terça-feira, setembro 11, 2012

Já não há mais paciência!!!!


MANIFESTO - UM APELO À ESQUERDA, PELA DEMISSÃO DO GOVERNO!


O actual Governo, detentor de maioria na Assembleia da República, prepara-se para aprovar um novo Orçamento de Estado que será ainda mais penalizador para os Portugueses, em 2013. Obstinado em aproveitar a actual crise internacional para liquidar o Estado Social, este Governo prossegue uma política de privatizações a qualquer custo, de destruição da Escola Pública, de destruição da Saúde Pública, de desvalorização do Trabalho, de empobrecimento das famílias e até de ataque a acordos livremente negociados entre sindicatos e patronato, tornados letra morta e atacando a capacidade reivindicativa dos trabalhadores agora e no futuro.


Após um ano de Governo PSD/PP temos um País mais pobre, com uma economia cada vez mais frágil, com a classe média (motor de qualquer Economia!) de rastos, com um desemprego em níveis nunca atingidos e sem um projecto mobilizador e de esperança para toda uma Nação! Portugal não tem um Governo - tem uma Comissão Liquidatária que ainda se orgulha de ir "mais além" do que a Troika em matéria de austeridade e de sacrifícios para todo um Povo!


É hora de ser consequente e dizer BASTA!


As gerações futuras jamais nos perdoarão se nos resignarmos agora a esta "fatalidade" que esta Direita nos quer vender! A crise financeira a nível global NÃO FOI criada pelos salários de quem trabalha, nem pelo sindicalismo livre, nem pela Saúde para todos, nem pela Educação gratuita! A crise foi criada pela ESPECULAÇÃO SEM REGRAS e por uma alta finança que pretende recuperar aquilo que perdeu na "roleta especulativa" à custa de quem TRABALHA! Para que um banco PRIVADO como o BPN levasse sucessivas injecções de dinheiro PÚBLICO, num total que já foi dito aproximar-se dos 8,5 MIL MILHÕES DE EUROS, há trabalhadores a ficar sem casa, ou a passar fome, ou a deixar de poder colocar os filhos na Faculdade, porque o Governo decide unilateralmente ROUBAR-LHES o salário, mantendo-se os encargos e dívidas para pagar e que tiveram esse rendimento como forma de cálculo!


Não podemos assistir a tudo isto impávidos e serenos! Não podemos deixar que alguém DESTRUA aquilo que o 25 de Abril nos veio dar!


Por isso está na hora de nós, cidadãos deste País que não nos resignamos a ser os futuros escravos deste modelo neo-liberal, exigirmos aos dirigentes dos partidos de Esquerda que minimizem as naturais divergências entre si e que MAXIMIZEM, desde já, o combate a esta política e a este Governo, antes que seja tarde demais! 


PS, PCP e Bloco de Esquerda devem estabelecer pontes de entendimento entre si, de forma a organizarem o LEGÍTIMO protesto da população e o combate a esta política. Já não basta o "desabafo" colectivo nas redes sociais ou em artigos de jornal - é preciso dar-lhe expressão na RUA, civicamente e de forma determinada. E isso necessita da organização, dos recursos e da orientação que os partidos possuem e podem ajudar a consolidar.


Manifestação de 24 horas em frente das sedes nacionais do PSD e do PP; protesto organizado, todos os Sábados, até à votação do OE, junto à residência do Primeiro-Ministro; protesto bem expressivo em todas as deslocações de membros do Governo e do Presidente da República no País; acções de protesto em eventos nacionais e internacionais, nomeadamente os jogos de futebol da Selecção Nacional; apresentação de Moção de Censura ao Governo, etc - são exemplos de acções concretas que PRESSIONEM o Governo e que EXIJAM, sem hesitações, a sua DEMISSÃO!


Este Governo chegou ao Poder com base na MENTIRA! Tudo aquilo que rejeitava no anterior Governo do PS e que considerava "austeridade em excesso", foi agora triplicado, sem justificação e apenas em função de uma agenda ideológica que pretende anular todas as conquistas de bem-estar, Justiça e igualdade que o 25 de Abril permitiu! A EXIGÊNCIA DE DEMISSÃO é um imperativo! Nenhum Governo pode manter-se, em Democracia, governando CONTRA a população! Há um ano atrás a situação do País era dramática e nem por isso PSD e PP hesitaram um segundo sequer em rejeitar uma alternativa à entrada da Troika, forçando eleições antecipadas e fazendo uma campanha em que ESCONDERAM aquilo que efectivamente estão agora a aplicar como modelo de governação!


É hora dos DIRIGENTES dos partidos de Esquerda, do PS, PCP e Bloco de Esquerda OUVIREM ESTE POVO! Não apenas os militantes de cada um dos respectivos partidos - MAS TODO UM POVO, TRABALHADORES SEM PARTIDO QUE ESTÃO A SOFRER E VIVEM A ANGÚSTIA DO FUTURO PRÓXIMO, JOVENS SEM HORIZONTE E A QUEM SE DIZ PARA EMIGRAREM, IDOSOS A QUEM COMEÇA A FALTAR DINHEIRO PARA COMIDA E REMÉDIOS E QUE SE VÊEM TRATADOS COMO UM "PESO" APÓS TODA UMA VIDA DE TRABALHO! É hora dos partidos de Esquerda organizarem o protesto COLECTIVO - ajudando a dar EXPRESSÃO à dor e à revolta cívica dos Portugueses, perfeitamente legítima! Já não chegam os debates, as reuniões, as sessões disto e daquilo; já não chegam os "gritos de alma" nas redes sociais; já não chegam os apelos à "resignação", quando se sabe que existem OUTRAS alternativas!

