segunda-feira, abril 19, 2021

A partir de hoje levantamento gradual das medidas de confinamento

 


 A partir de 19 de abril, prossegue a estratégia gradual de levantamento de medidas de confinamento,a abertura do interior dos estabelecimentos de restauração até 4 pessoas e das esplanadas com mesas até 6 pessoas.


Assim, nas esplanadas devem ser cumpridos as seguintes orientações:
• Na esplanada, a distância no corredor entre mesas, passa a ser, no mínimo, 1,5 metros e entre pessoas 2 metros. No interior do estabelecimento, mantêm-se os 2 metros;
• Os coabitantes podem sentar-se frente a frente ou lado a lado a uma distância inferior a 2 metros;
• As mãos devem ser desinfectadas à entrada e saída da zona do estabelecimento comercial;
• Distância de 2 metros entre os colaboradores e, de um modo geral, entre as pessoas;
• Uso adequado e obrigatório de máscara, na esplanada a máscara deve manter-se colocada enquanto se aguarda o serviço.

sábado, abril 17, 2021

Porque hoje é Sábado...


 "Esteiros. Minúsculos canais, como dedos de mão espalmada, abertos na margem do Tejo. Dedos das mãos avaras dos telhais, que roubam nateiro às águas e vigoras à malta. Mãos de lama que só o rio afaga."

In "Esteiros" de Soeiro Pereira Gomes

segunda-feira, abril 12, 2021

Exposição "Onde o Sol se apaga no Oceano. O santuário mais ocidental do Império Romano" no M.A.S.M.O



No  Dia dos Monumentos e dos Sítios, a Câmara Municipal de Sintra inaugura, a 16 de abril, no MASMO – Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas, uma exposição sobre o Santuário Romano do Alto da Vigia.

"A exposição intitulada “Onde o Sol se apaga no Oceano. O santuário mais ocidental do Império Romano” dá a conhecer a história da primeira descoberta arqueológica ocorrida em território nacional, que aconteceu no Alto da Vigia no séc. XVI.

A mostra é composta pelos objetos mais significativos que foram encontrados no Alto da Vigia, entre os quais se encontram os altares dedicados ao Sol, à Lua e ao Oceano. E também os resultados das recentes campanhas de escavação realizadas pela equipa de arqueologia da Câmara Municipal de Sintra.

A temática da exposição constituí uma importante ferramenta para o ensino da História da presença romana em Portugal, enquadrando-se nos programas curriculares dos vários graus do Ensino Básico ao Superior."


Inf.CMS

Museu Arqueológico de S. Miguel de Odrinhas
Av. Prof. Dr. D. Fernando d'Almeida, Odrinhas
2705-739 São João das Lampas
GPS: 38°53'10.2"N 9°21’58.7"W

sexta-feira, abril 09, 2021

Eléctrico da Praia das Maçãs retoma a circulação


"O Eléctrico de Sintra retomou a circulação, tendo em conta todas as medidas de segurança decretadas e diretivas das autoridades sanitárias para prevenção e combate ao surto de Covid-19.

As medidas passam pelo cumprimento do distanciamento físico de 2 metros entre passageiros enquanto aguardam o acesso às carruagens nas paragens. A admissão dos passageiros em cada carruagem será condicionada a 50% da capacidade máxima e continuará a ser feita através da porta traseira, de modo a reduzir o contato com os tripulantes.

No interior do Eléctrico é obrigatório o uso de máscara, a higienização das mãos e o cumprimento da sinalização existente.

A Câmara Municipal de Sintra garante a higienização necessária para reduzir o risco de contágio e a aplicação dos procedimentos para o funcionamento seguro das atividades turísticas, com repercussões tanto ao nível de visitantes, como de colaboradores, seguindo as recomendações da Direção-Geral da Saúde."

Info CMS

segunda-feira, abril 05, 2021

Segunda fase do desconfinamento



 O desconfinamento que hoje começou é muito limitado e exclui a tarde de Sábado e Domingo. As lojas até 200 metros quadrados com porta para a rua podem funcionar até às 21horas nos dias úteis.

Esplanadas obrigadas a fechar às 13h00 aos fins-de-semana e feriados.



sexta-feira, abril 02, 2021

Postal de Sintra


PalacioPenapostal
 Postal sem data-Editor: Alberto Malva

No Guia do Viajante em Portugal e suas colónias em Africa".
Ed.Empresa Nacional de Navegação-1907:

“O Castello da Pena foi primitivamente um convento, da ordem de S.Jeronymo, fundado em 1503, por El-Rei D.Manuel, em memória do tempo em que alli passou esperando a frota de Vasco da Gama, no regresso da India.Era esse convento uma espécie de prisão, para onde eram mandados os frades d’aquella Ordem, quando comettiam faltas.De architectura godo-arabica, está construído em um dos mais elevados cabeços da serra.
Foi em 1841, que D.Fernando,avô do actual monarcha, mandou transformar o convento em palácio, reedificando uma parte do edificio que tinha sido attingida pelo terramoto de 1755.”

Nota para visitantes:
"Edificio da Pena-visita-se todos os dias e a toda a hora sem bilhete , só o parque e a egreja.Para vêr o palacio, é necessário um bilhete da Administração da Caza Real. Estando S.S.M.M. reinantes, que alli permanecem durante algum tempo da estação de verão , só é permitido vêr o parque. "

terça-feira, março 30, 2021

Alteração de sentidos de circulação em Sintra


 Alteração dos sentidos de circulação na Rua Francisco dos Santos e Rua Dom João de Castro, em Sintra, desde a última segunda-feira, dia 29 de Março.

Informa a CMS que procedeu à implementação da sinalização vertical em conformidade, encontrando-se atualmente o troço da Av. Doutor Miguel Bombarda, entre a GNR e o Largo Dr. Virgílio Horta, com sentido descendente.

sábado, março 27, 2021

Plátanos de Colares

 

Fotos da fileira de Plátanos em frente à Adega Regional de Colares  em 27/03/2021

"Ao tempo da construção da Adega já existiam os plátanos frondosos que hoje podemos admirar desde a ponte da Várzea até ao Banzão no caminho da "Praia". São exemplares centenários nos quais os automobilistas apressados nem reparam.
A sombra destas árvores protegeu a fermentação de muitos "caldos" de boas colheitas que estagiaram dentro da Adega. Merecem pois que brindemos à sua saúde esperando no futuro sejam devidamente apreciados.
Para isso no local deveria colocar-se um painel informativo, chamando à atenção para estas imponentes árvores.
Os plátanos da Adega Regional de Colares são um dos "monumentos vivos" que povoam o Município Sintrense.
Um verdadeiro ex-líbris da antiga e nobre Vila de Colares...#

Cortez Fernandes -Blogue "Tudo de Novo a Ocidente


Em, 28 de Janeiro de 2020,  foi publicado no Diário da República nº 19, II Série, o despacho do Instituto de Conservação da Natureza que classificou os plátanos de Colares como arvoredo de interesse público

quinta-feira, março 25, 2021

Nova composição eléctrica de dois pisos a circular na linha de Sintra.


 “Depois de mais de sete anos parado, começou agora a circular na linha de Sintra/Azambuja um comboio eléctrico de dois pisos, totalmente reparado nas oficinas da CP, no Entroncamento, num investimento de cerca de um milhão de euros.”,
 Lusa 17 de Março de 2021


*Fotos da composição 3576 

domingo, março 21, 2021

Hoje é o dia Mundial da Árvore

 

*Foto de uma Pimenteira no Parque das Nações em 10 de Março d 2021

Dia Mundial da Árvore ou da Floresta celebra-se anualmente a 21 de março.

Neste dia decorrem várias ações de arborização e reflorestação, em diversos locais do mundo.

"O objectivo da comemoração do Dia Mundial da Árvore é sensibilizar a população para a importância da preservação das árvores, quer ao nível do equilíbrio ambiental e ecológico, como da própria qualidade de vida dos cidadãos. Estima-se que 1000 árvores adultas absorvem cerca de 6000 kg de CO2 (dióxido de carbono).

