quinta-feira, março 30, 2017

Visita de hoje ao Parque Natural Sintra- Cascais

Fotos de hoje, na intercepção  da N9 com a estrada que vai para a Malveira da Serra - um troço interior da estrada florestal, que devia ser visitado por todos, para se perceber melhor o crime ambiental que o ICNF pretende levar a cabo no PNSC.


Quercus, defende que corte seja cancelado e reavaliados os critérios.


"A Quercus tem recebido queixas devido à marcação de milhares de árvores para abate em perímetros florestais geridos pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, no Parque Natural de Sintra-Cascais.

Segundo o ICNF - Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, a intervenção que está a ser preparada nos Perímetros Florestais da Serra de Sintra e Penha Longa e mais especificamente, na envolvente aos arruamentos públicos (EN9-1 troço entre a Lagoa Azul e a Malveira da Serra, Estrada Florestal Malveira-Portela e acesso à Barragem do Rio da Mula) tem como principais objetivos melhorar a segurança de pessoas e bens e garantir o bom desenvolvimento das espécies autóctones presentes no sub-bosque, as quais na base dos bosquetes de folhosas características da zona.

Foi efetuada uma visita à área onde as árvores foram sujeitas ao “Auto de Marca” e nada parece justificar a necessidade de corte de árvores em bom estado fitossanitário até 50 metros da EN9-1, entre a Penha Longa e a Malveira da Serra. Para a manutenção da segurança de pessoas e bens devem apenas ser identificadas para abate as árvores em risco de queda, após análise técnica rigorosa, o que evitaria o corte de árvores em que o objetivo evidente, apenas pode ser o Estado receber pela venda da madeira.

A Quercus defende o cancelamento do corte e a reavaliação dos critérios para corte de árvores no Parque Natural de Sintra-Cascais (PNSC). Existe um risco de propagação das Acácias invasoras exóticas existentes, que são favorecidas pelo corte dos pinheiros-bravos autóctones.

Não se compreende que nesta época de perda acelerada de biodiversidade e de urgência em manter as florestas existentes no planeta, como forma de combate às alterações climáticas, o Estado promova abates de árvores dentro de Áreas Protegidas.

A Serra de Sintra, para além de ser uma área protegida é também, devido à sua paisagem, classificada como Património Mundial da UNESCO, pelo que qualquer intervenção, deve ser criteriosamente fundamentada.

Já existe um grupo de cidadão a alertar no Facebook “Salvem as Árvores do Anel da Morte” que merece solidariedade…

A Quercus apela ao cancelamento do corte e reavaliação dos critérios do Auto de Marca promovido pelo ICNF, dado que não se compreende que em áreas vocacionadas para a conservação da natureza e lazer dos municípios de Cascais e Sintra sejam efetuados cortes rasos."

Lisboa, 30 de Março de 2017

A Direção Nacional da Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza


Fotos de hoje  de alguns exemplos da paisagem marcada, nesta zona do Parque Natural Sintra-Cascais


Foto de 30-03-2017
Foto de 30-03-2017
Foto de 30-03-2017
Foto de 30-03-2017
Foto de 30-03-2017

Posts relacionados
http://riodasmacas.blogspot.pt/2017/03/visita-do-icnf-ao-pnsc.html
http://riodasmacas.blogspot.pt/2017/03/plantar-arvores-em-monserrate-na-area.html
pnsc.htmlhttp://riodasmacas.blogspot.pt/2017/03/a-madeira-os-pinheiros-e-o-falcao-no.html
http://riodasmacas.blogspot.pt/2017/03/crime-ambiental-no-pnsc.html


