sábado, junho 15, 2013

Porque hoje é Sábado...

Bloguendignado12062012d3  photo 44857_640117532681067_114326439_n_zps622bb525.jpg

5 comentários:

pedro macieira disse...


Na primeira noite, eles se aproximam e colhem uma flor de nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem, pisam as flores, matam nosso cão.
E não dizemos nada.
Até que um dia, o mais frágil deles, entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.
E porque não dissemos nada, já não podemos dizer nada.

- Maiakovski, poeta Russo.

Primeiro levaram os negros.
Mas não me importei com isso.
Eu não era negro.
Em seguida levaram alguns operários.
Mas não me importei com isso.
Eu também não era operário.
Depois prenderam os miseráveis.
Mas não me importei com isso.
Porque eu não sou miserável.
Depois agarraram uns desempregados.
Mas como tenho meu emprego, também não me importei.
Agora estão me levando.
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém .
Ninguém se importa comigo.

- Bertold Brecht (1898-1956).

Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.
No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista.
Como não sou comunista, não me incomodei.
No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico.
Como não sou católico, não me incomodei.
No quarto dia, vieram e me levaram;
já não havia mais ninguém para reclamar...

- Martin Niemöller, 1933 - símbolo da resistência aos nazistas.

R.Martins disse...

Grandes verdades ! Muito Bom ! Obrigado Vizinho !
Abraço !

Graça Sampaio disse...

É isso mesmo, Pedro, o que este povo está a fazer: a não se importar com nada nem com ninguém...

Bom fim de semana

pedro macieira disse...

Alguém dizia que ainda não tinha visto em Portugal, 3 milhões de pessoas na rua a contestar as injustas medidas do governo PSD/CDS - e por isso o povo merecia o que lhe estava acontecer...
E de facto a indiferença de parte da população, esperando que as malfeitorias sejam só para os outros está muito claro na adaptação do texto de Bertold Brecht, é necessário colocar rapidamente de lado os "brandos costumes", porque isto vai acabar mal para (quase) todos.
Abraços

pedro macieira disse...

O alguém a que me refiro no comentário anterior é Paulo Morais.Acrescento um link para uma das últimas entrevistas que deu:
http://www.jn.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=3197601&page=-1