terça-feira, dezembro 17, 2013

Torre de radar junto ao Farol do Cabo da Roca destrói paisagem protegida do Parque Natural Sintra - Cascais

Efeito  visual da construção de uma torre metálica de 50 metros pelo MAI no litoral Sintrense

Foto de Agosto de 2013 nas Azenhas do Mar, ainda sem a torre metálica junto ao Farol do Cabo da Roca, instalada pelo MAI, com muitos silêncios cúmplices.

Hoje a presença da torre de 50 metros provoca alteração na paisagem do litoral sintrense -  perfeitamente visível desde  as Azenhas do Mar.

Afirmações do presidente da CMS Basílio Horta, sobre a torre metálica de 50 metros no Farol do Cabo da Roca:

. “A torre está licenciada ou não? Se está licenciada o problema é sério, se não está, tem de ser demolida. O urbanismo vai verificar a situação, porque se não está legalizada tem de sair. Se está licenciada, é pena, porque é verdade que o Cabo da Rica não pode ser prejudicado por construções que estão ali a mais”, Basílio Horta em reunião pública  da Câmara Municipal de Sintra em 26 de Novembro.

http://www.tudosobresintra.com/2013/12/comecou-hoje-funcionar-torre-de.HTML

Contacto  do "Rio das Maçãs" em 03/12/2013,com a CMS, através da página oficial da Câmara, que  não teve qualquer resposta - hábito da antiga vereação (Fernando Seara), já adoptada pela vereação acabada de chegar...

Caros senhores,
Sendo autor de um blog que pretende ser um veículo de divulgação das coisas de Sintra, tenho ao longo do tempo feito vários contactos com a CMS, e que se caracterizam por nunca haver qualquer resposta. Neste momento e após as eleições autárquicas, venho de novo levantar o problema escandaloso da construção de uma torre metálica de 45 metros junto ao farol do Cabo da Roca.
Conhecendo as afirmações do actual presidente, Dr.Basílio Horta de que estou totalmente de acordo -pretendia para tornar pública através do blogue uma informação da autarquia sobre os passos a dar para  demolir o que Miguel Esteves Cardoso já denominou do "Adamastor da GNR", daquele local de paisagem protegida do PNSC.
Como os meus cumprimentos
Pedro Macieira
http://www.riodasmacas.blogspot.com

Sem resposta.

Afirmações e contradições

Ministro Miguel Macedo na inauguração do SIVICC, sistema de vigilância gerido e operado pela UCC da GNR:

 
"Eu desesperava para ter operacional o sistema, porque ele é realmente importante, e se não fosse a colaboração do ministério da Defesa e da Agricultura, provavelmente ainda não tínhamos ultrapassado as dificuldades",


Posição do Ministério da Agricultura, do Mar do Ambiente e de Ordenamento de Território


 Resposta do Ministério da Agricultura, do Mar do Ambiente e do Ordenamento do Território sobre A Instalação do posto Fixo de observação do SIVICC no Cabo da Roca:
"Relativamente à intenção de Instalação de um posto de Observação fixo integrante do sistema integrado de Vigilância, Comando e Controlo Costeiro no Cabo da Roca, não foi tomada qualquer decisão sobre a matéria. O Instituto de conservação da naturesa e florestas e agência Portuguesa do ambiente, através dos seus serviços, receberam o pedido de parecer relativo à construção de um posto de observação do SIVICC. Foram emitidos os referidos pareceres, no âmbito das suas competências específicas e de acordo com o disposto tanto no Plano de Ordenamento Do Parque Natural Sintra Cascais e do Plano de Oedenamento da Costa costeira. Da análise efectuada conclui-se que a pretenção não tem enquadramento no plano de ordemento do parque natural sintra cascais e a APA, I.P., informou a entidade responsável pelo sistema Integrado de vigilância, comando e controlo da costa costeira portuguesa, sobre as disposições do Plano que condicionaram ou inviabilizaram a instalação do posto de observação nos locais alternativos indicados, incluindo nessa informação aspectos técnicos relativoa à sua inserção em faixas de salvaguarda do litoral e servidões e restrições administrativas e legislação em vigor. O projecto em causa não se enquadra no DL 69/2000, com a nova redacção que lhe foi dada pelo DL 197/2005, pelo que não foi feito qualquer estudo de impacto ambiental."

Fonte:.
 Ana Caetano Miragaia Matias ,candidata do PSD à eleição da Junta de Freguesia de Colares

4 comentários:

Anónimo disse...

que tal o visual desses imóveis..., antes da torre? só rir

pedro macieira disse...

Caro anónimo,
Agradeço o seu atento comentário.Os imóveis degradados que existem em 1º plano na foto, são nas Azenhas do Mar, antigas dependência de Adegas desactivadas,de propriedade privada, numa zona onde existem mais imóveis privados que se encontram também muito degradados, infelizmente. A distância das Azenhas do Mar ao Cabo da Roca são vários Kilometros. O cabo da Roca e o Farol são um local dos mais visitados da região, e o ponto mais ocidental do continente Europeu -local turistico de excelência dentro do Parque Natural Sintra- Cascais, Paisagem protegida pela UNESCO, e um local tutelado pelo Estado Português. Sobre ainda os imóveis degradados da zona litroral das Azenhas do Mar é também um dos assuntos que tem este blog frequentemente chanado a atenção aos vários poderes autárquicos que por cá têm paassado.
Cumprimentos

pedro macieira disse...

Continuação do comentário anterior:
http://riodasmacas.blogspot.pt/2006/07/sintra-do-nosso-descontentamento.html

pedro macieira disse...

A distância entre as Azenhas do Mar e o Cabo da Roca, através do Google Maps,indica 16,4 Km e o tempo para o percorrer de viatura serão 25 minutos.O objectivo essencial deste post é demonstrar o ruído ambiental em quase todo litoral Sintrense da instalação de uma torre metálica de 50 metros junto ao farol do cabo da Roca que tem de altura 22 metros.