quarta-feira, fevereiro 01, 2017

Memórias das malfeitorias camarárias na rua D.João de Castro

"O processo de "desarborização" desta rua é uma infâmia e uma cobardia. Anos de maus tratos sem outro o objectivo do que o conseguir ir abatendo todas estas magníficas tílias. E isto porque nunca houve a coragem política para elaborar um plano com pés e cabeça para este espaço ou assumir uma posição. Se as árvores tinham de ser abatidas porque nesta rua se privilegia a circulação automóvel e a manutenção dos muros, essa posição deveria ser assumida e defendida publicamente pela autarquia."

Comentário de uma leitora no blog ontem.


Fotos de onte à tarde na martirizada rua D.João de Castro em Sintra , após mais uma intervenção dos Serviços da Autarquia de Sintra. (Foto M.Clara Gomes)


Tem este blog acompanhado ao longo do tempo as intervenções  da Câmara Municipal de Sintra e das Estradas de Portugal , nas áreas arborizadas do Concelho de Sintra, nem sempre os nossos alertas tem tido sucesso - o caso das Tílias e Plátanos da rua D.João de Castro, é um exemplo de más práticas na preservação do ambiente arbóreo. 
Está neste momento a  ocorrer  nesta rua,uma intervenção de abate de árvores  e podas camarárias que mais uma vez é dificil de explicar pelo resultado à vista e uma demonstração da contínua falta de sensibilidade nas práticas de perservação do legado arbóreo que estes senhores autarcas receberam e que é pertença de Sintra, ainda Património Mundial, talvez por distração da UNESCO


Memória de 23 de Abril de 2010

Embora com uma fraca qualidade, este pequeno vídeo permite verificar a extensão dos estragos causados pelas brutais podas camarárias, na rua D.João de Castro em Sintra.




*Fotos e vídeo da Rua D.João de Castro/ Sintra em 22/04/2010

Nem todos os sintrense desejam uma Sintra sem árvores -Memória de 21 de Maio de 2010

Uma intervenção do Clube de Tricô "Conversa Fiada", ontem ao fim do dia no Largo do Morais, em Sintra, um dos locais em que o Departamento de Parques e Jardins podou bárbaramente, Plátanos e Tílias.

Photobucket

Photobucket




Photobucket

Photobucket


Photobucket

Clube de Tricô "Conversa Fiada"

Os membros do Clube de Tricô “Conversa Fiada reúnem-se, semanalmente, à quarta-feira à noite no Saudade, Amor e Arte, em Sintra.

A arte de envolver elementos do património público com tricô que, de algum modo, suscitam intervenção cívica, foi iniciada nos EUA em 2005, sendo conhecida por Yarnbombing.
Em Sintra, inspirado neste movimento que já se espalhou por todo o mundo, o Clube de Tricô “Conversa Fiada” vem fazer a sua primeira intervenção.

Foi no Largo do Morais que o Departamento de Parques e Jardins selvaticamente podou as árvores, há umas semanas atrás.
Por isso, decidiu o Clube de Tricô “Conversa Fiada” vestir simbolicamente estas nossas amigas.

O critério utilizado ronda o incompreensível.
Vejamos:

O jardim que ali se encontra, com bancos convidativos a uma pausa para quem sobe da Estefânia para S. Pedro, foi deixado sem uma única sombra. Todos os plátanos, foram decepados dos seus ramos.

As árvores da Rua D. João de Castro, foram objecto de intervenção absolutamente absurda, efectuada num lugar tão característico de Sintra.
Logo no início, temos várias tílias completamente decapitadas dos ramos que estavam já cobertos de folhas (este ano já não voltarão a rebentar), outras às quais foram cortados os ramos alguns metros acima do tronco e, pasme-se, logo a seguir, um conjunto de árvores exuberantes de folhagem bonita, onde a motosserra não tocou.

Que critério tão discriminatório foi utilizado no tratamento dado a estas árvores?

Onde estão os técnicos da Câmara a quem foi ministrada, em Abril de 2009, a formação adequada para que “(…) se as árvores de Sintra pudessem ver-se ao espelho, gostassem da imagem reflectida e louvassem o cuidado posto na sua fisionomia saúde e preservação(...)”? “Coisas d’Árvores,” Abril 2009

Até quando vamos assistir a estes atentados? Só pela simples razão de que, em anos anteriores as podas foram assim efectuadas?

Lamentamos profundamente a falta de cuidado que a Autarquia tem demonstrado em relação às nossas árvores, património natural fundamental para que Sintra esteja classificada pela UNESCO como Paisagem Cultural da Humanidade.

Clube de Tricô “Conversa Fiada”

*Texto fornecido pelo Clube de Tricô "Conversa Fiada

Outras Intervenções  da CMS neste local:
Posts relacionados publicados no blog sobre a mártire rua D.João de Castro, e das sua tílias e plátanos ao longo do tempo-ver aqui:
http://riodasmacas.blogspot.pt/search?q=rua+D.Jo%C3%A3o+de+Castro

1 comentário:

Anónimo disse...

Tenho pena que neste país não haja verdadeiros movimentos de cidadania.

Claro que é obrigatório quem denuncie estes atentados, mas a partir daqui continuará tudo no mesmo. No caso, o abate de árvores sem dó nem piedade. Para quê isto? Para o carrinho passar melhor, ou uma pessoa escusar de contornar a árvore, ou algo que ainda viremos mais tarde a saber...