sábado, novembro 18, 2017

Os 300 anos do Convento de Mafra

Comemorou-se no dia 17 de Novembro, o lançamento da primeira pedra do Convento de Mafra - motivo da reedição deste post.ConventoMafra120420112blogb.jpg
"Partimos para a semana, declarou Baltazar, e afinal ainda se passaram dois meses porque entretanto começou a constar em Mafra, e foi confirmado pelo vigário no sermão que vinha  el-rei a inaugurar a obra da raiz dos caboucos para cima, colocando com as suas reais mãos a primeiro pedra"
In Memorial do Convento/ José Saramago

Sobre os 300 anos do Convento de Mafra

Mandado construir por D. João V (1689-1750), em cumprimento de um voto para obter sucessão do seu casamento com D.Maria Ana de Áustria, ou a cura para uma grave enfermidade de que padecia, o Real Convento de Mafra é o mais importante monumento barroco português.
(...)
Construído em pedra lioz da região de Pêro Pinheiro e Sintra, o edifício ocupa uma área de 37.790m2, compreendendo 1200 divisões, mais de 4700 portas e janelas, 156 escadarias e 29 pátios e saguões.Sendo a maior "fábrica" do tempo, aqui trabalharam operários vindos de todo o reino, chegando a atingir cerca de 50.000 
Sala do trono
Basílica

"Estava Baltasar há pouco tempo nesta sua nova vida, quando houve a notícia de que era preciso ir a Pêro Pinheiro buscar uma pedra muito grande que lá estava, destinada à varanda que ficará sobre o pórtico da igreja, tão excessiva a tal pedra que foram calculadas em duzentas as juntas de bois necessárias para trazê-la e muitos homens que tinham que ir também para as ajudas. Em Pêro Pinheiro se construira o carro que haveria de carregar o calhau, espécie de nau da India com rodas, isto dizia quem já o tinha visto em acabamentos e igualmente pusera os olhos, alguma vez na nau da comparação."
in Memorial do Convento/ José Saramago
Foto em 2 de Julho de 2016

A biblioteca do Palácio Nacional de Mafra é uma das mais importantes bibliotecas europeias do século XVIII, com cerca de 30.000 volumes. Cruciforme, possui um pavimento em mármore policromo e estantes rocaille. Verdadeiro repositório de obras-primas, abrange todas as áreas do saber iluminista cientifico e religioso.Destacam-se os Livros de Horas iluminados do séc XV, a colecção de incunábulos e um núcleo de partituras musicais destinadas aos seis órgãos da Basilica.
in Palácio Nacional de Mafra/D.G.do Património Cultural
MafraBiblioteca402072016blog.jpg
Fotos  no Palácio Nacional de Mafra em 2 de Julho de 2016

Saber mais:
http://www.revistaport.com/mafra-tem-a-biblioteca-mais-deslumbrante-do-mundo/


nnnnnn
Concebido inicialmente como um pequeno convento para 13 frades, o projecto para o Real Convento de Mafra foi sofrendo sucessivos alargamentos, acabando num imenso edifício de cerca de 40.000 m2, com todas as dependências e pertences necessários à  vida quotidiana de 300 frades da Ordem de S. Francisco.

sexta-feira, novembro 17, 2017

Perigo de incêndios a partir de Sexta-feira

A Autoridade Nacional de Protecção Civil alertou para o perigo de incêndios a partir de sexta-feira e durante os "próximos dias", face a previsões de subida de temperatura e à seca que o continente atravessa.

Citando informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a Protecção Civil alerta para um "período de tempo seco e subida de temperatura, para valores acima da média para esta época do ano".
http://www.sabado.pt/portugal/detalhe/proteccao-civil-alerta-para-risco-de-incendios-com-subida-das-temperaturas
Periodo critíco de Incêndios até 23 de Novembro.
Guarda Nacional Republicana

Informamos que o período crítico vai vigorar até ao próximo dia 23 de novembro!
Durante este período é proibido nos espaços florestais e agrícolas:
- fumar, fazer lume ou fogueiras;
- fazer queimas ou queimadas;
- lançar foguetes e balões de mecha acesa;
- fumigar ou desinfestar apiários, salvo se os fumigadores estiverem equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;
- a circulação de tratores, máquinas e veículos de transporte pesados que não possuam extintor, sistema de retenção de fagulhas ou faíscas e tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés.
Quando fizer piqueniques, opte por levar comida já preparada e que não necessite de ser aquecida, uma vez que é proibida a realização de fogo para a sua confeção.
Contamos consigo!
Saiba qual o risco de incêndio para o seu concelho em http://goo.gl/gUhIO9.

Postal da Praia da Aguda

Aproveitando este Outono atípico, uma visita à Praia da Aguda, com um dia de muito Sol.
Com acessos reconstruídos, uma praia a visitar
Post relacionados:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2008/07/parque-natural-sintra-cascais-interdita.html

http://riodasmacas.blogspot.pt/2008/07/as-arribas-e-o-parque-natural-sintra.html

http://riodasmacas.blogspot.pt/2011/04/derrocada-na-arriba-na-praia-da-aguda.html

Fotos da Praia da Aguda em 16/11/2017

Texto da CMS
Sobre a reabilitação dos acessos em 2015
"Foram iniciados os trabalhos de reabilitação do acesso de Emergência à Praia da Aguda. 
A autarquia pretende, com esta obra, melhorar as condições de segurança necessárias para que a circulação pedonal seja possível em situações de socorro e salvamento.
A intervenção consiste na remoção da estrutura em madeira ali existente e em risco rotura, reconstrução de algumas fundações e colocação de novo passadiço/escadaria com guarda-corpos em toda a extensão.
Custo da obra: € 26.890,00 + IVA"

quinta-feira, novembro 16, 2017

Postal da Praia da Adraga


A Praia da Adraga uma das mais bonitas praias da nossa região foi considerada em 2003 uma das 20 melhores praias europeias, na opinião dos leitores e jornalistas do The Sunday Times, jornal britânico de grande circulação. Mas a Praia da Adraga surgia citada num honroso terceiro lugar , sendo a única praia portuguesa a aparecer na lista dos leitores do jornal inglês.

Para esta classificação (Agreste, selvagem, de um azul intenso....simplesmente bela) dos visitantes britânicos, que terão a mesma opinião dos muitos utilizadores daquele magnifico local, terá contribuido a beleza envolvente, como o rochedo em forma de arco que mergulha no mar, as falésias e a gruta. Na maré baixa pode-se passar para a Praia do Cavalo e subindo a falésia pode-se admirar o Fojo, uma cratera natural que permite observar o mar daquele ponto elevado ou a Pedra de Alvidrar, local preferido de pescadores.



"A Praia da Adraga, com um côncavo dourado de areia entre dois morros formidáveis. De um destaca-se uma pedra enorme caída no mar e o outro parece ser um monstro petrificado. O que aqui é mais interessante é o contraste entre as falésias cortadas a pique e a areia onde o mar banzeiro se espraia. O que aqui é admirável é a onda dum verde translúcido que se despedaça em rolos de espuma sobre as patas do monstro ante-diluviano.Do meio da praia a ilusão é perfeita. Vêem-se-lhe nitidamente a cabeça, os olhos, as ventas, o focinho aguçado, a boca enorme que mergulha na água- como se a fera sedenta tivesse descido há séculos da montanha e houvesse ficado ali a tragar o oceano para toda a eternidade."

Raul Proença -Guia de Portugal -Lisboa e arredores-Ed.1924

Fotos em 21/10/2017

quarta-feira, novembro 15, 2017

Postal de Colares antigo (Reedição)

Pelourinho2vaultimage.jpg

Várias fotos antigas do pelourinho de Colares chegaram até aos nossos dias - hoje publicamos mais um interessante registo (1926) do Arquivo Municipal de Sintra.

"Na exiguidade espaço da praça colarense que se concentram os edifícios e instituições indispensáveis à máquina administrativa do concelho (de Colares*) e da justiça. A casa da câmara e a cadeia ficaram no "castelo", ou seja, na estrutura de origem medieval, e, para isso, ter-se-ão procedido, talvez logo em 1516, a melhoramentos vários.
(...)
Ter-se-á, igualmente edificado em frente à Casa da Câmara, o elegante pelourinho ou «forca» - como é designado na gíria popular - que ainda hoje, domina o centro da pequena  "praça", símbolo de poder e de jurisdição e local de punição de criminosos. Desconhece-se, no entanto, se o pelourinho mantém a sua localização primitiva, porquanto duas das pedras do degrau inferior da plataforma - e prolongando-se sob a mesma - consistem em fragmentos de uma inscrição datável do seculo XVII, indicando que sofreu ulteriores trabalhos de beneficiação, embora em data incerta."

in "Colares"/Maria Teresa Caetano

*Nota do blog sobre o antigo Concelho de Colares extinto em 24 de Outubro de 1855, em consequência de Reforma Administrativa de 1834.
**Notas sobre o Pelourinho de Colares:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2015/01/notas-sobre-o-pelourinho-de-colares.html
***Castelo de Colares:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2009/04/o-castelo-de-colares.html

Saloio a debulhar milho em Colares 1928/Foto do Arquivo Municipal de Sintra

terça-feira, novembro 14, 2017

Sobre a Sociedade União Sintrense

 (Post reeditado)

Carlos José Paulo Santos,  colaborador frequente do Rio das Maçãs, fez o favor de autorizar a publicação de uma preciosa peça da história da Sociedade União Sintrense.

