sexta-feira, maio 21, 2010

Tricotando Paisagens

Uma intervenção do Clube de Tricô "Conversa Fiada", ontem ao fim do dia no Largo do Morais, em Sintra, um dos locais em que o Departamento de Parques e Jardins podou bárbaramente, Plátanos e Tílias.

Photobucket

Photobucket

Photobucket


Photobucket

Photobucket


Photobucket

Clube de Tricô "Conversa Fiada"

Os membros do Clube de Tricô “Conversa Fiada reúnem-se, semanalmente, à quarta-feira à noite no Saudade, Amor e Arte, em Sintra.

A arte de envolver elementos do património público com tricô que, de algum modo, suscitam intervenção cívica, foi iniciada nos EUA em 2005, sendo conhecida por Yarnbombing.
Em Sintra, inspirado neste movimento que já se espalhou por todo o mundo, o Clube de Tricô “Conversa Fiada” vem fazer a sua primeira intervenção.

Foi no Largo do Morais que o Departamento de Parques e Jardins selvaticamente podou as árvores, há umas semanas atrás.
Por isso, decidiu o Clube de Tricô “Conversa Fiada” vestir simbolicamente estas nossas amigas.

O critério utilizado ronda o incompreensível.
Vejamos:

O jardim que ali se encontra, com bancos convidativos a uma pausa para quem sobe da Estefânia para S. Pedro, foi deixado sem uma única sombra. Todos os plátanos, foram decepados dos seus ramos.

As árvores da Rua D. João de Castro, foram objecto de intervenção absolutamente absurda, efectuada num lugar tão característico de Sintra.
Logo no início, temos várias tílias completamente decapitadas dos ramos que estavam já cobertos de folhas (este ano já não voltarão a rebentar), outras às quais foram cortados os ramos alguns metros acima do tronco e, pasme-se, logo a seguir, um conjunto de árvores exuberantes de folhagem bonita, onde a motosserra não tocou.

Que critério tão discriminatório foi utilizado no tratamento dado a estas árvores?

Onde estão os técnicos da Câmara a quem foi ministrada, em Abril de 2009, a formação adequada para que “(…) se as árvores de Sintra pudessem ver-se ao espelho, gostassem da imagem reflectida e louvassem o cuidado posto na sua fisionomia saúde e preservação(...)”? “Coisas d’Árvores,” Abril 2009

Até quando vamos assistir a estes atentados? Só pela simples razão de que, em anos anteriores as podas foram assim efectuadas?

Lamentamos profundamente a falta de cuidado que a Autarquia tem demonstrado em relação às nossas árvores, património natural fundamental para que Sintra esteja classificada pela UNESCO como Paisagem Cultural da Humanidade.

Clube de Tricô “Conversa Fiada”

*Texto fornecido pelo Clube de Tricô "Conversa Fiada"

6 comentários:

Fatyly disse...

Desconhecia por completo este Clube e subscrevo a sua intenção.

Hoje vou passar por lá:)

Anónimo disse...

A acção em si, é feita com as intenções correctas mas que as árvores coitadas estão com ar de "sem abrigo"...
Deselegantes, deformadas e tristes já elas estavam ...

Anónimo disse...

"Deselegantes, deformadas e tristes", foi exactamente a ideia que quisemos reforçar com esta intervenção.

carol disse...

Que ideia tão original! Tudo para chamar a atenção para o disparate! E logo em Sintra!!!

PV disse...

Palmas para o Clube de Tricô. Uma ideia divertida para salientar uma situação lamentável.

ana disse...

Face ao sucesso da intervenção do Clube de Tricô "Conversa Fiada" nas podas em Sintra, gostaríamos de agradecer aos blogues, Rio das Maçãs, Sintra do Avesso e a Luis Galrão do DN, a cobertura e divulgação desta nossa inicíativa.


Ana d'Oliveira