domingo, abril 05, 2020

Vinho de Colares e Outros

Em 2012, era assim que o "rio das Maçãs", se referia a um interessante projecto de dois jovens enólogos;
"É com grande satisfação que a população de Almoçageme vê a "sua" Adega voltar a produzir o famoso vinho que a tornou conhecida internacionalmente .Actualmente a Adega Viuva Gomes, de Almoçageme é utilizada como armazém.
Este interessante projecto  empresarial utiliza as melhores uvas de cada região de Portugal. A Região Demarcada de Colares, a segunda mais antiga a seguir à Região Demarcada do Douro, é uma região vitivinícola conhecida pela suas castas Ramisco e Malvasia, plantadas em chão de areia que produzem o famoso vinho de Colares"

AdegaAlmoçageme22092012dBlogue  ."De regresso a Almoçageme, os enólogos da “Casca  Wines", Tito Gomes e Helder Cunha,  mais uma vez na Adega Viuva Gomes, para  a produção 2012 do Vinho de Colares - o branco Malvasia e o tinto Ramisco, ambos  plantadas   em chão de areia."
AdegaAlmoçageme22092012cBlogue No ano de 2010, tivemos também a possibilidade de acompanhar a actividade destes dois enólogos em Almoçageme - aqui

10 anos depois

Este Domingo no programa "Essência" da RTP3, voltámos a encontrar Helder Cunha, com a explicação da mudança de rumo que o projecto, agora empresa tem tido nestes últimos 10 anos:
Foto RTP3

"A origem do projecto foi na região de Colares. As uvas sem estarem certificadas como biológicas sempre foram biológicas em Colares, porque os  os tratamentos  que os viticultores/agricultores fazem  são tratamentos como há 100 anos atrás. Não há qualquer tipo de químico a entrar dentro da vinha - e essa foi a nossa origem, sempre nos mantivemos junto de quem protege o sítio onde vive."

Foto RTP3

Em 2020:
"Pela necessidade de ter um certificado, fomos para a região onde é fácil certificar as uvas/vinhas biológicas - a Beira interior."

Post relacionado:
https://riodasmacas.blogspot.com/2012/09/vinho-de-colares-2012.html

sexta-feira, abril 03, 2020

Estado de emegência com novas medida



03 abril 2020

O Governo aprovou, esta quinta-feira, a prorrogação do estado de emergência decretado pelo Presidente da República e lança um novo conjunto de medidas extraordinárias em resposta à situação epidemiológica do Covid-19.
As novas medidas estarão em vigor durante mais duas semanas de Estado de Emergência, que foi prolongado até 17 de abril. As medidas decretadas em 19 de março continuam em vigor.
Conheça os principais pontos do que foi anunciado:

Páscoa
Destacam-se as restrições às deslocações das pessoas, que, no período da Páscoa, entre 9 e 13 de abril ficam limitadas ao concelho de residência, sendo também proibido ajuntamentos de mais do que cinco pessoas.
A excepção é para quem tem de se deslocar para o local de trabalho, que deverá fazer-se acompanhar de uma declaração que o comprove.
No mesmo período, serão encerrados para tráfego de passageiros todos os aeroportos nacionais. Mantêm-se os voos de carga, voos de natureza humanitária, voos de repatriamento de portugueses ou voos de Estado e natureza militar.

Trabalho

Reforço das competências da Autoridade para as Condições do Trabalho. Os inspectores passarão a ter poderes para suspender qualquer despedimento com indícios de ilegalidade.

Taxas moderadoras

Isenção das taxas moderadoras para todos os doentes com Covid-19.

Limpeza das matas

Prorrogação do prazo para os proprietários procederem às limpezas das matas. Este prazo terminava a 15 de abril.

Consultas para quem chega a Portugal

Ministra da Saúde e ministro da Administração Interna irão designar países ou territórios cuja origem determina necessariamente uma consulta médica para quem chega a Portugal proveniente desses locais.

Penas de prisão 

Para proteger reclusos e quem trabalha em estabelecimentos prisionais vão ser tomadas medidas para reduzir o número de presos nas cadeias. O Presidente da República pode conceder, por razões humanitárias - a pessoas idosas ou particularmente vulneráveis -, indultos em relação às penas que estão a cumprir.
recorde-se que as medidas decretadas em 19 de março continuam em vigor até 17 de abril.
  • Via CMS

quinta-feira, abril 02, 2020

Apontamento histórico sobre o rio das Maçãs

Riodas Maças2012Bloguefinal

"As fontes árabes, tais como as portuguesas até ao séc XVI, evidenciam a importância que então detinha na região, o denominado Rio de Colares ou das Maçãs. Sabe-se hoje que, na Antiguidade, existia um esteiro navegável que ocupava todo o vale entre a actual Praia das Maçãs e  o Banzão. No período islâmico tal esteiro não estava ainda completamente assoreado, pois em Colares encontrámos e escavámos silos dessa época que continham numerosas conchas de moluscos que apenas vivem em água salobras e relativamente paradas. Aliás o profundo e rápido assoreamento da costa portuguesa a meio da respectiva fachada Atlântica é um fenómeno que sobrevem apenas a partir do séc XV, como está já largamente estudado e comprovado. A foz do Rio de Colares e o esteiro que a continuava e ligava ao mar, formavam então uma enseada que proporcionava à nossa região um verdadeiro porto e lhe estreitava os laços quotidianos com o Oceano, de uma forma que hoje nos custa a compreender privados que estamos, desde há séculos, dessa estrada natural de penetração.(...)"

Do "O Foral Afonsino de Sintra -Alguns contributos para a sua renovada intepretação e respectivo enquadramento histórico" da autoria de José Cardim Ribeiro

segunda-feira, março 30, 2020

Vergílio Ferreira em Sintra (reedição)

Monumento em homenagem a Vergílio Ferreira em Fontanelas,local onde o escritor viveu

Sintra tem o sagrado do outro lado da vida imediata e utilitária. A convulsão apazigua-se, o ruído afoga-se no silêncio da floresta, o tempo abranda-se numa lentidão genesíaca. Um banco e uma sombra tranquiliza-nos do nosso excesso e é possivel então ouvir em nós a voz que outras vozes ensurdeceram.Vergílio FerreiraSintra Património Mundial



sábado, março 28, 2020

Porque hoje é Sábado...



Onde Pus a Esperança

Onde pus a esperança, as rosas
Murcharam logo.
Na casa, onde fui habitar,
O jardim, que eu amei por ser
Ali o melhor lugar,
E por quem essa casa amei -
Decerto o achei,
E, quando o tive, sem razão para o ter

Onde pus a feição, secou
A fonte logo.
Da floresta, que fui buscar
Por essa fonte ali tecer
Seu canto de rezar -
Quando na sombra penetrei,
Só o lugar achei
Da fonte seca, inútil de se ter.

Para quê, pois, afeição, esperança,
Se tê-las sabe a não as ter?
Que as uso, a causa para as usar,
Se tê-las sabe a não as ter?
Crer ou amar -
Até à raiz, do peito onde alberguei
Tais sonhos e os gozei,
O vento arranque e leve onde quiser
E eu os não possa achar!
Fernando Pessoa*Imagem:Pinturas de Vicent Van Gogh

quarta-feira, março 25, 2020

PS-ML um mau exemplo

"A Parques de Sintra-Monte da Lua, S.A. tem, entre outras missões, a de gerir os mais importantes valores naturais e culturais situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz: o Parque e o Palácio Nacional da Pena, os Jardins e o Palácio de Monserrate, o Castelo dos Mouros, o Convento dos Capuchos, o Jardim e o Chalet da Condessa d’Edla e, desde 2012, os Palácios Nacionais de Sintra e de Queluz e a Escola Portuguesa de Arte Equestre sediada nos Jardins de Queluz, – e com apresentações no Picadeiro Henrique Calado, na Calçada da Ajuda, em Belém."

sábado, março 21, 2020

Porque hoje é Sábado...


Manuel Alegre, poema escrito em 20 de Março de 2020

Lisboa ainda

Lisboa não tem beijos nem abraços
não tem risos nem esplanadas
não tem passos
nem raparigas e rapazes de mãos dadas
tem praças cheias de ninguém
ainda tem sol mas não tem
nem gaivota de Amália nem canoa
sem restaurantes sem bares nem cinemas
ainda é fado ainda é poemas
fechada dentro de si mesma ainda é Lisboa
cidade aberta
ainda é Lisboa de Pessoa alegre e triste
e em cada rua deserta
ainda resiste.

Manuel Alegre


via:
 http://www.manuelalegre.com/301000/1/003626,000014/index.htm

sexta-feira, março 20, 2020

Emergência Nacional II



⚠ESTADO DE EMERGÊNCIA⚠
⚠Cidadãos só podem circular na via pública para algum dos seguintes propósitos⚠

✅ Aquisição de bens e serviços;
✅ Desempenho de atividades profissionais que não possam ser realizadas a partir do domicílio pessoal em regime de teletrabalho;
✅ Aquisição de suprimentos necessários e essenciais ao exercício da atividade profissional, quando esta esteja a ser exercida em regime de teletrabalho;
✅ Veja aqui todas as restrições: https://bit.ly/estadodeemergenciasintra


Estado de Emergência

*In Correio de Sintra/Edição especial

quarta-feira, março 18, 2020

Portugal em estado de emergência


A Constituição portuguesa permite dois estado de excepção: o "estado de sítio", que pode ser desencadeado em casos de guerra, de golpe de Estado ou de perturbação grave da ordem pública; e o "estado de emergência", para situações de calamidade pública como um terramoto ou uma pandemia como a da Covid-19.

O Preventório de Colares (reedição)

A Quinta do Vinagre em de Colares

PreventórioArtigo 1º, e seu primeiro parágrafo dos Estatutos Associação Preventiva da Tuberculose e na Infância dizia :
«A A.P da T., na infância,, com sede em Lisboa , tem por fim : O estabelecimento de Preventórios para o internamento segundo as prescrições técnicas, das crianças de primeira e segunda infância, filhos de pai ou mãe tuberculosos, ou em perigo de contágio pela tuberculose»

O PREVENTÓRIO DE COLARES
No início do Sec.XX existia em Colares uma instituição que dava apoio a menores necessitados, denominava-se "Preventório de Colares", tinha como impulsionadora, D.Isabel Morais Sarmento.O Preventório debatia-se desde o seu início,(1926) com problemas de ordem financeira. Para compensar essas necessidades organizava festas de recolha de fundos, fazendo apelos como o que o "Jornal de Sintra" publicava em 1938:

Pressionar imagem para ampliar

Localização
“Lá em baixo na Várzea de Colares, em pleno seio da Natureza, embalado pelo cachoar, suave ou agreste, do rio das Maçãs, fica o Preventório de Colares.Solarenga habitação, outrora remanso de brasonadas famílias, ela é na hora actual, a concepção da mais simpática organização preventiva da tuberculose na infância.(...)Tem o aspecto de paço medievo.Sólida arquitectura.O escadório, e a varanda corrida as gárgulas, colunatas e pilastras, tudo evoca docemente, misteriosamente, o passado poderio que morreu com seu brasão. (...)”
(Jornal de Sintra nº257 de 1938, artigo da autoria de A.B.)


Quinta do Vinagre, local onde existiu o Preventório
História do imóvel
O Palacete onde existiu o Preventório de Colares, foi construído no século XVI por D.Fernando Coutinho, Bispo de Silves pertenceu até princípios do século XX a D.Maria José Dik Bandeira Nobre, veio a ser adquirido mais tarde pelo Conde de Mafra que o vendeu à familia Schumberger.Hoje denomina-se Quinta do Vinagre.




domingo, março 15, 2020

Eléctrico de Sintra encerrado por tempo indeterminado.