30% da superfície terrestre está coberta por florestas, onde se realiza a fotossíntese - produção de oxigénio a partir de dióxido de carbono. As florestas são apelidadas dos "pulmões do mundo", não apenas pela sua função de manutenção e renovação dos ecossistemas, como também pela sua importância em áreas estratégicas como a economia e a produção de bens e alimentos".

https://www.calendarr.com/portugal/dia-mundial-da-arvore/

sábado, março 20, 2021

Primavera 2021

 


Em 2021 o Equinócio da Primavera ocorre no dia 20 de Março às 09:37 horas[.

" Este instante marca o início da Primavera no Hemisfério Norte. Esta estação prolonga-se por 92,7465 dias até ao próximo Solstício que ocorre no dia 21 de junho às 03:32 horas. Os instantes estão referenciados à hora legal de Portugal continental e Região Autónoma da Madeira.

Na Região Autónoma dos Açores o Equinócio da Primavera ocorre no dia 20 de março às 08:37 horas.

Os equinócios ocorrem duas vezes por ano, na primavera e no outono, nas datas em que o dia e a noite têm igual duração[. A partir daqui até ao início do outono, o comprimento do dia passa a ser maior do que a duração da noite, devido ao Sol percorrer um arco mais longo e mais alto no céu todos os dias, atingindo uma altura máxima no início do Solstício de Verão. É exatamente o oposto no Hemisfério Sul, onde o dia 20 de março marca o início do Equinócio de Outono."

https://oal.ul.pt/equinocio-da-primavera-2021/

Observatório Astronómico de Lisboa


terça-feira, março 16, 2021

Cinco artistas em Sintra - reedição


 "Cinco artistas em Sintra" de João Cristino da Silva, 1829-1877, Museu do Chiado.(Foto rio das Maçãs)

 Os cinco artistas em Sintra, de 1855, (retratados: Anunciação, Cristino, Metrass, José Rodrigues e o escultor Vitor Bastos à distância o Palácio da Pena recentemente concluído)

 Excerto de um texto de Maria Júdice Borralho:
 "(...)Articulada por caprichosas arquitecturas, e envolvida num manto vegetal de belo colorido, a região sintrense desprende tão delicado encanto, que a poesia e a pintura, o exaltam século após século. João Cristino da Silva, pintor do século XIX ampliou a já dilatada fama do lugar com uma obra seleccionada para representar Portugal na exposição Universal de Paris de 1855. Um jornal francês dedicou-lhe palavras elogiosas: O colorido é formoso...Pela desenvoltura vê-se logo que são artistas, ...a obra do senhor Cristino da Silva é uma das mais notáveis que foi apresentada no grande concurso. Mas talvez não seja este, o episódio mais significativo da história do quadro, nem mesmo o facto de o rei artista D. Fernando II, o ter comprado para enriquecer a valiosa colecção particular que possuía. A tela , denominada Cinco Artistas em Sintra, nasceu de uma aventura intelectual, e a Natureza foi a protagonista dessa proeza.
 O artista esquece facilmente convenções que têm a chancela de séculos e por isso é sempre difícil prever a rota que as artes seguem. Ao tempo, a pintura realizava-se no estúdio, e os temas escolhidos eram sobretudo históricos, religiosos, ou patrióticos. De repente eis que algo muda e o artista procura a Natureza para tema das suas obras. A tela de Cristino, exibindo cinco artistas que contemplam a paisagem sintrense e registam elementos desse espaço , violou cânones e ignorou os mestres, mas sugeriu as alternativas: a Natureza passava a ser a escola, a luz natural que dava à cena outra força e vivacidade substituía a luz artificial, o artista expressava as suas emoções. Curiosamente e dando mais força à mensagem, os artistas presentes na tela não nasceram da fantasia do pintor. Eles são companheiros de Cristino da Silva na querela artística e conhece-se o percurso artístico de cada um. Tomás da Anunciação que ocupa o lugar nobre, notabilizou-se na pintura de animais, atrás, de paleta na mão, está Metrass, o mais viajado do grupo e, por isso, informador dos caminhos que a arte trilhava no estrangeiro, junto à enorme rocha, que dá intimidade ao quadro, estão os restantes, José Rodrigues, pintor de costumes populares e Vitor Bastos o autor da estátua de Camões, entre um e outro, está Cristino da Silva."
 Texto integral (A Natureza, os Artistas e os Outros)- Aqui

sábado, março 13, 2021

Porque hoje é Sábado...

 Estado de Emergência até 31 de Março

  Alterações relacionadas com a reabertura das escolas e as restrições às viagens.



Alterações para 15 de Março


Aguardar a abertura de esplanadas até 19 de Abril



quinta-feira, março 11, 2021

Postal de Sintra antiga (reedição)

"Entrando no Largo da Rainha D.Amélia, encontra, á direita, o portão que dá acesso ao Palácio Real, suptuoso edificio, cheio de históricas recordações.A fachada principal, deita para um extenso pateo, ao fundo do qual houve, em tempo, corridas de touros e outros divertimentos. O palacio é de forma irregular, não se podendo avançar com precisão, qual o estylo que presidiu á sua edificação e reconstrucção , visto encontrar-se uma miscellanea de estylos caracteristicos de diferentes epochas. È tradição que este vetusto edificio foi residencia dos reis mouros de Lisboa. D.João I, D.João II e D.Manuel, mandaram alli proceder a importantes obras.O terramoto de 1755, causou-lhe importantes estragos, e ás suas reparações, mandou o Marquez de Pombal que se procedesse. Foi n'este palacio que nasceu D.Affonso V, em Janeiro de 1432, e foi tambem alli que faleceu em Agosto de 1481."
   Guia do Viajante em Portugal e suas Colónias em África-1907 


PalácioSintra1  Palácio Nacional de Cintra, postal sem data-Editor: Alberto MalvapalaciodeSintra2 Postal (foto s/d) enviado de Sintra para o Palace Hotel da Curia, em 18 de Setembro de 1922, encontrado  num antiquário em Lisboa. A curiosidade além da imagem da Vila Velha nos inícios (?)do séc XX, é a legenda do postal: " Sintra, .Vista do Palácio Rainha D.Maria Pia".

terça-feira, março 09, 2021

Plátanos de Colares e as podas na EN 375

 "A Câmara de Sintra inicia, no dia 10 de março, os trabalhos de poda de árvores, nas estradas municipais EN 375 e EN 247-3, na Serra de Sintra. Os trabalhos irão originar condicionamentos pontuais na circulação rodoviária."

.Inf.CMS



Plátanos em frente à Adega Regional de Colares classificados como arvoredo de interesse público 

Em, 28 de Janeiro de 2020,  foi publicado no Diário da República nº 19, II Série, o despacho do Instituto de Conservação da Natureza que classificou os plátanos de Colares como arvoredo de interesse público.


Assim desde  esta altura estão proibidas as seguintes intervenções:
a) O corte do tronco, ramos ou raízes dos referido plátanos;
b) A remoção de terras ou outro tipo de escavações, na zona geral de protecção (20metros);
c) depósito de materiais, seja qual for a sua natureza e a queima de detritos ou outros produtos combustíveis, bem como a utilização de produtos fitotóxicos na zona geral de pretecção de cada exemplar;
d)Qualquer operação que possa causar dano, mutile, deteriore ou prejudique o estado vegetativo dos plátanos.
Ainda nos termos do nº1 do Artigo 4º, da lei nº53/2012 de 5 de Setembro, deverão ser submetidas a autorização prévia do ICNF qualquer intervenção a efectuar nos referido plátanos ou, nas zonas gerais de protecção.


131º Aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Colares

 


A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Colares, comemoram  hoje 131 anos da sua fundação.

