sábado, janeiro 30, 2021

Porque hoje é Sábado...

O Paquete Funchal foi construído pela Empresa Insulana de Navegação e fez a sua viagem inaugural em 1961. O navio está imobilizado desde fevereiro de 2015, no cais da Matinha, em Lisboa. O último cruzeiro do navio foi realizado na viragem do ano de 2014 para 2015.

Quatro organizações europeias, incluindo a portuguesa, SOS Amianto, manifestaram na sexta-feira preocupação com o leilão do Paquete Funchal, um icónico português navio de 1961, por este possuir alegadamente cerca de cem toneladas de amianto. O leilão, segundo Jornal Económico, realizou-se na sexta-feira em Londres, Inglaterra, depois de uma empresa britânica Signature Living ter adquirido o paquete há dois anos.



Texto do Jornal Económico de 28/01/2021:

"Num comunicado conjunto,  as organizações estão alarmadas com o facto do navio, que permanece atracado em Lisboa seja desmantelado.

“As licitações para o navio de passageiros, que foi comprado em 2018 pelo grupo hoteleiro britânico por 3,9 milhões de euros, deverão começar nos 1,8 milhões de euros. Há rumores de que a embarcação – que permaneceu atracada em Lisboa desde que foi comprada – será desmantelada”, lê-se.

O mesmo comunicado refere que o paquete tem a bordo “cerca de 100 toneladas de amianto em estado friável, nomeadamente os tipos de fibra crisotilo, amosite e tremolite, que foram identificados por uma auditoria de substâncias perigosas”. E é referido que a exportação de resíduos perigosos, como o amianto, é proibida pelo Regulamento de Envio de Resíduos da União Europeia.

Ou seja, o navio não poderá sair de Portugal enquanto possuir amianto. O Paquete Funchal está ainda registado sob a bandeira de Portugal.

“De acordo com o artigo 6.º do Regulamento de Reciclagem de Navios da UE nº 1257/2013, os armadores devem assegurar que os navios com bandeira da UE destinados a serem desmantelados, sejam apenas reciclados em instalações que constam na Lista Europeia”, lê-se.

As organizações europeias alertam, por isso, que o novo comprador poderá tentar contornar o regulamento.

“A remoção do amianto e a descontaminação da embarcação devem ocorrer em Portugal, evitando a transferência de contaminantes para outro país, nomeadamente aquele em que os critérios para a remoção do amianto não são tão exigentes, e que podem colocar em risco a saúde dos trabalhadores de desmantelamento de navios e as suas comunidades”, diz Carmen Lima, da SOS Amianto, no comunicado.

“Dada a falta de procura destes serviços, é provável que o MV Funchal seja comprado para sucata. É altamente possível que um comerciante de sucata, conhecido por comprar em dinheiro, adquira o navio e que o leve para uma praia no Bangladesh, Índia ou Paquistão, contornando as regras de reciclagem de navios da UE e violando a legislação dos resíduos da UE”, acrescenta Ingvild Jenssen, da NGO Shipbreaking Platform.

O navio em causa está na posse do Singature Living desde 2018, quando o adquiriu por 3,91 milhões de euros. O navio foi vendido em hasta pública."

Créditos:Jornal Económico

quarta-feira, janeiro 27, 2021

Postal de Colares durante a pandemia do COVID -19

Além das  graves consequências sanitárias e sociais que estamos a sofrer actualmente, e dos períodos de confinamento, cada vez mais longos, a vida que todos tinhamos mudou. Este post de hoje é um olhar relâmpago, para Colares, em mais um momento dificil na vida de todos nós.

"A Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Colares vem por este meio, comunicar que após terem sido conhecidos os resultados dos testes PCR – SARS-CoV-2 de rotina realizados na Associação na passada quinta-feira, dia 21/01/2021, que revelaram a existência de cinco casos de infecção, a Direcção decidiu por proposta do Comando Operacional activar o Plano de Contingência elaborado em março de 2020, adaptado às deliberações do atual Estado de Emergência
 (..)
.O Plano de Contingência, entrará em vigor às 00h00 de segunda-feira, dia 25 de Janeiro e irá permanecer activo pelo período de quinze dias, findo esse período será reavaliada a situação."

Inf:AHBVC


Várzea de Colares 116h00 do dia 26/01/2021

Portugal registou nesta quarta-feira mais 15.073 novos casos de infecção pelo novo coronavírus (o que corresponde a um aumento de 2,3%) e 293 mortes — um novo máximo de óbitos em 24 horas
In Público


segunda-feira, janeiro 25, 2021

Presidenciais 2021

Escola Gama Barros no Cacém, durante o acto eleitoral de Domingo.
 

Resultados finais da Eleição para  a Presidência da  República de 24/01/2021

Marcelo R. de Sousa        - 60,7%

Ana Gomes                        -12,97%

André Ventura                    -11,9%

João Ferreira                      - 4,32%

Marisa Matias                    - 3,95%

Tiago Mayan                      - 3,22%

Vitorino Silva                      - 2,94%


Abstenção -  60,51%


Votação na Freguesia de Colares


Via "Guia de Colares"

sexta-feira, janeiro 22, 2021

Jean Granton 1923 - 2021

Jean Granton pai de Michel Vaillant, herói da BD, faleceu ontem. Recordamos várias aventuras do piloto em cenários portugueses, e  Sintra em particular. (montagem Pedro Macieira)
Jean Graton nasceu em França em Nantes em 1923, publicou o seu primeiro desenho aos 8 anos no jornal “Le Soir”. Entre 1952 e 1954, desenha para a revista “Spirou”. A sua primeira história “La primière Ronde” é publicada na revista Tintin em 1953, em 1957 cria a personagem de Michel Vaillant, um simpático piloto de automóveis, e até 1982 as sua bandas desenhadas são editadas pela editora Belga Lombard. Em 1982 cria sua própria editora as Edition Graton. MICHEL VAILLANT em SINTRA Michele Vaillant , herói da banda desenhada, criado por Jean Graton, já mencionado neste blog ,tem 2 histórias passadas em Portugal, durante o famoso Rallie Tap, que nos finais dos anos 60, e início dos anos 70, utilizava uma parte considerável das estradas sinuosas de Sintra, para gáudio de milhares de espectadores que nem sempre se portavam da forma mais correcta, pondo muitas vezes a suas vida em perigo, e dos próprios pilotos. Essa imagem passa perfeitamente pelos desenhos de Jean Graton, retratando fielmente os cenários portugueses.A primeira história publicada em Portugal que tenho conhecimento foi no Tintin, nº16 de 13-09-69 e tinha o nome de “Rallye em Portugal”, e foi publicada em vários números como acontecia na revista Tintin nessa época, existe também uma versão em língua francesa mas com um outro título “ 5 filles dans la course!” nº19 e editado pela própria editora de Jean Graton. A outra história em que é utilizado o cenário da Lagoa Azul para a passagem dos bólides, em que os desenhos demonstram fielmente as loucura que os espectadores praticavam para verem quase em cima dos carros os seus pilotos favoritos, criando situações de grande perigo, tem o nome de O homem de Lisboa” e foi editado pela Meriberica/Liber Editores Lda.


Photobucket Capa do Tintin português nº16 de 13 -09.1969 Reedição actualizada Pelo facto desta excelente Banda Desenhada, de Michel Vaillant, da autoria de Jean Graton,apresentar vários locais de Sintra, fazemos a reedição deste assunto, que já foi mencionado aqui. Publicada no "Tintin" edição portuguesa ( com o nome de “Rallye em Portugal), a história foi publicada em vários números como acontecia na revista Tintin, nessa época. Existe também a versão em língua francesa mas com um outro título “ 5 filles dans la course!” nº19 e editado pela própria editora de Jean Graton, de que publicamos duas páginas: Photobucket Photobucket

sábado, janeiro 16, 2021

Porque hoje é Sábado...