  Sociedade União Sintrense (SUS), fundada em 8 de Maio de 1877.


Dois grandes pilares da história da SOCIEDADE UNIÃO SINTRENSE.
Francisco Figueiredo dos Santos e Carlos Caetano dos Santos (Caínhas Pai), e o inseparável Pinóquio agarrado ao seu querido dono (foto).

O Ti Chico ia todos os dias abrir o bar da colectividade, o meu pai mais espaçadamente, fosse qual fosse o tempo.
Já se sentia naqueles tempos que as coisas estavam a mudar, a frequência era maior quando chegava estes tempos porque a Sociedade União Sintrense, tinha sempre uma àgua pé que arrumava quase todas as outras aqui na volta, a àgua pé era produzida na casa havia lá tudo, desde pipas a prensa, como não se podia vender usava-se o truque de que cada barril tinha um nome escrito a giz, com o nome de um associado. No dia 8 de Dezembro era o dia da matança do porco, do qual vos apresentarei noutro local uma foto de alguns colaboradores.

Texto  e foto de Carlos José Paulo Santos (Caínhas)
(Baterista dos Diamantes Negros)

Página de Facebook sobre a Sociedade União Sintrense:
https://www.facebook.com/sociedade.uniaosintrense

domingo, novembro 12, 2017

Patos Mandarim no rio das Maçãs

O "boom" turístico  também chegou ao rio das Maçãs - os últimos turistas a chegar.
Casal de patos Mandarim na Várzea de Colares

"O Pato-mandarim (Aix galericulata), marreco-mandarim ou de 65 a 75 cm.apenas mandarim, é um pato de médio porte, parente próximo do pato-carolino. Mede de 41 a 49cm de comprimento com uma envergadura 
O macho adulto é uma ave marcante e inconfundível. Possui um bico vermelho, faixas brancas crescentes acima dos olhos, uma face avermelhada e "bigodes". O peito é roxo com duas faixas verticais, os flancos rosados, com duas faixas laranjas que deslizam pelas costas. A fêmea é similar à fêmea do Pato-carolino, com um anel branco em volta do olho e desenhado para a parte de trás do olho, esbranquiçada na parte debaixo, com uma pequena faixa branca na lateral e esbranquiçada também na ponta do bico.[1]
Os Patos Mandarins são referenciados pelos chineses como Yuan-yang (chinês tradicional: 鴛鴦, chinês simplificado: 鸳鸯, pinyinyuān yāng), são frequentemente destacados na arte Oriental e são considerados como símbolos de carinho e fidelidade conjugal. Uma vez que, após acasalarem se mantêm aos pares para o resto da vida."
Na Wikipédia

No rio das Maçãs, na Várzea de Colares

sábado, novembro 11, 2017

Porque hoje é Sábado...

O Dia Mundial do Origami comemora-se a 11 de novembro.
Mais do que um simples papel dobrado, o origami é um símbolo de paz, utilizado há séculos em cerimónias e festivais japoneses. Uma menina de 12 anos de seu nome Sadako Sasaki, vítima da bomba atómica da Segunda Guerra Mundial, tornou o origami de um grou um símbolo de paz mundial.
A Propósito da efeméride,uma homenagem à Garça Real, que é nossa vizinha

Quinta da Penha Verde


Na estrada que vai para Colares passando por Seteais e Monserrate,(anteriormente denominada Estrada Nova da Rainha)situa-se a Quinta da Penha Verde e a Quinta da Fonte dos Cedros, ligadas por uma pequena ponte.

-Criada por D.João de Castro , 4º Vice-Rei da India, em terreno que lhe foi dado por D.Manuel I , e mais tarde acrescentada por mais um pedaço que lhe deu D.João III, o Alto de Santa Catarina.

-“Por baixo do monte em que está situada esta quinta (Penha Verde), fica o sítio da Boiça, onde pelo terramoto de 1755, rebentou uma grande nascente de água, a qual juntando-se com a que vem da Sardinha e do Lourel, se vai lançar no Rio das Maçãs, que vai desaguar ao mar, depois de fertilizar com as suas águas o Vale de Colares”.
Sintra Pinturesca-1838-Visconde de de Jerumenha

-A Quinta da Penha Verde é referenciada por Eça de Queirós em “O Primo Basílio”, que localizava “as sestas quentes”, do protagonista “nas sombras da Penha Verde, ouvindo o rumor fresco e gotejante das águas que vão de pedra em pedra”.

-A Quinta da Penha Verde é Monumento Nacional, conforme decreto-lei nº39175, de 17 de Abril de 1953