segunda-feira, dezembro 31, 2018

Um Ano Novo




RECEITA DE ANO NOVO

Para você ganhar belíssimo Ano Novo 
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz, 
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido 
(mal vivido talvez ou sem sentido) 
para você ganhar um ano 
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, 
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser; 
novo 
até no coração das coisas menos percebidas 
(a começar pelo seu interior) 
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, 
mas com ele se come, se passeia, 
se ama, se compreende, se trabalha, 
você não precisa beber champanhe ou qualquer outra birita, 
não precisa expedir nem receber mensagens 
(planta recebe mensagens? 
passa telegramas?) 

Não precisa 
fazer lista de boas intenções 
para arquivá-las na gaveta. 
Não precisa chorar arrependido 
pelas besteiras consumadas 
nem parvamente acreditar 
que por decreto de esperança 
a partir de janeiro as coisas mudem 
e seja tudo claridade, recompensa, 
justiça entre os homens e as nações, 
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, 
direitos respeitados, começando 
pelo direito augusto de viver. 

Para ganhar um Ano Novo 
que mereça este nome, 
você, meu caro, tem de merecê-lo, 
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, 
mas tente, experimente, consciente. 
É dentro de você que o Ano Novo 
cochila e espera desde sempre.
Carlos Drummond de Andrade , "Receita de Ano Novo". Editora Record. 2008.

sábado, dezembro 29, 2018

Porque hoje é Sábado...



https://coruja-prof.blogspot.com/2018/12/abelhas-sao-declaradas-os-seres-vivos.html

"A ciência já descobriu que as Abelha podem estar viciadas em agrotóxicos. Os pesticidas causam a morte das produtoras de mel e o se desaparecimento pode acabar com a humanidade. Graças a isso há dez anos o Royal Geographical Society de Londres declarou as abelhas como seres vivos insubstituíveis."

sexta-feira, dezembro 28, 2018

A estrofe do rio das Maçãs (reedição)

Na passagem por Colares


*Das maçana appelido então tomei

Que no mundo me faz tão conhecido
E hum caso aconteceo que vos direi
Quando corri furioso, e atrevido:
Porque tam longe as ondas penetrei
Neptuno se mostrou mais offendido,
Queixando-se que entrei mais Soberano
Que no seu Oceano outro Oceano.


A foz no Oceano Atlântico na Praia das Maçãs

*Estrofe da "Fábula do Rio das Maçãs" do séc XVII, de D. Francisco de Mello e Castro

quinta-feira, dezembro 27, 2018

Horário de Inverno 2019 do Eléctrico da Praia das Maçãs

Horário do Eléctrico para 2019

O  horário para o ano de 2019 do Eléctrico de Sintra entra em vigor no dia 01 de Janeiro de 2019

 Estará em funcionamento até 24 de Março

quarta-feira, dezembro 26, 2018

D.Pedro I e as vinhas de Colares (reedição)

Pergaminho de 1362

D. Pedro I quita a Afonso Domingues, seu almoxarife na vila de Sintra, o pagamento do quarto relativo a uma vinha que este tinha no reguengo de Colares.(D.Pedro I,Rei de Portugal, 1357-1367 )
Documento retirado do Arquivo Histórico da CML

Foto :Alagamares
Fonte:AML-AH, Chancelaria Régia, Livro II de D. Dinis, D. Afonso IV e D. Pedro I, doc. 32.
Arquivo Histórico da Câmara Municipal de Lisboa

segunda-feira, dezembro 24, 2018

Porque amanhã é Natal



Natal, e não Dezembro
Entremos, apressados, friorentos, 
numa gruta, no bojo de um navio, 
num presépio, num prédio, num presídio, 
no prédio que amanhã for demolido... 
Entremos, inseguros, mas entremos. 
Entremos, e depressa, em qualquer sítio, 
porque esta noite chama-se Dezembro, 
porque sofremos, porque temos frio. 

Entremos, dois a dois: somos duzentos, 
duzentos mil, doze milhões de nada. 
Procuremos o rastro de uma casa, 
a cave, a gruta, o sulco de uma nave... 
Entremos, despojados, mas entremos. 
Das mãos dadas talvez o fogo nasça, 
talvez seja Natal e não Dezembro, 
talvez universal a consoada. 

