Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2015

Eléctrico da Praia das Maçãs com horário de Verão

Imagem
Horário de 24 de Junho a 30 de Agosto de 2015

Queijadas de Sintra - 7ª Parte

Imagem
Fábrica de queijadas da Piriquita A fábrica de queijadas da Piriquita, surge na segunda metade do século XIX, no centro da Vila de Sintra, na rua das Padarias, local onde ainda hoje se encontra.Fundada por Constância Gomes Piriquita, que nasceu em 8 de Agosto de 1846 e faleceu em 24 de Dezembro de 1934.Terá casado aos 16 anos com Amaro dos Santos que era padeiro,e nessa altura(1862) começou o fabrico das queijadas às quais deu o nome pela qual era conhecida-Piriquita. O Nome Piriquita era a alcunha e não apelido, e deve a sua origem ao tratamento que D.Carlos deu a Constância Gomes. A marca Piriquita continua na mesma familia desde sempre, sendo hoje a quinta geração a fabricar as queijadas e os famosos travesseiros. Curiosidades José Alfredo Azevedo que era vizinho da Pastelaria Piriquita, testemunha que nos seus tempos de rapaz ” quem estava ao balcão era o segundo marido da dona da fábrica, Joaquim Gomes que atendia os clientes envergando sempre uma blusa de

Queijadas de Sintra - 6ª Parte

Imagem
Fábrica de Queijadas Finas - Casa do Preto Na sequência dos posts publicados sobre as queijadas das marcas: Sapa,Gregório e Mathilde, retomamos hoje o tema com as queijadas da Casa do Preto. Carlos Almeida, mais conhecido por Carlos Russo, mecânico de S.Pedro , abriu em Chão de Meninos, em 1933, um pequeno estabelecimento onde vendia queijadas do Gregório.O Carlos Russo começou a interessar-se pelo negócio, com a colaboração com a sua tia Maria Helena, que tinha sido empregada de uma queijadaria ,começou o fabrico por conta própria. Em 1965 por motivos de saúde entregou o negócio a seu filho José Rodrigo Inácio de almeida.Carlos de almeida faleceu em 1972. A história da marca “Casa do Preto” Carlos Almeida quando começou o fabrico das queijadas, comprou numa casa de móveis que existiu na Avenida D.Francisco de Almeida, uma figura de preto em madeira, que ali estava à venda. Por graça colocou-o à porta do estabelecimento.E assim começou a designação de “Casa do Preto”, cuja m

Sintra com "Gold Award" da Quality Coast

Imagem
Legenda:Vista de Sintra através do Jardim da Correnteza, no final do dia de segunda-feira 27/07/2015 Sintra foi distinguida com o “Gold Award” da Quality Coast, um galardão atribuído por um júri independente, nomeado pela Coastal & Marine Union – EUCC, uma associação financiada pela União Europeia que conta com mais de 2700 membros de mais de 40 países, e que reúne especialistas de várias áreas científicas. Legenda:Azenhas do Mar

Queijadas de Sintra - 5ª Parte

Imagem
FÁBRICA DE QUEIJADAS FINAS MATHILDE A Fábrica de queijadas Mathilde a seguir à Sapa, é a marca mais antiga, não se conhece exactamente a data em que terá surgido, mas em 1850, já existem provas da sua existência, a sua actividade terminou em 1974. Foto do edifício da antiga fábrica   Como a Sapa, esta marca começou também em Ranholas, foi fundada por Matilde Soares Ribeiro* , e aí continuou até à chegada do caminho de ferro a Sintra, nessa altura foi construído o prédio que ainda hoje existe, no nª6 da Avenida Miguel Bombarda, muito próximo das estação da CP. Conta José Alfredo Azevedo , que “quando o Rei D.Fernando II passava em Ranholas, apeava-se com toda a comitiva e iam comer as deliciosas queijadas, acabando sempre, na retirada, por abraçar a já famosa Matilde.O mesmo acontecia com D.Manuel II.. A predilecção que o Rei-Artista tinha por esta marca era tal que ofereceu à fabricante um carimbo metálico com o nome «Mathilde», que era vincado na parte exterior do fundo

Olhar para Sintra

Imagem
"Sintra, terra de encanto e de beleza, com picos altos de montanhas  coroadas por castelos fantásticos, a perderem-se entre as nuvens num decorativismo cenográfico;  terra de fraguedos e serranias, onde a suavidade das penumbras se concerta com a alma líquida das fontes para tocar as almas da graça mística de sonho ; terra de exótica da vegetação para dar tudo parques e jardins onde o perfume do passado se confunde com a riqueza exótica da vegetação para dar  a tudo uma aparência poética de irrealidade que faz sonhar com regiões distantes e civilizações antigas ; paisagem espiritual onde se ergue o perfil lendário do velho alcaçar lusitano e mouro, dentro de cujas salas, pátios e jardins há páginas de história esfumadas pela lenda que parecem surgir para nós do esmalte gritante dos azulejos, do lavrado gracioso dos pórticos, das pinturas desbotadas dos tetos." Oliva Guerra/ Roteiro Lírico de Sintra/1940 Sintra turística em números Sintra cresce 19% O Parque e o Pal

