sexta-feira, janeiro 24, 2020

O 56º Aniversário dos Diamantes Negros


A banda Diamantes Negros nasceu oficialmente a 25 de Janeiro de 1964, formada por Álvaro José Silvestre, viola ritmo, Carlos Rodrigues, saxofone, Carlos Henriques “Xixó”, piano, guitarra solo e voz, e Carlos José “Caínhas”, bateria. Álvaro e “Caínhas” começaram por dar autênticos concertos de harmónicas de boca no largo ou na escadaria do Palácio Nacional, na Vila Velha, como é lembrado numa nota biográfica da banda.


 Os ensaios na garagem de Carlos “Xixó” passaram mais tarde para a Sociedade União Sintrense. O grupo ficou completo com Carlos Rodrigues, saxofonista da Banda Filarmónica de S. Pedro. O nascimento oficial dos Diamantes Negros, numa sala lotada da Sociedade União Sintrense, foi assinalado com a reinterpretação de temas dos Shadows, Beatles e Beach Boys. A banda alargou-se a um quinto elemento, Luís Cardoso, tendo a partir de então a formação actuado com sucesso em festivais e concursos, na televisão e até para uma fotonovela.


 A gravação de um disco em 1965 ampliou a popularidade do grupo. Em 1967, ficaram em segundo lugar num concurso nacional de bandas, no Cinema Império, em Lisboa. Em 1965, tinham superado as eliminatórias do Concurso Yé-Yé do Monumental, vencido pelos Sheiks, grupo formado inicialmente por Paulo de Carvalho, Fernando Chaby, Carlos Mendes e Jorge Barreto, com o qual partilharam notoriedade, durante algum tempo. A guerra colonial separou o grupo, embora só em 1976 tenha deixado de atuar. Mais tarde, em 2003, a banda voltou a juntar-se por ocasião de um concerto de “regresso” à música dos anos 60, no auditório do Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra.

*Texto adaptado de um artigo da Lusa.

Em 2014 no concerto comemorativo dos 50 anos dos Diamantes Negros, no Olga Cadaval.

Sem comentários: