segunda-feira, fevereiro 01, 2016

O centenário do nascimento de Vergílio Ferreira

1916 - 1996

Vergílio António Ferreira  (Gouveia, Melo, 28 de janeiro de 1916 — Lisboa, 1 de março de 1996)-   Embora sendo professor (ver a referência aos professores de Manhã Submersa e Aparição), foi como escritor que mais se distinguiu. O seu nome continua  associado à literatura através da atribuição do Prémio Vergílio Ferreira. Em 1992, foi galardoado com o Prémio Camões.

Photobucket
Foto: Fontanelas/Sintra, local onde o escritor Vergílio Ferreira tinha casa  a povoação prestou-lhe a homenagem com um monumento que recorda a sua presença naquela terra, em que as ruas são versos....

Que Há para Lá do Sonhar?

Céu baixo, grosso, cinzento
e uma luz vaga pelo ar
chama-me ao gosto de estar
reduzido ao fermento
do que em mim a levedar
é este estranho tormento
de me estar tudo a contento,
em todo o meu pensamento
ser pensar a dormitar.

Mas que há para lá do sonhar?

Vergílio Ferreira, in 'Conta-Corrente 1'


 Testemunho de Vergílio Ferreira  sobre a ponte do Rodísio da Praia Grande
Praia Grande 22. Novembro.1983 -" Ontem de tarde fomos ver os desastres da cheia
aqui ao pé. Do Rodísio para a Praia Grande há uma ponte com um
pilar sobre uma ribeira seca durante quase todo o ano. Com a
enchente, a ribeira inchou pavorosamente e levou a ponte adiante
ontem inundava todo o areal numa maré de água turva. Havia
almofadas vermelhas a boiarem, talvez de automóveis, muros
derrubados, canos rebentados ou postos à mostra nas ruas. Na grande
adega de Colares os tonéis sem vinho boiavam leves e ficaram
trancados contra as portas que eram estreitas para darem passagem." 


 http://www.apagina.pt/?aba=7&cat=180&doc=12689&mid=2



Foto em 2 de Janeiro de 2014
*Há 31 anos nas grandes cheias que atingiram a região de Lisboa,  inundaram a baixa do Cacém, quando as águas da Ribeira das Jardas sairam do seu leito, estrangulado pelas construções de imóveis, aí "plantados". Também a zona de Sintra foi gravemente afectada pela forte pluviosidade, provocando a morte de 10 pessoas,e vários desaparecidos,  totalizando  os prejuízos em  cerca de 18 milhões de contos. A ponte do Rodizio que ligava a estrada da Praia das Maçãs à Praia Grande, sob o rio das Maçãs, construída nos inicíos do Séc.XX, foi nessa altura destruída

1 comentário:

Graça Sampaio disse...

Em conta-corrente, Fontanelas é uma presença constante. Grande escritor da língua portuguesa!!