*Foto CMS

Medidas de prevenção tomadas pela Parques de Sintra - Monte da Lua



 Monumentos de Sintra - Medidas de prevenção COVID-19

 Comunicado da PS-ML:

Como é do conhecimento público, Portugal encontra-se numa situação de introdução múltipla e transmissão local limitada relativamente à infeção pelo novo coronavírus COVID-19.
De acordo com a Direção-Geral da Saúde, verifica-se em certas regiões do País uma evolução epidemiológica que aponta para um cenário de rápido crescimento, o que aconselha à tomada de medidas mitigadoras que reduzam os riscos de infeção pelo novo coronavírus COVID-19, nomeadamente, a realização de atividades que, pelo número de participantes envolvidos, possam potenciar riscos inadequados.
Em reunião realizada esta quarta-feira nos Paços do Concelho de Sintra com o presidente da autarquia, Basílio Horta, o conselho de administração da Parques de Sintra Monte da Lua (Palácio da Pena, Castelo dos Mouros, Palácio Nacional de Sintra, Palácio Nacional de Queluz, Palácio de Monserrate) e os administradores da Fundação Cultursintra (Quinta da Regaleira), foi decidido implementar as seguintes medidas de prevenção à ameaça epidémica pelo novo coronavírus COVID-19:

1 - Suspender a aceitação de pagamentos em numerário nas bilheteiras, lojas e cafetarias destes espaços (ficando disponível apenas pagamentos por cartões bancários e aquisições online);
2 - Suspender o serviço de aluguer de audioguias;
3 - Suspender o serviço interno de Visitas Guiadas;
4 - Proibir a realização de visitas guiadas nestes espaços organizadas ou acompanhadas por guias externos;
5 - Suspender a realização das atividades de cariz cultural ou outros, independentemente do número de participantes nestes espaços.
6 - Limitar a concentração de visitantes (no caso da Regaleira 10 pessoas) no acesso a estes espaços e circulação no interior dos recintos, seja em espaços cobertos ou de exterior, reservando-se o direito de fazer cessar a permanência no interior destes espaços aos visitantes que não cumpram esta orientação.
7 - As reservas de visitas a estes espaços (livres ou guiadas) bem como ingressos em atividades culturais agendadas partir dessa data e já pagas serão objeto de devolução.
8 - Internamente, no âmbito das medidas de prevenção, os trabalhadores das bilheteiras, cafetarias e das lojas deverão reforçar o uso de luvas.
9 - Obrigatoriedade de higienização das mãos dos visitantes que acederem aos espaços.
10 - As medidas acima elencadas estarão em vigor até instruções em contrário.



*Foto de hoje, durante a tarde do Palácio da Pena

sábado, março 14, 2020

Praia Grande em tempo de pandemia


Hoje Sábado, às 15h30m, um dia de sol e a Praia  Grande com um aspecto diferente do que seria normal. Um sinal importante, que denota o cumprimento das medidas de prevenção e de quarentena necessárias neste momento - para evitar a propagação do surto de COVID-19.


quarta-feira, março 11, 2020

Cancelamento de eventos da Parques de Sintra - Monte da Lua


"A Parques de Sintra – Monte da Lua, seguindo as recomendações da Direção-Geral da Saúde e em sintonia com as medidas anunciadas pela Direção-Geral do Património Cultural, decidiu suspender temporariamente todos os eventos culturais e atividades programados.
Esta é uma decisão de precaução e sentido de responsabilidade, que resulta de um acompanhamento atento da evolução da COVID-19 em Portugal. Para além disso, obedece ao plano de contingência previamente elaborado e implementado pela Parques de Sintra – Monte da Lua nos vários equipamentos sob sua gestão.
A suspensão temporária da programação abrange todas as iniciativas em curso ou já divulgadas, sejam em espaços fechados ou ao ar livre. Em causa estão, nomeadamente, o ciclo Serões Musicais, com concertos agendados para todas as sextas-feiras e sábados de março, e a Celebração do Dia da Música Antiga, prevista para o dia 21 de março.
O cancelamento de eventos culturais e atividades programadas não afeta, para já, as visitas diárias aos parques e monumentos sob gestão da Parques de Sintra Monte da Lua. Contudo, a situação continuará a ser acompanhada e serão tomadas as medidas necessárias em função da evolução da COVID-19 em Portugal."
Fonte: PS-ML

terça-feira, março 10, 2020

Medidas preventivas para Sintra motivadas pelo COVID-19


Plano de contigência

O Presidente da Câmara de Sintra, na qualidade de Director do Plano Municipal de Contingência, decidiu pela adopção das seguintes medidas:


