quinta-feira, maio 23, 2013

Não ao encerramento da Estação dos Correios de Colares

  •  photo AvisoCorreiocopy_zpsb091b5d2.jpg

  • Questão de segurança: Aviso colocado  hoje na porta nos CTT de Colares

     photo CorreiosMucifal2013fblogue_zps9be086eb.jpg  photo CorreiorColares23052013blogue_zps0e4c8667.jpg
    Convocado pelo Sindicato Nacional dos Correios e Telecomunicações (SNTCT), realizou-se hoje, um  protesto da população, contra o encerramento da Estação dos Correios de Colares. Encerramento que não tem em conta as necessidades  da população, tem como objectivo "melhorar o produto," para uma mais fácil venda a privados.

    As forças vivas da freguesia primaram pela ausência - não estando presente ninguém da Junta de Freguesia de Colares, e dos partidos políticos, só o PCP esteve presente.

    A estação dos  CTT irá ser  transformada num espaço comercial , na linha da ideologia dominante,  que considera que  os privados são mais competentes para gerir negócios, e o funcionários públicos e as Empresas públicas só servem para viver à conta do orçamento do Estado.

    O aspecto curioso é que os CTT, é  uma Empresa Pública que dá lucro, e que tem uma rede de postos de Correio e Estações espalhadas por todo o país -mesmo nos locais em que o número de habitantes é considerado pouco apelativo para o negócio futuro dos privados.Numa altura em o Governo PSD/CDS extinguiu 1165 Juntas de Freguesia, as estações de Correio eram os únicos  locais de apoio às necessidades da população para os pagamentos de água, luz, telefone, pagamento de pensões, e naturalmente os serviços de correio.


    Aviso à navegação: a seguir vão privatizar as águas...

    7 comentários:

    pedro macieira disse...

    O sindicato nacional dos trabalhadores dos correios e telecomunicações (SNTCT) denuncia que a administração dos CTT pretende encerrar mais cerca de 200 estações de correios.

    Segundo o sindicato, a primeira estação a encerrar será a de Alcoentre, a que se seguirão a da Quinta Grande no Barreiro, a 15 de abril, e a de São João das Lampas, a 1 de junho.

    O sindicato denuncia igualmente o encerramento das estações de: Algueirão, Colares, Carnide, Calçada do Carriche (Lisboa), Dafundo, São Jorge (Carcavelos), São Pedro do Estoril, Amora, Baixa da Serra (Moita), Fânzeres (Gondomar), Templários (Tomar), Filipa de Lencastre (Massamá), Miguel Bombarda (Queluz), Belas, Barcarena e muitas outras.

    O SNTCT acusa a administração dos CTT de falta de respeito para com os cidadãos, aos quais não são dadas alternativas, para com os trabalhadores dos CTT que prestam serviço nessas estações e para com as Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia.

    O SNTCT acusa ainda a administração da empresa de pretender manter os encerramentos “em grande segredo” e apela à luta contra o encerramento de estações (CDP's - centros de distribuição postal - e CTC's – centros de tratamento de cartas), contra a criação artificial de excedentes entre os trabalhadores da empresa, contra a privatização da empresa e a destruição do serviço público de correios.
    http://www.esquerda.net/artigo/ctt-quer-encerrar-cerca-de-200-esta%C3%A7%C3%B5es-de-correios/27279

    Anónimo disse...

    Ainda hão-de arranjar maneira de privatizar ou cobrar imposto pelo ar (cada vez menos puro) que respiramos!
    sintrense

    Anónimo disse...

    Gostei do "questões de segurança". Cada vez mais há por aí obras sem segurança e aqui é tão bem empregue o "termo". Era um mundo perfeito se TODOS os portugueses deixassem de consumir TODOS os produtos dos CTT. Era realmente um mundo perfeito...

    Carlos José dos Santos disse...

    É este o modelo imposto, por governos que se regem por estas políticas.
    Estão a preparar-nos um caminho longo, de pelo menos mais meio século de canga às costas.
    Por enquanto ainda dá para fazer umas manif's, veremos até quando.
    Eu tenho uma consolação, não está lá nenhum fulano destes com o meu voto!

    Anónimo disse...

    Não votámos, mas temos que os gramar e sujeitar-nos a todas as faltas de respeito pelos nossos direitos essenciais.
    Estes "meninos do coro" que não sabem o que foi crescer durante o salazarismo, o que foi a luta de muitos para se viver com mais dignidade e que agora, com a maior desfaçatez, desprezam tudo e todos quantos trabalharam para um dia terem uma reforma calma e uma vida melhor para os filhos e netos.
    Até quando vamos aguentar isto?
    sintrense

    pedro macieira disse...

    Não aguentamos, não aguentamos!
    Gostaria que a população e os seus representantes eleitos, fossem mais activos na defesa dos seus direitos.
    A Junta de Freguesia de Colares, neste caso, em que o seu presidente (PSD),está envolvido no movimento Marcos Almeida, alternativa ao PSD oficial,limitou-se com mais umas Juntas de Freguesia eleitas pelo PSD oficial, no envio de uma singela carta de "protesto", à Adm, dos CTT...não sei se lhe responderam, sei que não esteve no protesto junto à estação dos CTT de Colares, contra ao fecho da estação.
    E se os representantes legítimos da população não a defendem, preferindo jogos partidários, que se poderá dizer dos que pela indiferença, deixam que os seus direitos sejam diariamente reduzidos, em nome de valores que só interessam à finança internacional.

    Anónimo disse...

    Activos estavam hoje no palanque...é de poleiro que se sentem bem!