O E$TADO DA$ ARTE$ do Comendador Joe Berardo



Áreas das artes,(por agora):Quinta da Bacalhoa em Azeitão, Papelaria Fernandes, Sogrape JP Vinhos, OPA da Portugal Telecom,OPA do Millenium BCP, OPA do S.L. Benfica, financiou estudo do aeroporto de Alcochete, financiou estudo da Associação Portuense sobre o aeroporto de Lisboa, Museu Colecção Berardo no CCB, Museu de Arte Moderna de Sintra.





Nota:Gravura adaptada do "Livro da Primeira Classe" dos anos 50

Comentários

Zé-Viajante disse…
Interrogação:
Porque será que da Madeira temos tão belos exemplos (Jardim, Berardo...) ?
Anónimo disse…
Eu não me choca o Berardo em si, indigna-me sim a existência de “BERARDOS”.

No que toca a Sintra, se as entidades proprietárias dos Monumentos e Quintas, como por exemplo, só para citar os que temos mais perto,

- O SOLAR e QUINTA DE RIBAFRIA,em Cabriz,(contemporâneos da Quinta da Bacalhoa em Azeitão), e o PALACETE E QUINTA DE VITOR SASSETTI, ambos propriedade da Câmara - que não lhes conheço uso -
e as construções e QUINTA DO SALDANHA(a casa em estilo,julgo, neo-clássico, perto da Fonte da Sabuga, tão bonita, daqui a pouco em ruinas), propriedade do Patriarcado de Lisboa, diga-se, da Igreja Católica, completamente ao abandono há muitos anos, ambos na encosta do Castelo dos Mouros,

não têm capacidade para manter a sua consevação, parecia-me preferível, mesmo dentro do espírito economicista do lucro, porque não nos vamos livrar dele, que estivessem nas mãos de algum Berardo (já que temos que cohabitar com eles) que delas cuidassem e lhes desse uso.
emília reis
pedro macieira disse…
Viajante,
Pois é curioso, mas a Madeira é pequena demais para dois "cromos",
além de que o Alberto João, não o deixaria ganhar os milhões que costuma ganhar, com o seus efémeros negócios, pois lá na ilha quem ganha sempre é o Presidente...com ou sem negócio.
Um abraço
pedro macieira disse…
Berardo, será alguém que se faz amigo, que diz estar ao lado, diz que pretende ajudar, e no momento em que consegue os objectivos-esquece o que se passou, antes - e parte para outro negócio, vendendo, o que conseguiu no anterior negócio com grandes lucros.
Os Berardos não são mecenas, utilizam e apoiam na altura o que lhes interessa, seja o que seja (o apartheid por exemplo), e quando a hipótese de perder dinheiro surge, partem para outro lado colocando-se ao lado de outro poder, para aproveitar a oportunidade de ganhar dinheiro de novo.

Esse é o motivo porque não gosto dos Berardos ( a falta de principios). No caso de Sintra, percebo que face ao valores(?) actuais os particulares, e herdeiros , de património histórico na essência não lhes preocupa nada a preservação histórica das suas herdadas quintas, mas sim saber o que podem ganhar com elas...
Essas atitudes deveriam ser postas em causa por algum poder pois cria problemas de descaracterização patrimonial que deveria ser salvaguardado. Quanto ao património público, o problema é outro será incompetência, de entidades, como a que em recente intervenção um candidado à maior Cãmara de Lisboa confundiu a Epul, com o Ippar, e com a Ipal...
E ele quer ser presidente....
O Comendador Berardo, quando comprou a Quinta da Bacalhoa, que estava em completa degradação, recuperou-a sem considerar a história daquela propriedade, calcula-se o que terá acontecido...mesmo com protestos dos que acharam estar a contecer ali um crime.Também outro Comendador aqui de Sintra, tem um Palacete ilegal num local em que não se pode deitar um pinheiro abaixo,e tem em Sintra em total degradação edificios históricos, aguardar que especulação imobiliária lhe dê as mais valias que está á espera...
Como o comentário vai longo,serão assunto o voltar a discutir em próximos posts.
Um abraço

Mensagens populares deste blogue

Visita à Casa Branca nas Azenhas do Mar

Frutas da Região - Pêra " Lambe-os-dedos" II

Os cedros também se abatem na Serra de Sintra