Transcrito parcialmente da página da Internet dos Bombeiros Voluntários de Colares "

 (...)É facto provado que a Associação dos Bombeiros Voluntários de Colares, a primeira a ser criada no Concelho de Sintra, iniciou serviços operacionais em 9 de Março de 1890, com a inauguração da sua “Estação de Incêndios”, embora os seus primitivos Estatutos só tivessem sido aprovados por Alvará do Governo Civil de Lisboa datado de 22 de Junho de 1892. De entre as 27 pessoas que integraram a comissão que redigiu e assinou esses Estatutos, destacamos os nomes de:• José Inácio da Costa, natural de Colares, um dos fundadores do Montepio e benemérito que muito contribuiu para vários melhoramentos em Colares, como a fundação a expensas suas de uma banda de música integrada no Corpo de Bombeiros, a construção da estrada para a Praia das Maçãs, etc.; • Eduardo Rodrigues da Costa, também natural de Colares, que veio a ser o primeiro Chefe da Esquadra e depois o Comandante do Corpo de Bombeiros e doador do material com que este iniciou as suas actividades;• António Maria Dias Pereira Chaves Mazziotti, também ele natural de Colares, que durante 17 anos foi Secretário da Junta do Crédito Público, em representação do Governo e, em várias legislaturas, de 1880 a 1908, foi Deputado pelo Partido Progressista, representando os Círculos de Sintra, Lisboa e Beja.Pelo menos até 1892, o novo Corpo de Bombeiros constituiu a 5ª Esquadra da Real Associação dos Bombeiros Voluntários da Ajuda, de que era então Comandante o Príncipe D. Afonso Henriques, Duque do Porto e irmão do Rei D. Carlos I.Com esta nova Esquadra, os Bombeiros da Ajuda, passaram então a estar estruturados como segue: 1.ª Esquadra, no Palácio da Ajuda, chefiada por João Luís Duarte; 2.ª Esquadra, na Casa Pia, chefiada por Eugénio L. Oliveira; 3.ª Esquadra, no Palácio da Necessidades, chefiada por Eugénio L. Oliveira; 4.ª Esquadra, no Hospital S. José, chefiada por Artur Mena; 5.ª Esquadra, em Colares, chefiada por Eduardo Rodrigues da Costa."




O pronto-socorro "Benz" dos Bombeiros de Colares(Foto,Arq.N.Torre do Tombo)

"Junho de 1935
- Realizou-se a 2ª Grande Parada dos Bombeiros Portugueses, com o desfile perante o Presidente da Républica e de membros do governo. Esta parada, em que os Bombeiros Voluntários de Colares se fizeram representar com o seu pronto-socorro e respectiva guarnição, reuniu 144 corporações de todo o País, 144 viaturas e perto de 2500 homens."




Diário de Notícias 19-12-90

Em 19 de Dezembro de 1990, a nova Auto-escada, é assunto de uma notícia do jornal "Diário de Notícias" com um título bastante chamativo - “Cenários à moda de Hollywood usados por corporação de Colares”, o D.N. fazia referência ao facto dos Bombeiros Voluntários de Colares voltarem a testar a sua eficácia no combate ás chamas "através de um simulacro realizado ontem no Mucifal...”, presenciado pela “ população do Mucifal que ocorreu em grande número ao largo da Igreja, onde tinha sido montado o cenário para este exercício, aplaudiu entusiásticamente, os heróis locais.” e adiantava que "este simulacro serviu para mostrar a mais recente aquisição do bombeiros de Colares- uma escada *Magirus de 30 metros de comprimento e comunicação via rádio do entre o topo e a base"






domingo, março 07, 2021

A lista de compras da rainha Carlota Joaquina - reedição


"Filha de Carlos IV e irmã de Fernando VII, reis de Espanha, nasceu em 1775 e morreu em 1830, aos 54 anos. Participou de pelo menos cinco conspirações, segundo registam os livros de História.
(...)
Em 1821, já de volta a Portugal, recusou-se a assinar a constituição liberal portuguesa, contrariando a exigência das Cortes e as orientações do marido (D.João VI). Como resultado, foi confinada ao Palácio de Queluz, distante de Lisboa e do poder."

In "1808"/Laurentino Gomes.

Foto PSML

O manuscrito adquirido  pela Parques de Sintra Monte da Lua, regressa agora ao espólio do Palácio de Queluz. O manuscrito tem 71 páginas e  nele constam jóias, roupas, meias de seda, leques de marfim e 560 lenços de mão.
Foto DN

quarta-feira, março 03, 2021

Limpeza dos terrenos florestais até 15 de Março


Informa a Câmara Municipal de Sintra  que é obrigatório proceder à limpeza dos terrenos numa faixa de 50 metros de largura da habitação e de 100 metros dos aglomerados populacionais, até 15 de março.

"Durante este prazo devem ser cumpridos os critérios especiais de limpeza dos terrenos, de forma a salvaguardar não só os valores naturais, mas também garantir a segurança de pessoas e bens.

Se o seu terreno estiver situado junto a um aglomerado populacional definido no Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndio, deve remeter, via email, fotografia aérea ou mapa com a respetiva localização do terreno e a morada correspondente (rua, localidade e freguesia), podendo obter a informação geográfica sobre o seu terreno AQUI.

Adianta também a CMS que no caso do seu terreno se encontrar inserido nesta área protegida necessita de um parecer específico do Instituto de Conservação da Natureza e da Floresta – Parque Natural Sintra Cascais, deverá requerê-lo através de formulário próprio."

Mais Informações AQUI



Critérios Específicos de Gestão de Combustível
  

O município de Sintra, em sede de Comissão de Defesa da Floresta aprovou, critérios específicos a aplicar às faixas de gestão de combustíveis de protecção no Parque Natural Sintra Cascais, Paisagem Cultural de Sintra , parques e jardins históricos  e a áreas com elevado valor patrimonial ou paisagístico do município de Sintra, de acordo com a legislação  aplicável nº. 5, da alínea a) – Critérios Gerais, do anexo à Lei nº. 76/2017 de 2017 de 17 de Agosto, alterado pelo DL nº10/2018 de 14 de fevereiro.
Os critérios especiais definidos para estas áreas pretendem salvaguardar os valores naturais – habitats naturais, flora e fauna – relevantes para a conservação da natureza e da biodiversidade dando cumprimento aos objectivos de redução de risco de deflagração de incêndios.

Consulte aqui o documento completo.
Gabinete Técnico Florestal 

sábado, fevereiro 27, 2021

Porque hoje é Sábado...



Maldades modernas

 Na minha terra, os velhos têm apanhado choques violentos. A libra valeu toda a vida vinte xelins e o xelim doze dinheiros, De um dia de para  o outro,  o xelim desapareceu e a libra passou a ser dividida em fracções que ainda se chamam dinheiros, mas , um centavo de libra e não um duzentos-e-quarentavo.

Com as medidas de peso e capacidade aconteceu coisa parecida: havia libras e pintos divididos em onças. Agora há quilos e litros com as sua fracções decimais. Algumas lojas passaram a vender ovos e flores às dezenas e não às dúzias. Há planos para acabar com a milha, a jarda o pé e a polegada. E já esteve mais longe a condução pela direita.

Contava eu eu estas coisas aos meus amigos de Almoçageme, velhos como eu, sentados no murete do largo uma tarde destas. Todos se queixam das mudanças em Portugal nos últimos anos, desde a diminuição do tamanho das queijadas ao uso do rimmel pelas netas, e atribuem-nas de uma maneira geral aos comunistas. Nisto da culpa dos comunistas a experiência ensinou-me o exemplo a seguir é «se não foste tu, foi o teu pai» e respectivas consequências.

Para conspiração, conspiração e meia: uma teoria que me pede contas dos males do mundo, a mim A.B.Kotter da Beldroega, respeitador das leis e incapaz de fazer mal a uma mosca, porque convencionou que eu sou «burguês» e aos «burgueses» se pedem essas contas, convida-me a pagar na mesma moeda aos seus protagonistas. Por isso desligo os outros velhos, embora evidentemente, não os acicate, pois tal seria uma ingerência inadmissível na politica deste encantador país.