  1. "Suspensão de serviços de atendimento presencial, exceto em Espaços/Loja do Cidadão, Posto de Turismo do Cabo da Roca e serviços municipais de saúde humana e animal, privilegiando os contactos telefónicos e via e-mail;
  2. Cancelamento de todas as atividades e eventos públicos da responsabilidade do Município ou nos quais este seja parceiro, designadamente espetáculos/eventos sociais, culturais, desportivos e/ou recreativos;
  3. Encerramento de museus e salas de espetáculo municipais, salvo no que respeita à realização de eventos de natureza privada;
  4. Encerramento de bibliotecas, centros lúdicos e outros equipamentos municipais dirigidos a crianças e jovens;
  5. Suspensão das atividades desenvolvidas nas piscinas e pavilhões municipais, independentemente da sua natureza;
  6. Recomendar o reforço de medidas de prevenção a aplicar nos pavilhões escolares quanto ao desenvolvimento de atividades de natureza privada autorizadas pelo Município;
  7. Dirigir às juntas de freguesia, bem como às entidades parceiras do Município (associações humanitárias de bombeiros, IPSS, associações recreativas, culturais e desportivas, etc.) recomendação no sentido de estas suspenderem todas as atividades e eventos que impliquem concentração de participantes;
  8. Recomendar aos estabelecimentos de prestação de serviços coletivos (cantinas, ginásios, piscinas, etc.) o reforço das medidas de prevenção, em alternativa à suspensão ou encerramento;
  9. Recomendar às confissões religiosas a suspensão de atos de culto que impliquem a concentração de pessoas;
  10. Recomendar à população em geral que se abstenha da frequência de quaisquer eventos que impliquem a concentração de pessoas, nomeadamente espetáculos, feiras e festas populares;
  11. Recomenda-se, ainda, à população em geral que siga todas as indicações das autoridades de saúde no que respeita à prevenção da infeção pelo novo coronavírus (COVID-19).
O conjunto de medidas referidas nos pontos que antecedem, serão objeto de ampla divulgação junto dos seus destinatários, nomeadamente através de edital a fixar nos locais de estilo e dos meios tecnológicos disponíveis.
As medidas produzem efeitos a partir da data do despacho * e vigorarão pelo período estritamente necessário a assegurar os fins em vista".

* 10/03/2020

Fonte:
https://cm-sintra.pt/atualidade/solidariedade-social/saude/covid-19-sintra-adota-medidas-preventivas

segunda-feira, março 09, 2020

Os 130 anos dos Bombeiros Voluntários de Colares


A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Colares, comemoram  hoje 130 anos da sua fundação.

Transcrito parcialmente da página da Internet dos Bombeiros Voluntários de Colares "

