.Quando se preparava para seguir viagem, a chuva parou de cair, as nuvens fugiram e o sol começou a brilhar.Assim ficou durante três dias.Diz-se que foi recompensa divina. A tradição mantém-se e por isso se fala no verão de S.Martinho, para lembrar que as boas acções não se devem esquecer.A ligação de S.Martinho e deste episódio às castanhas faz-se porque, quer a morte do Santo, quer a lenda,terão ocorrido em Novembro, a época das castanhas e da prova do vinho novo.


sábado, novembro 10, 2018

Porque hoje é Sábado...


 Pedido de pão por Deus ainda é tradição no 1 de Novembro
Transcrição de uma reportagem  da TSF/ Sandra Pires)

Segundo o sociólogo Moisés Espírito Santo, a tradição do pedido do pão por Deus começa a misturar-se com o Halloween, em particular nas cidades.

Nas zonas rurais portuguesas, o  feriado do 1 de Novembro é aproveitado para se fazer o pedido do pão por Deus, uma comemoração onde os mais novos andam de porta em porta vestidos a rigor, como manda a tradição.
Ouvido pela TSF, o sociólogo Moisés Espírito Santo explicou que «as mamãs preparam-nos muito bem para andar na rua, muito bem vestidinhos, com uma saquinha muito bem arranjadinha para aquele efeito, mas nada de mascarados».
«Andam muito seriozinhos, muito sossegadinhos e preparadinhos para aquele diz de festa», acrescentou este sociólogo sobre esta comemoração numa altura em que se começa a arraigar a tradição do dia das Bruxas na cultura portuguesa.
Por esta razão, é já «costume a garotada subir aos prédios e aos andares com uma abóbora furada em forma de caveira com uma vela dentro acesa e pedem 'bolinho, bolinho, que é para as almas'».
«É uma mistura da festa das Bruxas, do Halloween e isto é próprio da cidade. Mas a tradição popular portuguesa tem a ver com a tradição de dar bolos secos e frutos secos a quem ajudou as colheitas», acrescentou.
Pão, broa, bolinhos, frutos secos e, mais recentemente chocolates, são as oferendas habituais, sendo que a quem não dá nada não lhe é rogada nenhuma praga, uma tradição que aos poucos vem perdendo força.
«Enquanto o costume era dos adultos era fácil transmitir, mas estando nas mãos da garotada tende a desaparecer, porque, às vezes, não funciona e os pais não encorajam, porque acham que é pedinchice», adiantou.
Moisés Espírito Santo notou mesmo que na região de Leiria houve mais crianças envolvidas nesta tradição no ano passado do que neste ano.
http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1700539&page=-1

  Também faz parte da tradição do Dia de Todos os Santos, o fabrico dos  "Bolos dos Santos", um bolo tradicional desta época nas localidades dos Concelhos de Mafra e Torres vedras. Associámos na imagem o vinho de Colares.
*. Em algumas povoações da zona centro e estremadura chama-se a este dia o ‘Dia dos Bolinhos’ ou ‘Dia do Bolinho’. Os bolinhos típicos são especialmente confecionados para este dia, sendo à base de farinha e erva doce com mel (noutros locais leva batata doce e abóbora) e frutos secos como passas e nozes.


quinta-feira, novembro 08, 2018

O regresso da Garça real da Várzea de Colares

Nos últimos dias temos tido a sorte de conseguir fotografar a Garça da Várzea de Colares, por duas vezes, facto que não conseguiamos registar desde 1 de Agosto. O seu regresso poderá ser o sinal de regresso ao seu habitat de eleição - já que o actual caudal do rio da Maçãs, vai permitir-lhe voltar às suas pescarias.


Em 31 de Outubro de 2018
Em 8 de Novembro de 2018

Post relacionado:
http://riodasmacas.blogspot.com/2018/08/no-1-dia-de-agosto-voltou-o-calor-e.html

Nota sobre a não publicação de comentários de leitores no blogue nos últimos tempos


 Só hoje, por um e-mail que me foi enviado, verifiquei que havia vários comentários que não tinham sido publicados ainda. A razão detectada, terá sido  uma falha técnica, no envio automático do blogue para o meu e-mail, e que nos últimos tempos não  tem estado a acontecer, daí a minha falta de conhecimento da  existência de comentários para aprovar. Facto que peço desculpa.
 Neste momento activei o processo de publicação de comentários, esperando assim tentar repor embora com  bastante atraso em alguns assuntos, um  conjunto de comentários que por esse motivo estavam por publicar.

Mais uma vez as minhas desculpas
Pedro Macieira

terça-feira, novembro 06, 2018

Beatriz é o nome da depressão que chega agora


Informação especial
Comunicado válido entre 2018-11-06 19:04:00 e 2018-11-08 23:59:00
Assunto: Depressão BEATRIZ
No seguimento dos critérios de emissão estabelecidos, foi atribuído pela AEMET, o nome BEATRIZ a uma depressão centrada a noroeste das ilhas Britânicas, em 59ºN 28ºW às 12 UTC do dia 6 de novembro. 

Portugal Continental será afetado por uma superfície frontal fria de atividade moderada a forte associada a esta depressão, em especial as regiões Norte e Centro. Assim, para estas regiões, a passagem desta superfície frontal fria irá originar chuva persistente, que será por vezes forte entre o meio da tarde de dia 6 e a madrugada de dia 7. Prevê-se ainda queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela no final do dia 6, descendo a cota para 1200/1400 metros durante a madrugada de dia 7. 
O vento será moderado a forte no litoral, com rajadas até 80 km/h, e forte nas terras altas, com rajadas que serão da ordem de 100 km/h. A região Sul terá períodos de chuva a partir do final do dia 6 e a manhã de dia 7. O vento será moderado a forte, por vezes com rajadas até 80 km/h, no litoral e nas terras altas desta região. 

No dia 7, é esperado um aumento da agitação marítima em toda a costa ocidental do continente, com ondas de noroeste com 4 a 5 metros. 

A influência desta depressão em Portugal será sentida também em algumas das zonas marítimas de responsabilidade nacional. 

Para mais detalhes para a navegação marítima consultar: 
http://www.ipma.pt/pt/maritima/boletins/ 

Para mais detalhes sobre a previsão meteorológica para os próximos dias consultar: 
http://www.ipma.pt/pt/otempo/prev.descritiva/ 
http://www.ipma.pt/pt/otempo/prev.significativa
Data de edição: 2018-11-06 19:04:37
Ministério do Mar
Instituto Portugues do Mar e da Atmosfera, I.P. 
Rua C do Aeroporto de Lisboa
1749-077 Lisboa - Portugal
Tel.:(351)218447000
Fax.:(351)218402370
info@ipma.pt
http://www.ipma.pt

segunda-feira, novembro 05, 2018

XII Encontro de Bandas Filarmónicas do Concelho de Sintra

Encerrou-se ontem, o XII Encontro de Bandas Filarmónicas do Concelho de Sintra, que decorreu desde o dia 1 de Novembro no Pavilhão da União Mucifalense - na foto a Banda da Sociedade Filarmónica e Recreativa de Pêro Pinheiro, dirigida pelo maestro, João Aires Moreira da Silva.
No encerramento do Encontro de Bandas, a actuação da Banda da União Mucifalense, dirigida pelo maestro, João Panta Nunes.

Maestro João Panta Nunes, que actualmente dirige a Banda de Música da União Mucifalense e a  Banda de Música e Orquestra Ligeira da Sociedade Recreativa e Musical de Almoçageme.