sexta-feira, abril 27, 2007

Sintra, nas aguarelas de Alfredo Roque Gameiro

Almoçageme
Eugaria
-Alfredo Roque Gameiro 1864-1934

«Entendíamo-nos muito bem. Aproveitávamos domingos ou feriados para percorrer arredores de Lisboa ou regiões do Alentejo, porquanto o pouco tempo livre que tínhamos e o meio individual de transporte de que dispúnhamos — que eram as bicicletas — não nos permitiam ir mais longe. Mas as nossas vidas prenderam-nos para sempre à capital e foi assim que o meu grande Companheiro acabou por ser o poeta que nas suas aguarelas melhor soube cantar e... cantarolar os encantos e os recantos da nossa amada Lisboa antiga.
Perdoe-se-me não ter sabido apagar mais a minha pessoa nos entrelaços desta pequena silva ditada pela saudade!»

in catálogo da exposição do 1.° centenário do nascimento do artista

Raul Lino

Auto-retrato
Alfredo Roque Gameiro (Minde, 4 de Abril de 1864 - Lisboa, 5 de Agosto de 1935) foi um pintor português, especializado na arte da aguarela.
Estudou na Academia Nacional das Belas Artes, onde foi aluno de Manuel de Macedo, J. Simões de Almeida e Henrique Casanova. Frequentou também a Escola de Artes e Ofícios de Leipzig, como bolsista do governo português, onde estudou litografia com Ludwig Nieper. De regresso a Portugal, em 1886, dirigiu a Companhia Nacional Editora e em 1894 foi nomeado como professor na Escola Industrial do Príncipe Real. Também existe uma escola chamada Escola Roque Gameiro na Amadora.
Retirado da Wikipédia

Helena Roque Gameiro 1895-1984

Alfredo Roque Gameiro deixou uma descendência de artistas plásticos,Helena Roque Gameiro sua filha , retratou assim as Azenhas do mar
Azenhas do mar

Saber mais sobre Roque Gameiro-pressionar
Notas:
Todas as reproduções foram retiradas da página "A Tribo dos Pincéis" dedicada à familia Roque Gameiro


4 comentários:

Anónimo disse...

Muito interessante o que publica hoje, não só pela informação e qualidade das aguarelas que reproduz como, também, para os sítios que remete -o "saber mais sobre Roque Gameiro" e a página "A Tribo dos Pincéis".Lá está tudo.
Obrigada.
e.r.

pedro macieira disse...

Sintra é sempre uma fonte de inspiração.

JPancho disse...

Gostei bastante dos teus trabalhos, cheios de luminosidade e brilho.
Também para mim Sintra e arredores são sempre uma boa fonte de inspiração.
Felicidaes.
pinturadejoaquimpancho.blogspot.com

Anónimo disse...

A fabrica pertencia a minha familia,adorei encontrar este documento.Obrigada