 (...)É facto provado que a Associação dos Bombeiros Voluntários de Colares, a primeira a ser criada no Concelho de Sintra, iniciou serviços operacionais em 9 de Março de 1890, com a inauguração da sua “Estação de Incêndios”, embora os seus primitivos Estatutos só tivessem sido aprovados por Alvará do Governo Civil de Lisboa datado de 22 de Junho de 1892. De entre as 27 pessoas que integraram a comissão que redigiu e assinou esses Estatutos, destacamos os nomes de:• José Inácio da Costa, natural de Colares, um dos fundadores do Montepio e benemérito que muito contribuiu para vários melhoramentos em Colares, como a fundação a expensas suas de uma banda de música integrada no Corpo de Bombeiros, a construção da estrada para a Praia das Maçãs, etc.; • Eduardo Rodrigues da Costa, também natural de Colares, que veio a ser o primeiro Chefe da Esquadra e depois o Comandante do Corpo de Bombeiros e doador do material com que este iniciou as suas actividades;• António Maria Dias Pereira Chaves Mazziotti, também ele natural de Colares, que durante 17 anos foi Secretário da Junta do Crédito Público, em representação do Governo e, em várias legislaturas, de 1880 a 1908, foi Deputado pelo Partido Progressista, representando os Círculos de Sintra, Lisboa e Beja.Pelo menos até 1892, o novo Corpo de Bombeiros constituiu a 5ª Esquadra da Real Associação dos Bombeiros Voluntários da Ajuda, de que era então Comandante o Príncipe D. Afonso Henriques, Duque do Porto e irmão do Rei D. Carlos I.Com esta nova Esquadra, os Bombeiros da Ajuda, passaram então a estar estruturados como segue: 1.ª Esquadra, no Palácio da Ajuda, chefiada por João Luís Duarte; 2.ª Esquadra, na Casa Pia, chefiada por Eugénio L. Oliveira; 3.ª Esquadra, no Palácio da Necessidades, chefiada por Eugénio L. Oliveira; 4.ª Esquadra, no Hospital S. José, chefiada por Artur Mena; 5.ª Esquadra, em Colares, chefiada por Eduardo Rodrigues da Costa."

domingo, março 08, 2020

Os 15 anos da Alagamares

Decorreu ontem em Sintra, o jantar comemorativo do 15º aniversário da Alagamares.
A intervenção musical do evento abrilhantado musicalmente por um trio composto por  Miguel, Luísa e Diogo Águas.
Alagamares: "sempre na estrada, nunca na berma", o lema para 2020! 

Ermida de Santa Eufémia



"A capela de Santa Eufémia a sua casa de banhos, cuja fama de milagrosos ainda hoje corre.
Não conserva já o pittoresco aspecto d’outros tempos, a fonte de Santa Eufémia e a sua minuscula casa de banhos.
Construcções modernas ali feitas ultimamente, para installação das cavallariças reaes e aposentaria da respectiva creadagem, destruiram os enormes alcantilados penedos que na encosta sobranceira á fonte se amontoavam, dando-lhe aquelle encantador aspecto que para as almas simples que na milagrosa agua procuravam alivio, como que as alheava do mundo aproximando-as do céo."
Fonte- "Cintra Pinturesca ou Memoria Descriptiva das Villas de Cintra e Collares" de António A.R.Cunha, edição de 1905.

quinta-feira, março 05, 2020

9º Festival de Artes perfomativas - PERIFERIAS


Casa do Teatro de Sintra, Centro Cultural Olga Cadaval, Auditório do Centro Cultural da Paróquia de Rio de Mouro, Auditório Municipal António Silva,Cacem,Casa da Cultura Lívio de Morais (Mira Sintra),Casarão da Lua (almoçageme),Salão Nobre da Junta de Freguesia Casal de Cambra.


quarta-feira, março 04, 2020

PS-ML apresentou o Plano de Gestão Florestal para 2020


A Parques de Sintra - Monte da Lua, fez hoje no Palácio Valenças a apresentação Pública do Plano de Gestão Florestal para 2020, para  uma assistência atenta e conhecedora dos vários aspectos relacionados com a serra de Sintra. Serra  que a PS-ML gere  apenas 1200 hectares dos 4.000 existentes,


Engº Nuno Oliveira. ladeado por dois técnicos da PS-ML (Carla Abrantes e Diogo), e por uma técnica da CMS (Sofia), apresentaram o plano de gestão para este ano, do perímetro florestal da sua responsabilidade na serra de Sintra.

Foi mencionado, intervenções na Tapada do Saldanha, para eliminação de espécies infestantes, assim como plantações de 60.000 novas árvores, por equipas de voluntários e equipas do PSML,numa área de 62 hectares.

Durante 2020 ocorrerá  a recuperação dos Parque de Merendas D.Miguel e das Pedras irmãs. Vão ser instalados 35 portões de madeira em vários caminhos, permitindo a passagem pedonal, de ciclistas e cavalos, impedindo a passagem de veículos motorizados.

Também será colocada nova signalética. Segundo a PS-ML, continuarão as intervenções nas faixas de gestão combustível como preconiza a actual legislação.

Também na área da biodiversidade o plano prevê a continuidade de alguns trabalhos e estudos iniciados em 2019, como substituição e colocação de portas em minas de água para  morcegos.


terça-feira, março 03, 2020

Robert Southey e Sintra

Sintra é talvez mais bela do que sublime, mais grotesca do que bela, e todavia nunca em minha vida contemplei quadro algum que mais apto fosse a encher o espectador de prazer e admiração...Respirar o ar de Sintra é, por si só, um prazer inefável.

Robert Southey
(1774-1843)

sexta-feira, fevereiro 28, 2020

quinta-feira, fevereiro 27, 2020

Postal das Azenhas do Mar

Azenhas do Mar

"(...) Há, porém, qualquer coisa que, felizmente não foi atingida pelas realizações arquitectónicas dos promotores do seu progresso(1). Refiro-me a um  paredão feito da própria penedia, orlado por uma simples balaustrada sobranceira às ondas, construído à entrada das Azenhas do Mar e donde os nossos olhos podem estender-se sôbre o largo.
A perpectiva é tão erma e tão grandiosa que chega a ser perturbadora.Dir-se-ia uma varanda sôbre o infinito. Apenas céu e oceano.Entre os azuis religiosos das duas imensidades, insensívelmente a alma  desprende-se-nos dos pequenos nadas da vida quotidiana. As nossas ambições as nossas vaidades, as nossas querelas. tudo é tão pequeno, tudo tão inútil, tão insignificante em face daquele deserto insondável, daquela cúpula profunda e sem limites...
Diante de nós alargam-se os horizontes e naquela solidão onde anda suspensa uma interrogação eterna, como que nos sentimos a sós com o nosso próprio destino.
Perto desce a povoação das Azenhas do Mar em coleados pitorescos até à beira da água  formando um promontoriozinho que avança sobre o mar num recorte mais saliente da costa."

Oliva Guerra, "Roteiro Lírico de Sintra" 1940

(1) Referência às construções na Praia das Maçãs, das "dúzias de Chalets acatitados- na maior parte de tão mau gosto..."

*Oliva Correia de Almada Meneses Guerra, nascida no Concelho, e em cuja obra como poetisa, musicóloga e cronista procurou não só contribuir para a vida cultural do concelho, mas também promovê-lo além fronteiras.
Das suas várias actividades destaca-se o seu trabalho como presidente do conselho director do Instituto de Sintra, que em conjunto com a Câmara Municipal de Sintra era responsável pela dinamização cultural do concelho, e a edição, de autor, dos livros Serenidade, Passos ao Longe e Roteiro Lírico de Sintra, bem como a sua actividade de cronista em jornais como o Diário de Lisboa e Diário Popular.

Oliva Guerra nasceu em Sintra em 1898, e veio a falecer em 1982.

terça-feira, fevereiro 25, 2020

Corso carnavalesco do MTBA desfila com mau tempo


Fotos em 25/02/2020

O Grupo União Recreativo e Desportivo MTBA , que engloba as aldeias de Magoito, Tojeira, Bolembre e Arneiro dos Marinheiros , organizou-se mais uma vez para festejar o Carnaval. Ao contrário de outros desfiles, por este País fora o MTBA, enfrentou o mau tempo, fazendo o desfile programado nesta  chuvosa terça- feira de carnaval.

Chuva e nevoeiro este ano na terça - feira de carnaval
Enfrentar a intempérie com sorrisos

domingo, fevereiro 23, 2020

Carnaval 2020 em Cambelas

 Cambelas - Freguesia de São Pedro da Cadeira (Torres Vedras), voltou este ano a recriar o "Carnaval à antiga".

Ao longo da aldeia  podem ser vistos variadíssimos bonecos criados pela população desta simpática aldeia.

Pelas ruas da aldeia

Com humor sempre presente
  


Retrato com sentido realista