segunda-feira, janeiro 11, 2016

As Abelhas ameaçadas por pesticidas

Polinização de Inverno em Colares (fotos em 24/12/2015)
Foto em  Colares 24/12/2015
Fotos em Colares 24/10/2015
Foto em 24/12/2015

"Bayer, Syngenta e Monsanto tentam comprar credibilidade mediante o cultivo de alianças e associações estratégicas com agricultores, apicultores e organizações agrícolas com a esperança de se representarem como “amigos das abelhas”.

O TTIP* vai favorecer o desenvolvimento destas empresas na Europa.

"Dois neonicotinoides amplamente usados na fabricação de pesticidas parecem prejudicar seriamente as colónias de abelhas, segundo um estudo da Escola de Saúde Pública de Harvard. Em Abril de 2015, a revista Science publicou dois estudos adicionais que corroboram as descobertas de Harvard sobre neonicotinoides utilizados no tratamento de sementes para mais de 140 cultivos. Estes pesticidas sistémicos fabricados pela BayerSyngenta Monsanto são absorvidos pelas raízes e folhas e distribuídos através de toda a planta, incluindo seu pólen e néctar.
A reportagem é publicada por Mapocho Press, 01-11-2015. A tradução é de André Langer.
Para os polinizadores, a exposição de baixo nível pode levar a efeitos subletais, como alteração de aprendizagem, deficiência na busca de alimentos e imunosupressão; a exposição a níveis superiores pode ser letal.
Em resposta à evidência científica deste tipo, as três principais empresas produtoras de pesticidas – BayerSyngenta Monsanto – participam de campanhas massivas de relações públicas, efectuadas a um custo que ultrapassa os 100 milhões de dólares e empregando táticas similares àquelas utilizadas durante décadas pelas grandes fumageiras para negar os efeitos perniciosos na saúde pública.
Como informara Michele Simon em um estudo da Friends of the Earth (Amigos da Terra), estas tácticas incluem a criação de distracções para culpar qualquer coisa, menos os inseticidas, pelos colapsos documentados nas populações de abelhas, incluindo, por exemplo, acusações contra os agricultores por suposto mau uso dos pesticidas. Estas empresas também atacam os cientistas e jornalistas para desacreditar suas conclusões.
Ao mesmo tempo, BayerSyngenta Monsanto tentam comprar credibilidade mediante o cultivo de alianças e associações estratégicas com agricultores, apicultores e organizações agrícolas com a esperança de se representarem como “amigos das abelhas”. Assim, por exemplo, a Monsanto  anunciou a formação de um Conselho Assessor da Abelha Melífera, uma aliança  estratégica de executivos da Monsanto e outros. A Associação Britânica de Apicultores recebeu um importante financiamento da BayerSyngenta e outras empresas de insecticidas. Em troca, os insecticidas foram aprovados como “amistosos com as abelhas (...)”.

http://portugalmundial.com/2015/11/fabricantes-de-pesticidas-gastam-milhoes-para-ocultar-desaparecimento-de-abelhas/#

Via Quercus
* (Fabricantes de pesticidas gastam milhões para ocultar desaparecimento de abelhas) foi publicado no Não ao Tratado Transatlântico - Não ao TTIP

*O Transatlantic Trade and Investment Partnership (TTIP) é o acordo comercial que está a ser negociado entre a União Europeia e os Estados Unidos.

3 comentários:

spiritc disse...

No próximo dia 16, sábado vamos falar sobre este tema na primeira palestra do mundo das abelhas, na quinta da ribafria, em Sintra, estrada da Várzea, sobre os Agrotoxicos e os seus efeitos nas abelhas e polinizadores. Consequências e alternativas

O Mundo das Abelhas disse...

boas pedro, apesar de não nos conhecermos temos pelo menos um interesse comum, aproveito assim, por este meio estender convite para uma palestra ques estamos a organizar
AGRO-TOXICOS - CONSEQUENCIAS E ALTERNATIVAS
EVENTO GRATUITO a realizar sabado, dia 16 de janeiro na quinta da Ribafria em Sintra

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1112719645406237&set=a.107898855888326.15091.100000046369292&type=3&theater

bem haja
AG

pedro macieira disse...

Agradeço o comentário e a informação-Irei fazer os possíveis por estar presente no evento da Quinta da Ribafria.
Cumprimentos