segunda-feira, abril 16, 2007

Rio das Maçãs/Ribeira de Colares

Uma notícia do Jornal de Sintra de 15 de Outubro de 1939, chamava a atenção para os aspectos ambientais que já nessa altura afectava o Rio de Colares/Rio das Maçãs, onde teria deixado de haver cardumes de peixes, devido a produtos tóxicos que no rio eram lançados.
Hoje já não existirão os tais cardumes de peixes, mas existem formosos patos que com os seus filhotes , alegram a Várzea de Colares.
Rio de Colares
É do dominio público que no pitoresco Rio de Colares existiu peixe aos cardumes, ainda não há muito tempo. E que o mesmo presentemente, escasseia. Informam-nos uns devotados amadores de pesca à linha com mágoa, que a causa dessa escassez é nada mais, nada menos, do que a falta de escrúpulo de mãos criminosas, que ludibriando a vigilância das autoridades, lançam no Rio produtos tóxicos.
Pedem-se urgentes providências, ás autoridades locais, nomeadamente ao nosso amigo sr. Tenente Manuel Borrêgo, brioso comandante da secção da GNR e ao cantoneiro do mesmo Rio,sr.António Caetano Baptista.
É absolutamente necessário vigiar com mais frequência o curso do pitoresco Rio de Colares, nomeadamente a zona entre Galamares e Praia; e ver se é possivel «caçar» os criminosos que tal brutalidade cometem.
Por hoje ficámos cientes duma coisa: que seremos imediatamente atendidos pelas entidades a que nos dirigimos com aquele entusiasmo próprio de quem não gosta nem pode admitir maldades como aquelas que deram lugar a este reparo.Num dos próximos números publicaremos um artigo, enquanto ao aproveitamento turístico do Rio de Colares.
No "Jornal de Sintra "de 15-10-1939



Fotos:PedroMacieira




2 comentários:

Anónimo disse...

Cada vez mais, rios com peixes, patos a nadar, ambiente limpo e puro, vão rareando.
Estamos a deixar aos nossos filhos e netos um Mundo difícil de habitar.

Um abraço.
Zé - Transatlântico

pedro macieira disse...

O conservação ambiental, deverá ser uma das principais prioridades dos nossos dias, pois o futuro do planeta depende essencialmente de todos nós.O Rio das Maçãs, não tem hoje em dia uma grande importância, mas já terá sido um braço de mar, que chegava até Colares, e por onde as maçãs reinetas chegavam até à foz a Praia das Maçãs,e era também uma via de transporte maritimo para Sintra, hoje em dia a maior parte do ano, tem um pequeno caudal, e terá ainda alguns peixes. Também, segundo penso não sofrerá de grandes descargas de zonas industriais que o iriam poluir.
Espero que o Rio continue (cada vez menos poluído)a ser um instrumento de irrigação das sua margens no seu ainda longo percurso, e se mantenha como habitat, dos peixes que aindam existem, e dos patos que referencio no post.
Um abraço