Canção com lágrimas


Eu canto para ti um mês de giestas
Um mês de morte e crescimento ó meu amigo
Como um cristal partindo-se plangente
No fundo da memória perturbada
.
Eu canto para ti um mês onde começa a mágoa
E um coração poisado sobre a tua ausência
Eu canto um mês com lágrimas e sol o grave mês
Em que os mortos amados batem à porta do poema
.
Porque tu me disseste quem me dera em Lisboa
Quem me dera em Maio depois morreste
Com Lisboa tão longe ó meu irmão tão breve
Que nunca mais acenderás no meu o teu cigarro
.
Eu canto para ti Lisboa à tua espera
Teu nome escrito com ternura sobre as águas
E o teu retrato em cada rua onde não passas
Trazendo no sorriso a flor do mês de Maio
.
Porque tu me disseste quem me dera em Maio
Porque te vi morrer eu canto para ti
Lisboa e o sol Lisboa com lágrimas
Lisboa a tua espera ó meu irmão tão breve
Eu canto para ti Lisboa à tua espera...


Letra: Manuel Alegre
Música: António Portugal
.
Adriano Correia de Oliveira nasceu em Avintes a 9 de Abril de 1942 onde faleceu a 16 de Outubro de 1982.

Comentários

Zé-Viajante disse…
Felizmente a lembrança de Adriano.
Parece que foi apenas nos blogues...
greentea disse…
esta era lindissima!!

não a encontrei ...
pedro macieira disse…
Adriano Correia de Oliveira, uma referência da música portuguesa, uma voz pela liberdade, na altura em isso era arriscado.Está presente nas nossas memórias 30 anos após o seu desaparecimento.

Mensagens populares deste blogue

Visita à Casa Branca nas Azenhas do Mar

Frutas da Região - Pêra " Lambe-os-dedos" II

Os cedros também se abatem na Serra de Sintra