quinta-feira, dezembro 31, 2009

terça-feira, dezembro 29, 2009

Cheia na Várzea de Colares

ColaresCheia291220096

Notícia Sic -aqui

Mais uma vez a Várzea de Colares teve uma inundação, derivado das fortes chuvadas desta madrugada - situação que se repete com alguma frequência, e que provoca o caos no trânsito e desta vez danos materiais em várias casas da zona - o derrube do muro efectuado para expulsar as águas para o rio das Maçãs, provocou um corte de energia no posto de abastecimento da BP.
ColaresCheia29120097

ColaresCheia29122009

ColaresCheia291220098

Pombos do Jardim da Correnteza

Photobucket


Photobucket
O pombo-correio é uma variedade do pombo comum, dócil e muito resistente chega a voar 1200 Km por dia, mas o seu desempenho em voo pode variar de acordo com as condições climáticas.

Antigamente os pombos- correio foram utilizados para transportar mensagens em papel fino, num tubo pequeno atado a uma pata, pela sua capacidade de orientação, mesmo lançados a longas distâncias, conseguem retornar ao seu ninho e à sua mãe - daí o nome de pombo-correio.

Actualmente os pombos -correio são utilizados para fins "desportivos" em concursos e exposições, organizados por clubes columbófilos - não é o caso deste dois belos exemplares, livres, no Jardim da Correnteza na Estefânia em Sintra. Local com uma vista paisagística única e um espaço ideal para os seus voos.

sintraregresso
Vista do Jardim do Correnteza

segunda-feira, dezembro 28, 2009

Domingo na Praia das Maçãs e Gaivotas

Photobucket
Photobucket
Gaivota- de- patas- Amarelas, frequente em todo o Parque Natural Sintra-Cascais
Photobucket
Uma gaivota na foz do Rio das Maçãs

Praia das Maçãs --onde desagua o rio do mesmo nome num areal fortemente batido pelas ondas.
H.Royal (jogos, patinagem, restaurante); H Tapie -Rest.: Grego, Flor da Praia. -Cor. e tel. -ilum. pública; electricidade. Água; pouca mas regular - Várias casas de aluguer. - Romaria no último domingo de Setembro.
No Guia de Portugal -Lisboa e arredores de Raul Proença ,1924

domingo, dezembro 27, 2009

Rebocador de alto mar Cintra

SGR8+REBOC+CINTRA.22009
Foto-Rebocador Cintra

Em 10 de Dezembro de 2008 , publicámos um post sobre os rebocadores "Cintra" o "Praia da Adraga" o "Praia Grande"e o "Colares"- Um contacto de Jorge Serpa, alertou-nos para que a foto referente ao rebocador " Cintra", não estava correcta, embora tenha sido encontrada aqui. Hoje com a prestimosa colaboração de Jorge Serpa, filho do comandante do rebocador Cintra, podemos repor e actualizar com dados do historial e fotos do Cintra, o que publicámos anteriormente.
Ship+Photo+Cintra2009
Foto-Rebocador Cintra

O rebocador de alto mar Enchanter foi construido em Selby na Inglaterra em 1944 para a Marinha Inglesa. Em 1947 foi vendido para a United Towing de Hull, passando então a chamar-se Englishman. Finalmente foi vendido à Sociedade Geral passando a chamar-se Cintra. O pai de Jorge Serpa, Luiz Santos Serpa foi imediato e mais tarde comandante deste rebocador.

O Cintra era o "porta-bandeira" da frota de rebocadores da SG. Dos 3 ( os outros 2 eram o Praia da Adraga e o Praia Grande), ele era o único que era verdadeiro rebocador salvadego de alto mar. Aliás, a SG tinha um contrato com a companhia holandesa Wijsmuller, uma das mais prestigiosas companhias de salvatagem e rebocagem dos seus tempos, segundo o qual o Cintra passava um periodo do ano vinculado aos holandeses.

O Cintra com o comandante Luis Santos Serpa, fez o salvamento de um navio misto (carga e passageiros) à entrada do mar do Norte.
Cintrapessoal2009
Nesta foto do Cmdt Luiz Santos Serpa, e com o colaborador deste post, em 1964, Jorge Serpa em primeiro plano, tirada no Norte do país , com o rebocador Cintra em fundo.

sábado, dezembro 26, 2009

Fragata D.Fernando II e Glória

Photobucket

A Fragata "D.Fernando II e Glória" o último grande navio à vela da Marinha Portuguesa e também a última nau a fazer a chamada "Carreira da Índia" - verdadeira linha militar regular que, desde o século XVI e durante mais de três séculos, fez a ligação entre Portugal e aquela antiga colónia - foi o último grande navio que os estaleiros do antigo Arsenal Real da Marinha de Damão, construíram para a nossa Marinha.

A Fragata recebeu o nome de "D.Fernando II e Glória", não só em homenagem a D.Fernando Saxe Coburgo Gota marido de D.Maria II, mas também por ter sido entregue à protecção de Nossa Senhora da Glória, de especial devoção entre os goeses.


A viagem inaugural, de Goa para Lisboa , teve lugar em 1845, com largada em 2 de Fevereiro e chegada ao Tejo em 4 de Julho.
FragataD.FernandoII

Em 1963, um violento incêndio destruiu o navio em grande parte , tendo permanecido encalhado no Tejo até 1992, data em que foi posto a flutuar, removido e posteriormente levado para os estaleiros de Aveiro.

Restaurada a "D.Fernando II e Glória", é actualmente um navio museu, sendo o último navio exclusivamente à vela da Marinha Portuguesa.

*Saber mais sobre a Fragata D.Fernando II e Glória -aqui -aqui e aqui

sexta-feira, dezembro 25, 2009

Dia de Natal

BOAS FESTAS!

DesenhoDFernando22

No anterior post referiamos que a introdução da Árvore de Natal em Portugal tinha sido efectuada por D. Fernando II - hoje publicamos um interessante desenho feito pelo próprio D.Fernando sobre a distribuição de presentes na noite de Natal no Palácio da Pena, aos seus filhos, vestido de S.Nicolau.

No desenho em segundo plano uma árvore de Natal, que se viria a tornar a partir daí, uma tradição no Natal dos Portugueses.

O Rei-Artista

D.Fernando II casado com D.Maria II, era um homem de cultura, literária e artística, foi acima de tudo um protector do nosso património monumental, tendo mandar restaurar os Jerónimos (que tinham sido parcialmente destruídos com o terramoto de 1775), o Convento de Mafra, a Torre de Belém, a Sé de Lisboa,a Batalha e o Convento de Cristo em Tomar, a ele se deve a construção do Palácio da Pena e do Parque da Pena em Sintra. Além de mecenas para vários artistas, também foi a sua intervenção que não permitiu que a Custódia de Belém fosse derretida na Casa da Moeda.

Em 1853 D.Maria II morre de parto, com apenas 34 anos.

Em 1869, D.Fernando casa-se pela segunda vez com Helise Hensler, a Condessa d'Edla, a quem deixaria como herança o Palácio da Pena e o Castelo dos Mouros.

quinta-feira, dezembro 24, 2009

A Árvore de Natal em Portugal e D.Fernando II

Photobucket

Excertos de um texto de David Garcia, no "Jornal de Sintra" de 25/12 /2009:

"A tradição da Árvore de Natal foi introduzida em Portugal por D.Fernando II, casado com a rainha D.MariaII

Em Portugal , até meados do século XIX, a tradição do Natal tinha como centro a figura do Presépio.
(...)
Com a ascensão do Trono de Portugal da Rainha D,Maria II, os hábitos da Corte Portuguesa por altura do Natal mudaram.Assim em 1836, a Rainha casou com o Principe Ferdinand von August Franz Anton von Sachsen-Coburg-Gotha-Kohary, mais tarde D.Fernando II, o Rei-Artista.
(...)
Com a vinda para Portugal de Dom Fernando II foi introduzida na Corte Portuguesa, a tradição da Árvore de Natal.
(...)
Consta segundo registos que Dom Fernando II, na Noite de Natal vestia-se de S.Nicolau e distribuia presentes aos seus filhos numa festa genuinamente familiar.
A pouco e pouco, graças à influência da Corte, a tradição da Árvore de Natal foi passando das elites para uma parte da população.(...)"

David Garcia

*Foto da Árvore de Natal no Largo do Palácio Nacional de Sintra

quarta-feira, dezembro 23, 2009

Museu do Ar em Sintra

Photobucket
O avião alemão Junker 52 e à direita na foto a réplica do biplano 14 Bis, de Santos Dumont

No dia 14 de Dezembro foram inauguradas as novas instalações do Museu do Ar, na Base Aérea Nº1 em Sintra.

O Museu do Ar foi transferido de Alverca para Sintra , onde desde 1920 foi acolhida a primeira escola militar da aviação do País,(criada em Vila Nova da Rainha) e onde já existia um pólo do Museu. A Câmara Municipal de Sintra comparticipou com 150 mil euros para a sua instalação.

terça-feira, dezembro 22, 2009

Casa do Pego de Siza Vieira

Photobucket
Imagem Google Earth

Continuando a divulgação de casas de Sintra, desenhadas por arquitectos contemporâneos -publicamos hoje a Casa do Pego, no Rodízio (Praia Grande) de Siza Vieira.


A Casa do Pego é considerado um dos melhores projectos de Siza Vieira, muito elogiado pelos seus pares. Infelizmente a casa não permite captura de imagens a partir do seu exterior, derivado da sua localização. Desta vez ficámos literalmente ao portão...


CasadoPego2final

casadoPegoFinal

Siza Vieira foi galardoado em 1991 com o prémio Pritzker, e recebeu em 2009, a medalha de Ouro Real pelo Royal Institute of British Architects, o RIBA. A medalha é atribuida desde 1848 aos arquitectos pela grande contribuição internacional à arquitectura. Já premiou Le Corbusier (1953), Renzo Piano (1989),Frank Gehry (2000) e Jean Nouvel (2001).
CasadoPego21-12-2009 21-32-04
Foto encontrada aqui


Photobucket Photobucket

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Os últimos voos Outonais

Photobucket
Photobucket

Não precisamos de muita coisa

não precisamos de muita coisa
um pouco de sol e as Berlengas no horizonte
a tarde escorrendo na cafetaria
os nossos olhos lentos e as vidraças
subitamente acesas no esplendor das bátegas
um bando de patos selvagens erguendo-se da lagoa
quando saimos e ao vento frio ofertarmos
a transparência dos lábios cercados
pela melancolia da tarde que se nos finda

e à noite talvez as mãos
ardidas de saudade e em surdina
uma canção Ella e Louis Armstrong

Soledade Santos

Patos1220093final
Fotos dos patos do Rio das Maçãs, na Várzea de Colares na Sexta-Feira, nos últimos voos do Outono de 2009

domingo, dezembro 20, 2009

Sintra evoca Maria Gabriela Llansol

Photobucket

Dia 21 de Dezembro pelas 10H30, será descerrada uma placa evocativa da ligação de Maria Gabriela Llansol a Sintra, junto da árvore que dá pelo nome de «Grande Maior» no livro Parasceve. Puzzles e ironias (relógio d'Água 2001).
Photobucket

sábado, dezembro 19, 2009

Os efeitos do terramoto de 1775 em Colares

castelo32009 copy
Foto de de Colares visto do castelo

O sismo que abalou o país na última Quarta-Feira, de magnitude 6,1 da escala de Richter, com o epicentro em pleno Oceano atlântico a 180Km do cabo de S.Vicente, o mesmo local do epicentro do grande sismo de 1755, este com a magnitude de 8,7 a 9 da escala de Richter, que destruiu Lisboa.

O terramoto de 1755 não só destruiu a cidade de Lisboa como provocou uma enorme destruição em todo o Sul de Portugal, especialmente no Algarve. Sintra e Colares também sofreram grandes efeitos do abalo sísmico - um texto de António Caruna publicado na Revista Sintra Regional nº3 de Julho/Agosto de 2004, trancreve excertos da Memória Paroquial, do Prior da Freguesia de Colares dessa altura em resposta ao inquérito feito pelo Marquês de Pombal, para conhecimento sistemático dos efeitos do terramoto por todo o País.

ColaresVinagrescan0004

Resposta dada pelo Prior de Colares em 5 de Abril de 1758:

"padeceo esta terra bastante ruîna no primeiro terramoto de 1755: assim as cazas como os Templos e o da Parochia se ainda acha cahido; porem a mayor parte da cazas levantadas e reparadas."
Quanto a vitimas mortais , segundo o livro da Paróquia "Ao 1 de Novembro do anno de 1775 faleceu sem sacramentos porque no dia do terramoto se achava na Pedra de Alvidrar junto ao Fogo (Fojo) e fugindo pela dita pedra se despenhou no mar, donde não ouve mais notícia Domingos Dias, casado que era com Josefina Maria morador no lugar do Alqueira (Ulgueira?) e ainda que,no mesmo dia "faleceu da vida presente na ocasião do terramoto da cidade de Lisboa Mariana Pedroza viúva de João Nunes Vieira do lugar do Penedo"

Bem mais severamente fustigada foi a Freguesia de S.Martinho de Sintra, onde "destruirão-se todos os edifícios désta antiquissima Villa" e "caihirão os sagrados templos e com tão geral confusão e agonia acharão muitos morreram, primeiro o horror da sepultura, que o último estrago da morte". O único templo daquela Freguesia que resistiu ao sismo foi a Capela de Na.Sa. da Piedade, nos limites daquela Freguesia com a de Colares, na chamada Estrada Velha.

*Foto da Quinta do Vinagre do "Sintra Regional Nº3 de Julho/Agosto 2004

sexta-feira, dezembro 18, 2009

A propósito do Sismo de ontem

O que fazer em caso de sismo

Indicações do Laboratório Vulcanólogico e Sismológico da Universidade dos Açores -aqui
(via Diário de Notícias)

O sismo de ontem no ninho da cegonha
(Via Jornal "Público")
Desde o início de 2009 uma câmara segue um ninho de uma casal de cegonhas num poste da Rede Eléctrica Nacional. Na noite de ontem, a cegonha que pernoitava no ninho apanhou um enorme susto...levando-a a ficar em posição de alerta.

Nota:Há um desfasamento de quase 4 minutos, entre a hora do tremor de terra e a hora marcad na câmara, mas deve-se ao facto de se encontrar adiantado em relação há hora oficial.



Post relacionado:Simulacro de sismo de 6.9 (escala de Richter) efectuado em 21 de Novembto de 2008

quinta-feira, dezembro 17, 2009

Sismo de magnitude 6.0 sentido em Colares

Photobucket
Imagem do Diário de Notícias

Um violento abalo sísmico foi sentido em Colares às 01H37minutos de hoje. O sismo teve o epicentro a 187 Kms de Faro no Oceano Atlântico com a magnitude de 6.0 da escala de Richter. Neste momento (2H24m) não existem informações de danos pessoais nem materiais.

Actualização 3H00
Aconteceram duas réplicas às 02H11 e 02H20, mas com uma magnitude 2.01 e 2.11 da escala de Richter respectivamente

Actualização
Comunicado do Instituto de Meteorologia
"O Instituto de meteorologia informa que no dia 17-12-2009 pelas o1H37 (hora local) foi registado nas estações da Rede Sísmica do Continente, um sismo de magnitude 6.0 (Richter) e cujo epicentro se localizou a cerca de 100Km a Oeste-Sudoeste do Cabo S.Vicente."

Lista das cidades portuguesas onde foi sentido o sismo-aqui

Tempo de Natal

Photobucket


NATAL
Acontecia.No vento.Na chuva.Acontecia.
Era gente a correr pela música acima.
Uma onda uma festa.Palavras a saltar.

Eram carpas ou mãos. Um soluço uma rima.
Guitarras guitarras. Ou talvez mar.
E acontecia. No vento.Na chuva. Acontecia.

Na tua boca. No teu rosto. No teu corpo acontecia.
No teu ritmo nos teus ritos.
No teu sono nos teus gestos.(Liturgia liturgia).
Nos teus gritos. Nos teus olhos quase aflitos.
E nos silêncios infinitos. Na tua noite e no teu dia.
No teu sol acontecia.

Era um sopro.Era um salmo.(Nostalgia nostalgia).
Todo o tempo num só tempo: andamento.
de poesia. Era um susto. Ou sobressalto. E acontecia.
Na cidade lavada pela chuva. Em cada curva
acontecia. E em cada acaso. Como um pouco de água turva
na cidade agitada pelo vento.

Natal Natal (diziam). E acontecia.
Como se fosse na palavra a rosa brava
acontecia. E era Dezembro que floria.
Era um vulcão. E no teu corpo a flor e a lava.
E era na lava a rosa e a palavra.
Todo o tempo num só tempo: nascimento de poesia.

Manuel Alegre

quarta-feira, dezembro 16, 2009

Iluminações de Natal em Colares

LuzesColares2009Final
LuzesColares200 9Final2

Dia de Natal

Hoje é dia de ser bom.
É dia de passar a mão pelo rosto das crianças,
de falar e de ouvir com mavioso tom,
de abraçar toda a gente e de oferecer lembranças.

É dia de pensar nos outros - coitadinhos - nos que padecem,
de lhes darmos coragem para poderem continuar a aceitar a sua miséria,
de perdoar aos nossos inimigos, mesmo aos que não merecem,
de meditar sobre a nossa existência, tão efémera e tão séria.


Comove tanta fraternidade universal.
É só abrir o rádio e logo um coro de anjos,
como se de anjos fosse,
numa toada doce,
de violas e banjos,
Entoa um hino ao Criador.
E mal se extinguem os clamores plangentes,
a voz do locutor
anuncia o melhor dos detergentes.

De novo a melopeia inunda a Terra e o Céu
e as vozes crescem num fervor patético.
(Vossa Excelência verificou a hora exacta em que o Menino Jesus nasceu?
Não seja estúpido! compre imediatamente um relógio de pulso antimagnético.)
(...)

António Gedeão

terça-feira, dezembro 15, 2009

Noites de Dezembro em Sintra

Photobucket

NATAL CHIQUE

Percorro o dia, que esmorece
Nas ruas cheias de rumor;
Minha alma vã desaparece
Na muita pressa e pouco amor.

Hoje é Natal.Comprei um anjo,
Dos que anunciam no jornal;
Mas houve um etéreo desarranjo
E o efeito em casa saiu mal.

Valeu-me um príncipe esfarrapado
A quem dão coroas no meio disto,
Um moço doente , desanimado...
Só esse pobre me pareceu Cristo.

Vitorino Nemésio

SintraNatal2009oval
Fotos das iluminações de Natal este ano em Sintra

Desde 27 de Novembro até 7 de Janeiro de 2010, 330 mil luzes de baixo consumo "lighting emiting diodes", iluminam Sintra e o seu Centro Histórico.

segunda-feira, dezembro 14, 2009

Fins de Tarde de Outono na Praia Grande

Photobucket

Espero sempre por ti o dia inteiro,
Quando na praia sobe, de cinza e oiro,
O nevoeiro
E há em todas as coisas o agoiro
De uma fantástica vinda.

Espero/Sophia de Mello Breyner

Praigrandecontraluz22
*Fotos da Praia Grande ontem, Domingo ao fim da tarde

PraiaGrandecontraluz9122009
*Foto do final de tarde na Praia Grande/ Terça-Feira 9/12/2009

As ondas quebravam uma à uma
Eu estava só com a areia e com a espuma
Do mar que cantava só p'ra mim.

Sophia de Mello Breyner

domingo, dezembro 13, 2009

Várzea de Colares

Photobucket

Cerca de meados do século XVIII, Santa Anna redigiu uma das mais belas e ignotas passagens sobre a abastança do vale de Colares:

«As águas deste gracioso rio * são de qualidade tão admirável, que por onde correm, deixaõ a terra fecundissima de rendosos pomares, compostos por excellentes frutos. Na varzea saõ tantas e taõ bastas as arvores frutiferas nascidas de huma, e outra parte do rio, que em toda ella, na maior força da calma, se acha sem interrupçaõ huma sombra continuada. A differença dos frutos (que saõ peras, maçans , marmelos e outros igualmente saborosos) servem de recreação aos sentidos; dando a conhecer, que os primores da arte, empenhada em concertar hum bellisimo ramalhete, naõ poderia idear outro de tanta fermosura, como nesta varzea de todo o seu frondoso arvoredo lhe fabricou a natureza(...)»

No "Colares" de Maria Teresa Caetano

*Rio das Maçãs
Foto da Várzea de Colares - ontem.

sábado, dezembro 12, 2009

Bilhetes de Colares (II)

Photobucket

Toponímia

" Nos primeiros anos de Portugal ia com alguma frequência a Londres, e até os direitos de transmissão me terem forçado a vender The Pursiane, no Shrophire, passava lá sempre um mês na época de caça. Agora quase não saio de Colares. Dantes ouvia às vezes na rua ou em lojas referirem-se a mim «Lá vai o inglês.» Agora, quando acontece, é : «Lá vai o Dr. Kotter.» Se tiver tempo para acabar o meu Atalhos, Veredas e Caminhos de Pé Posto do Concelho de Sintra (em colaboração com Alice Wohl), creio vir a ter merecido lugar de português de Colares. E, depois da minha morte, talvez, alguma vereação benevolente se lembre de recordar este súbdito arredio de Sua Magestade Britânica e chame ao mais modesto arruamento do Concelho «Beco do Kotter»."

José Cutileiro

Publ. em "A tarde , 21 de Setembro 1982,P.3"

De uma crónica de "Bilhetes de Colares de A. B. Kotter (1982-1998)"

Galardoado com o Prémio da crónica 2008 atribuido pela Associação Portuguesa de Escritores e C.M. de Sintra.

*Foto :Colares visto do Castelo

sexta-feira, dezembro 11, 2009

Férias de Natal no Centro de Ciência Viva de Sintra

cienciaviva22009

Férias de Natal divertidas no Centro de Ciência Viva, na Ribeira de Sintra, para os mais pequenos. Desde aprender como fazer bolas de sabão e a construir brinquedos reciclados até ser cientista por um dia.

Desde 21 a 23 de Dezembro e de 28 a 30 Dezembro das 9H00 às 18H00

Férias Vivas de Natal 2009

quinta-feira, dezembro 10, 2009

Fim de tarde na Serra de Sintra com nevoeiro

palacionuvem5100Final

Já a vista a pouco se desterra
Daqueles pátrios montes que ficavam;
Ficava o caro Tejo e a fresca serra
De Sintra, e nela os olhos alongavam...

Luís de Camões
Do Canto V dos Lusíadas

*Foto da Serra de Sintra -hoje .

quarta-feira, dezembro 09, 2009

A Companhia de Dança Contemporânea de Sintra em homenagem a Florbela Espanca

Photobucket
Florbela Espanca foi hoje homenageada em Vila Viçosa, sua terra natal, com um espectáculo cultural.
O espectáculo que assinalou a data de nascimento da poetisa, foi organizado pela
Câmara Municipal de Vila Viçosa, no Cine -Teatro Florbela Espanca e teve a participação da Companhia de Dança Contemporânea de Sintra.

terça-feira, dezembro 08, 2009

Copenhaga 2009 (II)

Photobucket

Uma cadeia mundial de orgãos de comunicação, publicaram hoje um editorial comum, sobre a problemática que hoje começou a ser discutida na capital dinamarquesa : As alterações climáticas que a Terra está a sofrer como consequência do aumento do aquecimento global.

Publicamos algumas das primeiras páginas dos 56 jornais de 44 países que aderiram a esta inédita campanha, uma demonstração da consciência que já existe no mundo sobre os perigos das alterações climáticas. Em fundo na imagem a página do "The New Vision", um jornal do Uganda - sinal que África está também preocupada com o aquecimento do planeta, que tem aumentado os desastres naturais naquele continente tornando-o ainda mais pobre.

-Informações da Cimeira em site da Greenpeace -Aqui
-Página da Conferência de Copenhaga -Aqui

segunda-feira, dezembro 07, 2009

A Prenda de Natal que o Planeta Merece

Photobucket
No dia em que se inicia a Cimeira de Copenhaga sobre as alterações climáticas, a melhor prenda de Natal para o Planeta, seria que a conclusão da Cimeira, obrigasse as potências mais poluidoras a reduzir até 2020, 45% das emissões para atmosfera.

*Foto da Iluminação de Natal 2009, no Palácio da Vila de Sintra

sábado, dezembro 05, 2009

Recital de piano em Sintra, evoca Condessa d'Edla

ConceroCondessa de Edla2
Decorreu hoje no Palácio Valenças em Sintra, o recital evocativo dos 80 anos da morte da Condessa d'Edla, organizado pela Alagamares.

Do programa excelentemente executado pelo jovem pianista Miguel Sousa, o destaque para a peça escrita por Vianna da Motta aos 13 anos, "Au bord du lac de Pena", dedicada à Condessa d'Edla, sua protectora.

Concertocondessa2222

ConcertoCondessafinal22