quarta-feira, julho 21, 2010

Memórias Sintrenses (III)

No dia 25 deste mês passam setenta anos sobre o falecimento de Carlos Oliveira Carvalho, antigo administrador do Parque da Pena e continuador da obra de D.Fernando e da Condessa d’Edla – neste post registamos essa efeméride, com dois textos de duas pessoas que conhecem muito de Sintra e que fazem o favor de colaborar com este blogue – Emilia Reis e Carlos José Santos .

Host unlimited photos at slide.com for FREE!

"No tempo do antigo regente Carlos de Oliveira Carvalho não se cortava uma árvore sem a sua autorização - Que saudades do velho "Carvalho da Pena!"
José Alfredo da Costa Azevedo


Carlos Eugénio de Oliveira Ferreira Carvalho o “Carvalho da Pena” 1870-1940


Passam no próximo domingo setenta anos sobre o falecimento de Carlos de Oliveira Carvalho - o Carvalho da Pena - ocorrido em 25 de Julho de 1940, em Sintra, na "Vila de S.Miguel" perto da Igreja de Santa Maria.
A Dra. Maria Almira Medina num belo texto que leu no Palácio Valenças em Maio de 2007, “A Memória é uma Rosa Aberta”, fez um apelo à C.M.S. para que colocasse, na casa onde faleceu, uma placa que evocasse a memória daquele que, no Parque da Pena, foi o continuador da obra de D.Fernando e da Condessa d'Edla, ao qual, sabemos, dedicou apaixonadamente a sua vida.
Emilia Reis

Também o já nosso amigo Carlos Santos –Caínhas a propósito de Carvalho da Pena, fez o favor de nos enviar um texto e uma foto.

No artigo sobre o Casino, a determinada altura fala-se no Sr. Carvalho da Pena, aqui lhe envio a foto do Sr. Carvalho, que foi chefe do avô da minha mulher, ao tempo Guarda Florestal, depois Mestre.
A florestação da Serra de Sintra, é obra feita sob a sua direcção.

Das minhas memórias, eu escrevi:

-A obra do parque da Pena como está escrito, dito, e redito, é fruto do querer, do saber, e do gosto do Rei D. Fernando II . A manutenção de todo aquele património esteve sob a administração de gente muito competente que amava o Parque, e estava dentro do espírito que o Rei lhes tinha feito transparecer. Dessas pessoas ressaltam dois nomes. Primeiro o Sr. Carvalho, (avô do meu amigo Sr. Carlos Carvalho, este marido da D. Maria Luísa Soares), que foi um dos responsáveis pela florestação da serra. Ficou conhecido como o Carvalho da “Pena”.


Photobucket
Mais tarde, e desse eu lembro-me bem, o responsável era o Engenheiro Roque de Pinho, nome muito conhecido mas não me recordo que morasse cá em Sintra, era uma pessoa muito visível, cirandava de um lado para o outro, e via-o passar bastantes vezes na sua viatura Wolkswagen azul, e a pé.

Estatura meã, para o cheio, com os seus óculos que lhe davam um ar peculiar na sua face assim um bocado para o arredondado. Não só eram responsáveis pelo Parque da Pena, mas também do Castelo, e da Serra em geral, de Sintra a Cascais.

Carlos Santos -Caínhas

3 comentários:

Fatyly disse...

Fantástico e sobretudo com a colaboração que foi dada por Carlos Santos.

Olhar ao que foi - e só a conheço há 32 anos - e ver o que tem ocorrido por este Concelho é pedir se fosse possível: Sr.Carvalho da Pena volte pf!

ADOREI e parabéns pos mais estas memórias, sobretudo para quem nasceu e cresceu tão longe...tão longe mas que veio parar a um local ainda tão belo, tão belo...apesar dos pesares!

pedro macieira disse...

A Carvalho da Pena falta fazer a homenagem que Maria Almira Medina, pediu à CMS,que lhe fosse feita:
-Que fosse colocada na casa onde faleceu, uma placa que evocasse a memória daquele que, no Parque da Pena, foi o continuador da obra de D.Fernando e da Condessa d'Edla.

Talvez a Parques de Sintra Monte da Lua (PSML), herdeira do trabalho executado por Carvalho da Pena, ficasse bem fazer a dita homenagem, em nome de Sintra.

Um abraço

Caínhas disse...

Essa homenagem ainda hoje não seria tarde, em primeiro lugar porque a merece, e depois porque ainda tem família viva. Ainda estão, a mulher do seu neto (Carlos Carvalho) a Srª D. Maria Luísa Soares, e a bisneta Teresa Soares Carvalho.
Caínhas