sexta-feira, janeiro 03, 2014

A Ponte do Rodízio

 Fotografia da Ponte do Rodízio em 1915, destruída nas cheias de 1983



Há 31 anos nas grandes cheias que atingiram a região de Lisboa,  inundaram a baixa do Cacém, quando as águas da Ribeira das Jardas sairam do seu leito, estrangulado pelas construções de imóveis, aí "plantados". Também a zona de Sintra foi gravemente afectada pela forte pluviosidade, provocando a morte de 10 pessoas,e vários desaparecidos,  totalizando  os prejuízos em  cerca de 18 milhões de contos. A ponte do Rodizio que ligava a estrada da Praia das Maçãs à Praia Grande, sob o rio das Maçãs ,construída nos inicíos do Séc.XX, foi nessa altura destruída.

A Ponte que já não é uma passagem para a outra margem 


Foto em 2 de Janeiro de 2014
 Testemunho de Vergílio Ferreira
Praia Grande 22. Novembro.1983 - Ontem de tarde fomos ver os desastres da cheia
aqui ao pé. Do Rodísio para a Praia Grande há uma ponte com um
pilar sobre uma ribeira seca durante quase todo o ano. Com a
enchente, a ribeira inchou pavorosamente e levou a ponte adiante
ontem inundava todo o areal numa maré de água turva. Havia
almofadas vermelhas a boiarem, talvez de automóveis, muros
derrubados, canos rebentados ou postos à mostra nas ruas. Na grande
adega de Colares os tonéis sem vinho boiavam leves e ficaram
trancados contra as portas que eram estreitas para darem passagem. 




 http://www.apagina.pt/?aba=7&cat=180&doc=12689&mid=2


Foto em 2 de Janeiro de 2014

Testemunho ficcionado  de Fernando Morais Gomes, no blog Reino de Klingsor


"Luís decidiu ir ver os tais estragos. Desceu o pinhal de Janas, de bicicleta, saído o Mucifal, uma massa de água suja e detritos cobria toda a várzea. Entre maçãs e damascos pululavam desgovernados fogões, mesas, roupa e lixo, junto ao rio a água subira três metros, até os carros dos bombeiros estavam alagados. Passando o Cantinho com água pela cintura, quis ver o mar na Praia Grande, mas a ponte ruíra e só por Almoçageme se chegava. Em casa de Ângela, nada sucedera, no Penedo, porém, árvores caídas denunciavam a revoada, um rádio a pilhas dava nota de grandes estragos em Sintra. No Jamor e Ribeira das Jardas, a água galgara as linhas de água, castigando as construções em leito de cheia.
Com o passar do dia, a coisa adensava: todos os galináceos da Ermelinda afogados, a Jacinta sem casa, até a cama foi na enxurrada, a paróquia acolhia alguns desalojados, dando-lhes leite e cobertores, cancelada a festa de anos, o engenheiro e a mulher foram ajudar os vizinhos.(..)."

http://reinodeklingsor.blogspot.pt/2012/11/19-de-novembro-de-1983.html

Créditos:
Foto antiga da ponte, encontrada em "O passado e o presente" de Rui Carmo e Nuno Gaspar

2 comentários:

Graça Sampaio disse...

Belo verbete este sobre a ponte do Rodízio! Certamente lhe passei em cima muitas vezes e nunca nela reparei... Distrações da juventude...

pedro macieira disse...

Graça,
De facto a passagem da antiga ponte, que estava ao nível da estrada e dava acesso à Praia Grande, não permitia ver o elegante porte que tinha.Agora resta sómente um arco.
Abraço