quarta-feira, agosto 05, 2015

Preparar a faina em Cascais

Numa breve passagem pela Baía de Cascais, na última segunda-feira, um registo da preparação e partida para a faina do "Mãe de Jesus".
TraineiraCascais0382015Bblog.jpg
Foto 1:Preparar os "aparelhos" e "artes" para mais um dia /noite de pesca
TraineiraCascais0382015Cblog.jpg
Foto 2:Soltar os cabos para  se fazer ao largo

TraineiraCascais0382015Dblog.jpgFoto 3: A traineira "Mãe de Deus" deixa o cais de abrigo temporário de Cascais
TraineiraCascais0382015EFainaAblog.jpg
Foto 4 (03/08/2015)

Porque a traineira "Mãe de Jesus" é  oriunda de Setúbal:

A importância da pesca para Setúbal
"A pesca e o sal, aliados às excepcionais condições do seu porto, foram, de início, a base do crescimento económico da vila de Setúbal que, em 1860, se fez cidade. Os pescadores que exploravam as águas do rio Sado, da costa marítima adjacente e do alto, residiam quase todos em Setúbal, e alguns viviam a bordo das embarcações, como acontecia com os pescadores "ílhavos" que haviam emigrado para esta cidade em grande número. A situação do aglomerado urbano, junto à foz do rio Sado, proporciona-lhe uma feição muito peculiar, mencionada no foral novo como parte nova.

Neste documento régio estabelecia-se que os pescadores que pescavam pelos esteiros (scanis) com redes a pé, pagassem um tributo (foro) dos peixes que "encontrassem mortos", isentando de tal imposto os mariscos (pinas) que trouxessem para a sua alimentação. Estas determinações são exclusivas do foral concedido a Setúbal, não se verificando referências deste tipo em alguns outros forais concedidos a outras povoações do litoral como, por exemplo, Sesimbra.(...)"

Excerto de um texto  de investigação sobre a pesca no território ocupado pelo aglomerado urbano de Setúbal,  aqui: http://mcquintas.paginas.sapo.pt/indexb2.html

Sem comentários: