sábado, julho 12, 2014

Porque hoje é Sábado...

Lago de Monserrate 31/05/2014

LAGO TURVO

Angústia marginada,
Meu canto é um lago turvo
Que devolve a paisagem, como um eco
Silencioso.
Um lago onde me afogo
Sem vontade,
Puramente impelido
Por não sei que fatal necessidade
De me sentir poeta e possuído.

Mas sem nascente e só do meu tamanho,
A doçura que tem é um sal sem gosto.
E a estranha inquietação de que se anima,
E o céu olha de cima,
São rugas que se agitam no meu rosto.

Coimbra, 28 de Abril de 1956

Miguel Torga/Diário


2 comentários:

Fatyly disse...

Um post magnífico e tão cheio de tudo.

Bom fim de semana

pedro macieira disse...

Obrigado.Bom fim de semana.
Abraço