Momentos do dia de ontem com Sol, na Praia Grande


Tempo com sol e vento forte de Sul, provocou mar agitado, hoje na Praia Grande

A piscina da Praia Grande foi fustigada pela forte rebentação

Via IPMA


Notas:
  • Setas indicam a direcção da corrente.
  • Valores < 0.1 ms-1 sem seta
  • Setas brancas ou pretas têm o mesmo significado, apenas para melhor visualização.
Fonte

terça-feira, março 28, 2017

Visita do ICNF ao PNSC


Ver a árvore e não ver a floresta

Hoje o  Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) , e uma Delegação  da Comissão de Ambiente  Ordenamento do território e Poder local da A.R, estiveram numa rápida  visita ao Parque Natural Sintra-Cascais, com o objectivo da Comissão  da A.R, ouvir no terreno algumas explicações  sobres a decisão de abater 1400 (1)  árvores
  ( Pinheiros  bravos, ciprestes e acácias) 
Foto do momento da visita do ICNF

O registo seguinte, após algum tempo de argumentação por parte do ICNF, na defesa da necessidade do abate de 1400 (1)  árvores no PNSC, junto ao primeiro pinheiro marcado, em frente ao portão  da Penha Longa - pinheiro rodeado de  acácias, que foi utilizado como  exemplo dos motivos da decisão  de abate de milhares de  árvores.


O Deputado e delegação  do ICNF e o pinheiro marcado para abate

Por falta de tempo a representação  do ICNF, e delegação da Comissão do Ambiente, Ordenamento do  território e Poder local, da A.R, terminaram ali a visita , nao podendo  assim verificar a situação das outras 1399 (1)  árvores  marcadas, e em estados bastante diferentes do exemplo utilizado nesta visita.

Afirmado  ainda pelo ICNF, que numa segunda observação  poderá haver árvores já  marcadas que não serão. abatidas O abate está  previsto  acontecer  de 1 de Junho a 15 de Dezembro.

Ficou de ser agendada nova visita.


Encontro na estrada florestal com muitas árvores marcadas para abate
(1)Contagem do ICNF 

Baile das Camélias 2017

A Sociedade União Sintrense voltou a vestir-se a rigor para receber a 76ª edição do tradicional Baile das Camélias, que se realizou no dia 25 de março, ao som da banda Vice-Versa.




. A tradição da noite das Camélias remonta a 19 de Março de 1941, quando um grupo de sintrenses decidiu organizar esta festa. Na época havia grande rivalidade entre os jardineiros das quintas, e a noite das camélias era preparada pelos trabalhadores das quintas existentes em Sintra que queriam exibir as flores mais bonitas. Por isso e após a festa, decorria o baile dos jardineiros.


Fotos em 25/03/2017
Fotos em 25/03/2017
Fotos em 25/03/2017

domingo, março 26, 2017

Necessário agir para salvar as árvores do Parque Natural Sintra-Cascais


Um video de
Alex Panagopulos

Plantar árvores em Monserrate na área protegida do Parque Natural Sintra-Cascais


Ontem na Serra de Sintra

Enquanto o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF)  e  o desaparecido PNSC, pretendem  escandalosamente  a desflorestação  de  uma parte da zona protegida do Parque Natural, (para a tranformar em  receita ignóbil, do seu orçamento, e com C.M. de Sintra, a olhar para o lado), no Sábado,  com a Alagamares um grupo de cidadãos - como reacção, e simbolismo - plantaram em Monserrate 50 árvores.

Foto-reportagem de um dia na Serra de Sintra

inicío da missão em Monserrate
Atravessar lagoa e ribeira na Serra de Sintra
Plantar 50  Amieiros e Freixos
Fotos em 25/03/2017
Missão  terminada com sucesso


sábado, março 25, 2017

A madeira, os pinheiros e o Falcão no PNSC

No Correio da Manhã: "Cerca de 1200 pinheiros bravos, ciprestes, acácias e cedros vão ser abatidos na serra de Sintra e Penha Longa, numa área florestal sob gestão do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF)"
Ontem  no Parque Natural Sintra _ Cascais, um falcão  rodeado de pinheiros com circulos vermelhos, talvez a observar alterações no seu habitat.
Falcão num ramo de um pinheiro,exactamente onde ICNF e PNSC, pretendem destruir as manchas de pinheiros, zona que devia estar protegida do Parque Natural Sintra Cascais
 Muitas marcas vermelhas numa floresta ainda verde

