terça-feira, agosto 02, 2016

Pois bem, vamos à luta!

LargoDFernando3f

Via, (texto) de João Cachado:
"LARGO DE SÃO PEDRO
 POIS BEM, VAMOS À LUTA!
Perante o desassossego que a Câmara Municipal de Sintra pretende causar com o seu abstruso plano para o local - entre outras malfeitorias tendo previsto a instalação de um parque de estacionamento permanente para mais de cem viaturas - alguns cidadãos já se começaram a mobilizar para a luta que, inevitavelmente, aí vem.
Há dois dias, a propósito deste assunto, escrevia eu:
"Se o plano da Câmara Municipal de Sintra vingasse, o terreiro de São Pedro seria tão desrespeitado, tão abastardado que, só muito dificilmente, depois se reconheceria o espaço que nos foi legado e que urge manter com o seu perfil, com todas aquelas características da vernaculidade local.
Enfim, é preciso lutar no sentido de que não haja factos consumados. (...) Claro que há coisas a beneficiar mas, nunca por nunca, como se pretende, transformar o recinto, ainda que apenas parcialmente, em parque de estacionamento permanente. Por outro lado, em que escolas terão aprendido os técnicos proponentes, sancionados pelos políticos que os avalizam, ser necessário nivelar aquilo tudo, padronizar um pavimento e não sei que mais? (...)"
LUGAR NO CORAÇÃO E NA MEMÓRIA DOS SINTRENSES
O recinto é extraordinário, a ele tendo coladas camadas e camadas de memórias, de vivências com muitas décadas, um lastro enorme de vidas cruzadas, de cenas repartidas entre gerações de residentes, de amigos, de famílias, com seus risos, gozos, gostos e também desgostos, horas mais e menos propícias.
Tal património tem os contornos pessoais e comunitários que cada um guarda e a própria comunidade assumiu porque, repito, foram precisamente as características do lugar, a vernaculidade a que já aludi noutro texto, que permitiu tivessem adquirido os matizes patrimoniais pessoais que carregam.
Haverá alguém que desconheça esta como componente indissociável da própria definição de Património que a UNESCO perfilha?
Aquele recinto que, de tão equilibrado, tem sábios desníveis, pedras calorosas e cordiais, não pode ser mexido, remexido à revelia da vontade dos cidadãos. É que nem pensar! Se, dos estiradores dos gabinetes de urbanismo e de planeamento da autarquia, não saíu coisa mais interessante e menos contundente, então há que saber responder, dando a entender como, afinal, TAIS PAPÉIS APENAS TROUXERAM À LUZ UM NADO MORTO, filho de uma atrevida ignorância.
Dificilmente, de facto, encontraria a Câmara Municipal de Sintra um local que mais pudesse «mexer» com a sensibilidade epidérmica dos sintrenses à possibilidade - ainda que tão remota! - de alteração tão radical como a proposta.
De facto, o lugar não poderia ser mais mobilizador da vontade dos cidadãos em fazerem-se ouvir sobre as suas razões de discordância. À partida, independentemente da necessidade de aprofundamento dos argumentos a dirimir, o desacordo não pode ser maior. Por isso, já há opiniões a circular, ideias que devem ser partilhadas, discutidas, bem debatidas.
ABAIXO ASSINADO CONTRA O PROJECTO, JÁ ACESSÍVEL
O meu amigo Guilherme Leite, o grande promotor da Saloia TV, que tanto e tão bom trabalho cívico tem feito em prol das gentes de Sintra, com a sua conhecida argúcia, naturalmente, apercebeu-se da pertinência da luta em perspectiva. E ontem lá esteve, num acolhedor cantinho do Largo de São Pedro, ouvindo os amigos que pretendem partilhar as suas razões de queixa.
Eis o primeiro momento, com o nosso companheiro João Diniz, da Canaferrim, Associação Cívica e Cultural. Nos próximos dias, outros se sucederão. Estejam atentos!
Bom visionamento!"
https://youtu.be/pFTVkgFEwBE
João  de Oliveira Cachado

LargoDFernando11f

Sem comentários: