quinta-feira, setembro 06, 2018

A Câmara Municipal de Sintra não gosta de árvores (em actualização)

Foto de M.Clara Gomes de hoje.

Não está a acontecer em nenhuma zona florestal da Serra de Sintra, acreditem é num local nobre de Sintra - Jardim da Correnteza.
Foto de M.Clara Gomes hoje na Correnteza

Em plena área nobre de Sintra, desta vez os lenhadores em actividade no jardim da Correnteza, resolveram abater mais uma parte do património arbóreo de todos nós.

Segundo a explicação oficial (via Sintra Notícias) as árvores abatidas estariam em perigo eminente de queda. avançando que
"A decisão da autarquia sintrense surge depois de várias avaliações, nomeadamente por parte do Instituto Superior de Agronomia (ISA). As árvores, classificadas com de interesse municipal, foram avaliadas com “perigosidade elevada” pelo laboratório do ISA, o máximo da escala."
Foto de M.Clara Gomes de 2017

Foto do ano passado do estado em que ficou uma das árvores depois de uma "poda" camarária.  Sendo este tipo de podas que determinam o  futuro estado fitossanitário das árvores e provocam mais tarde a justificação de abate.

Memórias de outros abates
Post de 2011 sobre abate de plátanos em Colares,  também com parecer do ISA, Instituto Superior de Agronomia, que nós contestámos e provámos com outras análises em outros laboratórios, que havia resultados diferentes:
https://riodasmacas.blogspot.com/2011/11/camara-municipal-de-sintra-comunica.html

2 comentários:

Gp disse...

Estive lá de manhã e falei com os técnicos. Eles mostraram-me que as árvores estavam gravemente doentes (tinham até pedaços podres dentro dos troncos, em difusão vertical, ao longo dos troncos principais) e referiram algo que faz sentido: após uma poda antiga, estas árvores nunca voltaram a ser devidamente podadas, e por isso desenvolveram ramos periféricos que se tornaram pesadíssimos e as desequilibraram para um dos lados. Por isso, e dado que estavam doentes, corria-se o risco de partirem e cairem sobre pessoas ou coisas. Parece-me que o abate era inevitável, em particular da que está retratada nestas imagens (foi apenas uma, naquela zona, e mais três no início da Rua Dr. Alfredo da Costa, na direcção da Câmara Municipal). O problema do crescimento incorrecto da árvore foi gerado por uma poda mal feita, mas a doença tem outras origens.

pedro macieira disse...

Nota sobre a não publicação de comentários de leitores no blogue nos últimos tempos

Só hoje, por um e-mail que me foi enviado, verifiquei que havia vários comentários que não tinham sido publicados ainda. A razão detectada, terá sido uma falha técnica, no envio automático do blogue para o meu e-mail, e que nos últimos tempos não tem estado a acontecer, daí a minha falta de conhecimento da existência de comentários para aprovar. Facto que peço desculpa.
Neste momento activei o processo de publicação de comentários, esperando assim tentar repor embora com bastante atraso em alguns assuntos, um conjunto de comentários que por esse motivo estavam por publicar.

Mais uma vez as minhas desculpas
Pedro Macieira