quinta-feira, fevereiro 05, 2015

Quinta da Amizade

ASassettiCottage2012 Quinta da Amizade, desenhada por Luigi Manini para, Victor Carlos Sassetti, que foi dono dos Hotéis Bragança, em Lisboa, e Victor, em Sintra,
ASassetiCottage3a
http://riodasmacas.blogspot.pt/2012/06/visita-quinta-da-amizade-e-vila.html


http://riodasmacas.blogspot.pt/2012/07/quinta-da-amizade-e-vila-sassetti.html

A Quinta da Amizade no jornal Público de 4/02/2015(excerto)

«É precisamente a Quinta da Amizade, com os seus 1,2 hectares e a casa acastelada que Sassetti e Manini conceberam lado a lado, que a Parques de Sintra-Monte da Lua, empresa de capitais públicos que gere a paisagem cultural de Sintra, comprou no final de 2011 à autarquia por pouco mais de um milhão de euros e que agora se prepara para recuperar, num projecto de intervenção que custará 600 mil, financiado a 65% pelo Programa Operacional Regional, e cuja primeira fase deverá estar concluída em Junho.
(...)
A grande mistura de materiais do projecto original – pedra rústica, tijoleira, apontamentos de cantaria em portas e janelas e nos elementos ornamentais, como um alto-relevo com as armas dos Sassetti, família também da Lombardia, embora Victor tivesse nascido em Sintra – acentua-se à medida que a casa, depois da morte do empresário, foi mudando de donos, depois de numa primeira fase ter sido arrendada a Calouste Sarkis Gulbenkian. Hoje há azulejos mouriscos de padrão do século XVI misturados com painéis multicolores figurativos do XVII e as sedas que cobriam as paredes de algumas das divisões, e que se vêem nas fotografias antigas de finais do século XIX, foram substituídas por tinta ou por papel.
 A mistura de materiais, a alternância dos volumes e as torres com ameias mostram que Manini privilegiou neste projecto a fidelidade ao modelo histórico” dos castelos da Lombardia, acrescenta Denise Pereira, lembrando que, para o conceber, deve ter feito muita investigação. “A veracidade é uma preocupação que ele tem tanto na cenografia como na arquitectura”, onde começou por ser olhado com desconfiança porque se temia que não tivesse os conhecimentos necessários para fazer os cálculos que um edifício sólido exigia. Uma desconfiança que acaba por vencer, primeiro com o Bussaco, que começa a construir ainda com a Vila Sassetti em curso, e por fim com a Regaleira, talvez o seu projecto maior.»
Texto integral aqui:
http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/vila-sassetti-um-castelo-da-lombardia-para-sintra-e-dois-homens-discretos-1684937

1 comentário:

Graça Sampaio disse...

Uma casa ali tão perto de mim e que eu nunca vi! Mas tão lindinha!

Vamos então voltar a ter o Hotel Vítor? Muito bem! A minha cada vez mais amada Sintra!