quinta-feira, março 22, 2007

Queijadas de Sintra - I

SAPA I
Na doçaria tradicional de Sintra, as queijadas são sem dúvida uma imagem de marca da região. Curiosamente as queijadas terão origem não em Sintra mas no Algueirão, segundo rezam as crónicas que remontam à idade Média.Desde o século XIII existe referenciado nos foros como forma de pagamento na região de Sintra um produto denominado queijadas. Os especialistas referem a existência de dois tipos de queijadas:as que eram vendidas em feiras (queijadas de feira) e circunscreveram-se à área do Algueirão, tendo evoluído para a venda ambulante, e as queijadas finas ou de marca circunscrevendo-se à Vila de Sintra.

E é pelas queijadas de marca existentes ainda hoje em Sintra que começamos neste post uma pequena viagem.

Segundo José Alfredo Azevedo :As fábricas principais existentes em Sintra em 1997, eram a «Sapa», «Piriquita»,«Gregório»,e «casa do Preto».
E as fabricas mais recentes seriam as «Queijadas Centenárias»,a Pastelaria Tirol,«Palácio Real», do Restaurante e Pastelaria Apeadeiro, e «Monserrate»,da pastelaria do mesmo nome.



Fotos:PedroMacieira



AS VERDADEIRAS QUEIJADAS DA SAPA
As queijadas da "Sapa" são de facto a marca mais antiga de queijadas de Sintra, com fábrica ainda hoje na Volta do Duche.
Terá sido iniciado o fabrico destas queijadas, por Maria Sapa em 1756 em Ranholas (Sintra).E só 1890 é que foi construído e ocupado o prédio que hoje ainda é a fábrica desta conhecida marca. Ainda hoje actuais proprietários são familiares directos dos anteriores proprietários e fundadores da marca.

Curiosidade sobre as queijadas da Sapa descoberta aqui


(Foto e legenda retiradas de "Sintra em Negativo")

“Recentemente tomei conhecimento deste anúncio e, passe a publicidade que ninguém pagou, é interessante divulgar. E informar que quem fabrica as Queijadas do Avô Neves é a mesma pessoa que em muitos anos fez as deliciosas Queijadas da Sapa”no Sintra em Negativo


A legenda desta foto poderá ter a ver com a notícia publicada no Jornal de Sintra em 5 de Janeiro de 2007:

« Reabertura das “Verdadeiras Queijadas da Sapa”após importantes obras de recuperação do centenário edifício, o qual esteve encerrado cerca oito meses.» E adianta o J.S:“Margarida Neves Soares e o marido, Américo Soares são os actuais proprietários da empresa e do estabelecimento. Ela que é filha de Francisco Barreto Neves, o antigo proprietário das “Verdadeiras Queijadas da Sapa”, disse-nos que o seu pai “há mais de vinte anos cedera o contrato de exploração desta casa a uma sua sobrinha, que é minha prima Maria Fernanda Neves, que se manteve aqui até há cerca de um ano”.

Outra curiosidade sobre queijadas é o anúncio publicado em 1937 ,no Jornal de Sintra sobre as "Verdadeiras queijadas da marca Castelo dos Mouros", que não foi possível identificar o seu percurso comercial.


(Continua em posteriores posts)

Fontes :Obras de José Alfredo Azevedo –IV
Queijadas de Sintra de Raquel Moreira
Jornal de Sintra

6 comentários:

viajante disse...

Caro Pedro.
Obrigado por ter " roubado " o pequeno apontament sobre as queijadas. A partilha serve para isso E ainda bem que o fez.
Durante muito tempo só havia, nos boletins mensais da CMS, referência a quatro fabricantes de queijadas-os principais, que devem actuar em cartel - e que eram:
Pastelaria Gregório,Casa do Preto,
Piriquita e Sapa.
Neste momento tambem consta o Café de S.Pedro
Com a saída de Maria Fernanda Neves da SAPA- ela que as fabricava com todo o saber - abriu (ou reabriu, não sei) O Café de S. Pedro. E lá continuava a fabricar as "Verdadeiras Queijadas da Sapa".
Quando se deu a polémica das patentes, a marca Sapa ficou na Volta d Duche, onde sempre esteve (depois de Ranholas)e foi criada a marca Queijadas do Avô Neves.
Conheço muito bem a Fernanda e família mas acontece que ainda não visitei o Café de S.Pedro nem provei as Queijadas do Avô Neves.

viajante disse...

Curioso o anuncio das queijadas do Castelo dos Mouros. É a primeira vez que leio essa referência

Anónimo disse...

Ainda não provei as queijadas que são fabricadas, agora, na Volta do Duche, mas posso afirmar que as que se vendem no Café S.Pedro, as
"Queijadas do Avô Neves", continuam a ser muito boas.
Também achei curioso o anúncio das "Verdadeiras queijadas,da marca registada, Castelo dos Mouros".Quando terão acabado?
e.r.

pedro macieira disse...

Embora neste momento existam dois locais onde se fabricam as"Verdadeiras queijadas da Sapa" parece que as oficialmente reconhecidas são as da Volta do Duche, embora nos últimos vinte anos quem as fabricava,naquele local, esteja neste momento a fabricar as mesmas queijadas com outra marca em S.Pedro. E tanto uma casa como outra são descendentes do mesmo fundador da marca.Portanto a origem familiar mantém-se, e pode ser esta concorrência seja benéfica para o futuro das"Verdadeiras" queijadas de Sintra.

greentea disse...

não sou muito de doces nem de queijadas mas quando por uma vez na vida me apetece um bolinho diferente,sei que o encontro na Sapa - tarte de maçã com canela. por ex - e gosto especialmente da salinha lá atrás e se possivel de ficar sentada na janela à conversa com alguém...
Manias!

Anónimo disse...

Há muitos anos atrás, já a viver perto de Coimbra, ia com muita frequencia a Sintra, e aproveitava para comprar as famosas queijadas da Periquita. Agora, com o inferno em que transformaram a circulação automóvel e o estacionamento na Vila, cansei-me, e deixei de ir a Sintra, mas sempre que posso, compro as queijadas no Continente de Coimbra.