 


IGREJA DE SANTA ENGRÁCIA

"A primeira pedra do actual edifício é lançada, em 1682. As obras perduraram tanto tempo que deram azo à expressão popular "obras de Santa Engrácia" para designar algo que nunca mais acaba. A igreja só foi concluída em 1966, 284 anos após o seu início, por determinação expressa do governo da época, após avanços e recuos na sua construção e até ter servido de armazém de armamento do Arsenal do Exército e de fábrica de sapatos nos séculos XIX e XX".
(in "Lisboa Mítica".FB)


O Panteão Nacional, criado por Decreto de 26 de setembro de 1836, encontra-se instalado em Lisboa, na Igreja de Santa Engrácia, desde 1 de Dezembro de 1966.
Antes da conclusão das obras da Igreja de Santa Engrácia, de 1836 a 1966 o Panteão Nacional ficou instalado no Mosteiro dos Jerónimos.



terça-feira, janeiro 12, 2021

Chaby Pinheiro

 



A 12 de janeiro de 1873 nasce, em Lisboa, Chaby Pinheiro (m. Algueirão-Mem Martins, 06/12/1933), prestigiado ator português, que se notabilizou na comédia, reconhecido também pelo seu porte excessivamente volumoso. 
Chaby foi desde a sua juventude amigo de Rafael Bordalo Pinheiro, que várias vezes o caricaturou nos jornais que dirigiu.
Nesta fotografia, pertencente à coleção do Museu Bordalo Pinheiro, vemos Chaby, com um gato ao colo, acompanhado de uma figura feminina - não identificada - e de um pequeno macaco.

*Foto eTexto do Museu Rafael Bordalo Pinheiro

sábado, janeiro 09, 2021

Porque hoje é Sábado...

 


Proibida circulação entre Concelhos e confinamento às 13h00

O Conselho de Ministros decidiu a renovação do Estado de Emergência, que irá vigorar entre dia 9 e dia 15 de Janeiro.


terça-feira, janeiro 05, 2021

Previsão de descida de temperatura a partir de 5 Janeiro

 
Foto em 5 de Janeiro de 2021 no Parque das Nações em Lisboa

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê-se que entre esta terça-feira, dia 5 de janeiro e a próxima quinta-feira, dia 7, se verifique uma "descida da temperatura mínima em todo o território do Continente", sendo que entre hoje e amanhã são esperadas temperaturas mínimas entre os -4ºC e 8ºC e máximas entre os 5ºC e 17ºC, existindo a possibilidade de formação de neve, gelo e geada.

sábado, janeiro 02, 2021

Porque hoje é Sábado...



Carlos do Carmo 1931-2021

No Teu Poema

No teu poema
existe um verso em branco e sem medida,
um corpo que respira, um céu aberto,
janela debruçada para a vida.
No teu poema existe a dor calada lá no fundo,
o passo da coragem em casa escura
e, aberta, uma varanda para o mundo.
Existe a noite,
o riso e a voz refeita à luz do dia,
a festa da Senhora da Agonia
e o cansaço
do corpo que adormece em cama fria.
Existe um rio,
a sina de quem nasce fraco ou forte,
o risco, a raiva e a luta de quem cai
ou que resiste,
que vence ou adormece antes da morte.
No teu poema
existe o grito e o eco da metralha,
a dor que sei de cor mas não recito
e os sonhos inquietos de quem falha.
No teu poema
existe um cantochão alentejano,
a rua e o pregão de uma varina
e um barco assoprado a todo o pano.
Existe um rio
O canto em vozes juntas, vozes certas
Canção de uma só letra
e um só destino a embarcar
No cais da nova nau das descobertas
Existe um rio
a sina de quem nasce fraco ou forte,
o risco, a raiva e a luta de quem cai
ou que resiste,
que vence ou adormece antes da morte.
No teu poema
existe a esperança acesa atrás do muro,
existe tudo o mais que ainda me escapa
e um verso em branco à espera do futuro.
Composição de José Luís Tinoco