David Mourão-Ferreira, in 'Cancioneiro de Natal'

sexta-feira, dezembro 21, 2018

Sobre a antiga cadeia de Sintra


O edifício da antiga cadeia de Sintra edificado junto à estação da CP, nos terrenos  do antigo cemitério, foi inaugurada no mesmo dia  do edifício da Câmara Municipal, antigos Paços do Concelho ( ambos projectos do arquitecto Adães Bermudes), em 13 de de Junho de 1909, durante as Festas da Primavera de Sintra.
Actualmente a antiga cadeia  tem estado ocupada pela Associação de Escoteiros de Portugal.


A "Gazeta dos Caminhos de Ferro" os escoteiros de Sintra e o "Jornal de Sintra" em 1935
Photobucket

Na "Gazeta dos Caminhos de Ferro" nº1136 de 16 de Abril 1935

Escotismo e Escutismo

* A Associação dos Escoteiros de Portugal (AEP) é uma organização juvenil e civil de carácter educativo.Foi a primeira instituição escotista portuguesa, fundada em 6 de Setembro de 1913.
Ao contrário dos outros movimentos escotistas em Portugal, não está ligada a nenhuma confissão religiosa.

**Corpo Nacional de escutas (CNE)- Escutismo católico português -nasceu em Braga em a 27 de Maio de 1923.Foram os seus fundadores o Arcebispo D.Manuel Vieira de Matos e Dr Avelino Gonçalves, que em Roma tiveram os primeiros contactos  com o Movimento escutista.
 WIKIPÉDIA


Foto de 2010

Festas e fim de Ano


Boas Festas e excelente Ano Novo!

quarta-feira, dezembro 19, 2018

Lua de Dezembro

Fotos de hoje a partir de Colares
Lua de Dezembro
Lua Cheia -22-12-2018
Quarto Minguante -24-12-2018
Perigeu -24-12-2018 - 9h53m - 361,059 Kms (distância)

terça-feira, dezembro 18, 2018

Batalha naval ao largo da Praia das Maçãs (reedição)

Photobucket
Praia das Maçãs, ano de  1637

"A naveta Nossa Senhora da Conceição partiu para a Índia na armada de 1635, sob comando de João da Costa. depois de deixar  em Moçambique um destacamento de 120 soldados para  reforço daquela fortaleza. seguiu para Cochim; ali recebeu carga e correspondência e veio na torna-viagem em 1637.


A 17 de Dezembro de 1637 estava a naveta à vista do cabo da Roca; dentro de poucas horas o navio estaria na baía de Cascais.Subitamente foram avistados, do lado de terra, quatro navios logo identificados como naus argelinas; aproveitando o facto da Esquadra de Guarda-Costas já ter recolhido a Lisboa, andavam os corsários à espreita de algum navio desgarrado; também  deveriam ter conhecimento de que este ano não chegara ainda nenhum navio da Índia.

Ao avistarem a Conceição, os argelinos lançaram-se no seu encalço. O vento estava de sudoeste e a João da Costa só restava tentar fugir para norte, na esperança de conseguir refugiar-se em qualquer porto. Mais rápidos, os navio argelinos alcançaram a naveta ao largo da Praia das Maçãs. Travou-se um curto e violento combate de artilharia que deixou a Conceição imobilizada e com o aparelho destruído.

Na iminência de ser abordado, João da Costa mandou deitar fogo ao navio e escapou-se para terra no batel, com a sua gente".[...]

 Em  "Grandes  Batalhas  Navais Portuguesas"  de José António Rodrigues Pereira -Ed.A Esfera dos Livros
*Foto montagem, Rio das Maçãs

segunda-feira, dezembro 17, 2018

Quando os bólides subiram a Rampa da Pena pela primeira vez (reedição)

Photobucket
Organizada pela Comissão de Iniciativa de Sintra, com a colaboração técnica do Automóvel Clube de Portugal foram disputadas as corridas da I Rampa da Pena, tendo afluído grande número de concorentes nas duas catergorias (sport e corrida).
As provas decorreram com regularidade, havendo no entanto, a lamentar o desastre sucedido ao sr. Henry Rugenori que, chocando com um poste, fracturou um braço.
As quatro gravuras que publicamos representam fases dessa prova audaciosa.
A taça "Comissão de Iniciativa" coube a Eduardo Ferreirinha, vencedor absoluto da categoria "Corrida" e da I Rampa da Pena.
O vencedor absoluto da categoria "Sport" foi Diogo Passanha que ganhou a taça "Câmara Municipal de Sintra".

na revista "Ilustração " nº254 de 16 de Julho de 1936

A Rampa da Pena, nos anos 70 -aqui

sábado, dezembro 15, 2018

Porque hoje é Sábado...