“As árvores não se encontram em fim de vida, nem em mau estado fitossanitário, nem em concorrência directa com as espécies autóctones, que escasseiam nas áreas a intervir”, contrapôs à Lusa uma fonte dos serviços do ICNF, que pediu para não ser identificada.
Jornal Publico 

sexta-feira, março 24, 2017

Crime ambiental no PNSC

Milhares de pinheiros na zona da Lagoa Azul, no Parque Natural de Sintra-Cascais, estão a ser marcados para abate pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) numa extensão de cerca de cinco quilómetros

Hoje fizemos uma visita ao Parque Natural Sintra Cascais

E se uma imagem vale mais que 1000 palavras...
Foto em 24 /03/2017

Fotos em 24 /03/2017
                               
Foto em 24 /03/2017

Foto em 24 /03/2017

Nem só os Pinheiros estão marcados para abate

Fotos em 24 /03/2017

quinta-feira, março 23, 2017

Árvores de Sintra - o que fazer?

Milhares de pinheiros na zona da Lagoa Azul, no Parque Natural de Sintra-Cascais, estão a ser marcados para abate pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) numa extensão de cerca de cinco quilómetros.


Resposta do ICNF ao nosso pedido de informações sobre os abates de arvores previstos para o PNSC


Exmo. Senhor António Pedro Maceira,


Por determinação da Direção do Departamento de Conservação da Natureza e das Florestas de Lisboa e Vale do Tejo,  vimos dar resposta à sua mensagem sobre o assunto em epigrafe,  informando o seguinte:

1.            A intervenção que está a ser preparada nos Perímetros Florestais da Serra de Sintra e Penha Longa e mais especificamente, na envolvente aos arruamentos públicos (EN9-1 troço entre a Lagoa Azul e a Malveira da Serra, Estrada Florestal Malveira-Portela e acesso à Barragem do Rio da Mula) tem como principais objetivos melhorar a segurança de pessoas e bens e garantir o bom desenvolvimento das espécies autóctones presentes no sob-bosque, as quais na base dos bosquetes de folhosas características da zona.

2.            Para tal foi feito um “Auto de Marca”, a incidir sobre exemplares arbóreos em fim de vida/com sinais de instabilidade/ em mau estado fitossanitário e/ou em concorrência direta com exemplares de espécies autóctones (sobreiros, carvalhos, medronheiros, folhados, freixos, amieiros, entre outros);

3.            O “Auto de Marca” incide sobre exemplares de espécies pioneiras e/ou exóticas como sejam pinheiros-bravos, ciprestes e acácia e visa o abate destes mesmos exemplares.

4.            O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, IP, enquanto entidade gestora dos referidos Perímetros Florestais tem responsabilidades acrescidas em Sintra, que extravasam as estritas competências florestais e derivam da intensa utilização destes espaços públicos, para atividades de recreio e lazer das populações locais e outros utilizadores, pelo que é fundamental assegurar que estas atividades decorram sem que seja posta em causa a integridade física destes utilizadores e sem descurar as preocupações com a conservação da natureza e da biodiversidade.

5.            O Auto de Marca foi executado por funcionários do ICNF, IP, com o respetivo acompanhamento técnico.

Na expectativa que estes esclarecimentos tenham ido ao encontro das suas preocupações.


Com os melhores cumprimentos.

Cristina Cabaço
Secretariado do Parque Natural de Sintra-Cascais
Departamento de  Conservação da Natureza e das Florestas de Lisboa e Vale do Tejo
Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, IP

quarta-feira, março 22, 2017

Noticias tristes para as árvores de Sintra

Via Jornal Publico,

Milhares de pinheiros vão ser abatidos na Serra de Sintra

O PEV denuncia o abate iminente de milhares de pinheiros na zona da Malveira da Serra. Os Verdes querem ouvir o presidente do Instituto de Conservação da Natureza sobre esta "gestão economicista" do parque natural.


Milhares de pinheiros na zona da Lagoa Azul, no
 Parque Natural de Sintra-Cascais, estão a ser marcados
 para abate pelo Instituto de Conservação da
 Natureza e Florestas (ICNF) numa extensão de
cerca de cinco quilómetros.
 A denúncia é d'Os Verdes que querem explicações
do presidente daquele instituto.
Outro alerta para o abate no
 Parque Natural Sintra-Cascais



Foto de Carmo Mozer

** RAZIA BRUTAL /
/ Todas as árvores marcadas com um círculo cor de laranja são para abater. São centenas delas (sim, centenas!) ao longo das estradas da serra de Sintra. Hoje abordei quem estava a fazer as marcações e a explicação dada foi a seguinte: "Estas árvores podem cair sobre a estrada e para além do mais não deixam passar carros grandes. Pode ficar descansada que já cá ando há uns bons anos e sei bem o que estou a fazer"... Não faço ideia qual a entidade responsável, mas parece-me que estão a ser bastante radicais. Entristece-me muito ver a serra de Sintra a ser tão mal tratada... /*
Carmo Mozer

Pedidos de explicações ao ICNF/PNSC

Resposta do ICNF à Alagamares
Exmos(as) Senhores(as),


Por determinação da Direção do Departamento de Conservação da Natureza e das Florestas de Lisboa e Vale do Tejo,  vimos dar resposta à vossa mensagem sobre o assunto em questão,  informando o seguinte:

1.            A intervenção que está a ser preparada nos Perímetros Florestais da Serra de Sintra e Penha Longa e mais especificamente, na envolvente aos arruamentos públicos (EN9-1 troço entre a Lagoa Azul e a Malveira da Serra, Estrada Florestal Malveira-Portela e acesso à Barragem do Rio da Mula) tem como principais objetivos melhorar a segurança de pessoas e bens e garantir o bom desenvolvimento das espécies autóctones presentes no sob-bosque, as quais estão na base dos bosquetes de folhosas características da zona.

2.            Para tal foi feito um “Auto de Marca”, a incidir sobre exemplares arbóreos em fim de vida/com sinais de instabilidade/ em mau estado fitossanitário e/ou em concorrência direta com exemplares de espécies autóctones (sobreiros, carvalhos, medronheiros, folhados, freixos, amieiros, entre outros);

3.            O “Auto de Marca” incide sobre exemplares de espécies pioneiras e/ou exóticas como sejam pinheiros-bravos, ciprestes e acácia e visa o abate destes mesmos exemplares.

4.            O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, IP, enquanto entidade gestora dos referidos Perímetros Florestais tem responsabilidades acrescidas em Sintra, que extravasam as estritas competências florestais e derivam da intensa utilização destes espaços públicos, para atividades de recreio e lazer das populações locais e outros utilizadores, pelo que é fundamental assegurar que estas atividades decorram sem que seja posta em causa a integridade física destes utilizadores e sem descurar as preocupações com a conservação da natureza e da biodiversidade.

5.            O Auto de Marca foi executado por funcionários do ICNF, IP, com o respetivo acompanhamento técnico.

Na expectativa que estes esclarecimentos tenham ido ao encontro das suas preocupações.


Com os melhores cumprimentos.

Cristina Cabaço
Secretariado do Parque Natural de Sintra-Cascais
Departamento de  Conservação da Natureza e das Florestas de Lisboa e Vale do Tejo
Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, IP

Tambem  pedimos explicações ao ICNF/PNSC.

