quinta-feira, fevereiro 10, 2011

Quinta do Cosmo

Photobucket
"Na estrada de Sintra a Colares, mais de meio caminho andado, avistam-se à mão esquerda umas ruínas, imediatamente inferiores à estrada macadamisada. Mas ruínas de tomo, de antigas e nobres edificações, a cuja frente ainda se pode admirar um portão quinhentista encimado por um mutilado brazão "
António Baião no Almanaque Bertrand de 1938

“são este troço de parede e de duas construções cilíndricas ainda com cobertura do lado esquerdo de quem entra, o que mais bem conservado se apresenta, ou melhor, o que praticamente resta do velho solar quinhentista.
Estas duas construções cilíndricas, adossadas uma à outra, sendo a de maior diâmetro a mais recuada e como uma janela a sueste, diz a tradição que serviam de prisão."
José Alfredo da Costa Azevedo em "Recanto e Espaços"

Photobucket

Photobucket
Almanaque Bertrand de 1938

A quinta do Cosmo e não Cosme , por ter pertencido a Cosmo de Lafetá - como faz notar José Alfredo da Costa Azevedo em "Recantos e Espaços". Já o Almanaque Bertrand de 1938 em texto assinado por António Baião Ex-Director da Torre do Tombo, esclarecia essa dúvida:

"Cosmo de Lafetá era filho de João Francisco Lafetá, abastado mercador milanês. A cujos feitores e criados , em 28 de Outubro de 1520, D.Manuel I concedia os mesmos previlégios de que gozavam os alemães (...)
A 3 de Novembro de 1600, faleceu Catarina Gonçalves, da quinta que foi de Cosmo Lafetá."

Tinha como Brazão : em campo azul, um castelo de ouro e por timbre o mesmo castelo

Photobucket

Photobucket
O escudo que encima o portão principal e único que existe do arruinado solar, tem como timbre um elmo.

Photobucket

7 comentários:

Anónimo disse...

Este pouco que resta não está classificado ? nem protegido?

Fatyly disse...

Conheço bem mas não fazia a menor ideia da sua história. Obrigado e deixo a mesma pergunta feito por Anónimo.

Caínhas disse...

Obrigado por mais este bocado de história do património sintrense. Desconhecia, antes até cheguei a pensar se seria dos antepassados de José de Oliveira Cosme, que por cá morou, ignorância a minha!...
Infelizmente grande parte deste património já desapareceu.

pedro macieira disse...

Na lista do site da CMS:
http://www.cm-sintra.pt/Categoria.aspx?ID=183
A Quinta do Cosme, não consta como património classificado.
Abraços

R.Martins disse...

Obrigado Vizinho Pedro,por mais uma
lição de História/Património,esta eu não sabia e deve haver mais pessoas que também desconheciam !
Um Abraço!

Maria e Manel disse...

Classificado desde 1983 como Imóvel de Interesse Municipal

http://www.igespar.pt/pt/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimovel/detail/71073/

Fred disse...

Olá. Me chamo Frederico Lafetá, sou brasileiro e gostaria de saber mais sobre o assunto e me corresponder com pessoas da família Lafetá em Portugal. Abs.. contato: flafeta@gmail.com