terça-feira, novembro 17, 2009

Árvores de Colares II ( Actualizado)

PhotobucketA resposta (de ontem) do Departamento de Comunicação das Estradas de Portugal sobre o caso dos Plátanos de Colares:
"(...) A Estradas de Portugal informa que a Av. C. Linhares e Lima é um troço da EN375 no centro de Colares. Esta via está ladeada de grandes plátanos os quais em ocasiões de intempérie já provocaram danos a utentes da via (na maioria veículos estacionados), a que a EP respondeu com o pagamento das indemnizações apuradas.

Assim, quer na EN375, quer em todas as estradas da rede a cargo da EP na Serra de Sintra, são alvo de uma acção que a Empresa empreendeu este Outono a nível de poda e abate de algumas árvores, no âmbito da segurança e manutenção da estrada.

Está prevista a intervenção em cerca de 572 árvores de grande porte (poda, tratamento fitosanitário, ou no limite o abate). A referida campanha iniciou-se no passado mês de Outubro e, prevê-se a sua conclusão até ao final do corrente ano.

A operação sobre as árvores não determina nenhum condicionamento da estrada (por tempo e data marcantes), a menos da inibição de uma das vias e apenas por algumas horas do dia.

Os pequenos constrangimentos que possam surgir têm carácter temporário, uma vez se instalam apenas onde há uma ou mais árvores a intervir, ao longo dos 35 km das estradas em causa.

Não está previsto no curto/médio prazos qualquer outra intervenção na EN375, que não aquelas que correspondem às operações correntes de manutenção da estrada (danos no pavimento, desobstrução dos órgãos de drenagem, (re)marcação horizontal, reposição da sinalização vertical, etc)."

Actualização da informação da "Estradas de Portugal" - 18/11/2009, 0H15m

Esclarecimentos adicionais sobre a última informação publicada da EP:

"A Estradas de Portugal informa que os 17 plátanos marcados na EN375 no centro de Colares serão alvo de um ensaio de diagnóstico de solidez dos troncos e pernadas, por meio de Resistógrafo, de modo a avaliar a existência de um eventual risco de queda de alguma das árvores em causa.

A intervenção que está prevista para estas árvores é a de apenas podá-las e só será outra no caso do diagnóstico de solidez a realizar vier demonstrar que a árvore apresenta "deficiências" estruturais tais que a sua poda se venha a manifestar insuficiente para se evitar o risco de queda. Portanto, o abate de qualquer uma destas 17 árvores só será equacionado em última e derradeira instância.

Na eventualidade de se verificar necessário o abate de alguma destas árvores, a EP irá avaliar a possibilidade de se proceder à sua substituição."

Textos da Estradas de Portugal por gentileza de Luís Galrão

Ler também:
- Diário de Notícias de 18/11/2009 -Plátanos abatidos só "em última instância"
-Site Árvores de Portugal:
Photobucket
"Houve uma altura em que extinta Junta Autónoma de Estradas (JAE) plantava árvores nas bermas dos nossos itinerários rodoviários. Esse tempo , obviamente já lá vai e a sua sucessora,a Estradas de Portugal (EP), olha as árvores como um empecilho."
Ler mais em Árvores de Portugal -Aqui e Aqui

-Alagablogue (Alagamares) -Plátanos de Colares-Marcados para Morrer?
-Correio da Manhã-Colares teme abate Plátanos

Photobucket

1 comentário:

L.G. disse...

Dada a relevância do assunto, deixo aqui os esclarecimentos adicionais que recebi da EP:

"A Estradas de Portugal informa que os 17 plátanos marcados na EN375 no centro de Colares serão alvo de um ensaio de diagnóstico de solidez dos troncos e pernadas, por meio de Resistógrafo, de modo a avaliar a existência de um eventual risco de queda de alguma das árvores em causa.

A intervenção que está prevista para estas árvores é a de apenas podá-las e só será outra no caso do diagnóstico de solidez a realizar vier demonstrar que a árvore apresenta "deficiências" estruturais tais que a sua poda se venha a manifestar insuficiente para se evitar o risco de queda. Portanto, o abate de qualquer uma destas 17 árvores só será equacionado em última e derradeira instância.

Na eventualidade de se verificar necessário o abate de alguma destas árvores, a EP irá avaliar a possibilidade de se proceder à sua substituição."