Tomando conhecimento de abates de pinheiros na area protegida do PNSC, estando informado da grande dimensao da area atingida, solicitava acesso ao plano da intervencao, e as suas razoes. assim como acesso a documentacao que suporta essa intervencao, sendo uma area protegida.
Cumprimentos
A.pedro Macieira

Morangos de Sintra

Peça em louça de criança com Morangos  (foto de Filipe Dias)

Uma curiosa história ja com alguns anos, permite agora ser publicada por gentileza de Filipe Dias, que nos fez chegar foto que publicamos. Nos anos 60 numa drogaria, que na altura havia no Mucifal , foi encomendada a uma fábrica de Alcobaca, pequenas figuras em louça representando um casal de crianças com um cesto de morangos, em ligação com os  tradicionais e  apreciados Morangos de Sintra.

Não foi possivel encontrar o par desta peça, mas poderá ser com a publicação deste post,  surja a possibilidade de alguem ainda possuir exemplares deste casal de  saloios de Sintra.

Os Morangos de Sintra
Esta qualidade de morangos, e muito dificil de encontrar nos nossos dias, por contágio de plantas de outros tipos  de  morangos usadas pelo agricultores. Em 2014, ainda tivemos a oportunidade de os fotografar. Morangos  de Sintra, que são  cada vez mais raros.

Foto de 2014 dos Morangos de Sintra, adquiridos em Colares

terça-feira, março 21, 2017

Primavera 2017



A Primavera , é a estação do ano que se segue ao Inverno e precede o Verão. É tipicamente associada ao reflorescimento da flora terrestre.

Foto no Mucifal/Colares

segunda-feira, março 20, 2017

O tempo das andorinhas


Quando há temperatura baixa, as andorinhas juntam-se em bando e vão à procura de locais da Europa mais quentes, indo também para o norte de África. Depois, quando a temperatura volta a subir, por volta da Primavera, regressam novamente. Chegaram agora a Colares.


Foto de hoje mesmo, no Mucifal/Colares


domingo, março 19, 2017

A visita do UC-45J Expedidor a Sintra (reedição)

BaseAbertaN944005092015Bblog.jpg
O Beechcraft UC-45J,N9440 em voo preparando a aterragem na BA1 em Sintra

Aconteceu durante o evento de Base Aberta na BA1 em Sintra, em 5 de Setembro de 2015 - talvez a surpresa do dia, a aterragem do UC-45J Expedidor. Aeronave reconstruída nos EUA, e que agora voa em Portugal.
BaseAbertaN944005092015blog.jpg
BA1

"O Beechcraft Model 18 é um avião norte-americano bimotor monoplano de asa baixa, de construção metálica semi-monocoque, para seis passageiros e dois pilotos. O projecto da aeronave era bem convencional, excepto pela deriva dupla. Foi fabricado por mais de trinta anos, entre 1937 e 1970, atingindo mais de 9.000 unidades. Por outro lado, a motorização sofreu várias modificações com o tempo, sempre buscando o aumento da carga útil e uma maior velocidade.
Inicialmente, foi utilizado por companhias de transporte do Canadá. Seguiram-se diferentes versões militares durante a Segunda Guerra Mundial. As principais foram a C-45 (ligação e transporte), a AT-7 (treinamento de navegação), a AT-11 (bombardeiro de treinamento) e a F2 (fotografia e reconhecimento). Após a guerra, surgiu a primeira versão comercial do denominada Model D18S. Esta versão estava equipada para transportar oito passageiros, possuía um alcance maior e aumento da carga útil."
Na Wikipédia
BaseAbertaN944005092015Fblog.jpg
O UC-45J  na pista da Granja do Marquês
BaseAberta2Aviao05092015bbloglogjpg.jpg

Airline: Privado
Aircraft: Beech UC-45J Expeditor

Country: Portugal
Registration: N9440     CN: 66464
Photo Date: Setembro,05 de 2015
A rara visita a Sintra deste "pássaro" com 69 anos de idade!
BaseAberta2Aviao05092015b logjpg.jpg
Post relacionado:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2015/09/no-dia-de-base-aberta-na-granja-do.html