segunda-feira, maio 10, 2010

Retrato de Colares

Photobucket

Photobucket

"Colares, viçoso quadro de Malhoa, é um rincão florescente em que se alia à riqueza da região vinícola à beleza duma paisagem surpreendente. Cercada de pequenas propriedades rústicas, viçosos laranjais e pomares aberrimos, Colares é também hoje procurado por centenas de pessoas de Lisboa e de todo o país que pedem às sombras reconfortantes aquilo que noutros lugares não encontram. (...)"
Excerto de um texto de Luís F.Trigueiros, publicado na "Gazeta dos Caminhos de Ferro", nº1169 de 1 de Setembro de 1936

3 comentários:

Fatyly disse...

O que diria Luis F.Trigueiros se visse Colares de hoje? Continua linda, muita coisa mudou e as casinhas tradicionais e campos cultivados deram lugar a casarões com piscinas e a consequente redução do cultivo. Será? ou é deficiência do meu olhar!

Anónimo disse...

E depois?

Os vários palácios dos arredores, o que eram senão " casarões com piscinas " da época?

Só os Cadavais tinham três casarões...

pedro macieira disse...

Colares como região rural, com pomares e vinhas terá mudado ao longo do tempo, o país agrícola mudou também, em virtude de exigências comunitárias, que nos tem prejudicado neste campo.Colares hoje não é de certeza o mesmo que William Beckford descreveu quando por aqui passou.Hoje Colares sofre as consequências do tempos em que vivemos, modernizou-se para o bem e para o mal, e infelizmente no seu centro histórico que devia ser preservado, um edificio “apalaçado”talvez pretendendo imitar o Paço do Bispo Melo e Castro, de outros tempos e construído sob embargo, estraga totalmente o panorama daquele local, envergonhando todos que
gostam de Colares e da sua história.
Outros sinais existem de não se cumprirem as regras de uma área protegida do PNSC, mas no essencial Colares tem sobrevivido às pressões do betão, e ainda hoje, é um dos locais mais interessantes, não só pelo seu passado, como pela beleza natural.
Abraços