quarta-feira, setembro 30, 2009

Tempo de Eleições - O dia seguinte

Tempos difíceis

Photobucket

Depois da histórica comunicação presidencial de ontem, assistiu-se aos comentários da Sic Notícias e TVI 24, com comentadores cavaquistas- de realçar as excelentes intervenções de Nuno Rogeiro e de Maria João Avilez  em defesa  dos seus interesses partidários, mandando às urtigas, os comentários imparciais - aproveitando o tempo de antena  que os canais privados lhes oferecem para  tentar "ganhar na secretaria o jogo que perderam no campo ..."

5 comentários:

Anónimo disse...

Muito giro o seu patchwork noticioso. Eu gostei particularmente dos dois "grandes" submarinos...
ereis

pedro macieira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedro macieira disse...

Emilia,
Obrigado pelo seu comentário.Ontem assistimos a uma grande manipulação da realidade.Ao contrário do conceito das palavras "Politica de Verdade" defendida mas não praticada pela derrotada nas últimas eleições, Manuela Ferreira Leita, ouvimos o seu amigo Cavaco Silva, ou Sr. Silva como é tratado pelo correligionário madeirense João Jardim, esquecer-se da verdade sobre a questão das “escutas”.
É que a manipulação foi feita pelo seu assessor F.Lima, e pelo Jornal Público....e não pelo PS.
Também ficámos a saber, que o Presidente, só ontem teve conhecimento que os computadores podiam ser violados por ataques exteriores, através da rede internet...O Pentágono conhece isso há muitos anos, e não deixa de ter ataques de hackers.
Um abraço

baraodalapa disse...

Sou dos que nunca votaram em Cavaco, NUNCA! O homem é um psicopata paranóide e não tem o mínimo de categoria moral, intelectual, pessoal e política para ser PR. Espero que daqui a 2 anos estejamos a festejar a sua partida para o caixote de lixo dos não recicláveis -Claro! Tudo depende de haver alguma inteligência à esquerda, sobretudo no PS. Abraço

pedro macieira disse...

Caro Barão da Lapa,
Realmente Cavaco Silva não deixa de me surpreender. Hoje resolveu comemorar o dia da implantação da República no Palácio de Belém...em vez de estar presente na Câmara Municipal de Lisboa como acontece desde 1910- talvez uma forma de se desmarcar dos que não tem "ética"...criando muito mais ruído do que seria de esperar de um verdadeiro Presidente da República.
Um abraço