Direcção

Nada nos deterá ou nos impedirá
a marcha

o caminho

a  curva aguda dos punhos
que empunhamos calados

ainda mudos
calados

mas não com medo
ou sozinhos


Maria Teresa Horta /Poesia Completa.1


sexta-feira, dezembro 14, 2018

Sinais de Natal 2018

A árvore de Natal junto ao Palácio da Vila.

Sobre a Árvore de Natal
O costume  de usar como símbolo a árvore de Natal tornou-se mais popular ao longo do século XVIII e no século XIX começou a ser adotado pena nobreza europeia. Em 1846, a rainha Vitória foi retratada no jornal Illustrated Londons News com os filhos perto de uma árvore de Natal. A popularidade da rainha ajudou a propagar a tradição, não só na Grã-Bretanha, mas também um pouco por todo o mundo.
A tradição em Portugal
A tradição da Árvore de Natal foi introduzida em Portugal por D.Fernando II, casado com a rainha D.Maria II Em Portugal , até meados do século XIX, a tradição do Natal tinha como centro a figura do Presépio. Com a ascensão do Trono de Portugal da Rainha D,Maria II, os hábitos da Corte Portuguesa por altura do Natal mudaram. Assim em 1836, a Rainha casou com o Principe Ferdinand von August Franz Anton von Sachsen-Coburg-Gotha-Kohary, mais tarde D.Fernando II, o Rei-Artista. Com a vinda para Portugal de Dom Fernando II foi introduzida na Corte Portuguesa, a tradição da Árvore de Natal. A pouco e pouco, graças à influência da Corte, a tradição da Árvore de Natal foi passando das elites para uma parte da população.
Ler mais aqui:
http://observador.pt/2014/12/24/historia-da-arvore-de-natal-nao-publicar/#

quinta-feira, dezembro 13, 2018

Exposição de João Manuel Vitor Jorge Caxaria Santos no MU.SA até 6 de Janeiro de 2019


MU.SA/Foto riodasmaçãs


No dia 6 de Dezembro, foi  inaugurada a 1ª exposição de pintura do artista João Manuel Vítor Jorge Caxaria Santos, sob o título "VOAR", no MU.SA, em Sintra, ,que  estará patente até 6 de Janeiro de 2019.
O João tem 18 anos e é um jovem com deficiência. Padece de Síndrome de Dravet, uma doença rara que se traduz numa encefalopatia epilética grave e refratária, associado a elevado défice cognitivo, a perturbações do espetro do autismo e a outras comorbidades.
“O espaço, cedido pela Câmara Municipal de Sintra -  acolhe 25 obras do João, sendo uma leiloada a favor da Associação Síndrome de Dravet Portugal”, referem os seus pais Isabel e João.
Esta exposição, a qual decorre no mês em que se assinala o Dia Mundial da Pessoa com Deficiência, visa mostrar a importância da arte na inclusão do indivíduo na sociedade e no seu desenvolvimento - aumenta as suas competências artísticas e cognitivas, a autoestima e a felicidade -, mas também chamar a atenção para a Síndrome de Dravet (www.dravet.pt), uma doença ainda muito desconhecida da sociedade e da própria classe médica.

terça-feira, dezembro 11, 2018

Post reeditado de uma visita presidencial com afectos em Dezembro de 2016

*Publicado em 22 de Dezembro de 2016.

A inauguração da nova sede da Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares, na Quarta-feira teve a presença do Presidente da República, que como é seu hábito não deixou de distribuir afectos.
Inauguracaoafectos21122016blog.jpg
Marcelo Rebelo de Sousa filho de Baltazar Rebelo de Sousa, Subsecretário de Estado da Educação Nacional em 1958 no governo de Salazar, inaugurou a escola Primária que agora é sede da banda - outra curiosidade é que na inauguração da antiga sede em 7 de Julho de 1945, também teve a presença do Presidente da República de então, o General Oscar Carmona - sede que teve um fim bastante infeliz.-
InauguracaoBisneta21122016.blogjpg.jpg
Com a bisneta de José Inácio Costa, fundador da Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares, à 125 anos, D.Maria Antónia Costa.
InauguracaoBandaMarceselfies221122016blog.jpg
Com a geração futura de Colares
BandaMarceselfie21122016blog.jpg
Mais uma Marcelselfie...
Selfie2Bblog.jpg
A pedido
InauguracaoAfecto3blog.jpg
Afectos distribuídos
InauguraçaoAfetosFoto1blog.jpg
Abraços na despedida

Posts relacionados:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2016/12/a-inauguracao-da-nova-sede-da-banda-dos.html
http://riodasmacas.blogspot.pt/2016/12/notas-sobre-antiga-sede-da-banda-dos.html
http://riodasmacas.blogspot.pt/2007/10/apontamentos-sobre-antiga-sede-da-banda_23.html

Viana da Mota e Colares (reedição)


José Viana da Mota- Pianista/Compositor 1868/1948

José Viana da Mota nasceu em 1868 em S. Tomé. O pianista e compositor viveu apenas dois anos na ilha. Daqui rumou à metrópole e instala-se, com a família, em Colares, no concelho de Sintra. Com 7 anos, ingressa no Conservatório Nacional. Torna-se protegido do rei D. Fernando II, quando, aos 13 anos, se apresenta com obras da sua autoria no Salão da Trindade. É com o apoio mecenático do rei e da condessa de Edla, que depois de acabar o curso, tem uma bolsa para continuar os estudos na Alemanha. Vai para Berlim em 1882.

Exímio pianista de craveira internacional, Viana da Mota também marcou o panorama musical como compositor, pedagogo e musicógrafo. Caracterizou-se por uma enorme capacidade de trabalho e uma inabalável tenacidade, foi um brilhante intérprete de Bach, Beethoven e Liszt. Tentou contrariar a importância dada à ópera italiana, que dominava o meio musical português, revelando o repertório instrumental de tradição germânica. Foi criado, em sua homenagem, o Prémio Viana da Mota, que distingue os melhores jovens pianistas.

A Casa onde vivia a familia de Viana da Mota em Colares ,quando dedicou à Condessa d'Edla a partitura da Pastoral "Au Bord du Lac de Pena" ,composta por José Viana da Mota aos treze anos de idade.


-Dados biográficos de José Viana da Mota Adaptados site da RTP “ Grandes Portugueses"
-Imagem da partitura da Pastoral , retirado de "Condessa d'Edla" de Teresa Rebelo
-Fotos:PedroMacieira


segunda-feira, dezembro 10, 2018

Efeméride do dia

A Assembleia da República Portuguesa, reconhecendo a importância da Declaração Universal dos Direitos do Homem, aprovou em 1998 uma resolução na qual institui que o dia 10 de Dezembro passa a ser considerado o Dia Nacional dos Direitos Humanos.

sábado, dezembro 08, 2018

Porque hoje é Sábado...




O mar dos meus olhos

Há mulheres que trazem o mar nos olhos
Não pela cor
Mas pela vastidão da alma
E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos
Ficam para além do tempo
Como se a maré nunca as levasse
Da praia onde foram felizes

Há mulheres que trazem o mar nos olhos
pela grandeza da imensidão da alma
pelo infinito modo como abarcam as coisas e os homens...
Há mulheres que são maré em noites de tardes...
e calma


Sophia de Mello Breyner Andresen

sexta-feira, dezembro 07, 2018

Diário da Garça-real da Várzea de Colares (Dezembro de 2018)

O Outono fez regressar de novo a Garça da Várzea de Colares, ao seu local de eleição,  permitindo no dia 4 de Dezembro os registos que publicamos hoje.
Foto em 4/12/2018
Foto em 4/12/2018
 Foto em 4/12/2018



quinta-feira, dezembro 06, 2018