segunda-feira, março 30, 2009

Capela da Peninha II

"Eminente ao mar na mesma Costa está a ermida de Nossa senhora da Peninha, situada sobre um rochedo, o qual por ser inferior em grandeza relativamente áquelle em que se edificou o Convento da Pena se chamou da Peninha.(...)"
Visconde de Juromenha- "Cintra Pinturesca" 1838
"(...)No tempo do Cardeal Rei, pelos annos de 1579, acudiram a venera-la (imagem da N.Senhora da Penha) muitos povos como Collares, Cintra, Cascaes, e de todos aquelles logares circumvizinhos até o Milharado(...) "
Visconde de Juromenha-Cintra Pinturesca, 1838

Em 1850 a propriedade da peninha foi vendida ao Dr.José Maria Rangel de Sampaio.1873 – Passa para a posse da Universidade de Direito de Coimbra. 1918 –Palácio construído por António Augusto de Carvalho Monteiro e projectado por por Júlio Fonseca. 1991-Comprado pelo Serviço Nacional de Parques, Reservas e Conservação da Natureza por 90.000 contos, sendo 70% financiado por programa comunitário ENRIREG.

Junta Freguesia de Colares

"Este conjunto histórico engloba a Ermida de São Saturnino e a Capela de Nossa Senhora da Penha. Foi fundado por Frei Pedro da Conceição, nos finais do sec XVI, e o seu interior barroco, inclui um conjunto de páineis de azulejos azuis e brancos do início do sec.XVIII, representando cenas da vida da Virgem. Junto à capela existe uma residência romântico-revivalista mandada construir em 1918 pelo mecenas António Carvalho Monteiro."
CMS
A meio caminho entre Sintra e o litoral, entre os 300 e os 490 metros de altitude, sujeita a fortes ventos marítimos, a Peninha é uma janela panorâmica sobre a quase totalidade do Parque Natural Sintra-Cascais avistando-se a orla costeira do Cabo espichel até ao Cabo Carvoeiro. O conjunto edificado que aqui se encontra inclui a Ermida de São Saturnino, do Séc.XXII, e a Capela da Peninha, erguida por devoção popular no sécXVI e classificada como de interesse público. PNSC

2 comentários:

Anónimo disse...

Pedro
Já que estás, e muito bem, a "mostrar ao mundo" essa pérola que é a Peninha, vou-te dar uma dica para continuares esse excelente trabalho. A SW do monumento existe uma ruina do que pode ter sido ou um silo para forragens, ou uma geleira. A mim, que estive muito perto, parece-me mais uma geleira pois tem semelhanças a umas que existem em Montejunto. É um assunto a explorar...
abraços, joao brás

pedro macieira disse...

João,
Uma interessante dica, para uma futura ida à Peninha. E também uma referência para a participação da Amadora neste Blogue.
Um abraço