Queijadas de Sintra - 4ª Parte

Imagem
FÁBRICA DE «QUEIJADAS DO GREGÓRIO» 2ª PARTE -1ª Parte - pressionar Actualmente o estabelecimento conserva o mesmo aspecto exterior que tinha em 1936( Foto:PedroMacieira) Em 1916 , depois de dissolvida uma sociedade que entretanto tinha feito com José Ambrósio, estabeleceu-se por conta própria no Largo de Regedor em S.Pedro, denominado as queijadas que fabricava com a marca «Fábrica de Queijadas Recordação de Sintra». Depois do falecimento de Gregório Casimiro Ribeiro o negócio das queijadas passou para seu filho Álvaro de Almeida Ribeiro, que associou à marca o nome de «Gregório». A fábrica continua nos dias de hoje com outros proprietários , na Avenida D.Francisco de Almeida. (Foto:PedroMacieira) A forma de publicitar e indicar o estabelecimento, passava pela figura de um policia sinaleiro, que ainda hoje está presente, e que foi utilizada como imagem de marca das queijadas, impressa nos papéis de embrulho, antes de ser substituida pela imagem que ainda hoje é ut

Queijadas de Sintra - 3ª Parte

Imagem
Fábrica de «Queijadas do Gregório» 1ªParte O fundador desta marca de queijadas foi Gregório Casimiro Ribeiro falecido em 22 de Janeiro de 1947, e também fundador e director do semanário “O Regional” O local onde se fabrica ainda hoje as queijadas, com o policia sinaleiro e indicação de "Paragem das Queijadas" para chamar a atenção dos clientes. Fotografia publicada no "Jornal de Sintra" em 16-11-1936(foto cedida por Valdemar Alves) Jornal "O Regional" nº53 de 24 de Setembro de 1922, fundado e dirigido por Gregório Casimiro Ribeiro , com a sua fotografia na 1ª página. Gregório Casimiro Ribeiro , iniciou-se como fabricante por volta de 1890 .Em 1911, associou-se a José Ambrósio, enteado de Josefa Neves da família “Sapa”,para fabricar as queijadas em Ranholas que eram vendidas no “Café Pérola de Sintra”, de João Cunha que segundo José Alfredo Azevedo; o mesmo local onde mais tarde foi a sede do Hockey Club de Sintra. Em 1916 , depois de dissol

Queijadas de Sintra - 2ª Parte

Imagem
SAPA II Continuação do post – Queijadas de Sintra I “A tribo sapina que tem brotado como cogumelos em terreno fresco, alastrou-se a todos os pontos desde S.Pedro até à Vila, e forçosamente quem faz e vende queijadas, descende e pertence à tribo dos sapas que é mais conhecida do que a tribo de Israel, de modo que quem vende queijadas em Sintra são todos sapas ou sapos(...)” “Francisco José de Almeida,guia de Portugal,Um passeio de Lisboa a Sintra” 1880 A fábrica das queijadas Sapa na Volta do Duche em 1958 (foto cedida por Valdemar Alves) Antiga inscrição da Marca Sapa (Foto cedida pelo blog Trans-atlântico ) A existência actualmente de dois locais em Sintra, que descendem do mesmo fundador das “Verdadeiras queijadas da Sapa”, é uma situação que tem a ver com decisões familiares, que provocaram neste caso uma separação do local de fabrico, e uma nova marca. Embora o local oficialmente reconhecido seja o da fábrica da Volta do Duche, que reabriu recentemente, após o

Queijadas de Sintra - 1ª Parte

Imagem
SAPA I Na doçaria tradicional de Sintra, as queijadas são sem dúvida uma imagem de marca da região. Curiosamente as queijadas terão origem não em Sintra mas no Algueirão, segundo rezam as crónicas que remontam à idade Média.Desde o século XIII existe referenciado nos foros como forma de pagamento na região de Sintra um produto denominado queijadas. Os especialistas referem a existência de dois tipos de queijadas:as que eram vendidas em feiras (queijadas de feira) e circunscreveram-se à área do Algueirão, tendo evoluído para a venda ambulante, e as queijadas finas ou de marca circunscrevendo-se à Vila de Sintra. E é pelas queijadas de marca existentes ainda hoje em Sintra que começamos neste post uma pequena viagem. Segundo José Alfredo Azevedo :As fábricas principais existentes em Sintra em 1997, eram a «Sapa», «Piriquita»,«Gregório»,e «casa do Preto». E as fabricas mais recentes seriam as «Queijadas Centenárias»,a Pastelaria Tirol,«Palácio Real», do Restaurante e Pastelaria A

Festas Populares do Mucifal

Imagem

Sobre o epicentro do sismo sentido em Sintra e Cascais

Imagem
Relativamente à localização do epicentro do sismo de ontem, foi hoje corrigida a informação pelo IPMA: O sismo de magnitude 3,2 registado às 00h26 da última madrugada teve epicentro junto ao Parque e Palácio de Monserrate, em Sintra, e foi seguido por duas réplicas junto ao Cabo da Roca, 9 minutos depois,às 00h35, e em Albarraque, às 2h40. http://www.tudosobresintra.com/2015/07/sismo-de-ontem-teve-epicentro-junto.html http://riodasmacas.blogspot.pt/2015/07/sismo-de-magnitude-32-richter-as-0026.html Cabo da Roca (2013)  da foto  da FAP. *Créditos  -Blog " Tudo sobre Sintra "    - IPMA Data (TU) Lat. Lon. Prof. Mag. Ref. Grau Local + info 2015-07-19 01:40 38,77 -9,51 3 1,2 SW Sintra --- --- - 2015-07-18 23:35 38,76 -9,35 6 0,9 SE Sintra --- --- - 2015-07-18 23:26 38,79 -9,42 18 3,2 W Sintra III/IV Sintra