sábado, abril 01, 2017

Porque hoje é Sábado...

A Garça-real já não mora aqui

Foto em 3 de Janeiro de 2017

Depois de 2 anos a acompanhar os voos e pescarias da garça-real, que escolheu viver nos últimos tempos na Várzea de Colares, na margem do rio das Maçãs - verificamos a sua ausência há  mais  de um mês.
Há notícias que em certas altura do dia,a ainda nos faz uma visita, mas terá   encontrado outro lugar para viver, talvez por falta de peixe actualmente no rio das Maçãs.
Um registo de uma pescaria


Uma das  últimas fotos que conseguimos antes do abandono da Várzea de Colares em 2 de Fevereiro de 2017.

Voos da garça-real

Após alguns dias sem aparecer na Várzea de Colares, tivemos a sorte de a fotografar naquela tarde primaveril de sexta-feira de 30 de Abril de 2016.

Aguardamos o seu regresso  a Colares

1 comentário:

joanunha disse...

iga o chat.
Início da conversa de chat
3 amigos em comum, incluindo Gonçalo Portocarrero de Almada e Paulo Ferrero
Trabalhou na empresa Portugal Telecom
Vive em Sintra
1:22
Tenho traduzido um livro de Ramón Gómez de la Serna que viveu no Estoril nos anos 20 e foi amigo dos modernistas portugueses, particularmente do António Ferro e do Almada. Quando este esteve em Espanha ilustrou muitos textos do Ramón. constantes de um volume editado pela Bedeteca, chamado Marginálias. O Livro que traduzi chama-se A Quinta de Palmyra e, embora os nomes dos locais sejam inventados, grande parte do lic
do enredo é passado no Monte estoril e arredores. Noentanto
No entanto, há uma visita a uma praia a que ela chama de Morça, que suspeito ser a Praia das Maçãs porque há um almoço num hotel. No entanto, também fala de um grande areal. o que faz lembrar a Praia Grande. Pergunto: nos anos 20 j+a haveria algum hotel na Praia Grande? Pedido: boa fotografia da Praia das maçãs nos anos 20 com hotel. Também passam por Colares. Haverá fotografia da época? Por último, e para o não maçar ainda mais. sabe ode posso arranjar uma boa fotografia do Palácio da Pena nesses mesmos anos 20? O seu contacto (leio o seu blogue) foi-me dado pelo Paulo Ferrero. Muito obrigada. Joana Morais Varela