ESTÁ NA HORA DE AGIRMOS COLECTIVAMENTE, COM O APOIO DOS PARTIDOS QUE ESTÃO CONTRA ESTA POLÍTICA E DE FORMA A NÃO DEIXARMOS QUE ESTE GOVERNO NOS TRANSFORME EM ESCRAVOS!

Este Governo só pode ter um destino - A DEMISSÃO! VAMOS EXIGI-LA DESDE JÁ - EM NOME DOS MAIS POBRES, EM NOME DOS TRABALHADORES, EM NOME DA NOSSA DIGNIDADE, EM NOME DE PORTUGAL!

Via blogue "Vivo- em- Sintra"-Aqui

7 comentários:

pedro macieira disse...

Informação adicional do Blogue:
Estando no essencial de acordo com o manifesto aqui publicado -concordando com o seu timing, e achando que é necessário que este povo acorde e tenha a reacção que se espera, para a defesa do futuro dos seu filhos e do próprio País -considerei que era necessário tornar público um manifesto que ultrapassa os tradicionais "quintais" partidários das diversas esquerdas e aponta para uma larga frente, pela defesa dos valores sociais e direitos dos trabalhadores conquistados desde o 25 de Abril de 1974 e que hoje estão a ser destruídos, por aqueles que ao serem eleitos prometeram não o fazer.

RS disse...

Pedro, com franqueza, também já me falta paciência para manifestos da esquerda dos manifestos sobre a situação e a necessidade de entendimentos artificiais entre PCP, BE e PS. Será preciso recordar que o PS está metido nesta política e neste rumo há 36 anos? Que foi o PS o principal obreiro do fim da nossa Revolução? Que foi o PS que nos meteu na FRAUDE que se chama União Europeia? Que a resposta do PS para a crise é mais dependência e mais federalismo europeu?

A contestação está na rua desde há muito. O PS não vai organizar coisa nenhuma. Eu fiz duas greves gerais no último ano. Foi uma pena que as mesmas não tivessem tido a expressão histórica que era suposto terem tido.

Eu já não papo mais manifestos. É preciso ir para a rua, engrossar as estruturas de classe sindicais, dar mais força à luta de massas e derrotar a política de direita protagonizada por PS, PSD e CDS.

O PS já não é só um partido da política de direita. Ele é de direita. Ponto.

pedro macieira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedro macieira disse...

RS,
Não tenho dúvidas e tenho muitas memória das posições politicas do PS, no seu percurso politico desde 74.Não tenho dúvidas que as suas posições politicas não são as minhas assim como as do próprio PCP - mas este manifesto, faz um apelo para vir para a rua como acho que deveria ter acontecido já há muito tempo, fazer a contestação com uma frente alargada do conjunto de partidos que uns mais coerentes que outros , combatem actualmente a politica criminosa deste governo PSD/CDS - achando que é importante divulgar a posição deste manifesto e passar à pratica para a atitude que aponta. Reforçando a contestação através das ruas deste mal tratado país.. Deixando-se de fazer sómente a contestação politica no Facebook e dos posts dos blogues.

RS disse...

Nas ruas e nas empresas. Dentro das empresas. Resistindo por exemplo à anulação das convenções colectivas e à imposição da lei da selva do código do trabalho.

pedro macieira disse...

RS,
Claro sendo eu antigo sindicalista, em que as negociações dos contratos de trabalho, obrigavam a pressões sobre as administrações e grandes sacrificios dos trabalhadores em processos grevistas, que tinham como efeito represálias sobre os sindicalistas -como forma de se garantir os direitos adquiridos e os magros aumentos salariais e com a circustância dos sindicatos da UGT, sempre no outro lado da barricada - sei bem o que se está a perder, com a desvalorização do preço do trabalho e com o fim da contratação colectiva -sempre e ainda com a ajuda das assinaturas de acordos desiquilibrados por parte da UGT.(caso do último código dos "despedimentos").
Mas estando "desactivado", não queria entrar na zona que os trabalhadores organizados em sindicatos e comissões terão, face à situação que se vive hoje nas empresas de dar a devida resposta.
Portanto a rua é o local adequado para dar também a resposta às ofensas aos direitos das pessoas -empregados, desempregados, reformados e pensionistas.

Quanto ainda ao manifesto: Um Manifesto é um Manifesto, mas a sua divulgação permitirá (talvez) gerar alguma discussão e apresentar uma alternativa à forma de expressar a repulsa e o protesto com os jovens J's que nos desgovernam.
Abraço
(UGT é constituida por PS e PSD)

Carlos José Santos disse...

Algo tem que ser feito, os portugueses aburguesaram-se, ficam no sofá à espera que alguém tome a iniciativa e, lute na rua pelos direitos que são de todos, tipo:
- Os outros hão-de lá ir eu fico a ver!
Ainda hé muito o espírito salazarista, de aguentar e cara alegre, rezar, para ver se passa!
Não há dúvida que o PS, é um dos obreiros, mas não está sozinho no descalabro, PSD/CDS, fazem parte dele. Desde o 25 de abril, são sempre os mesmos que vão para lá, as políticas são iguais, é roubar enquanto é tempo. Ninguém vai para lá com o intuito de governar para o bem do país, pondo de lado os interesses pessoais e a corrupção, a principal mãe de todos os males.