quinta-feira, junho 30, 2011

Do Penedo para Colares

williamBeckford
“O vale de Colares é para mim uma fonte de perene distracção. Descobri muitas veredas, que através de matas e castanheiros e pomares que nos levam a sítios acidentados e verdejantes, onde os loureiros bravos e as moitas de limoeiros pendem livremente sobre a margem pedregosa de um pequeno rio, e deixam cair na corrente as suas flores e os seus frutos.(...)”

In "Correspondência de William Beckford 1787"

colaresb
Foto do Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Lisboa- autor não identificado

ColaresPenedo
Foto actual do mesmo local (Do Penedo para Colares)

5 comentários:

B.Braddell disse...

beleza de palavras...vou passear para lá agora!!

pedro macieira disse...

Felizmente depois de tantos anos, as coisas em Colares não mudaram muito.
Um abraço

carol disse...

Que linda a foto antiga! Não gosto da cor com que está pintado actualmente.

Carlos José Santos disse...

O meu comentário vai contra o da minha amiga, a cor a mim não me agride.
Saliento no entanto o modo como está, recuperado o património.
Acho que houve quem não gostasse quando o actual dono fez estas obras, já não me lembro bem qual era o desacordo.
Verificando bem as duas fotos, a muralha antiga junto ao lado esq, do 2º arco está lá integralmente, tal qual a foto antiga.
É das zonas mais bonitas de Sintra!

pedro macieira disse...

Carol e Caínhas,
A Quinta Mazziotti foi desmembrada nos anos 80,tendo o comendador Justino adquirido uma parte já nessa altura designada por Quinta do Pombeiro.mais tarde(1989)quando era presiidente da CMS elevou uns muros da propriedade, o que foi contestado por muitos moradores e pelo Ministério do Ambiente e o IPPAR pela perda das vistas sobre o litoral sintrense, que até aí existiam naquele local. Mas o problema daquela quinta não reside sómente nesse aspecto e na cor que foi utilizada para pintar os muros.
A mansão apalaçada que ali foi construída sobre embargo é o principal problema, assunto que temos referido no blogue desde o início do processo de construção em 2003.
Abraços