quarta-feira, julho 09, 2014

Sobreira dos Fetos - Árvore classificada desde 1996


A Sobreira dos Fetos, junto à Quinta do Relógio-foto de 02/07/2014

Proteger as árvores de Sintra

A  lei que protegia as árvores  desde 1983, tinha sido revogada há mais de dois anos, e a nova legislação de Setembro de 2012, só agora foi regulamentada e com a entrada em vigor no próximo dia  1 de Agosto de 2014:

https://dre.pt/pdf1sdip/2014/06/11900/0334603352.pdf


Portaria nº124/2014 de 24 de Junho, que veio regulamentar a lei nº53/2012  determina os critérios e os procedimentos de classificação e de desclassificação das árvores.

Sobre a Sobreira dos Fetos
A Sobreira dos Fetos, classificada como árvore de interesse público, por despacho publicado no Diário da República II Série de 28 de Novembro de 1996. Terá cerca de 350 anos. Encontra-se junto à Quinta do Relógio, em frente à Quinta da Regaleira, sendo uma das mais antigas árvores de Sintra..
A ausência de qualquer indicação  informativa, junto a esta monumental sobreira, é lamentável, pois uma placa com o nome e a idade de uma das mais antigas àrvore de Sintra será de um custo bem suportável por um orçamento de qualquer departamento camarário.

Nada como recorrer a José Alfredo Azevedo, para conhecer melhor a Sobreira dos Fetos:

“Na parte exterior do gradeamento encontra-se uma sobreira secular, conhecida por Sobreira dos Fetos, vindo tal designação do facto de, em todas as suas trancadas, surgirem inúmeros fetos vulgares, que misturam as suas folhas com as da própria árvore, à sombra da qual vivem, sugando o húmus que encontram nas rugosidades da cortiça que a reveste.

O poeta inglês Roberto Southey, numa carta que escreveu a um amigo, disse: Há, então, aqui uma árvore, tão grande e tão velha que um pintor deveria vir de Inglaterra só para a ver. Os troncos e os ramos são cobertos de fetos, formando com a folhagem escura da árvore o mais pitoresco contraste. Isto passou-se no final do século XVIII. Note-se que, naquela data distante, a sobreira já era tão grande e tão velha!

Diz-se, também, que a rainha D. Amélia, que foi, incontestavelmente, uma apaixonada por Sintra, proferia muitas vezes esta frase: Vale mais a sobreira dos fetos do que Cascais e Estoris, tudo junto, pelo que os nossos vizinhos daquelas bandas, despeitados, lhe chamavam a cabra da serra.
Se isto não é verdade, pelo menos, tem muita graça.”

José Alfredo Azevedo "Velharias de Sintra"

Créditos:
Link da portaria de regulamentação da lei 53/2012 via Alagamares

Post relacionado, via blog Reino de Klingsor:
http://reinodeklingsor.blogspot.pt/2014/07/vamos-salvar-as-arvores-de-sintra.html

5 comentários:

Anónimo disse...

O plátano do Parque da Liberdade por cima do ringue também está classificado.

Carlos José dos Santos disse...

Quantas não estão por aí, a precisarem de classificação?
E quantas já sofreram o corte cego da motoserra implacável?

pedro macieira disse...

Estamos a tentar obter a lista de árvores classificadas em Sintra - assunto que iremos tratar em breve.

Anónimo disse...

ICNF.
Resultado da pesquisa de Arvoredo de Interesse Público Concelho Sintra:
http://www.icnf.pt/portal/florestas/Arvores.qry?Distrito=11&Concelho=11&Freguesia=&Processo=&template%3Amethod=Pesquisar

sintrense

Graça Sampaio disse...

Linda árvore!! Adoro árvores e então as de Sintra....