 "Bilhetes de Colares de A.B.Kotter"-heterónimo do Embaixador José Cutileiro:


Post relacionado:

https://riodasmacas.blogspot.com/2020/05/bilhetes-de-colares-de-jose-cutileiro.html

quarta-feira, fevereiro 24, 2021

Visita de Marguerite Yourcenar a Sintra - reedição


SeteaisBlogue2011


"Minha senhora,

Não tenho por hábito escrever prefácios ou introduções. É o que vos explicará a minha hesitação em fazê-lo para o texto que se propõe publicar na RAIZ E UTOPIA. E porquê? Um texto diz o que tem a dizer, a menos que seja um falhanço, e arriscamo-nos a diluir ou a sobrecarregar a mensagem adicionando-lhe uma explicação em notas.

Que fazer, então? Talvez começar por lembrar que estas páginas foram escritas no vosso país, Portugal, mais precisamente em Sintra. O que escrevemos raramente guarda a marca do lugar onde o escrevemos, a menos que o objetivo seja descrever esse lugar ou se trate de literatura de viagem.

Mas o autor sabe: o texto mantém para ele o odor e a cor do lugar onde foi criado. Nunca  poderei relê-lo sem rever, da janela do meu quarto em Seteais, as nuvens a passar e repassar no alto das colinas, cobrindo e descobrindo o estranho e absurdo castelo de estilo pseudo-manuelino-germânico, oferecido por um príncipe alemão, no Século XIX,  que teve porém a sensibilidade de reconhecer um lugar de encantamento e magia.

A exuberância vegetal e a extravagância humana dominavam, vistas da minha janela, o primeiro plano do requintado pátio e dos pórticos de Seteais, como um cenário de Wagner sobreposto a um cenário de Mozart. Foi ali, por acaso, nesse quartinho levemente rococó que escrevi estas páginas dedicadas ao sofrimento animal – que não é mais que uma das piores formas do sofrimento universal. Levantava a cabeça, de tempos a tempos, para ver se o nevoeiro, no seu jogo, não tinha levado o castelo de Drácula. Mas não: lá continuava e pelo anoitecer acendia o seu olho vermelho. O Mal, que faz do homem o carrasco das outras espécies e também da sua, é, receio bem, igualmente imutável.

Mas não se passam cinco dias num lugar qualquer apenas a escrever um ensaio, mesmo quando se trata de um tema que nos toca o coração.

Fica-se exposto, como sempre, a essa mistura de pequenas e grandes alegrias, de pequenos e grandes males, de leves preocupações e ansiedades profundas que enchem cada dia das nossas vidas. Os meus pulmões e os meus brônquios (tinha chegado doente), indispostos por essas neblinas e chuva caprichosa, desempenhavam o seu papel, é preciso dizê-lo, tal como o voo dos pombos-torcaz e o perfume das glicínias de Seteais. Os jogos fascinantes do tempo também interferiam nisso. No livro de visitas do hotel, encontrei a marca de uma das minhas primeiras passagens, há cerca de vinte anos, com uma amiga já falecida. No livro, ela expressava o seu entusiasmo por este belo lugar. Quantas coisas mudaram, entretanto, em Portugal e em mim! E quanto, no fundo, ficou igual. Nós formamo-nos, deformamo-nos, reformamo-nos com o pano de fundo dos nossos sempiternos instintos, dos nossos desejos, das nossas vontades, das nossas fraquezas e das nossas forças, como as nuvens sobre a serra de Sintra”.


Marguerite Yourcenar

(RAIZ E UTOPIA - Número Triplo, 17/18/19 - 1981)
Tradução de Maria Cristina Guerra

PPlandscape27062015blogP.jpg
 Palácio da Pena envolto nas brumas do Monte da Lua
Texto original ler aqui:
http://blogteste-pmacieira.blogspot.pt/2016/08/texto-original-de-marguerite-yourcenar.html
Créditos:
-Agradecimentos a Emilia Reis pela disponibilização do texto

Informação adicional de Emilia Reis:
"A carta de Marguerite Yourcenar. Foi enviada a Helena Vaz da Silva, então directora da revista Raiz e Utopia, em Abril de 1981, e respondia a um pedido da jornalista para que escrevesse um ‘prefácio’ introdutório ao texto, para publicação na revista, da Conferência que a escritora tinha lido na Fundação Calouste Gulbenkian, em 8 de Abril, portanto dias antes, sobre “A Declaração dos Direitos do Animal” - admirável texto ainda tão actual, aquele a que Marguerite Yourcenar se refere na sua carta, escrito no Hotel de Seteais, e que HVS resume assim: “… sobre a unidade do universo, a responsabilidade de todos por tudo e a premência de afinarmos a qualidade da nossa compaixão começando pelos mais pequenos de entre os animais e as plantas”. Este texto, tal como a carta, foi publicado na revista Raiz e Utopia nºs.17/18/19."

quarta-feira, fevereiro 17, 2021

Antigos comboios construídos pela Sorefame nos anos 60 voltam a circular na linha de Sintra





Segundo o Público, “duas UTE (Unidades Triplas Eléctricas), datadas dos anos 60 e que saíram de serviço há 20 anos, vão voltar aos carris na linha de Sintra, mas agora como comboios históricos, destinados essencialmente aos turistas que visitam a Vila [Sintra] e em viagens directas (sem paragens) desde o Rossio”.






segunda-feira, fevereiro 15, 2021

A inauguração da carreira aérea entre Sintra e Londres em 1936 - reedição

*Adapt.de reportagem do "Notícias Magazine" de 27/1/2018

A 3 de Fevereiro de 1936, um pequeno avião não pôde descolar do aeródromo de Sintra para Croydon, a sul de Londres, em resultado de os pneus do trem de aterragem se afundarem na lama da pista, ainda muito encharcada pelas últimas chuvas.

"Ontem de manhã [3 de fevereiro] estava tudo preparado para a descolagem do trimotor Lisboa que, conforme foi  noticiádo, ia inaugurar as carreiras entre Lisboa e Londres, exploradas pela Crilly Airways", contava o Diário de Notícias, atento às manobras do piloto.


Foi só a 4 de fevereiro que se fez história, com a partida do Lisboa a avançar, finalmente, este passo na aviação comercial.


«Às 8h30, os três motores do aparelho começaram a funcionar. Passado o tempo indispensável para “aquecer” e depois de consultado o oficial de serviço, sr. tenente Costa Macedo, acerca do melhor piso da pista, o Lisboa apontou em direção ao centro do terreno e pronto se elevou no espaço, efetuando uma descolagem impecável», relatava ainda o DN.
TAP
Fundada em 1945 (chamava‑se Secção de Transportes Aéreos), a TAP começaria a transportar passageiros regularmente para Londres em 1949.

Créditos: Reportagem (Texto e fotos) do Notícias Magazine
Texto Ana Pago | Fotografia Arquivo DN

quinta-feira, fevereiro 11, 2021

Monocarril Larmanjat chegou a Sintra em 1873

*Mary G. Santa, "Los Primeros Trenes que Corrieron por Europa Occidental". 

Cerimónia de inauguração da linha do comboio Larmanjat até Sintra, em Portugal, em 2 de Julho de 1873.

 Comboio monocarril Larmanjat

"O Larmanjat foi um sistema ferroviário monocarril desenvolvido pelo engenheiro francês Jean Larmanjat, e que foi aplicado em três linhas em Portugal. Duas destas linhas eram para serviço comum de passageiros e mercadorias, e ligavam a cidade de Lisboa a Torres Vedras e a Sintra,[1] enqunto que a terceira linha só serviu para experiências, e unia o Arco do Cego ao Lumiar, dentro de Lisboa.[2] A linha experimental foi inaugurada em 31 de Janeiro de 1870,[3] enquanto que a linha até Sintra entrou ao serviço em 5 de Julho de 1873,[2] e a de Torres Vedras em 6 de Setembro do mesmo ano.[4] As duas linhas principais totalizavam cerca de 50 milhas (80 km).[5] Depois de alguns anos de funcionamento marcados por vários problemas, o sistema foi definitivamente encerrado com a falência da companhia exploradora em 1877."

Winkipédia[4]


Estação Central das Portas do Rego.
Transporte colectivo ferroviário, circulou na Estrada de Benfica de 1873 a 1877 na ligação à vila de Sintra através da antiga Estrada Real de Lisboa/Sintra.
(Livro "O Incrível Comboio Larmanjat)