quinta-feira, julho 21, 2016

Castelo de Colares (Reedição)

Sobre o "Castelo de Colares":

“D.Dinis de Melo e Castro obteve a posse do antigo “castelo” onde funcionava a Câmara e a cadeia de Colares:«ainda que conservado o castello, delle se serviaõ os officiais da Camera para os ministerios do governo commum; com tudo há mais de cem annos, e fazendo gosto de viver naquella villa D.Diniz de Melo e Castro (sogeito de grande, e particular distincaõ; porque havia sido Bispo de Leiria, de Viseo e da Guarda, e Regedor das justiças deste Reyno) conseguio da mesma Camera o dominio e a posse de tal Castello. Neste, mudada a figura, fabricou um curioso Palacio para sua habitação. Que ainda existe dentro da villa (...) As casas da Camera, e Cadêa se fizeraõ em outro lugar»
Santa ANNA, 1751 II 89 Cfr, Maria Teresa Caetano "Colares"

A construção do Palácio do bispo D.Dinis ter-se-á, iniciado em 1620
Diniz de Melo e Castro, Nasceu em Colares, onde viveu largos anos. Morreu em Lisboa, em 24 de Novembro de 1640.Bispo de Viseu (1638) ,Guarda e Leiria, de que tomou posse em 11 de Dezembro de 1627, fundou a casa da Câmara e a Misericórdia de Colares .Obteve o domínio do arruinado castelo, fazendo construir sobre ele a sua casa.

«Colares teve castelo quase por completo desaparecido, cuja origem e fundação se desconhecem.» A Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, Volume VII, pag 109

O acesso ao "Castelo" com o fontanário cuja água que jorra , é ainda hoje canalizada através da Casa da àgua do "Castelo"

A CASA DA ÁGUA


"Por conseguinte, da singular villa de sabor italianizante subsiste, apenas, uma arcaria de amplos vãos cegos e a casa da água, sustida por abóbada de canhão. A cobertura destes edifícios, de planta regular e contíguos, é única e forma um grande terraço lajeado, delimitado por murete com conversadeiras. A data de 1690 inscrita numa cartouche relevada sobre o arco abatido de acesso à casa da água, indicará, talvez, a época em que se revestiram as paredes exteriores, junto ao grande tanque, com frescos de cariz mitológico e influência italianizante, infelizmente quase desaparecidos."
C.M.S. - Divisão de Património Histórico-Cultural
Antigas canalizações e tijolos em barro

Post relacionado:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2009/04/o-castelo-de-colares.html

3 comentários:

Graça Sampaio disse...

Desconhecia isto tudo!! D. Dinis de Mello também é muito conhecido aqui por Leiria. Agora entendo porquê.

Beijinho, Pedro.

pedro macieira disse...

Graça,O que resta do "Castelo de Colares" e a sua história, deveria ser mais divulgado, pois é um elemento importante no património edificado, num local que já foi sede de Concelho até 1855.
Abraço

Unknown disse...

Há muitos anos, talvez nos anos 80, fui em serviço ao Castelo de Colares, juntamente com alguns colegas. O pedido tinha sido feito por causa das pinturas existentes junto ao tanque, mas estavam já praticamente desaparecidas. Não nos foi mostrado o conjunto do edifício ,e sendo uma propriedade privada, limitámo-nos ao espaço que íamos observar; mas fiquei sempre curiosa, porque já nessa altura passava alguns fins de semana na zona e nunca tinha ouvido falar de um castelo.
obrigada por estas fotos. A casa da água tem aspectos parecidos com uma parte do Convento dos Capuchos.
Graça Horta, Penedo