sexta-feira, março 20, 2009

O Vinho de Colares no "Fugas" II

J.Público de 18/03/2009 (clicar na imagem para ampliar)

Miguel Esteves Cardoso, na coluna diária do Jornal Público de Quarta-feira 18/03/2009, no seu estilo característico, comenta o artigo sobre o vinho de Colares do “Fugas” publicada no post de ontem - pelo seu interesse transcrevemos um excerto: “



O Colarinho branco

(…) No ultimo Fugas fez (Rui Falcão)o elogio dos vinhos de Colares que, apesar de serem um contra-senso na contramão da racionalidade e da moda, são os vinhos portugueses mais teimosos e mais fáceis de amar. Numa época em que tudo tem sabor a frutas tropicais, chocolate, baunilha, compotas e mijo de gato, os vinhos de Colares, sejam os tintos Ramisco ou os brancos Malvasia, estão entre os poucos que sabem a ...vinho.
São realidades artesanais, bla-bla-bla, mas o que interessa é que são de facto uma delícia. Então o Colarinho Branco – cujo opogeu é o Arense Malvasia 2006 e cuja colheita de 2007 está neste momento a ser casada fifty-fifty com o melhor Arinto de Bucelas do mesmo ano –é uma frescura sequinha, extorquida à areia e ao vento e ao mar, como não há outra neste mundo.Para que viva!”


Publicidade ao Vinho de Colares em 1933

2 comentários:

RS disse...

Eis uma pessoa com a qual não me identifico em absoluto, mas que leio sempre com imenso prazer, por ser - de facto - inteligente. Este artigo confirma-o, e curiosamente até estuo de acordo!

pedro macieira disse...

Rui,
O Miguel Esteves Cardoso, tem ao longo do tempo alguns escritos que são um retrato atento da sociedade portuguesa, sempre com uma pitada de humor.Neste caso o pequeno texto sobre o "Colarinho branco", começando pelo título e pelo poder de síntese são carateristicas da escrita inteligente do MEC.

Um abraço