segunda-feira, junho 26, 2006

Manifestação religiosa secular com início em Colares desde 1893.

Alfredo Keil

Alfredo keil , como já referimos foi um ilústre habitante da nossa região, a sua intenção de erigir uma ermida na Praia das Maçãs , ao lado do seu Chalet (Vila Guida), iniciou ali naquele local, em 1893, uma manifestação de carácter religioso que se denomina “Círio de Nossa Senhora da Praia” e ainda hoje de forma mais ou menos regular, a imagem da santa sai da pequena capela , sendo transportada até junto do mar. Isto vem a propósito de uma próxima manifestação religiosa marcada para o próximo mês de Julho com a denominação de- Círio do Litoral Colarense- em honra de S.Lourenço.Transcreve-se excertos de um artigo ”O Círio de Nossa Senhora da Praia”da autoria de Teresa Marques Alves, onde se analisa os aspectos e as motivações dessas manifestações seculares de índole religiosa, tradição ainda muito participada nos dias de hoje, outra festividade que tem um conceito um pouco diferente como por exemplo as festas Populares em Louvor ao Divino Espirito Santo no Lugar do Penedo , tradição também muito arreigada, nas gentes deste local, mas que ao longo do tempo em virtude de uma mudança de atitude face à faceta mais pagã da manifestação sofreu algumas alterações.


“Um círio é por definição uma manifestação religiosa de forte cariz popular que se traduz em romagens cíclicas de uma ou mais povoação, a santuários, passando por vários lugares em cortejo.
A estas manifestações de grupos de romeiros começou o povo a designar de círios porque transportavam um Círio (vela) ou tocha para pôr junto da imagem em causa.Estes Círios são manifestações essencialmente estremenhas:temos como exemplos o Círio de Nossa Senhora do Cabo Espichel, o da Nossa Senhora da Nazaré, Nossa Senhora da Atalaia,nossa Senhora da Guia, Nossa Senhora da Peninha e o Círio de Nossa Senhora da Penha de França (Lisboa).
O Círio de Nossa Senhora da Praia que nasceu em 1893, tinha início na Vila de Colares para as Azenhas do Mar .Nele também seguiam os anjos entoando loas a Nossa Senhora, em vários pontos do percurso e às portas das Igrejas.Estas loas que muitas vezes eram escritas por poetas conhecidos, eram impressas e os seus registos eram vendidos a favor do culto.O registo de Nossa Senhora da Praia era composto pela imagem da Santa, e tinha ainda versos das loas que são da autoria de Henrique Lopes Mendonça (autor dos versos da “Portuguesa”) que eram cantados segundo um tema musical da autoria do próprio Alfredo Keil.”

(Excerto de artigo”O Círio de Nossa Senhora da Praia”da autoria de Teresa Marques Alves, publicado em Jornal da Região em 13-02-2002)

3 comentários:

Azenhas disse...

Gostei de saber que no final do sec XXI ainda se inventavam Cirios!!

A igreja ficou menos moderna desde então?

Pedro, Parabens pelo Rio de Maçãs!

Gostei muito do que vi e aprendi.

Keep them comin' buddy!

pedro macieira disse...

Obrigado, pelo comentário, espero que este blog tenha alguma utilidade na divulgação na imensa "blogoesfera",desta região , e dar uma modesta ajuda na sua preservação.Com ajuda de blogs já veteranos como o "Azenhas do mar" espero conseguir atingir esse objectivo.
Cumprimentos
Pedro Macieira

Anónimo disse...

Não seria século XIX?
nestas coisas da investigação há que tomar muito cuidado com as afirmações escritas.


PD